quarta-feira, 27 de março de 2013

'Em breve estarei andando de bicicleta de novo', diz ciclista atropelado em SP

O ciclista David Santos Sousa, 21, que teve o braço arrancado após ser atropelado na avenida Paulista, na região central de São Paulo, disse estar otimista com a recuperação.
DE SÃO PAULO
                                                                                                     Eduardo Knapp - 26.mar.2013/Folhapres
                                             
O ciclista David Santos Souza participa de coletiva de imprensa ao lado de Tiago Chagas (camisa preta) e Agenor Pereira Jr, que o socorreram após o acidente


O ciclista David Santos Sousa, 21, que teve o braço arrancado após ser atropelado na avenida Paulista, na região central de São Paulo, disse estar otimista com a recuperação. "Em breve estarei andando de bicicleta de novo, esse sempre foi meu orgulho. Vou fazer de tudo para retomar minha vida normalmente", disse.


Entretanto, o ciclista afirmou ter encontrado dificuldades para conseguir vagas para fazer fisioterapia em hospitais da rede pública. O prazo mais próximo que ele encontrou até agora foi para setembro.

Na tarde desta terça-feira, Sousa reencontrou duas testemunhas do acidente, que o ajudaram enquanto o resgate não chegava. O estudante Thiago Chagas dos Santos, 26, disse que estava próximo ao acidente e encontrou David desacordado. "Verifiquei que ele não tinha pulso. Pensei ele tivesse morrido e vi que ele estava desacordado, então comecei uma respiração boca-a-boca e massagem cardíaca. Aí ele acordou e continuou conversando comigo até a ambulância chegar", disse o estudante, que também é técnico em enfermagem e tem treinamento em primeiros-socorros.

O ciclista voltou a dizer que perdoa o motorista Alex Siwek, mas que espera uma punição "bem severa" da Justiça. "Se ele ainda estivesse preso, eu iria lá [para vê-lo], mas como está solto eu gostaria que ele me procurasse", afirmou.

ACIDENTE
Sousa seguia para o trabalho no domingo (10) quando foi atropelado por um carro na avenida Paulista e teve o braço direito decepado. Siwek, 21, foi preso em flagrante após ter se entregado à polícia. Ele fugiu sem prestar socorro e disse ter atirado o braço do ciclista em um rio, na zona sul.

Sousa admitiu à polícia que trafegava na contramão da ciclofaixa quando foi atingido pelo carro do universitário. Uma testemunha afirma que Siwek invadiu a ciclofaixa em alta velocidade.

O juiz Kleber Leyser de Aquino, do Dipo (Departamento de Inquéritos Policiais), decretou a prisão preventiva de Siwek. O estudante, que estava preso no CDP (Centro de Detenção Provisória) do Belém 2, na zona leste da capital, foi transferido para a penitenciária de Tremembé.

Entretanto, a Justiça concedeu uma liminar (decisão provisória) libertando o universitário. O desembargador que julgou o pedido da defesa do jovem determinou ainda a suspensão da carteira de habilitação dele.

Sousa passou por um novo procedimento cirúrgico no Hospital das Clínicas. Ele disse no hospital que o motorista atravessou o farol vermelho antes de acertá-lo. A defesa do atropelador disse que vai aguardar a perícia para se manifestar.

No dia do acidente, ciclistas fizeram manifestações na avenida Paulista. No último domingo (17), dois outros protestos foram realizados na avenida. No sábado (16), a avenida amanheceu com um braço de plástico afixado em um poste, simbolizando o acidente.

(ANDRÉ MONTEIRO)


Nenhum comentário: