quarta-feira, 7 de março de 2012

Profissionais com deficiência atendem as chamadas de emergência do SAMU - 192 de São Paulo

Os profissionais com deficiência que atendem ao público não preenchem simplesmente uma cota, mas sim as competências exigidas para quem trabalha em um local que tem como principal meta salvar vidas.


Um serviço de atendimento de emergências que recebe cerca de 8.000 chamadas diárias, onde a maioria dos profissionais tem alguma deficiência física ou visual, possui mais de 120 viaturas com equipes de socorristas distribuídos em pontos estratégicos da capital de São Paulo com o objetivo de salvar vidas. Trabalha com cálculos matemáticos para posicionar as bases de suas viaturas e que atualiza diariamente as vagas e especialidades médicas disponíveis nos hospitais paulistas, em tempo real, para orientar o melhor deslocamento das viaturas nas ocorrências e para transportar o socorrido à unidade hospitalar, caso seja necessário.

Um serviço com equipes médicas em contato permanente com o Corpo de Bombeiros e com a Guarda Civil Metropolitana.
O funcionamento do Centro de Operações SAMU 192, que fica no Bairro do Bom retiro, foi visitado pelo Espaço da Cidadania na sexta-feira, 2 de março.

Passar instruções de como agir em diversas situações de perigo é a tarefa diária da equipe do SAMU - Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de São Paulo. Os profissionais com deficiência que atendem ao público não preenchem simplesmente uma cota, mas sim as competências exigidas para quem trabalha em um local que tem como principal meta salvar vidas. 

Os atendentes recebem ligações que vão desde um desmaio simples até uma parada cardíaca, ou ainda acidente de trânsito. Em várias situações o atendente vai orientando por telefone quais os procedimentos de primeiros socorros necessários enquanto se aguarda a equipe de socorristas do SAMU – 192.

Em sua capacitação eles receberam treinamento para serem capazes de atender as mais variadas chamadas e aprenderam a manusear o programa que os ajudam a definir a gravidade da situação. Trabalham com um protocolo, que garante uniformidade ao atendimento prestado durante 24h a população. O serviço funciona em parceria com a AVAPE – Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência.

A opção por contratar pessoas com deficiências não surgiu do acaso e nem mesmo da preocupação de cumprir a Lei de Cotas, mas sim após os responsáveis pela unidade terem realizado várias tentativas até chegarem ao melhor profissional para o cargo. “O foco não é a inclusão. A nossa meta sempre foi buscar a excelência e o diferencial de um bom atendimento”, explica o Coronel Luiz Carlos Wilke, Diretor do SAMU. “Eles são de fato os melhores profissionais para atuar nesta função e junto com um sistema qualificado a combinação ficou perfeita”, completa.

Graças à humanização e eficiência no atendimento, O SAMU - 192 de São Paulo está cotado para receber Certificação por excelência no atendimento.

Fonte: Espaço da Cidadania 06/03/2012 - Imagem Internet

Nenhum comentário: