terça-feira, 14 de junho de 2016

Medalhas, recordes e índices para o Rio-2016 marcam a atuação da Seleção Brasileira de natação no Open de Berlim

Raquel Viel (à esquerda) e Susana Scharndorf obtiveram índice B pros Jogos Paralímpicos Rio 2016Raquel Viel (à esquerda) e Susana Scharndorf obtiveram índice B pros Jogos Paralímpicos Rio 2016
A Seleção Brasileira de natação encerrou neste domingo, 12, sua participação no Open Internacional de Berlim, na Alemanha. O grupo conquistou seis medalhas – dois ouros, uma prata e três bronzes – durante os quatro dias de disputas. Além disso, obteve vários recordes quebrados e índices pros Jogos Paralímpicos do Rio-2016.
Para o técnico-chefe do Brasil, Leonardo Tomasello, o desempenho da equipe foi excelente. “A competição teve um bom nível técnico e a estrutura do complexo é muito boa. Os atletas que já tinham índice para os Jogos conseguiram treinar e competir muito bem. Já os que ainda buscavam o índice, tiveram uma grande oportunidade. Quatro deles conseguiram aproveitar”, declarou o comandante da Seleção.
Na sexta-feira, segundo dia de competição, a equipe verde e amarela somou duas medalhas e obteve a quebra de um recorde. Um ouro com Andre Brasil e um bronze com Phelipe Andrews, na prova de 100m livre multiclasse. Para chegar ao triunfo o medalhista mundial e paralímpico fez o tempo de 52s24. Phelipe completou a disputa com a marca de 52s80. O nadador Ítalo Pereira estabeleceu o novo recorde das Américas nos 50m costas, com 34s53, chegando na 11ª colocação.
No penúltimo dia de disputas, o Brasil continuou a brilhar. Nos 50m livre masculino, a Seleção contou com quatro atletas na final. Mais uma vez, Andre e Phelipe marcaram presença no pódio, agora com uma dobradinha. Andre foi o mais rápido e faturou sua segunda medalha dourada – de três conquistadas -, com 23s93. Phelipe chegou logo depois, com 24s13, e conquistou seu segundo pódio no Open.
No dia final da competição, a equipe manteve o ritmo forte dos dias anteriores e aumentou o número de recordes e índices pros Jogos. Confira os resultados:
100m costas feminino
11º – Edenia Garcia (S4) – 1min54s28 – recorde das Américas
14º – Raquel Viel (S12) – 1min15s62 – recorde brasileiro e índice B para os Jogos
20º – Regiane Nunes (S11) – 1min29s66 – recorde brasileiro
100m costas masculino
5º – Andre Brasil (S10) – 1min01s38
7º – Ítalo Pereira (S7) – 1min12s93
12º – Talisson Glock (S6) – 1min21s02
14º Lucas Mozela (S9) – 1min07s18 – recorde brasileiro

200m medley feminino
Susana Schnandorf (SM5) nadou nas eliminatórias abaixo do Índice B para as Paralimpíadas e ainda estabeleceu o novo recorde brasileiro e das Américas, com 3min44s51. Na final B terminou na 20ª colocação, com 3min51s12.

200m medley masculino
4º – Talisson Glock (SM6) – 2min49s55
5º – André Brasil (SM10) – 2min17s48
9º – Lucas Mozela (SM9) – 2min27s68
12º – Felipe Caltran (SM14) – 2min20s77 – recorde brasileiro

50m brboleta feminino
12º – Veronica Almeida (S7) – 38s92
18º – Cecília Araújo (S8) – 36s69

50m borboleta masculino
7º – Vanilton Nascimento (S9) – 28s08
11º – Phelipe Rodrigues (S10) – 26s78

200m peito masculino
Fabiano Toledo quebrou o recorde das Américas na classe SB6, com 3min17s45.

O Open Internacional de Berlim foi o último desafio do Brasil antes da aclimatação para os Jogos do Rio, que está marcada para o período de 21 a 31 de agosto.
Convênio – Ministério do Esporte 
A participação da Seleção Brasileira de natação no Open de Berlim foi custeada por um convênio entre o Ministério do Esporte e o Comitê Paralímpico Brasileiro.

Fonte: cpb.org.br

Nenhum comentário: