sexta-feira, 9 de março de 2012

Gravidez em mulheres com trauma medular prévia


No Brasil, há 130 mil indivíduos com trauma da medula espinhal e, a cada cinco pessoas vítimas de lesão traumática da medula, uma é mulher.

Devido ao trauma da medula espinhal ser menos incidente entre mulheres, e por estas permanecerem férteis e capazes de levar uma gravidez a termo, a literatura tem ignorado grandemente seu estudo – fato que não elimina as muitas alterações psicofisiológicas, bem como as alterações na sexualidade e outras dificuldades durante a gestação. 

Apesar disso, os poucos estudos existentes indicam que, nesse caso, o parto normal pode ser vantajoso em relação à cesariana.

O objetivo do trabalho foi realizar uma revisão da literatura sobre o assunto, e assim colaborar com os profissionais da área da saúde quanto à atenção à gestante com trauma da medula espinhal.

Nenhum comentário: