quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Faltam profissionais qualificados para auxiliar deficientes em Itapetininga

Projetos estão sendo realizados para favorecer a inclusão dos alunos com deficiência.
da Redação

APNEN, colaborando na divulgação desta matéria: 31/08/2011

Um mundo de sonhos e expectativas se abre aos olhos de Juninho, Miriam, Matheus, Vitor e de centenas de crianças e jovens em Itapetininga. Como num livro de histórias infantis, eles conseguem viajar pelo embaralhar das letras que formam palavras, diálogos e conhecimento! O pensamento cria asas e faz voar. Liberta e ajuda a superar as dificuldades enfrentadas todos os dias.

Juninho sofre de distrofia muscular de duchene, uma doença sem cura que vai enfraquecendo e atrofiando os músculos com o passar do anos. Ele deixou de correr e brincar de uma hora pra outra.

Quando a doença começou a aparecer, há cinco anos, ele teve de abandonar a escola, porque a unidade não tinha acessibilidade.

Depois de muita luta, Adriana, mãe de Juninho conseguiu uma vaga para o filho em uma escola municipal. Lá ele recebe todos os cuidados necessários. Uma van adaptada faz o transporte todos os dias. Juninho nunca falta e encontrou na educação um jeitinho de levar a vida e quebrar preconceitos.

Assim como ele, outras 376 crianças com necessidades especiais buscam educação de qualidade na rede pública de ensino. Hoje, das 77 escolas do município, pelo menos trinta são totalmente adaptadas. O problema é que nem todos os profissionais são preparados para lidar com estudantes deficientes.

Outro desafio é fazer adaptações nas escolas mais antigas. Escadas e degraus dificultam a vida dos alunos com dificuldades de locomoção. Faltam rampas que possibilitem o direito de ir e vir. Barreiras que atrapalham projetos de inclusão educacional.

O poder transformador da educação invadiu também os corredores de escolas voltadas apenas ao ensino especial.Na Apae de Itapetininga, não faltam projetos que ajudem no desenvolvimento de deficientes mentais. Atividades de ensino regular ou profissionalizante que enchem as salas de sorrisos.

No lombo do cavalo, o prazer de saber que é possível sim evoluir. As aulas de equoterapia são o principal tratamento, e dão segurança e autoconfiança para as crianças.

As aulas são aprovadíssimas pelos alunos! e do jeitinho deles. Vitor, Matheus, Juninho, Miriam, exemplos de que é possível mudar conceitos e extinguir preconceitos, de que é sim possível e preciso misturar, inserir e multiplicar conhecimento!

Fonte: TV Tem - Itapetininga - SP, 30/08/2011

Nenhum comentário: