sábado, 12 de fevereiro de 2011

Polícia apura ameaça contra cadeirante; ligação veio de delegacia

O advogado cadeirante Anatole Magalhães Macedo Morandini, agredido mês passado por um delegado após discussão por vaga especial, denunciou à Corregedoria da Polícia Civil uma ameaça de morte por telefone.
da Redação

APNEN, colaborando na divulgação desta matéria: 12/02/2011

Uma perícia feita no aparelho celular de Morandini constatou que o número de onde partiu a ligação com a suposta ameaça é de um dos telefones da Delegacia Seccional de São José dos Campos (97 km de São Paulo).

O delegado Damasio Marino, que agrediu o cadeirante, era titular da 6ª Delegacia de Polícia de São José. Após o episódio, ele foi afastado das funções pela Secretaria de Segurança Pública.

De acordo com o corregedor da Polícia Civil no Vale do Paraíba, Antonio Alvaro Sá de Toledo, a ameaça aconteceu no dia 28 de janeiro. Um inquérito foi aberto para investigar o caso.

No dia 17 de janeiro, Morandini repreendeu o delegado Damasio Marino por ele ter estacionado em uma vaga destinada a deficientes físicos que fica em frente a um cartório, no centro de São José.

O cadeirante afirma que, após discussão, foi agredido com coronhadas pelo delegado. Cinco testemunhas confirmaram à corregedoria ter visto o delegado usar a arma para agredi-lo.

Marino negou o uso do revólver, mas admitiu ter dado "dois tapas" no cadeirante após receber uma cusparada no rosto.

Fonte: Deficiente Ciente - São José dos Campos - SP, 11/02/2011

Nenhum comentário: