terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Trajeto de cegos tem poste no meio do caminho no Centro de Piracicaba

Reportagem caminhou oito quarteirões e apenas um tem a sinalização certa.
Pisos de alerta nas esquinas têm ainda obstáculos que impedem passagem.
Do G1 Piracicaba e Região

Poste impede passagem em piso tátil de alerta em área central de Piracicaba (Foto: Fernanda Zanetti/G1)


A Prefeitura de Piracicaba (SP), responsável pela recente revitalização da área central, deixou um poste no meio do caminho do piso tátil de alerta (em amarelo), usado como sinalização para guiar deficientes visuais com bengala. Usuários reclamam que não podem andar sozinhos na região pois, além do 'obstáculo', existem outros deixados por comerciantes e pelo Executivo no percurso. De oito quarteirões da principal via comercial, apenas um tem acessibilidade correta.   
“Existem dois tipos táteis de sinalização para deficientes visuais: o piso direcional, usado para guiar os deficientes ao longo do quarteirão; e o de alerta, colocado nas esquinas para avisar ao usuário que chegou o final do trajeto”, explicou o especialista em atividade motora adaptada Eduardo de Paula Azzini, de 32 anos. A terceira etapa da obra de revitalização das vias da região central terminou no dia 16 de maio, segundo o site da Prefeitura.
A reportagem do G1 caminhou na Rua Governador Pedro de Toledo, entre as ruas Voluntários de Piracicaba e Dom Pedro I, o que totalizou oito quarteirões. No percurso havia irregularidades em esquinas como placas de sinalização de trânsito, postes de contenção de acidentes e até bueiros no trajeto. No meio de um dos quarteirões, o único que tem o piso direcional, e que fica entre as ruas Dom Pedro II e Rangel Pestana, havia um tapete sobre a sinalização.
Este único caminho que estava sem obstáculos, por parte da Prefeitura, continha o tapete que foi colocado por um lojista. “O tapete faz com que o deficiente perca a direção. Quando ele chega neste local não sabe para onde ir. É importante que os pisos táteis estejam completamente livres”, afirmou Azzini. O gerente da loja Fábio José Pinto, de 34 anos, disse que o tapete seria retirado do local para evitar problemas.
Somente um quarteirão na Rua Governador Pedro de Toledo possui sinalização em Piracicaba (Foto: Fernanda Zanetti/G1)Só um quarteirão na rua principal do comércio tem
sinalização sem falhas (Foto: Fernanda Zanetti/G1)
Pisos parecidos

O especialista ainda reclama dos pisos que foram colocados nas calçadas do Centro - o vermelho e o cinza que estão próximos do piso tátil amarelo. Azzini afirmou que, como são parecidos, isto dificulta a locomoção. “Os deficientes não pisam na faixa para se locomoverem, mas passam com a bengala. Neste caso, como são iguais, atrapalha."



Loja coloca tapete em piso tátil em rua de Piracicaba (Foto: Fernanda Zanetti/G1)Loja coloca tapete vermelho sobre piso tátil em rua
do Centro da cidade (Foto: Fernanda Zanetti/G1)
Para a aposentada Margarida Aparecida Campos Detoni, de 38 anos, que perdeu a visão há 11 anos, andar sozinha no Centro é impossível. “Fico totalmente perdida. Mesmo com a bengala não tem como andar pelas ruas centrais, não tem sinalização correta, são colocados inúmeros obstáculos pelos lojistas na calçada, o que dificulta ainda mais nossa passagem”, contou a deficiente visual.
“Recentemente, fui comprar presente de Natal e meu marido pediu para que eu parasse. Eu perguntei se tínhamos chegado na esquina e ele disse que não. É que havia várias caixas de uma loja na calçada que não permitia a minha passagem. Se eu estivesse sozinha não iria saber, e poderia até cair.”
Tampa de bueiro interrompe piso tátil em rua no centro de Piracicaba (Foto: Fernanda Zanetti/G1)Tampa de bueiro interrompe piso tátil em rua da área central de Piracicaba (Foto: Fernanda Zanetti/G1)
Resposta da Prefeitura
A Prefeitura de Piracicaba informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o projeto de remodelação das calçadas na área central foi elaborado em etapas, contemplado piso tátil na última. Em nota, o Executivo pediu a "compreensão" dos transeuntes até o final das etapas.

"O contraste em vermelho na calçada da área central é apenas detalhe arquitetônico. Não é sinalização para pessoas com baixa visão. Justamente por isso está instalado em área que chamamos de faixa de serviço, onde estão instalados os equipamentos urbanos (postes, lixeiras e outros), e na extensão das esquinas".
Quanto aos comerciantes colocarem tapetes nas calçadas e outros objetos que dificultam a passagem dos pedestres, principalmente dos deficientes visuais, a Prefeitura disse que vai repassar a demanda para as secretarias responsáveis tomarem as providências e intensificar, junto à Associação Comercial e Industrial de Piracicaba (Acipi), o trabalho de orientação.
A Prefeitura disse ainda que o investimento para aplicação de piso tátil equivale a cerca de 6% a mais que o piso comum. Na área central, onde foi aplicado, o custo foi de cerca de R$ 30 mil.

Nenhum comentário: