terça-feira, 22 de setembro de 2009

Viatura fica seis horas em vaga para deficiente.

"Infelizmente, isso é a coisa mais comum na rotina de um deficiente físico em Salvador" afirma Luiza Câmera, presidente da Abadef.

Uma viatura da Polícia Civil foi flagrada, na última terça-feira, 15, estacionada em uma vaga reservada para pessoas com deficiência física, em frente à agência da Caixa Econômica Federal (CEF), nas Mercês, na avenida Sete de Setembro, Centro.

A infração foi registrada, em foto, pelo leitor de A TARDE Jenilson Souza, 29. Deficiente há nove anos e fazendo uso de cadeira de rodas, Souza denuncia que chegou ao trabalho por volta de 12h e a viatura de Valença (5ª Coorpin), já estava na vaga reservada. Quando saiu, às 18h, o veículo,s egundo ele, continuava no mesmo local. Jenilson lamenta que não é a primeira vez e que a mesma vaga passou a tarde da última segunda-feira ocupada por outra viatura da Polícia Civil.

“Seis horas é tempo demais. Não acredito que se tratasse de alguma operação, mesmo porque não vi nenhum policial nas proximidades. Isso é falta de respeito e o mais inacreditável é que parte do próprio poder público, da polícia, que poderia contribuir para acabar com essa prática e a quem deveria interessar fazer valer as leis. Não podemos tolerar isso”, ele argumenta.

A delegada-geral adjunta da Polícia Civil, Emília Blanco, por meio da assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública (SSP), emitiu nota dando conta de que “essa equipe, provavelmente, é uma das que vieram do interior para reforçar a atuação da polícia contra os atentados a módulos e coletivos”. E completou: “Não há justificativa para uma viatura ficar tanto tempo estacionada em via pública, é possível que os policiais estivessem hospedados em algum local próximo e deixaram a viatura lá. No entanto, isso não justifica e o caso vai ser apurado”.

Na capital baiana, compete à Superintendência de Trânsito e Transportes de Salvador (Transalvador) fiscalizar o cumprimento da legislação. De acordo com a assessoria do órgão, os policiais, quando no exercício de suas funções, têm liberdade para estacionar os veículos em qualquer lugar. No entanto, em outras circunstâncias, podem ser multados como qualquer cidadão.

De janeiro a agosto de 2009, a Transalvador emitiu 172 multas referentes a ocupação inadequada de vagas destinadas a pessoas com deficiência física. Número que representa um crescimento de 100% em relação ao mesmo período do ano passado.

“Infelizmente, isso é a coisa mais comum na rotina de um deficiente físico em Salvador. Todos os dias, nós recebemos reclamações deste tipo de desrespeito na Associação Baiana de Deficientes Físicos”, afirma Luiza Câmera, presidente da Abadef.



A Tarde
Salvador - BA, 21/09/2009

Nenhum comentário: