sábado, 17 de setembro de 2016

Brasil vence a Suécia no gol de ouro e conquista o bronze no Goalball

Por Maria Clara Serra

Washington Alves/MPIX/CPB
Imagem
Brasileiros comemoram a vitória na superação e a participação da torcida

Depois de estar perdendo por quatro gols de diferença, o Brasil conseguiu um empate heroico restando 33 segundos para o fim do jogo e levou a decisão para a prorrogação. No gol de ouro, Leomon fez a diferença e deu a vitória por 6 a 5 para a Seleção masculina, que novamente ficou entre as três melhores equipes do mundo, dessa vez com a medalha de bronze nos Jogos Paralímpicos Rio 2016.

Com a Arena do Futuro lotada, o Brasil não teve um bom início de jogo na tarde desta sexta-feira, 16, e viu a Suécia abrir 4 a 0 no placar. A larga diferença não desanimou a torcida na Arena do Futuro, que aos gritos de “eu acredito” empurrou os jogadores. A retribuição veio com uma reação fantástica com gols de Leomon e Josemarcio, duas vezes cada.

A torcida já esperava pela prorrogação quando os suecos passaram novamente à frente, restando apenas 42 segundos para o fim da partida. O gol sofrido obrigou o Brasil a não errar mais. Leomon não decepcionou e empatou o jogo no arremesso seguinte. Na disputa do gol de ouro, o craque mais uma vez foi decisivo. Ao marcar pela quarta vez, garantiu a vitória do Brasil, a medalha de bronze e a festa da torcida.

“Demais, (a torcida) foi fundamental, jogou junto com a gente e quero parabenizar toda a torcida por estar aqui, com um grande público como esse. Eu nunca tinha jogado num público tão grande como esse, e em toda a competição acho que esse público foi o maior”, disse Josemarcio, emocionado.

Após chegar às semifinais e alcançar o melhor resultado da História em Jogos Paralímpicos, a seleção feminina enfrentou os Estados Unidos na disputa do bronze. O jogo foi equilibrado, mas as brasileiras acabaram derrotadas por 3 a 2.

“A experiência é que a gente vai amadurecendo conforme os jogos, na forma como a gente vai se comportar dentro de quadra. Como a gente tem que respeitar o nosso adversário fora dela. Então é uma experiência muito grande pra mim. Eu acredito que quando a gente chegar em Tóquio 2020, se eu ainda estiver (na seleção), eu vou tentar me superar mais ainda, como tentei hoje”, afirmou Victoria, a artilheira da Seleção.

Fotos: https://www.flickr.com/photos/cpboficial/albums

Fonte: cpb.org.br

Nenhum comentário: