quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Boldrini confirma superbactéria em paciente de UTI pediátrica

Bebê de 5 meses tem doença hematológica e havia sido transferida de hospital em Santo André. Hospital de Campinas informou que caso foi isolado e não existe surto.

Por G1 Campinas e região

Centro Infantil Boldrini, em Campinas, é autor da ação (Foto: Arquivo Boldrini )
Centro Infantil Boldrini, em Campinas, é autor da ação (Foto: Arquivo Boldrini )

O Centro Infantil Boldrini, referência na América Latina no tratamento do câncer infantil, confirmou, nesta quarta-feira (16), que registrou um caso da superbactéria KPC em uma bebê de 5 meses, internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica. De acordo com a unidade médica, a paciente, que foi transferida recentemente do Hospital Estadual Mário Covas, em Santo André (SP), para o hospital de Campinas (SP), está isolada e o registro da bactéria não caracteriza surto.

A Prefeitura informou que foi notificada nesta quarta-feira pelo Boldrini sobre o caso e reforçou o isolamento da bebê. De acordo com a administração municipal, a comunicação ao Executivo não é obrigatória, já que não se trata de um surto. "Para se configurar surto seriam necessários mais de três casos com transmissão comprovada no mesmo local", diz o texto da nota.

De acordo com o relatório assinado pela coordenação da UTI pediátrica do Boldrini, a bebê estava internada desde o nascimento e foi transferida para o Boldrini para tratar uma doença hematológica. Ainda segundo a administração da unidade, a paciente já havia apresentado "inúmeras infecções" por várias bactérias e pode ter sido contaminada pela KPC ainda no hospital de Santo André.

"Trata-se de um caso isolado em nossa instituição, não configurando, em hipótese nenhuma, surto por bactéria multiresistente", diz o Boldrini.

O contágio da bactéria KPC acontece por contato, mas não socialmente. No caso de pacientes acamados infectados, a chance é maior de uma contaminação.

Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário: