terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

De olho no futuro, jovens sub-23 integram Seleção principal de fut 5

Alexandre Urch/MPIX/CPB
Imagem

Por CPB

Mais uma semana de treinamento da Seleção Brasileira de futebol de 5 começou. Entre os dias 15 e 23 de fevereiro, os atletas estarão no CT Paralímpico, em São Paulo, para treinos focados no Mundial de Madri, Espanha, que acontecerá em junho deste ano. Desta vez, atletas da Seleção Sub-23 também foram chamados, já que em abril haverá o Mundial Sub-23 da modalidade, em Buenos Aires, na Argentina.

Entre os convocados, estão Jonatan Felipe Borges, 19, e Jardiel Vieira Soares, 21, atletas da Seleção Brasileira sub-23. Mesmo não fazendo parte da Seleção principal, os dois jogadores estão participando de todos os treinamentos, além daqueles com o restante do time sub-23. A ideia do técnico da Seleção, Fábio Vasconcelos, é que eles ganhem ritmo de treino ao lado dos principais jogadores brasileiros da modalidade.

Os dois jogadores entraram no esporte paralímpico de forma inesperada. Com o incentivo de professores que viram potencial em suas atuações, eles fazem hoje parte de clubes que abriram as portas para que o técnico da Seleção pudesse chamá-los para os treinamentos de alto rendimento no CT.

Jonatan estava no time brasileiro que conquistou o ouro no Parapan-Americano de Jovens São Paulo 2017, após uma vitória sobre a Argentina por 1x0, em que marcou o único gol da partida. O atleta perdeu a visão com sete anos depois de um deslocamento na retina, mas só começou a jogar futebol de 5 com aos 14. Antes disso, ele já jogava futebol com alguns amigos que não eram cegos, mas com bolas normais dentro de sacos plásticos para conseguir ouvir o barulho e assim conseguir se guiar.

Sua primeira convocação para a Seleção Brasileira de Jovens, foi em 2015. “Eu via potencial nele, a forma como dominava a bola. E aos poucos ele foi perdendo peso e ganhando melhor forma física para conseguir jogar”, conta Fábio.

Natural de Canoas, no Rio Grande do Sul, Jonatan joga hoje em Porto Alegre, no AGAFUC, mesmo clube que Ricardinho, da Seleção principal, também joga. Ele explica que sua convocação para os treinos da Seleção Brasileira de Jovens se deu por conta de um vídeo, que seu técnico do clube fez enquanto treinava e mandou para o Fábio. “Ele viu que eu tinha potencial e me trouxe para a Seleção de jovens. Estar treinando aqui [São Paulo] é um sonho que virou realidade."

Com 21 anos, Jardiel Vieira Soares, de Pinheiro, no Maranhão, jogou futebol de 5 pela primeira vez sem nunca ter treinado ou encostado em uma bola. Ele conta que conheceu o futebol para cegos com 16 anos, em um evento da escola, em São Luís. Nessa mesma ocasião, um técnico o chamou para jogar e disputar campeonatos escolares.

Desde então, ele não parou mais de jogar. Em 2016 foi chamado para jogar no CEDEMAC, time que faz parte até hoje. Cego em decorrência de uma toxoplasmose que sua mãe teve durante a gravidez, ele ainda não tem nenhum título internacional, mas está esperançoso em relação ao Mundial sub-23.

“A gente se dedica bastante. Quando termina o treino da sub-23, a gente fica aqui treinando também com a principal. Estamos focando para chegar lá [Argentina] e dar o nosso máximo, representar o Brasil em alto nível”, conta Jardiel.

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

Fonte: cpb.org.br

Nenhum comentário: