domingo, 25 de agosto de 2019

Judô brasileiro começa o Parapan com cinco medalhas no peito

Giulia Pereira, de apenas 19 anos, é o maior destaque ao conquistar o ouro; domingo tem mais

#Acessibilidade: Giulia, Tenório, Arthur, Thiego e Karina (da esquerda para a direita) posam segurando as respectivas medalhas conquistadas.

Por Comunicação CBDV - Lima/PER

Tradicional fonte de medalhas para o Brasil no esporte paralímpico, o judô não decepcionou e fez cinco atletas garantirem pódio nos Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru, no primeiro dia de disputas. O maior destaque foi a promessa Giulia Pereira, que não sentiu a pressão por sua estreia na competição e faturou o ouro depois de quatro vitórias.

"A final contra a argentina foi uma luta muito difícil, mas deu tudo certo. Desde já, agradeço ao Comitê Paralímpico Brasileiro e à CBDV pelo apoio. Vamos continuar torcendo por mais medalhas para o Brasil", disse a campeã, que derrotou Paula Gómez apenas no Golden Score, como é chamada a prorrogação na modalidade.

Para chegar à disputa final da categoria até 52 kg, ela já havia vencido a compatriota Karla Ferreira, a canadense Priscilla Gagne e a também argentina Rocio Ledesma, todas por ippon. No combate valendo ouro, ela empatou em punições com Gómez no tempo normal, mas conseguiu um wazari para confirmar o primeiro lugar.

Natural do Guarujá, no litoral de São Paulo, Giulia nasceu prematura, com cinco meses, e foi perdendo a visão gradativamente. Começou no judô paralímpico em 2014 e tinha como principais conquistas, até então, duas pratas: uma no Campeonato das Américas 2017 e outra nos Jogos Parapan-Americanos de Jovens 2017.

O foco em Lima foi tamanho que ela abriu mão de participar da Cerimônia de Abertura, na noite de sexta, apenas para se concentrar nas adversárias. "É uma sensação de dever cumprido. Como eu já conhecia minhas adversárias, vim com uma estratégia traçada para cada", comentou a judoca de 19 anos.

Mais medalhas

Na mesma categoria de Giulia Pereira, a multicampeã Karla Ferreira – bronze no Mundial 2014, ouro nos Parapans de 2011 e 2007 e prata nos Jogos Paralímpicos de Pequim 2008 e Atenas 2004 – conseguiu ficar com o bronze após acumular duas vitórias e duas derrotas.

Outros dois atletas do país também ganharam o bronze, o jovem Thiego Marques (até 60 kg), de 20 anos, e a lenda Antônio Tenório (acima de 100 kg), de 48. Este último conquistou sua quarta medalha parapan-americana, já que havia sido ouro no Rio-2007, prata em Guadalajara-2011 e bronze em Toronto-2015. Por fim, Arthur Cavalcante ainda garantiu uma prata na categoria até 90 kg.

"Foi boa a participação do Brasil. A Giulia surpreendeu, estava lutando em uma categoria que juntou 48 kg, que é a dela, com 52 kg, e foi muito bem. O Arthur perdeu para um adversário que está sempre enfrentando, uma hora vence, outra perde. O Tenório conseguiu o bronze... Domingo começa tudo de novo!", falou o técnico Jaime Bragança.

Vale lembrar que na edição anterior dos Jogos, em Toronto, o judô conquistou, ao todo, sete medalhas, sendo duas de ouro, duas de prata e três de bronze.

Neste domingo (25), outros seis judocas do país entram em ação, incluindo a campeã mundial Alana Maldonado. Confira a programação:

DIA 25 – domingo – a partir das 11h00 (de Brasília)

Harlley Damião Pereira Arruda (até 81 kg)

Luan Simões Pimentel (até 73 kg)

Lúcia da Silva Teixeira Araújo (até 57 kg)

Alana Maldonado (até 70 kg)

Meg Rodrigues Emmerich (acima de 70 kg)

Rebeca Souza Silva (acima de 70 kg)

Fonte: cbdv.org.br

Nenhum comentário: