domingo, 16 de outubro de 2016

Novatos e veteranos competem juntos em prova de atletismo no Rei Pelé

Competição faz parte da primeira edição dos Jogos Paralímpicos de Alagoas

Por Viviane Leão Maceió

Jogos Paralimpicos AL (Foto: Viviane Leão/GloboEsporte.com)
Competição de atletismo foi no Estádio Rei Pelé e teve arremesso de peso (Foto: Viviane Leão/GloboEsporte.com)

A manhã deste sábado foi agitada para os paratletas de Alagoas, que participaram da primeira edição dos Jogos Paralímpicos. No Estádio Rei Pelé, as disputas foram de atletismo, e a competição foi marcada pela mescla de atletas veteranos e novatos, que disputaram lado a lado as provas de corrida, arremesso de peso, lançamento de disco e de dardo. Iniciativa da Secretaria do Esporte, Lazer e Juventude, o evento teve também o apoio da Federação Alagoana de Atletismo. O treinador Mahebal Vasconcelos ressaltou a importância de incentivar a prática esportiva entre os paratletas do estado.

O objetivo da Federação é sempre esse, contribuir e colaborar. Os meninos [Bruno Lins, Yohansson Nascimento] saíram daqui como esses atletas que estão começando, esse é o objetivo, ter em um espaço curto de tempo mais atletas que possam representar Alagoas lá fora.

                    Jogos Paralimpicos AL (Foto: Viviane Leão/GloboEsporte.com)
          Atletas competiram no arremesso de peso(Foto: Viviane Leão/GloboEsporte.com)

Seis associações de Alagoas tiveram atletas disputando a competição neste sábado, entre elas, a Pestalozzi. Coordenador de esporte da instituição, Fábio Souto torce para que haja mais edições dos Jogos nos próximos anos.

Essa primeira já está sendo ótima, muito bom. Tenho certeza que no próximo ano será ainda mais forte, com mais competidores e mais instituições participando para fortalecer ainda mais o calendário paralímpico de Alagoas.

Atenção especial
Formar um grande atleta não é fácil, no caso de um paratleta a atenção tem que ser ainda mais especial. O educador físico José Carlos Antero lembra que o profissional tem que respeitar os limites desses atletas e observar sempre as suas necessidades de forma individual.

É um trabalho que exige um conhecimento grande do profissional. São vários tipos de deficiências, então o profissional tem que se dedicar não somente ao trabalho de forma global, mas também de modo individual. O trabalho tem que ser individualizado, respeitando as necessidades dele.

Jogos Paralimpicos AL (Foto: Viviane Leão/GloboEsporte.com)
Atletas disputaram provas nos 100, 200 e 400 metros (Foto: Viviane Leão/GloboEsporte.com)

Pode-se dizer que a primeira edição dos Jogos se mostrou um bom intercâmbio entre gerações. João Tenório foi campeão brasileiro, tem medalhas internacionais e já disputou os Jogos Pan-Americanos. Neste sábado ele competiu no arremesso de peso, lançamento de disco e de dardos, o paratleta usou a sua experiência para incentivar os mais novos.

É uma boa oportunidade de abrir a mentalidade das pessoas. As pessoas vão ver que as pessoas com deficiência são capazes de qualquer coisa, só depende dele, seja no esporte ou no trabalho. É através do esporte que a gente supera todas as nossas limitações.

Assim como João, Adelito de Lima, o Perninha, também fez questão de participar dos Jogos para motivar a nova geração de paratletas. Competindo há 14 anos, o alagoano é recordista nacional nos 400m, está entre os quatro melhores do Brasil nos 200m e compete ao lado dos medalhistas paralímpicos Alan Fonteles e Renato Nunes. 

                     Jogos Paralimpicos AL Adelito  (Foto: Viviane Leão/GloboEsporte.com)
Perninha aproveitou os Jogos para motivar os novos atletas (Foto: Viviane Leão/GloboEsporte.com)

O meu principal foco aqui hoje foi vir para incentivar essa molecada. É muito importante dar esse suporte para quem está começando, mostrar que o esporte vai além da barreira do preconceito, que muda a qualidade de vida, que dá autoestima e que transforma. Eles precisam saber que podem chegar lá – aconselhou.

Seguindo os passos dos mais experientes, Felipe dos Santos é uma grande promessa do atletismo alagoano. Aos 20 anos, o garoto já conquistou duas medalhas de ouro no Campeonato Brasileiro e espera ter as mesmas conquistas que o ídolo Yohansson Nascimento.

Tem que treinar forte e bater o recorde, quero as melhores marcas. Para mim o Yohansson é uma grande inspiração. Eu me espelho nele e espero chegar onde ele chegou. Quero que todo mundo conheça o meu trabalho e o do meu professor – disse o atleta, que foi um dos principais destaques nas provas de corrida.

Ao contrários dos colegas já experientes, João Victor disputou a sua primeira competição neste sábado. Apesar de já treinar há quatro anos para o lançamento de peso e dardo, o paratleta nunca teve a chance de disputar uma prova direcionada para a sua classe. Ele espera que esta seja a primeira de muitas.

É minha primeira competição. Poder participar dela é tudo para mim, tenho certeza que vai abrir as portas para o nosso futuro. Nós torcemos para que tenha mais edições, nós atletas vivemos disso. Foi o esporte que abriu portas para sermos alguém na vida – disse, emocionado.

A programação dos Jogos Paralímpicos de Alagoas seguem neste sábado e também no domingo. À tarde, o Cepa recebe as provas de natação às 14h. Amanha será a vez do Golbol e do vôlei sentado; as disputas serão realizadas no Cepa a partir das 8h. 

  Jogos Paralimpicos AL (Foto: Viviane Leão/GloboEsporte.com)
Equipe da Pestalozzi também marcou presença nas provas de atletismo (Foto: Viviane Leão/GloboEsporte.com)

Fonte: globoesporte.globo.com

Nenhum comentário: