quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Teclado próprio para pessoas com deficiência vence prêmio mundial de US$ 150 mil

Divulgação/ Foca Lisboa/ UFMG /
Teclado Inteligente Multifuncional TiX permite toque com qualquer parte do corpo
Teclado Inteligente Multifuncional TiX permite toque com qualquer parte do corpo

Anderson Rocha - arocha@hojeemdia.com.br

Um teclado que pode ser utilizado por pessoas com limitação de movimentos e de coordenação motora, desenvolvido por ex-alunos da Universidade Federal de Minas Gerais, venceu outros mais de 800 projetos de 58 países em uma competição nos Emirados Árabes no último dia 12 de dezembro. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (4) pela instituição.

De acordo com a UFMG, o prêmio Entrepreneur Hero (Herói empreendedor, em português) foi entregue durante a EdTech Innovation Start-up Competition 2018, realizada em Abu Dhabi, no país citado, na qual foram apresentadas tecnologias relevantes para ecossistemas educacionais. Pela vitória, o projeto recebeu investimento de US$ 150 mil.

O teclado faz parte de um conjunto de soluções voltadas, para o uso do computador por pessoas com limitação de movimentos e de coordenação motora, que vem sendo desenvolvidas desde 2013 por uma equipe de empreendedores formada na UFMG.

Carro-chefe do projeto, o Teclado Inteligente Multifuncional TiX, além de oferecer todos os recursos de um teclado convencional por meio da combinação de teclas gigantes, que podem ser tocadas por qualquer parte do corpo, é ainda compatível com um sensor de piscadelas, o que viabiliza a comunicação para indivíduos que só dispõem do movimento dos olhos.

"O produto nos orgulha porque foi concebido para gerar possibilidades e transformar a vida dos usuários", afirmou o engenheiro eletricista formado pela UFMG Adriano Rabelo Assis, diretor da startup Geraes Tecnologia Assistiva, responsável pelo TiX.

Os demais criadores da tecnologia são os ex-alunos Esdras Vitor Pinto (Engenharia Elétrica) e Henrique Pires Latorre (Engenharia de Controle e Automação), além do professor Julio Cezar David de Melo, aposentado há dois anos no Departamento de Engenharia Eletrônica da UFMG.

Como funciona?

No TiX, existem 11 botões grandes e coloridos, espaçados e sensíveis ao toque. O acionamento de dois desses botões em sequência equivale a uma das teclas do teclado convencional. “Para indivíduos com deficiência severa, é muito mais fácil apertar dois botões no TiX do que acertar um único ‘alvo’ no teclado convencional, sem esbarrar nas demais teclas. Livre da frustração de errar, o usuário é mais eficiente na digitação”, explicou Adriano Assis.

Por meio de uma sequências de toques, muda-se a função do teclado para que ele possa operar o mouse. “Para pessoas sem coordenação motora fina, o desafio de manipular o mouse é ainda maior. As ações de clique duplo e de arrastar itens, por exemplo, são complexas e exigem precisão”, observou o engenheiro.

Quer conhecer mais do projeto? Clique aqui.

Nenhum comentário: