sábado, 23 de abril de 2016

Olhe pra mim, depois para a Deficiência.

Quando chega uma pessoa com deficiência, em algum lugar, pela primeira vez, todo mundo vai olhar.

Por Damião Marcos e Carolina Câmara.

Olhe pra mim, depois para a Deficiência.


Pensar e, provavelmente, comentar; nossa, usa cadeira de rodas, coitadinho, anda torto, tem os movimentos malucos, não se alimenta sozinho!!!! Aí, como será a vida desta pessoa? Ele pensa???? Eu vou falar com ele??? Como devo agir???

Você, leitor, que nunca teve contato com uma pessoa com deficiência, ou antes, de conhecer uma, quando viu uma pessoa com deficiência, pensou em uma dessas questões, né?? Seja franco, pois não é errado, afinal o diferente assusta mesmo. O errado é primeiro, ainda hoje, as pessoas com deficiência estarem, tão distante da realidade da maioria da população e por isso chocar tanto. Pergunto-me, onde estão as pessoas com deficiência??? Devemos fazer uma reflexão sobre isso...

A outra questão, que por sinal, me irrita muito, é meus posts, até que são equilibrados, mas eu não sou muito não!! Bom, voltando para o ponto, são pessoas que já te conheceram, no caso, me conheceram e insiste em enxergar, apenas, a deficiência. Então, funciona assim, ou, simplesmente, te ignoram, passa por mim e nem olham, eu e um objeto, é a mesma coisa, o objeto, pode ser até mais interessante, do que eu!!! Ou a pessoa até "fala" com você, no entanto o conceito que ela vai ter de mim, é em relação a minha deficiência.

Deixa explicar melhor, para este tipo de gente, não adianta falar que sou psicóloga, trabalho, atendo dar palestra, é competente, tem um relacionamento sério, e etc. a pessoa vai ouvir tudinho, porém vai continuar acreditando que eu sou uma pobre coitada, que não sou um ser humano comum e vai só olhar para a minha deficiência!!!! Eu conheço gente assim, viu!!!

Gente, isso não rola, é um saco, eu sou mais do que aminha deficiência, ela faz parte de mim, lógico, mas eu sou além dela!!! Não sou inútil, deficiência não é sinônimo de vegetal, olhe para o sujeito, e não, somente, para a deficiência...






Nenhum comentário: