quinta-feira, 15 de setembro de 2016

'Até esqueci que estava com tumor', diz Hipólito após segunda medalha

Bruno Braz e Daniel Brito Do UOL, no Rio de Janeiro

Marcio Rodrigues/MPIX/CPB
Verônica Hipólito conquistou prata e bronze nos Jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro
Verônica Hipólito conquistou prata e bronze nos Jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro

Novamente com um tumor no cérebro, Verônica Hipólito tratou com leveza o tema após sua segunda medalha na Paraolimpíada na classe T38 (paralisados cerebrais), desta vez nos 400 metros. Sempre com bom humor, a paulista de 20 anos revelou ter até esquecido estar com a doença durante os Jogos.

"Eu não tive tempo para acompanhar esse tumor este ano, infelizmente. Aumentei um pouco a dose ano passado e aumentei um pouco mais este ano. Eu tinha até esquecido, na verdade. Meu médico me mandou estes dias uma mensagem e eu pensei: 'É mesmo, eu estou com um tumor na cabeça (risos)!", declarou com seu sorriso inconfundível.

Passada a Paraolímpiada, Verônica realizará novos exames para avaliar a situação atual do tumor, mas ela tem otimismo de que não precisará passar por um novo procedimento cirúrgico.

"Já retirei uma vez, tratei com remédio na segunda vez e acho que pode se tratar com remédio também. Acho que diminuiu", disse.

Com uma prata nos 100 metros e um bronze nos 400 metros, Hipólito se mostrou muito satisfeita com seu desempenho na Rio-2016.

"No dia 20 de agosto do ano passado eu estava operando. Provavelmente no dia 1º de setembro eu devia estar chorando com dor e agora estou aqui comemorando", destacou.

Com um estado de espírito impressionante e um discurso altamente positivo, a velocista fez questão de deixar um recado para o povo brasileiro e para os jornalistas que a entrevistavam:

"Não sei se vão escrever isso e se vão colocar isso na rádio, mas queria dizer algo para vocês (jornalistas) e para todo mundo que está lendo ou ouvindo: quem falar pra você que é impossível, não é. Falar o que pode e o que não pode, todo mundo fala, mas é você quem vai fazer, você que decide sua vida. Tinha gente que falava que eu não ia nem voltar a andar depois do AVC. Eu corri e ganhei medalhas. Se tiver que operar de novo, eu vou operar e vou voltar a correr. O problema não é a gripe, o AVC, o tumor... Você tem que se focar no tratamento, na cirurgia, no depois. Não deixem a dor ser maior que a solução. Isso que me faz estar aqui hoje".

Verônica Hipólito teve um AVC aos 12 anos e um tumor no cérebro aos 14. Ano passado, retirou 90% do intestino grosso para evitar um câncer. Ela voltou a ter um tumor no cérebro ano passado.

Nenhum comentário: