sábado, 25 de outubro de 2014

Projeto de educação inclusiva dá Prêmio Jabuti a professores

Por Inaê Miranda no RAC.com.br       

                                Lara e Cristina foram premiadas por livro sobre educação para surdos
        Foto: Divulgação / Lara e Cristina foram premiadas por livro sobre educação para surdos

Professores de Campinas (SP) foram os vencedores da 56ª Edição do Prêmio Jabuti, na categoria Educação, promovido pela Câmara Brasileira do Livro. Cristina Broglia Feitosa de Lacerda e Lara Ferreira dos Santos, que atuam no programa de Educação Inclusiva Bilíngue na rede municipal de Campinas, conquistaram o primeiro lugar com o livro Tenho um aluno surdo, e agora?, publicado pela Editora da Universidade Federal de São Carlos (Edufscar). O livro Aberturas para a História da Educação (Autores Associados), do professor Dermeval Saviani, da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), ficou em segundo lugar.

Tenho um aluno surdo, e agora? Introdução à Libras e educação de surdos reúne 14 artigos voltados a professores que iniciam suas experiências com alunos surdos. Além disso, o livro traz um aprofundamento teórico sobre questões que vêm sendo discutidas na área e dá subsídios para a atuação do futuro professor da educação básica.

Falta informação
De acordo com Lara, ainda falta muita informação para o educador atualmente. “Poucos conhecem os direitos legais tanto dos alunos quanto deles. Existe uma lei que dispõe sobre a educação bilíngue, como as escolas têm que se adaptar para receber o aluno surdo. Não basta colocá-lo na sala de aula e esperar que o professor resolva tudo”, disse.

Lara explica que o livro foi construído conjuntamente com outros professores e que ela e a professora Cristina foram responsáveis pela organização. Sobre o prêmio Jabuti, a professora afirma que foi uma surpresa. “A gente já estava muito feliz em estar entre os dez finalistas. Nem passou pela nossa cabeça ganhar um prêmio desse porque a temática da educação para surdos sempre foi marginalizada. Ganhar o Prêmio Jabuti significa colocar a educação de surdos em lugar de destaque, o que é motivo de alegria”, afirmou.

Conferências
O livro Aberturas para a História da Educação reúne textos escritos e pronunciados por Saviani em conferências de abertura de eventos da área entre 1997 e 2013. O professor afirma que o livro recebe o título por dois motivos. “De um lado porque é composto pelas conferências de aberturas de eventos de história da educação. Além disso, se propõe a abrir para os professores o campo da história da educação, que é considerado chave na formação de educadores. A história é a morada do homem”, afirmou.

Sobre o Prêmio Jabuti, Saviani disse que ficou contente com a premiação do livro sobre a educação de surdos. “É uma área importante a educação de surdos e que merece ser mais valorizada e ter maior visibilidade. O meu tendo ficado em segundo lugar está ótimo”, afirmou.

O prêmio
Criado em 1958, o Prêmio Jabuti é considerado o mais tradicional prêmio do livro no Brasil. Ao todo, foram recebidas 2.240 inscrições para concorrer às 27 categorias da premiação editorial este ano. Os resultados foram publicados na semana do professor e a cerimônia de entrega acontecerá no dia 18 de novembro, no Auditório do Ibirapuera, em São Paulo.

A obra vencedora em primeiro lugar de cada categoria receberá, além do troféu Jabuti, um prêmio no valor bruto de R$ 3,5 mil. Os segundos e terceiros colocados de cada categoria receberão o troféu do Prêmio Jabuti. O Livro do Ano Ficção e o Livro do Ano Não Ficção receberão o troféu Jabuti dourado e o valor bruto de R$ 35 mil.

Nenhum comentário: