sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Palco das partidas de basquete em cadeira de rodas e rugby nos Jogos Paralímpicos do Rio-2016, Arena Carioca 1 é apresentada

Foi inaugurada na última terça-feira, 12, a Arena Carioca 1, que irá receber as partidas de basquete em cadeira de rodas e rugby em cadeira de rodas nos Jogos Paralímpicos do Rio-2016, em setembro, além das disputas de basquete nas Olimpíadas. A Arena será aberta ao público nesta sexta-feira, 15, às 11h.

Prefeito Eduardo Paes, com a palavra, durante o evento

Foi inaugurada na última terça-feira, 12, a Arena Carioca 1, que irá receber as partidas de basquete em cadeira de rodas e rugby em cadeira de rodas nos Jogos Paralímpicos do Rio-2016, em setembro, além das disputas de basquete nas Olimpíadas. A Arena será aberta ao público nesta sexta-feira, 15, às 11h.
A presidente da Confederação Brasileira de Basquete em Cadeira de Rodas (CBBC), Naíse Pedrosa, e os jogadores da Seleção Brasileira masculina e feminina, Leandro de Miranda e Lia Soares, representaram a modalidade na ocasião.
O atleta Leandro fez questão de elogiar o palco das partidas. “Foi tudo muito fácil para mim aqui. A arena é incrível. Disputei os Jogos de Toronto-2015 e lá não tinha uma arena dessa qualidade”, destacou o jogador da Seleção. Naíse Pedrosa também se encantou com o que viu. “A estrutura é maravilhosa, as equipes terão uma quadra excelente. Além disso, tivemos a oportunidade de conversar com o gerente de serviços do espaço, que também é cadeirante, e dar sugestões para aprimorar ainda mais o espaço”, contou a presidente da CBBC.
O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, também aprovou a acessibilidade do local. Em cadeira de rodas por ter quebrado o pé direito, ele entrou em quadra com Leandro e Lia Martins. O time adversário era quase um Dream Team, formado por Hortência, Janeth e Marcel, que defendeu o Brasil em quatro edições de Jogos Olímpicos, entre Moscou 1980 e Barcelona 1992. Mesmo assim, equipe em cadeira de rodas se saiu melhor, pontuando mais em quadra. “Começamos ganhando. Não só por ganhar esse racha, mas também pela oportunidade de fazer esse treino”, brincou a presidente da CBBC, referindo-se ao evento-teste da modalidade, que ocorre no domingo, 17.
Estrutura
Com um projeto totalmente acessível a pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, a arena está pronta para receber com conforto o público e atletas. Rampas de acesso, seis elevadores, oito escadas com piso antiderrapante e 49 banheiros adaptados garantem autonomia e experiência confortável para os espectadores. Também há botões de segurança para a solicitação de ajuda.

Com 33 metros de altura, a instalação tem capacidade para 16 mil espectadores, sendo menor que a arena do basquetebol de Londres-2012 (20 mil espectadores) e maior que a de Pequim-2008 (11 mil). A proximidade da quadra pode ajudar a torcida a botar pressão: as cadeiras da primeira fila nas laterais ficam a apenas três metros dos jogadores. E não são só os torcedores dos melhores lugares que poderão conferir os lances em seus detalhes. Todos os assentos oferecem ótima visão, mesmo as mais altas. “Tudo o que não queremos ver nos Jogos são elefantes brancos. Tudo foi planejado pensando no amanhã”, disse o prefeito Eduardo Paes.
O evento contou com a participação do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes; do presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman; dos ex-atletas de basquete olímpico Hortência, Janeth e Marcel, além da secretária municipal de acessibilidade do RJ, Georgette Vidor.
Com informações da Confederação Brasileira de Basquete em Cadeira de Rodas (CBBC).

Nenhum comentário: