quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Campanha busca ajuda para continuar tratamento de garotinho com paralisia cerebral

Crédito: Divulgação
Campanha busca ajuda para continuar tratamento de garotinho com paralisia cerebral - Crédito: Divulgação

Por MARCOS ESCRIVANI

Os pais do pequeno Vinícius, de apenas 5 anos (fará 6 no dia 21 de maio), busca ajuda da população para que ele continue um tratamento caro e possa ter uma vida melhor. Diante disso foi lançada uma campanha denominada “Caminhando com Vini”.

Filho de Paulo Lavoie, 42 anos e Ana Amélia Lavoie, 38 anos, Vinícius nasceu com anoxia neonatal (falta de oxigênio no cérebro). Ficou internado 12 dias na UTI e com paralisia cerebral teve limitado os movimentos nas pernas, braços e tronco. Ele não consegue realizar atividades simples. “Sua coordenação motora é limitada”, disse Paulo.

Por outro lado, o esperançoso pai afirmou que Vini é um garoto extremamente inteligente e feliz. Entende o que acontece ao seu redor. “Ele apenas fala com um pouco de dificuldade”, afirmou. Durante cinco anos buscou tratamento com fonoaudiólogos, fisioterapeutas e até hidroterapia.

LUTA DIÁRIA

Paulo e sua esposa Ana Amélia buscam diariamente alternativas e recursos para proporcionar qualidade de vida para Vini e em pesquisa, acharam uma nova possibilidade.

Um tratamento chileno desenvolvido nos anos 70 pelo fisioterapeuta Ramon Cuevas, denominado CME (Cuevas Medek Exercises) e que é praticado no Brasil somente na cidade de Curitiba/PR.

“Em outubro de 2018 levamos o Vini a primeira vez. São sessões intensivas a cada três meses. Mas não tem cobertura de convênios médicos ou SUS. E neste intervalo são feitas manutenções. Uma fisioterapeuta de São Carlos foi para Curitiba para uma capacitação nível básico”, disse Paulo. “É um tratamento caro e não pode ser interrompido, pois compromete a evolução de Vini. Ele está na primeira infância, quando o cérebro se desenvolve mais (até os 7 anos). Por isso é fundamental essa sequência no tratamento”, explicou.

CAMPANHA

Sem condições financeiras, Paulo e Ana Amélia iniciaram uma campanha e pedem doações para que Vini possa caminhar normalmente. “Sua coordenação motora evoluiu muito. Ele é um garoto sociável e inteligente. Queríamos poder dar a ele independência”, disse o preocupado pai.

           Crédito: Divulgação
             

Diante disso, uma vaquinha virtual está nas redes sociais e doações podem ser feitas pelo link  https://www.vakinha.com.br/vaquinha/477783. Na página https://www.facebook.com/caminhandocomovini/ no Facebook está a história desse pequeno guerreiro.

Crédito: Divulgação

CRENÇA NO SER HUMANO

Vini tem como irmão João Victor, de 9 anos. Paulo diz que seu filho caçula, quando nasceu, teve como significado a crença no ser humano e o legado que ele deixa é que um tem que cuidar do outro, independentemente da posição que ocupe. “Ninguém é autossuficiente. Temos que construir a vida mutuamente. Evoluirmos e sermos felizes. Acredito no ser humano. Acredito em Deus e temos uma missão na terra. Peço essa ajuda em nome do meu filho. É nosso príncipe e damos a vida por ele”, finalizou Paulo.

Crédito: Divulgação


Nenhum comentário: