sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Cadeira de rodas movida a energia solar é nova aposta para usuários aproveitarem a praia

Cadeira de rodas movida a energia solar é nova aposta para usuários aproveitarem a praia
Rodas do veículo não afundam e possuem bateria alimentada por sistemas fotovoltaicos que chegam a durar sete horas

Um estudante do Instituto Federal do Rio Grande do Norte desenvolveu uma cadeira de rodas elétrica adaptada para a praia, movida a energia solar. O produto foi nomeado de Crab, palavra em inglês que significa caranguejo, numa referência à habilidade do animal de andar na areia. O veículo foi criado pelo estudante Iago Souza com apoio da colega Maraysa Araújo e dos docentes Artur Salgado e João Teixeira. 

O Crab tem capacidade para transportar uma cadeira de até 80 quilos. A bateria é alimentada por energia solar e chega a durar sete horas. Para isso, o modelo da cadeira de rodas é diferente do convencional, que tem rodas finas e logo afundam. O novo veículo tem seis rodinhas largas com um sistema de tração. A cadeira de rodas sobe na plataforma do Crab por uma rampa e é possível “dirigir” o veículo usando um controle remoto.

Duas vezes por ano, o primeiro protótipo em escala real produzido faz demonstrações na orla de Natal levando os cadeirantes até a faixa de areia próxima ao mar.

O projeto foi criado após os estudantes ouvirem o relato sobre as dificuldades de um cadeirante da cidade de Natal (RN) para ir à praia. O diretor de Inovação Tecnológica do campus Natal-Zona Norte do Instituto Federal do Rio Grande do Norte, João Teixeira, destaca que o grande diferencial do Crab é devolver a autonomia para quem tem dificuldade de locomoção.

“Esse projeto mostra a expansão das possibilidades do mundo dos cadeirantes. Eles têm dificuldade de locomoção, de ter acesso a lugares, algo que deveria ser um direito garantido. É necessário que haja políticas públicas que possibilitem levá-los a lugares onde há dificuldade de acesso, como é o caso da praia”, disse Teixeira.

Agora a missão é tornar o Crab acessível a outras praias do País, por meio de parcerias ou pelo aumento de produção do veículo em outras unidades. “A ideia é ter o apoio de instituições e do governo, para que possamos desenvolver esse veículo em maior quantidade e disponibilizar nas praias do Brasil”, explicou.

Apresentado no Brasil e no exterior, o projeto Crab recebeu prêmios, na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia, em São Paulo, e na Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia, no Rio Grande do Sul, além de garantir a primeira colocação na Infomatrix, feira realizada no México.

Nenhum comentário: