domingo, 1 de abril de 2018

Mãe julgada por deixar o filho andar descalço em lojas pede mais empatia

A americana Ashley Moore fez post afirmando que os julgamentos vêm disfarçados como falsa preocupação

Foto dos pés do filho compartilhada por Ashley Moore (Foto: Reprodução Facebook)
Foto dos pés do filho compartilhada por Ashley Moore (Foto: Reprodução Facebook)

Por Crescer online

A americana Ashley Moore fez um desabafo nas redes sociais depois de ter sido julgada diversas vezes por deixar o filho, que tem autismo, andar descalço dentro de lojas. O post já teve mais de 40 mil compartilhamentos. Veja o que ela escreveu:

“Olá. Sabe aquela mãe que você está julgando porque o filho dela está descalço na loja? Sim, essa sou eu.

Ouça, eu sei que você está super preocupado com o meu filho... Quero dizer, alguém tem que se preocupar, certo? Mas estou cuidando disso. Vejo você puxando aquele duro cartão do julgamento, mas vou precisar que você coloque isso de volta no seu bolso. Na verdade, basta rasgá-lo e jogá-lo no lixo, porque você não deveria tê-lo de qualquer maneira. Sei que os pés dele estão descalços. Estou ciente de que pode estar um pouco frio (mesmo se estiver um pouco quente receberei os mesmos olhares). Estou plenamente ciente de que seus dedos do pé podem ficar gelados na caminhada do carro para a loja.

Acontece que no meio do seu julgamento sobre meu modo de ser mãe me tornei extremamente cansada de recolher as meias dele do chão. Extremamente cansada de perceber que um sapato está faltando e refazer meus passos pela loja para encontrá-lo. Cansei de ter um tênis voando na minha cara enquanto pego algo em uma prateleira. Tento fazê-lo estar totalmente vestido da cabeça aos pés quando visitamos lojas, mas provavelmente as meias dele estarão dobradas com segurança na minha bolsa porque tentei colocá-las e ele já tirou umas cem vezes. Minha paciência é baixa com coisas bobas, então desisto.

Ele odeia coisas que tocam seus pés, como culpá-lo? Meias e sapatos são apenas prisões de pés suados, que se danem. Não quero entrar nessa batalha com uma criança de 2 anos. Então agradeço, muito obrigado pela sua preocupação, mas já entendi. Os pés dele estão descalços, mas ele está bem. Ele está feliz e tenho um pouco da minha sanidade mental”.

Enquanto a maioria dos comentários apoiou o desabafo da mãe, alguns criticaram sua postura. “Ok, não vou te julgar porque não me importo e não é meu filho que pode ficar doente”, escreveu uma usuária. “Mas na minha casa isso nunca aconteceria. Sou a mãe, meus filhos são pequenos, precisam de alguém para guia-los e fazê-los entender a diferença entre certo e errado”.

Nenhum comentário: