quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Tricotilomania: mãe raspa o cabelo da filha para menina parar de arrancar os próprios fios


 Kerry Shearer acredita que a menina sofra da doença




Saúde Do R7

Foto: Reprodução/ Daily Mail
Uma
mãe desesperada de uma menina de dois anos teve que raspar o cabelo da filha para evitar que a menina continue arrancando compulsoriamente os fios. As
informações são do jornal britânico Daily Mail

Uma mãe desesperada de uma menina de dois anos teve que raspar o cabelo da filha para evitar que a menina continue arrancando compulsoriamente os fios. As informações são do jornal britânico Daily Mail.

Foto: Reprodução/ Daily Mail
Ela ainda não foi diagnosticada por nenhum médico, mas a mãe acredita que
ela sofra de tricotilomania — compulsão por arrancar os cabelos

Ela ainda não foi diagnosticada por nenhum médico, mas a mãe acredita que ela sofra de tricotilomania — compulsão por arrancar os cabelos

Foto: Reprodução/ Daily Mail
A
mãe de Isla, Kerry Shearer, chegou a passar até vaselina na tentativa de deixá-lo
mais difícil de puxar, mas não adiantou

A mãe de Isla, Kerry Shearer, chegou a passar até vaselina na tentativa de deixá-lo mais difícil de puxar, mas não adiantou.


                    Foto: Reprodução/ Daily Mail
                       Kerry conta que a decisão de cortar o cabelo da filha foi difícil
e que tentou de tudo para que Isla não puxasse o cabelo. 
— Foi uma situação muito difícil. Ela tinha um
lindo cabelo loiro cacheado. Quando o cabelo dela já não estava comprido, ela
começou a arrancar o meu, ou tentar tirar o dela com a escova de cabelo. Eu tentei
de tudo. Eu sei que tricotilomania é uma doença ligada a ansiedade, mas ela é a
criança mais feliz que eu conheço

Kerry conta que a decisão de cortar o cabelo da filha foi difícil e que tentou de tudo para que Isla não puxasse o cabelo.

Foi uma situação muito difícil. Ela tinha um lindo cabelo loiro cacheado. Quando o cabelo dela já não estava comprido, ela começou a arrancar o meu, ou tentar tirar o dela com a escova de cabelo. Eu tentei de tudo. Eu sei que tricotilomania é uma doença ligada a ansiedade, mas ela é a criança mais feliz que eu conheço

                            Foto: Reprodução/ Daily Mail
                                Kerry lembra que quando Isla era menor, ela enrolava o
cabelo nos dedos enquanto chupava o polegar e a família achava fofo. Eles
chegaram até a fazer um vídeo e postar no Facebook. Foi aí que um amigo
comentou o vídeo e alertou Kerry para o problema, ela conta. 
— Aquilo me deixou preocupada. Obviamente eu não
queria que minha filha comesse o próprio cabelo

Kerry lembra que quando Isla era menor, ela enrolava o cabelo nos dedos enquanto chupava o polegar e a família achava fofo. Eles chegaram até a fazer um vídeo e postar no Facebook. Foi aí que um amigo comentou o vídeo e alertou Kerry para o problema, ela conta.

Aquilo me deixou preocupada. Obviamente eu não queria que minha filha comesse o próprio cabelo.

                 Foto: Reprodução/ Daily Mail
                    A mãe de Isla explica que os médicos ainda não deram um diagnóstico
final, porque acreditam que isso passe conforme ela crescer.  
— Mesmo se Isla crescer sem essa condição, eu
sei que está ligada ao estresse, e que pode voltar. Então, quero que façam um diagnóstico
e coloquem no registro médico dela, para que se ela precisar de ajuda na vida
adulta, os médicos saibam do histórico de saúde

A mãe de Isla explica que os médicos ainda não deram um diagnóstico final, porque acreditam que isso passe conforme ela crescer.

Mesmo se Isla crescer sem essa condição, eu sei que está ligada ao estresse, e que pode voltar. Então, quero que façam um diagnóstico e coloquem no registro médico dela, para que se ela precisar de ajuda na vida adulta, os médicos saibam do histórico de saúde.

Foto: Reprodução/ Daily Mail
Kerry conta que já foi parada na rua por estranhos que
perguntaram o que ela tinha feito com o cabelo da filha. 
— As pessoas pensam que eu fiz um corte feio, já
que parece que ela tem queda de cabelo. Ele ainda parece raspado. Não há nada
de um lado para ela puxar. Eu não quero angustiá-la, ou fazê-la sentir-se mal,
então às vezes eu dou alguns dos meus cabelos para ela brincar. Eu sei que não
deveria, mas pelo menos isso dá a seus próprios cabelos a chance de voltar a
crescer

Kerry conta que já foi parada na rua por estranhos que perguntaram o que ela tinha feito com o cabelo da filha.

As pessoas pensam que eu fiz um corte feio, já que parece que ela tem queda de cabelo. Ele ainda parece raspado. Não há nada de um lado para ela puxar. Eu não quero angustiá-la, ou fazê-la sentir-se mal, então às vezes eu dou alguns dos meus cabelos para ela brincar. Eu sei que não deveria, mas pelo menos isso dá a seus próprios cabelos a chance de voltar a crescer.

Foto: Reprodução/ Daily Mail
A mãe de Isla explica que recebeu conselhos de outras mães
pelo Facebook e agora quer compartilhar a história da filha para que as pessoas
saibam dessa doença. 
— Eu adoraria ver que mais pessoas sabem sobre a
tricotilomania. Os irmãos dela sabem tudo e dão todo o apoio. Mas me preocupo
com o bullying, quando ela chegar à idade escolar. Eu ficaria grata se outros
pais ensinassem seus filhos sobre essa condição, para que eles possam entender
que só porque a pessoa fica diferente, não quer dizer que ela deixou de ser uma
boa pessoa

Eu adoraria ver que mais pessoas sabem sobre a tricotilomania. Os irmãos dela sabem tudo e dão todo o apoio. Mas me preocupo com o bullying, quando ela chegar à idade escolar. Eu ficaria grata se outros pais ensinassem seus filhos sobre essa condição, para que eles possam entender que só porque a pessoa fica diferente, não quer dizer que ela deixou de ser uma boa pessoa.

Nenhum comentário: