sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Torcedora tem perna amputada

ATROPELADA POR ÔNIBUS 

Bargas Filho - Campinas

A dona de casa Maria Geralda Juvelina, 41, teve a perna esquerda amputada por uma equipe do Corpo de Bombeiros quando estava enroscada nas rodas traseiras de um ônibus do transporte urbano da Itajaí, ontem, no bairro Novo Maracanã, em Campinas. Ela foi atropelada quando participava das comemorações pelo título da Copa Sul-Americana conquistado pelo São Paulo e, segundo testemunhas, foi arrastada por pelo menos 100 metros.

Revoltadas, pessoas que estavam no local apedrejaram o ônibus. O motorista, de 58 anos, fugiu para não ser linchado. Até ontem à tarde, ela permanecia internada em estado grave no Hospital Celso Pierro.

Segundo a PM (Polícia Militar), o acidente aconteceu na Rua Manoel Machado Pereira, que divide os bairros Parque Valença e Jardim Novo Maracanã e dá acesso ao terminal de ônibus do Campo Grande. Um trecho da rua foi invadido por torcedores são paulinos.

O ônibus tentou passar pelo local, mas foi impedido por algumas pessoas e atingido por pedras, segundo disse o motorista à polícia. Ao fazer uma manobra para sair do local, o ônibus atingiu a mulher, que caiu debaixo do veículo. Em depoimento, o motorista disse que não percebeu que tinha atropelado a mulher devido ao tumulto e às pedras que atingiam o veículo e provocaram amassamento da lataria e quebra de vidros.

Ao chegar perto do terminal e ouvindo gritos, o motorista parou o ônibus. Ele saiu do local e foi pedir ajuda. A mulher ficou com a perna enroscada. Uma equipe do resgate fez a retirada, porém, teve de amputar a perna esquerda de Maria Geralda ainda no local. A mulher foi levada para o hospital onde ficou internada e passou por cirurgia, conforme informou a assessoria de imprensa.

APURAÇÃO
O delegado José Roberto Mecherino de Andrade, do 11º Distrito Policial, disse que vai abrir inquérito para apurar as circunstâncias do acidente. O motorista será convocado para prestar depoimento. O delegado informou que vai buscar testemunhas.

Uma sobrinha de Maria Geralda, que pediu para não ser identificada, disse que ela “estava com amigos porque torce para o São Paulo”. A mulher tem dois filhos: uma menina de 7 anos e um menino de 10 anos. “Ficamos sabendo que ela foi arrastada pelo ônibus. Estamos muito assustados e vamos pedir providências às autoridades”.

A Itajaí se colocou a disposição da família, informou a assessoria da empresa. Uma sindicância interna foi aberta para apurar o fato. O motorista foi afastado do trabalho por questões psicológicas.

Nenhum comentário: