sexta-feira, 23 de abril de 2010

Nelsinho promete nomear professora cega, mas processo contra Prefeitura está na Justiça

Deficiente visual, a candidata Telma foi considerada inapta ao cargo, de acordo com parecer da equipe multifuncional.

Jacqueline Lopes

Na expectativa de ser nomeada e poder desenvolver projetos pedagógicos na área da Educação Infantil e ao mesmo tempo ensinar as crianças a conviverem com as pessoas diferentes e assim, ajudar na formação do cidadão, a professora cega Telma Nantes esteve hoje com o prefeito de Campo Grande Nelson Trad Filho (PMDB).

"Vamos ter um novo momento. O prefeito se mostrou sensível à política de colocação de pessoa com deficiência no mercado, disse que vai me nomear dar posse e dar condição para que desenvolva meu trabalho", disse a professora.

Depois de ter sido barrada pela equipe multidisciplinar da Prefeitura de Campo Grande, ela teve que acionar a OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional de Mato Grosso do Sul) que já acionou a Justiça Federal.


Desabafo

"O que aconteceu foi muito triste para mim enquanto militante. As pessoas com deficiência passam pelo processo de reabilitação, capacitam-se e estão disponíveis para o mercado".

Indagada sobre a fala do prefeito que ontem afirmou que a professora não estaria apta para cuidar de crianças, a pedagoga demonstrou superação.

"Foi muito pesada a fala dele [prefeito], mas devemos ter conhecimento que as mulheres cegas são mães, pais, tios, zelam pelos seus pais e filhos".

Telma Nantes enfatizou ainda que pelo Brasil afora os professores cegos desempenham seus trabalhos e o poder público tem dado condição para que a inclusão ocorra de fato. No caso de Telma Nantes, um professor auxiliar é importante e a qualificação dela, especialista em educação especial lhe garante os instrumentos necessários para cumprir a missão de educar.

"Uma professora cega não pode contar histórias? Fazer brincadeiras? Temos que ter condições de trabalho. Como essas crianças serão cidadãs no futuro? Se desde criança forem lidando com diferença, serão cidadão. Temos educadores com deficiência pelo Brasil afora. Mato Grosso do Sul ficou com um cenário triste em âmbito nacional e temos que praticar a inclusão".

"Posso participar de projetos como especialista em educação especial, pedagogia. Posso ser palestrante de cidadania às crianças e os municípios têm que se preparar para um momento que historicamente os deficientes estão chegando. Nós temos que conviver".


Inclusão

A prefeitura chegou a publicar no dia 19 de fevereiro a convocação e nomeação da professora no Diário Oficial do município. Porém, a candidata, que é portadora de deficiência visual em grau de cegueira biológica, não pode tomar posse do cargo já que foi elaborado um parecer pela equipe multiprofissional, que considerou a candidata inapta ao cargo, fato que fez com que o prefeito de Campo, Nelson Trad Filho, tornasse sem efeito a sua nomeação.

Agora, é aguardar a nomeação de Telma Nantes. Não foi lhe dado prazo, mas o prefeito lhe garantiu o cumprimento da legislação. O artigo 5º da Constituição Federal diz que todos são iguais perante a lei sem distinção de qualquer natureza.


Midiamax
Campo Grande, 22/04/2010

Matéria postada no blog da APNEN: 23/04/2010

Nenhum comentário: