quinta-feira, 3 de junho de 2010

Em AL, 60% de amputados em emergências

Nível aceitável internacionalmente é de 9% a 12% para amputações altas.

Alessandra Duarte e Odilon Rios

Alguns estados com maiores taxas de amputação são Rio de Janeiro, Maranhão, Alagoas e Piauí. Em Alagoas, 60% dos casos de diabéticos que chegam aos hospitais de emergência (com o problema chamado de pé diabético, causado pelo fato de a diabetes comprometer o sistema circulatório e provocar lesões nos nervos, o que leva a úlceras e infecções) acabam em amputação. O nível aceitável internacionalmente, porém, é de 9% a 12% para amputações altas, diz a SBACV.

Em 2000, esse nível era de 53% no Rio. Explicando o alto índice de amputações, há a falta de acompanhamento dos pacientes – por unidades de saúde que ou não remarcam consultas de diagnosticados com diabetes; ou não fazem a chamada busca ativa, procurando o paciente caso ele não tenha retornado; ou simplesmente não realizam exames regulares para checar a existência ou o agravamento da doença.


Fonte:
Gazeta de Alagoas
Alagoas, 02/06/2010

Matéria postada no blog da APNEN: 03/06/2010

Nenhum comentário: