quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Associação de apoio a deficientes auditivos está prestes a fechar em SE

Entidade filantrópica depende de doações para funcionamento. Cerca de cem pessoas recebem reforço escolar e fazem outras atividades.

Marina Fontenele

A Associação dos Pais e Amigos dos Deficientes Auditivos de Sergipe – Apada – está prestes a fechar por falta de recursos financeiros. De acordo com Lígia Maynad, presidente da entidade filantrópica, a despesa mensal da é R$ 20 mil e o saldo atual da conta é de R$ 84,58.
“Nós fizemos o fechamento em dezembro de 2011 e com isso não temos mais dinheiro para iniciar as atividades neste ano. Mas estamos com uma promessa de recurso da Assembleia Legislativa de Sergipe. Confiando nisso, vamos começar as aulas ainda neste mês”, afirma Maynad. O começo das aulas estava marcado para o dia 13 de fevereiro, mas foi adiado para o o próximo dia 27.

A associação disponibiliza gratuitamente aulas de reforço escolar, fonoterapia, duas refeições por turno para o aluno e seu acompanhante, aulas de iniciação a informática, capoeira, futebol e cursos de corte e costura, pintura de tela, entre outros.

De acordo com a presidente, 83 alunos entre 4 e 36 anos já então matriculados para este ano. “Todos estão estudando em uma escola regular de ensino inclusivo, onde um intérprete traduz para a Língua Brasileira de Sinais – Libras –, mas é difícil se concentrar no professor e no tradutor, muitos acabam se distraindo e isso compromete a aprendizagem, por isso a necessidade da revisão do conteúdo”. 

Doações
A associação existe há 21 anos e dá apoio à formação escolar e inserção no mercado de trabalho. Nesse período, mais de cem pessoas já foram empregadas. 

“Nós atendemos quem nos procura, temos alunos de mais de dez municípios, mas dependemos de recursos e doações. Há 20 anos nós tínhamos 400 pessoas que contribuíam mensalmente e hoje só temos 23”, lamenta Lígia.

A Apada sede própria, localizada na rua Joana de Souza Bonfim, nº 200, no residencial Parque dos Coqueiros, em Aracaju, mas precisa passar por adaptações para atender as exigências da Vigilância Sanitária.

Para angariar dinheiro, a instituição organiza bazar de roupas usadas e de peças confeccionadas pelas mães dos assistidos. Outra forma é solicitar carnê de contribuição ou depositar a doação na conta corrente 100384-6, na agência 043 do Banco do Estado de Sergipe – Banese.

Fonte: G1 - Aracaju-SE, 15/02/2012 

Nenhum comentário: