terça-feira, 30 de abril de 2013

Jovem dá exemplo de vontade e superação

Bruno Ribeiro é um dos 20 brasileiros com down na universidade.

Mayra Cavalcant

Imagem Internet/Ilustrativa

Frequentar as aulas da faculdade, de dança de salão, de fotografia e academia, além de gostar de viajar e de jogar dominó com os amigos. Tudo isso faz parte da rotina de atividades da maioria dos jovens, inclusive do estudante do 3º período de Turismo, Bruno Ribeiro Fernandes, 21 anos. A diferença entre ele e a maioria das pessoas de sua idade é que ele é um dos 20 brasileiros com síndrome de down a cursarem uma graduação, de acordo com pesquisa realizada em 2013, pela Organização Não-Governamental (ONG) Movimento Down.

“Durante toda minha gravidez não sabia que meu filho tinha a síndrome. Depois que dei à luz, a médica disse que ele só sobreviveria até os sete anos. Foi aí que encontrei uma amiga na mesma situação e ela me mostrou que era possível conviver bem com aquilo. Tomei como um desafio”, relata a mãe de Bruno, a psicóloga jurídica Helena Ribeiro, 60 anos. Desde criança Bruno desafia os limites impostos pela doença. Ao longo de toda a vida, o jovem frequentou escolas regulares e sempre foi estimulado pela família. Já na faculdade, não fica atrás dos colegas de classe: é avaliado através do mesmo método e provas.

Para Helena, a questão é fácil de ser explicada. “Apesar de todas as limitações que vêm com a síndrome, se for dada a oportunidade e o estímulo, as pessoas conseguirão desenvolver todo seu potencial”, diz a mãe do rapaz. Inicialmente, Bruno fez vestibular para o curso de História, mas, em seguida, percebeu que seu grande sonho era viajar o mundo. “Escolhi Turismo porque adoro viajar. Acho que é uma das coisas que mais gosto de fazer. Paris e Grécia são dois países que quero muito visitar. Gostaria, quando me formar, de trabalhar em agência ou ser guia turístico”, afirma o jovem de sorriso largo, um pouco tímido, mas que deixa transparecer felicidade ao contar seu sonho.

Na sala de aula, o comportamento de Bruno surpreendeu também os professores. “Quando ele veio estudar aqui, consideramos como um desafio. Com o tempo fomos notando que ele é um aluno excepcional. O que mais impressiona aos professores é a habilidade dele com as palavras. Ele escreve muito bem. E o que diferencia é o tempo. Ele tem o tempo dele, mas dá conta de tudo”, explicou a coordenadora do curso de Turismo da Faculdade Santa Helena e professora do jovem, Anara Perboire.

Helena Ribeiro conta que acompanha o filho em muitas atividades do dia a dia, como viagens da faculdade. “Ele é uma pessoa muito carinhosa e se dá bem com todos. Além disso, tem uma vida muito ativa”, acrescenta. O rapaz faz aulas de dança de salão e se apresentará, dançando bolero, na próxima semana. Na agenda ainda constam natação, aulas de reforço e o curso de fotografia.

Fonte: http://www.interjornal.com.br/ Imagem Internet/Ilustrativa

Nenhum comentário: