domingo, 7 de agosto de 2016

Agentes aprenderam sinais para serem usados na abordagem a deficientes auditivos.



                              

RIO DE JANEIRO – Policiais militares da Operação Lei Seca, da 1ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) e do Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur), participaram, nesta quinta-feira (28/7), de uma capacitação de Língua Brasileira de Sinais (Libras), na sede da 1ª CIPM, no Palácio Guanabara. A aula, ministrada por um professor do Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES), teve como objetivo preparar os policiais para o atendimento a deficientes auditivos.

A aula mostrou formas de abordagens e comunicação para ampliar o atendimento dos agentes, que geralmente usavam como recurso para se comunicarem apenas a escrita.

O que aprendemos é um ganho para a sociedade por conta da qualidade do trabalho que vai ser desempenhado pelos agentes – afirmou o major Claudio Portugal, subcoordenador operacional da Operação Lei Seca.

Segundo o major Augusto Eduardo Valentim, comandante da 1ª CIPM, a ideia da capacitação é ampliar o serviço oferecido à sociedade, apresentando aos policiais sinais usados para solicitar documentos e explicar procedimentos realizados durante a abordagem de uma pessoa surda.

Oitenta agentes participaram do curso – explicou o comandante.

O professor de Libras do INES, Luiz Carlos Souza, além de passar seus conhecimentos aos policiais, contou casos que mostraram a importância de se ter noções básicas da língua, que segundo a Lei 10.436, de 2002, é reconhecida como meio legal de comunicação.

Com o curso, será possível melhorar as abordagens e o entendimento, evitando a falta de comunicação – disse o professor.

Fontes: Governo do Estado do Rio de Janeiro - nandoacesso.blogspot.com.br

Nenhum comentário: