domingo, 16 de fevereiro de 2020

Professor pula corda com criança portadora de paralisia no colo após pedido e comove a web - Veja o vídeo.

Júlio Coelho Filho tem apenas três anos e, após uma hemorragia, teve uma sequela motora do lado esquerdo do corpo. Sem conseguir pular corda sozinho, ele contou com a 'ajudinha' do professor Rafael Cardoso.

Por Andressa Barboza, G1 Santos

                       Júlio Coelho Filho, de três anos, é portador de paralisia cerebral espástica — Foto: Arquivo Pessoal
Júlio Coelho Filho, de três anos, é portador de paralisia cerebral espástica — Foto: Arquivo Pessoal

O professor de uma escola em São Vicente, no litoral de São Paulo, comoveu internautas ao atender o pedido de um aluno portador de paralisia cerebral espástica, de três anos, que desejava pular corda. Em entrevista ao G1 na manhã deste sábado (15), Rafael Cardoso, o professor que aparece nas imagens, se disse surpreso com a repercussão do gesto.

Clique AQUI para ver o vídeo.

O vídeo postado nas redes sociais foi gravado, na quinta-feira (6), durante a aula de Educação Física. Rafael explica que, antes mesmo de a aula começar, o aluno Júlio Coelho Filho já demonstrava a vontade de participar da atividade.

"Antes da aula ele já tinha falado 'quero pular corda, tio' e no caminho até a quadra fui pensando em como fazer isso. Aqui temos bastante alunos de inclusão e tento inserir eles ao máximo", explicou.

Chegando na quadra, o menino repetiu o pedido. Queria pular corda. 'Quer pular corda? Então você vai pular corda', foi o que o professor disse antes de pegar Júlio no colo, ir para o centro da brincadeira e começar a pular corda com ele nos braços.
                 
"Minha preocupação era com o pescoço dele para não machucar, mas atendi ao pedido. No final eu falei pra ele 'tá vendo, você conseguiu', e ele me respondeu 'conseguimos'. Isso foi o que mais mexeu comigo."

Durante a brincadeira, Rafael não percebeu que estava sendo filmado e nem imaginou que o vídeo gravado por outra colega teria tanta repercussão. Na postagem, que já foi compartilhada em diversos perfis, internautas parabenizam a atitude do professor.

"Sempre posto vídeos e fotos nas minhas redes sociais e também passo para os pais para que eles fiquem sabendo como foram as minhas aulas, mas nem imaginava essa repercussão. É muito gratificante, a alegria deles no final da aula, sempre motiva a gente. Quando coloco o pé aqui e vejo resultado no final do dia, que é a alegria deles, isso me motiva cada dia mais", disse.

Professor de Educação Física, Rafael Cardoso pegou aluno com paralisia no colo para pular corda — Foto: Reprodução
Professor de Educação Física, Rafael Cardoso pegou aluno com paralisia no colo para pular corda — Foto: Reprodução

A luta de Júlio

Júlio nasceu prematuro, com apenas 6 meses de gestação, pesando 1kg e 950g e com 42cm. O pai, Júlio Coelho, contou ao G1 que os médicos falavam que ele não iria resistir. O recém-nascido ficou internado 28 dias na UTI Neonatal. "Com certeza foi o momento mais difícil e delicado que já passei", diz.

Durante a internação, o menino teve uma hemorragia cerebral de grau três por conta da prematuridade. O cérebro absorveu o sangue, mas deixou uma sequela motora do lado esquerdo, a chamada paralisia cerebral espástica. "Quando descobrimos as sequelas, começamos os tratamentos de fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia e hidroterapia. Tratamentos são para fortalecimento dos músculos."

Júlio Coelho Filho nasceu prematuro e precisou ficar internado na UTI Neonatal — Foto: Arquivo Pessoal
Júlio Coelho Filho nasceu prematuro e precisou ficar internado na UTI Neonatal — Foto: Arquivo Pessoal

O pai foi um dos primeiros a assistir o vídeo em que o filho, em seu primeiro ano na escola, aparece nos braços do professor pulando corda e, para ele, o carinho e dedicação de Rafael como professou trouxe alívio.

"Depois de tudo que passamos juntos, o carinho, amor e cuidados parece que aumentaram, nossos laços ficaram mais fortes e quando chegou a hora de ele ir para a escola foi um momento difícil. Mesmo sabendo que era algo muito necessário e importante para ele e pra sua evolução, eu ficava preocupado de como iam tratar ele, se seria com zelo assim como nós. Ao ver esse vídeo senti um alívio, pois dá pra perceber que os profissionais da escola não tratam ele com indiferença.Vejo muito amor e carinho", finalizou.

Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário: