sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Gêmeos siameses separados após a mais longa cirurgia do tipo da história abrem os olhos pela primeira vez

Cirurgia foi conduzida pelo Dr. James Goodrich, considerado o principal especialista da área

Do R7

Foto: Reprodução/ Daily Mail


Jadon e Anias, os gêmeos siameses separados na semana passada em uma história que virou manchete no mundo inteiro, abriram os olhos pela primeira vez após a mais longa cirurgia do tipo da história.

Os meninos de 13 meses de idade ainda estão se recuperando em suas camas no hospital Montefiore, cinco dias após sua cirurgia de separação.

E, na manhã desta terça-feira (18), os dois abriram os olhos pela primeira vez durante uma transmissão ao vivo da rede CNN pelo Facebook.

Em comparação com seu irmão, Jadon ficou relativamente estável durante toda a cirurgia, e teve uma recuperação extremamente rápida. Ele moveu o braço esquerdo no dia seguinte à operação. Agora, os médicos estão trabalhando nos movimentos de sua perna esquerda.

Jadon já tinha aberto os olhos, e agora está começando a sorrir. Mas para o pequeno Anias, a experiência foi inédita. Mesmo seus olhos se abrindo pouco, era muito mais do que os médicos esperavam neste momento.

Anias lutou pela vida durante toda a cirurgia. A cada corte feito pelos médicos, sua frequência cardíaca despencava. Ainda assim, os pais de Anias afirmam estar otimistas sobre sua recuperação.

Os dois gêmeos siameses unidos pela cabeça foram separados com sucesso na manhã de sexta-feira (14) no Hospital Infantil do Centro Médico Montefiore, no Bronx (Estados Unidos).

Jadon e Anias McDonald entraram na mesa de operação na quinta-feira (13). O processo de separação durou mais de 16 horas e foi seguido por outra cirurgia para reconstruir os crânios das duas crianças.

Os gêmeos McDonald foram responsáveis pela mais longa cirurgia de separação de crânios. Os procedimentos duraram mais de 27 horas.

Nicole e Christian teve que tomar uma decisão agonizante, optando para o procedimento, mesmo que realizado grandes riscos, incluindo a possibilidade de morte ou danos cerebrais de longo prazo para um ou ambos os rapazes.






Nenhum comentário: