sábado, 22 de setembro de 2018

Novo material pode ajudar a tornar próteses tão sensíveis quanto membros humanos

iStock

Do BOL, em São Paulo

Uma equipe de cientistas, incluindo professores da Academia Chinesa de Ciências, publicou artigo na Science Robotics em 19 de setembro deste ano sobre a reprodução da experiência da pressão produzida na pele humana por objetos que entram em contato com ela. O estudo pode resultar em um passo importante no desenvolvimento de próteses inteligentes, tão ou mais sensíveis quanto a pele humana. As informações são do Daily Mail.

Em humanos, a pressão provocada pelo toque é transformada em sinais para os nervos, que os envia ao cérebro, onde são transformados em sensação de pulsação. Essa sensibilidade é um passo importante para tornar próteses mais realistas e mais aceitáveis para seus usuários.

Os cientistas conseguiram desenvolver um sistema de e-skin (ou pele eletrônica, em tradução livre) capaz de converter a pressão do toque em sinais elétricos internos. "No geral, o desempenho do sensor tátil indica possíveis aplicações em próteses inteligentes. A resposta do equipamento apresentou alta sensibilidade, baixo limite de detecção e sinais de frequência digital que podem tornar as próteses melhores no futuro", escreveu a equipe no artigo científico publicado na Science Robotics.

Como funciona a tecnologia?

A pele eletrônica tem um sensor magnético e é composta também por uma membrana de polímero oco com partículas magnéticas em sua superfície superior. Quando recebe pressão, a membrana se inverte, fazendo com que as partículas da parte superior encontrem o sensor magnético. Isso gera uma resistência que é traduzida como sinal, e depois convertido em pulsos com várias frequências que aumentam conforme a pressão.

Um braço mecânico que teve um dedo equipado com a e-skin foi capaz de perceber toques sutis como o do vento. Nas experiências seguintes, o equipamento percebeu e respondeu ao estímulo de volumes diferentes de gotas d'água e a uma trilha de formigas em movimento.

(Com informações do Daily Mail)

Fonte: noticias.bol.uol.com.br

Nenhum comentário: