quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Vídeo mostra dificuldade de cadeirante ao tentar usar rampa em calçada de Macapá

Imagem foi registrada na segunda-feira (21) no Centro da capital. Semduh informou que fiscalizações em espaços públicos são feitas após denúncias.

Por Jéssica Alves, G1 AP, Macapá

Cadeirante tem dificuldade em passar para calçada da Praça da Bandeira (Foto: Reprodução)
Cadeirante tem dificuldade em passar para calçada da Praça da Bandeira (Foto: Reprodução)

Os buracos e calçamentos irregulares são verdadeiros obstáculos para quem circula pelas calçadas de Macapá. A dificuldade de locomoção é ainda maior para quem usa cadeira de rodas, como o motorista Fernando Pereira, de 50 anos, que registrou um vídeo a dificuldade em utilizar uma rampa no calçamento de uma esquina no Centro da capital.

O registro foi feito na segunda-feira (21) por volta das 11h, segundo o cadeirante, que estava atravessando a avenida FAB em direção à parada de ônibus na Praça da Bandeira, mas ao chegar na esquina com a rua General Rondon, encontrou dificuldades para acessar o calçamento da praça.

Click AQUI para ver o vídeo

Ele reforça que em muitos lugares há rampas inclinadas que representam riscos para os deficientes físicos e que o tráfego em calçadas é um dos desafios de locomoção de cadeirantes.

“Sou cadeirante há 24 anos e sempre encontro dificuldades para me locomover na cidade. Moro na Zona Norte e preciso enfrentar muitos obstáculos para chegar ao Centro e resolver minhas situações. É complicado demais não poder simplesmente atravessar uma calçada. Onde está o nosso direito de ir e vir?”, reclamou.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitacional (Semduh) informou que a fiscalização em espaços públicos e readequação de calçadas é feita após a formalização de denúncias feitas pelos munícipes. Os casos podem ser denunciados na sede da secretaria, localizada na rua Presidente Vargas, ou pelo telefone (96) 98802-8129.

Além das calçadas irregulares, o cadeirante alega ter dificuldades para usar o transporte coletivo da capital. No dia 21 de julho, ele fez um protesto após o elevador de acessibilidade de um ônibus apresentar defeito. Indignado, ele parou em frente ao veículo, impedido que ele seguisse viagem.

“Essa é uma luta diária que nós cadeirantes e deficientes físicos enfrentamos com a falta de acessibilidade adequada em muitos pontos da cidade”, lamentou.

Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário: