domingo, 10 de abril de 2016

Mãe Cadeirante Revela Tudo Que Passou, Durante E Depois, De Sua Gravidez

POR: CAROL CONSTANTINO




A carioca Dieli Costa é cadeirante devido a Distrofia Muscular. Mas isso não a impediu de realizar o grande sonho de ser mãe!

No ano passado ela fez um ensaio sensual onde foi a protagonista e contou com a presença de seu marido em algumas fotos (clique aqui para ver o ensaio fotográfico). Em cada fotografia é perceptível o fogo e a paixão que o casal sente, um pelo outro.



O resultado desse amor, veio logo depois de alguns dias... Dieli descobriu que estava esperando um bebê!

Para saber como foi a gestão e a chegada do príncipe Enzo, fizemos algumas perguntas e Dieli respondeu tudinho. Veja:

De quanto tempo você já estava quando descobriu que estava grávida?
Quando descobri que estava grávida estava com 4 meses, foi uma surpresa! Pois, não esperava já que estava fazendo tratamento pra gastrite


Quais foram os cuidados durante a gravidez?
No pré natal pensei que ia ter algum tratamento diferenciado por ser cadeirante e pela minha deficiência ser genética, mas não tive. 
As consultas eram por mês, o acompanhamento e tratamento foi igual a qualquer outra grávida. Apesar de ter sido pelo SUS,talvez se fosse particular seria tudo diferente... não sei.

Quais foram as maiores dificuldades que você teve enquanto estava grávida?
Foram no final da gestação. Os últimos meses não foram fácil, pois o bebê já estava grande e eu não tinha mais posição pra dormir. Preferia ficar sentada, do que deitada. Os meus pés já estavam bastante inchados e nenhuma sandália cabia...
Mas, esse incômodo todo, mulher sente independente de ser cadeirantes ou andante.

Conta pra gente como foi o parto. Foi tudo tranquilo?
O parto foi cesariano. Todo mundo falava horrores sobre ele, pra mim foi super tranquilo. Eu fiquei bem e o Enzo também! Ele no dia 22 de Junho com 3.425 kg.
A parte mais difícil foi amamentação. No primeiro mês chorei muito, foi muito difícil mesmo, mas graças a Deus deu tudo certo!

Como foi chegar em casa?
Em casa tudo é melhor... Mas, logo vem aquele sentimento de "será que vou dar conta? Ai meu Deus!  Agora é tudo comigo!".
Mas logo afastava esses pensamentos, até porque, nos primeiros dias não tinha tempo pra nada! Passei 2 dias sem pentear o cabelo por falta de tempo, ele chorava e ficava caladinho no meu colo tempo todo.   Tinha muito medo de ficar sozinha com ele. 
Agora tudo passou, ou quase tudo,rs rs rs...

Como é a hora do banho, a troca de fraldas, todo esse cuidado com o bebê?
Não dou banho nele, quem dá é o pai. Mas, às 3 horas da tarde o pai dele vai trabalha e eu fico sozinha com ele, aí troco a fralda e cuido dele sozinha. Fico realizada por isso!
As tarefas de casa, por enquanto não tenho tempo de fazer, pois dedico meu tempo todo ao Enzo. 
Minha mãe me ajuda a arrumar a casa, depois vai embora. O almoço meu marido faz... Aos poucos as coisas vão se adaptando e a voltar pro lugar. É muito cansativo, mas não trocaria isso por nada!

O que você diria para as mulheres cadeirantes que pensam em ter filhos?
Quero dizer que todas mulheres cadeirantes são capazes de cuidar de seus filhos, cada uma com sua maneira e seu jeito.  Idependente da capacidade física, todas podem ser "Super Mães"!



Nenhum comentário: