sábado, 27 de setembro de 2014

Astronomia ao alcance das mãos de pessoas com deficiência visual no Planetário

O terreno irregular das crateras da lua nas pontas dos dedos, a Ursa Maior na palma da mão, a textura do centro da Terra a apenas um toque e o céu ao alcance das mãos. Em Vitória, quem não pode enxergar o céu agora pode senti-lo.
O Planetário de Vitória deu início nesta segunda-feira (22) a sessões para pessoas com deficiência. A acessibilidade do conhecimento por meio do toque revela o fantástico mundo da astronomia para muita gente. Para o atendimento às pessoas com deficiência visual e baixa visão, a equipe do Planetário de Vitória e a professora especializada Rosane Corradi Tristão desenvolveram vários materiais didáticos exclusivos.
                                                                                                                                                                                          Elizabeth Nader
                                Atividades para deficientes visuais no Planetário de Vitória
                 Objetos táteis estão à disposição das pessoas com deficiência visual no Planetário de Vitória

"Esses conteúdos precisaram ser adaptados para que cegos e deficientes visuais pudessem acompanhar a sessão junto de quem é vidente. O maior desafio foi adaptar as informações sobre astronomia que são projetadas no teto da cúpula e no teatro de sombras em objetos táteis, para que o conhecimento fosse acessível às pessoas com deficiência visual", contou a professora.

                                Atividades para deficientes visuais no Planetário de Vitória
                                     Pessoas com deficiência participaram de uma sessão especial


Inclusão
"A ideia é tornar a astronomia uma ciência acessível às pessoas com deficiência, desmistificando o conceito de que planetários são espaços voltados apenas a pessoas videntes. Para isso, vamos utilizar material adaptado, proporcionando maior assimilação do conteúdo por parte dos visitantes, facilitando a compreensão e a aprendizagem", disse o diretor do Planetário de Vitória, José Arlon Silva.

Projeção

Da adaptação pedagógica dos capítulos 3 e 4 do livro "As Estrelas e o Telescópio", do escritor Monteiro Lobato, nasceu a projeção "Viagem ao Céu de Monteiro Lobato". Na estorinha, os personagens do Sítio do Picapau Amarelo fazem uma viagem que passa pela Lua, Sol, Marte, Saturno e pela Via-Láctea. No roteiro, também constam a utilização do telescópio, explicações sobre Galileu (inventor da luneta astronômica) e também sobre o volume, a superfície e a gravidade da Lua.

Nenhum comentário: