segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Idosos de 92 anos, cadeirantes, homem com cão e outros eleitores que votaram no 1º turno em SC

Cadeirantes e anciãos fizeram questão de participar nesta manhã deste domingo (7).

por G1 SC; NSC TV

Lindomar e Celestina Moreira fizeram questão de votar em Criciúma — Foto: Carlos Rauen/ NSC TV
Lindomar e Celestina Moreira fizeram questão de votar em Criciúma — Foto: Carlos Rauen/ NSC TV

Neste domingo (7) de eleições algumas pessoas chamam atenção nas seções eleitorais de Santa Catarina. Em muitos locais, nem a limitação física ou o benefício do voto facultativo em função da idade serviram de justificativa para quem entende a importância de participar.

Em Criciúma, no Sul catarinense, o casal de 92 anos, Lindomar e Celestina Moreira, foi votar acompanhado do neto, com a bandeira do Brasil em punho.

"Enquanto eu viver eu venho votar. Até com 100 anos", disse Celestina.

"A gente busca escolher uma boa pessoa e que pense no futuro no país", afirmou Lindomar.

                Leandro Marinho é secretário de seção eleitoral em Criciúma — Foto: Denise Medeiros/NSC TV
Leandro Marinho é secretário de seção eleitoral em Criciúma — Foto: Denise Medeiros/NSC TV

O secretário de seção eleitoral em Criciúma, Leandro Marinho, se tornou cadeirante há um ano e oito meses. Esta é primeira eleição em que é convocado e não hesitou em trabalhar durante a votação.

Apesar de poder justificar a ausência como mesário, fez questão de participar, porque gosta da movimentação.

Ricardo foi votar acompanhado do cão Eros — Foto: Diorgenes Pandini/ NSC Comunicação
Ricardo foi votar acompanhado do cão Eros — Foto: Diorgenes Pandini/ NSC Comunicação

Em Florianópolis, Ricardo Guilherme foi votar nesta manhã acompanhado do cão Eros. Os dois foram duas vezes à Escola Dilma Lúcia dos Santos, no bairro da Armação, primeiro para que Ricardo votasse e depois para acompanhar um parente.

Antônio Prado entende que o voto é uma obrigação de todos — Foto: Robson Boamorte/G1
Antônio Prado entende que o voto é uma obrigação de todos — Foto: Robson Boamorte/G1

Aos 73 anos, o cadeirante Antonio Prado também votou nesta manhã em Palhoça, na Grande Florianópolis, onde mora há cinco meses. Vindo do Paraná, ele transferiu o título para Santa Catarina, mesmo sem obrigatoriedade de votar, em função da idade.

"É nossa obrigação. Precisamos exercer. Fui muito bem tratado por todos na hora do voto", afirmou.

Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário: