sexta-feira, 2 de setembro de 2011

O filho do vizinho



APNEN, colaborando na divulgação desta matéria: 02/09/2011

Por Marcus Tavares em O Dia Online


Pela janela do seu quarto, Ronaldinho olha maravilhado as aventuras e peripécias de um garoto que é chamado de várias formas pela vizinhança. Dos muitos nomes, Ronaldinho o chama de “o filho do vizinho”.
Esta é a sinopse do curta ‘O filho do vizinho’, de Alex Vidigal, que em pouco menos de um ano já acumula três prêmios: melhor direção de arte na mostra competitiva digital do 43º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, em 2010; melhor curta do 8º Festival de Cinema de Maringá; e melhor filme da 10ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis. Surpresa para o diretor, que não tinha nenhuma expectativa do quanto o curta seria bem recebido, tanto pelas crianças quanto pelos adultos.
Mas é merecido. O curta, de seis minutos, conta a história de dois personagens: o filho do vizinho e Ronaldinho. O primeiro não para um só instante. Ele joga bola, solta pipa, corre para lá e para cá, irritando muitas vezes os adultos. O segundo é um menino quieto, na dele. Para muitos adultos, Ronaldinho é um exemplo de criança. Ele passa os dias observando, da janela de sua casa, as peripécias do filho do vizinho, negando todos os convites do menino de participar das brincadeiras.
À medida que o curta vai se desenrolando, a gente se pergunta por que Ronaldinho não aceita nenhum convite, não brinca na rua com as outras crianças, não entra para a turma do filho do vizinho. A única pista é que a mãe de Ronaldinho o protege bastante, não quer que ele se misture com os outros. Mas por quê?
No final, a descoberta: Ronaldinho é cadeirante. Desta vez é o público — adultos e crianças — que fica surpreso e pensativo. O diretor queria que as pessoas refletissem sobre a infância de um cadeirante, com todas as suas limitações físicas e as que, muitas vezes, são impostas pela família e sociedade. Objetivo alcançado. O filme está em cartaz aqui no Rio, no Festival Internacional de Cinema Infantil. No YouTube, é possível conferir um trailer do curta.
Abaixo, o teaser do filme, no YouTube.

* Professor e jornalista especializado em educação e mídia


Fonte: O Dia Online  (http://www.inclusive.org.br/?p=20866)

Nenhum comentário: