sábado, 29 de dezembro de 2012

Ensino de Libras é abordado no curso Unesp/Univesp

Alunos do Polo Bauru se reuniram para assistir a palestras complementares.

Polo Bauru
Em continuidade à disciplina Conteúdos e Didática de Libras, o curso de Pedagogia do projeto Unesp/Univesp promoveu para quarenta cursistas de Bauru duas palestras com o Intérprete nesta linguagem Luis Matheus, também professor de Atendimento Educacional Especializado (AEE) para alunos com surdez.

A ação contou com uma apresentação geral da Libras e sua gramática. Além disto, o palestrante exibiu diferentes configurações das mãos e, ainda, fez explanações sobre a utilização do espaço e do movimento.

A iniciativa desta atividade veio a partir da sugestão de alguns alunos do polo, e das orientadoras Ana Beatriz Cardoso Domingues e Cínthia Magda Fernandes Ariosi. Para elas, foi de extrema importância levar aos cursistas de Bauru alguém que tem profundo conhecimento da linguaguem estudada na disciplina 24, para que fosse possível garantir um melhor aprendizado destes conteúdos.

“Fiquei mais tranquila por oferecer a eles a oportunidade de ouvir um profissional da área, com toda a qualificação necessária para tirar dúvidas e dar dicas importantes”, explica Ariosi.

Segundo a aluna Ana Carolina Faustino, estes momentos propiciaram o reconhecimento da realidade do trabalho com Libras na região, o esclarecimentos de algumas questões e a amenização de receios que muitas profissionais da educação possuem em relação a língua.

A docente Camila Chiquito Palhares, também cursista de Pedagogia, pondera que mesmo com a disponibilização de videoaulas, nada substitui a presença do professor. “Neste sentido, poder ter um contato pessoal, e não virtual, com um especialista no assunto foi bastante enriquecedor para todos”, relata. 

Ariosi afirma, ainda, que incluir não somente atividades complementares no decorrer do curso, mas o próprio ensino de Libras como disciplina obrigatória já é um grande avanço na formação docente. “Pensando nisso, o tempo de duração da D24 poderia ter sido maior. Sabemos que não é possível, pois temos todo um cronograma ainda a cumprir, mas quanto mais nos aprofundamos melhor o resultado em sala de aula”.

A atividade foi realizada em duas etapas, 26 de novembro e 3 de dezembro

Regulamentação da Libras
O ano de 2012 marcou o aniversário de 10 anos da regulamentação da Língua Brasileira de Sinais, que destaca em parágrafo único: “Entende-se como Libras a forma de comunicação e expressão, em que o sistema linguístico de natureza visual-motora, com estrutura gramatical própria, constituem um sistema linguístico de transmissão de ideias e fatos, oriundos de comunidades de pessoas surdas do Brasil”. Já no quarto parágrafo, determina que ela seja obrigatória em alguns currículos escolares.

Desde a sanção do então presidente da República Fernando Henrique Cardoso, a lei não apresentou mudanças. Ainda assim, de acordo com a professora de Libras Laís dos Santos di Benedetto, ela tem uma importância extrema pois trouxe uma valorização da língua no mundo atual e abriu caminhos para que as pessoas surdas tivessem uma vida como qualquer outro cidadão, com direitos e deveres.

“É claro que ainda não é totalmente aceita, pois existem pessoas com deficiência auditiva à margem deste progresso. Mas, de uma maneira geral, a regulamentação trouxe desenvolvimento e cidadania a esta parte da sociedade”, finaliza Benedetto.

Soraia Marino, NEaD/Unesp

Nenhum comentário: