sábado, 27 de junho de 2015

Todos são iguais perante a Lei?

 Por Luis Kassab

Imagem internet/Ilustrativa



Direitos humanos nem sempre são respeitados. No Brasil, eles são garantidos na Constituição Federal de 1988Site externo.. Princípios descritos no artigo 1º como o da cidadania, dignidade da pessoa humana e os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e complementados no artigo 5º, como o direito à vida, privacidade, igualdade, liberdade, entre outros, são considerados fundamentais.
Por quê desta introdução? Porque o assunto de hoje é: quanto as pessoas com deficiência tem seus direitos humanos e fundamentais respeitados, como qualquer cidadão, pelo Estado? Afinal: todos somos iguais perante a Lei, será?
"Cidadania é o exercício dos direitos e deveres, pois são legais e civis". Será que o fato de a pessoa com deficiência ter acesso à educação ser questionado, ou de encontrar locais inacessíveis, dificuldade para trabalhar, para praticar esporte ou lazer - direitos estes todos garantidos por leis específicas - impedem que a cidadania seja exercida?
"Dignidade da pessoa humana à qualidade intrínseca e distintiva de cada ser humano que o faz merecedor do mesmo respeito e consideração por parte do Estado e da comunidade...". Respeito consideração são as palavras chaves deste princípio. Quantas vezes as pessoas com deficiência são desrespeitadas em atitudes simples, como impedir a entrada numa agência bancária, em uma aeronave, no transporte público, entre outros inúmeros exemplos, simplesmente por falta de conhecimento da causa?
"Valores sociais do trabalho e da livre iniciativa objetiva o desenvolvimento nacional; a erradicação da pobreza e da marginalização, bem como a redução das desigualdades sociais e regionais e a dignidade dos homens". Presenciamos pessoas com deficiência nos faróis das cidades vendendo balas ou pedindo ajuda, quando existe a necessidade de ter uma Lei de Cotas para garantir o direito ao trabalho que todo cidadão tem garantido na Lei Maior, a Constituição Federal, notamos que há algo de errado.
Voltamos à pergunta inicial: quanto as pessoas com deficiência tem seus direitos humanos e fundamentais respeitados?
Quando não conseguimos achar a resposta para a indagação, percebemos que temos muito o que fazer em defesa dos direitos das pessoas com deficiência. Não é a falta de Legislação Federal, Estadual ou Municipal que nos impede que nossos direitos humanos e/ou fundamentais sejam respeitados, e sim, um problema cultural, educacional, de falta de informação, falta de respeito ao próximo e, o principal, ignorar o princípio base da nossa Constituição Federal: "que todos são iguais perante a lei sem distinção de qualquer natureza".
Assim que entendermos o real significado deste princípio, teremos uma sociedade mais justa e realmente inclusiva.
Fonte: www.vidamaislivre.com.br - Imagem Internet

Seleção Brasileira de Futebol de Cegos disputará torneio na Espanha, em julho.

 
Foto: Ricardinho tenta passar por dois argentinos na final do Mundial 2014 (Crédito: Marcio Rodrigues/CPB/MPIX)

Rio de Janeiro/RJ – A Seleção Brasileira de Futebol de 5, tetracampeã Mundial e tricampeã Paralímpica, terá um grande teste antes dos Jogos Parapan-Americanos de Toronto, no Canadá, que acontecem no mês de agosto. Os comandados do técnico Fábio Vasconcelos vão disputar o Torneio Internacional 2015, na cidade de Madrid, Espanha, de 13 a 17 de julho.
 
O Brasil terá como adversários forças do Futebol de 5. A Espanha, eterna rival, e adversária em diversas finais, como por exemplo, na decisão do título mundial de 2010, quando a seleção canarinho conquistou o tricampeonato. A Itália, que vem crescendo na modalidade ano a ano. E um combinado da cidade de Bordeaux, na França.
 
Jogador da seleção brasileira desde 2007, o defensor Cássio Reis destacou a importância de disputar um torneio teste antes do principal campeonato do ano. Para o baiano, será uma oportunidade para colocar em prática tudo o que foi passado nos treinamentos e fazer os últimos ajustes antes do evento no Canadá.
 
Se a gente chega (no torneio) e não faz o que está sendo treinado, com um mês de antecedência você pode corrigir. Sem dúvida alguma ele tem uma importância muito grande. Diferente de você estar fazendo os coletivos no treinamento. O clima é outro, enfrenta as equipes com um estilo diferente, então é realmente um teste prático, e a importância é muito grande mesmo – destacou o camisa 3 do Brasil.
 
A Seleção Brasileira embarca no dia 12 de julho para Madrid, pelo aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro, e chega no dia 18, também pelo Galeão. Depois da participação no Torneio Internacional, jogadores e comissão técnica encerram a preparação para os Jogos Parapan-Americanos com a V Fase de Treinamento, marcada de 26 a 31 de julho, na Associação Niteroiense de Deficientes Físicos (ANDEF), em Niterói/RJ.
 
Confira a convocação.
 
Goleiros
Luan de Lacerda Gonçalves – AGAFUC-RS
Vinícius Tranchezzi Holzsauer – APADV-SP
 
Atletas de linha
Cássio Lopes dos Reis – ICB-BA
Damião Robson de Souza Ramos – APACE-PB
Jeferson da Conceição Gonçalves – ICB-BA
Liwisgton da Silva Costa – URECE-RJ
Marcos José Alves Felipe – APACE-PB
Raimundo Nonato Alves Mendes – ADVP-PE
Ricardo Steinmetz Alves – AGAFUC-RS
Tiago da Silva – APADV-SP
 
Comissão técnica
Fabio Luiz Ribeiro de Vasconcelos – Técnico
Halekson Barbosa de Freitas – Fisioterapeuta
João Paulo Borin – Fisiologista
José Antônio Ferreira Freira – Coordenador técnico
Josinaldo Costa Sousa – Auxiliar técnico
Luis Felipe Castelli Correia de Campos – Preparador Físico
Sandro Laina Soares – Chefe de missão

Fonte: cbdv.org.br

Geraldo Von Rosenthal alcança índice paralímpico na abertura da Copa Brasil de Tiro Esportivo.

_AQ_1403
Geraldo Von Rosenthal competindo

No primeiro dia de competição da II Copa Brasil de Tiro Esportivo, disputada em Brasília, o atleta Geraldo Von Rosenthal (Asasepode/RS) fez 555 pontos nesta sexta-feira, 26, e superou em 15 pontos o índice mínimo (MQS na sigla em inglês) para a participação nos Jogos Paralímpicos do Rio-2016 da P3, pistola sport misto.
Apesar da boa marca, ele ainda não está garantido na principal competição da modalidade. Por ser o país-sede dos Jogos Paralímpicos, o Brasil tem direito a três vagas diretas no Rio-2016: uma no feminino e duas no masculino. Mas Geraldo terá de brigar pela sua própria vaga na Copa do Mundo de Osijek, na Croácia, em julho.
“Eu tive um problema sério na arma e acabei fazendo um zero. Apesar do contratempo, eu estou satisfeito porque consegui controlar o meu psicológico. Esse resultado me deixa muito confiante para a disputa da Copa do Mundo, se eu não tivesse feito um zero, com certeza passaria para as finais em qualquer competição internacional”, afirma o atleta, que acredita estar vivendo a melhor fase da sua carreira.
Geraldo seguirá para a Europa com mais seis colegas: Alexandre Galgani, Carlos Garletti, Debora Campos, Ricardo da Costa, Sergio Vida e Watachos Queiroz. Além da competição da Croácia, que distribuirá 27 vagas para o Rio de Janeiro, os atletas ainda terão mais duas chances para obter a vaga diretamente na Paralimpíada: Nas etapas da Copa do Mundo de Sydney, Austrália, em setembro, e de Fort Benning, Estados Unidos, em novembro.
Debora Rodrigues (SAC/SP) ficou com a medalha de prata. Ela fez 536 pontos. Já o bronze foi para Ailton Balbino da Silva (ADFP/PR), que completou o pódio com 511 pontos.
Na parte da tarde os atletas continuaram com bons resultados. Na prova de R4, carabina de ar em pé misto SH2, Alexandre Galgani (ADDG/SP) bateu o seu próprio recorde brasileiro ao somar 624,2 pontos. Atrás dele veio Ana Lucia Serpa (ARPP/MS) com 619,4 e 613,4.
Outro atleta que quebrou recorde brasileiro de final da R1, carabina de ar em pé masculino, foi o goiano Helcio Perilo. Representando a Adap/GO, o atleta fez 199,6 pontos tirando a marca de Geremias Soares (SMCC/PR) que conquistou a medalha de prata ao fazer 196,8. O bronze foi para Carlos Henrique Garletti da A.P.E.D.E.F/PR (196,8).
Na disputa entre as mulheres da carabina de pé, R2, o clube da ARPP/MS fez pódio triplo. A melhor atiradora foi Clenilza Gonçalves (379,5) que foi seguida pelas colegas Rosana Urbieta (367,8) e Jane Leite (310).
O calendário nacional do Tiro Esportivo Paralímpico de 2015 encerra com Campeonato Brasileiro, no Rio de Janeiro, de 22 a 25 de outubro. A modalidade é disputada por atletas divididos em três classes. As divisões SH1 e SH2 são dedicadas a amputados, paraplégicos, tetraplégicos e pessoas com deficiências motoras. Na SH1, não há necessidade de apoiar a arma, o que ocorre na SH2. Por fim, a SH3 é destinada a atiradores com deficiências visuais.

Empresa desenvolve dispositivo para ajudar pacientes com AVC.

Dispositivo de estimulação elétrica funcional que permitirá melhorar a reabilitação do movimento de braços e pernas dos pacientes que tenham sofrido um acidente vascular cerebral ou outras doenças neuromusculares.

Foto: Reprodução Tecnalia
Foto: Reprodução Tecnalia

O grupo tecnológico espanhol Tecnaliaapresentou nesta quarta-feira um dispositivo de estimulação elétrica funcional que permitirá melhorar a reabilitação do movimento de braços e pernas dos pacientes que tenham sofrido um acidente vascular cerebral (AVC) ou outras doenças neuromusculares.
 
O aparelho desenvolvido às pernas chegará ao mercado ainda neste ano, já o destinado aos braços deverá ser lançado em 2016. De acordo com Miguel Retolaza, promotor da empresa, o sistema, o único com essas características e patenteado, já conta com os primeiros pedidos vindos dos Estados Unidos e na Suíça.
 
O equipamento consiste em um pequeno aparelho que se ajusta ao calçado, ao joelho ou ao antebraço, fácil ser camuflado com a roupa, sem fio e de colocação baseada na eletroestimulação funcional.
 
O objetivo é que o “pé caído”, como é conhecida a forma de andar de pessoas que passaram por um AVC e arrastam as extremidades inferiores, possa ser recuperado mais rapidamente.
 
Segundo Retolaza, o dispositivo funcionará em regime de aluguel para que o cliente não se veja obrigado a abonar o tratamento por conta do custo total do produto, quando na realidade o utiliza unicamente no período de reabilitação. No entanto, terá a opção de compra para os que queiram o dispositivo de forma permanente porque o dano ao cérebro é tão grave que não se podem recuperar.
 
A previsão é de que sejam fabricadas 2 mil unidades em cinco anos, embora o potencial seja “muito superior” já que na Europa existem 2,3 milhões de pessoas com a mobilidade das pernas reduzidas por causa de AVCs, lembrou Retolaza.
 
Veja abaixo o vídeo que mostra o equipamento em operação (em inglês)



Metrô-DF lança campanha para uso de carro exclusivo feminino, pessoas com deficiência e ciclistas.

Adesivos de identificação foram colocados na parte interna e os pisos estão sendo renovados.

Do R7

Pedro Ventura/Agência Brasília

Desde seu funcionamento, o carro exclusivo feminino e para portadores de deficiência vem ganhando adesão de usuários.

O Metrô-DF começou a uma campanha de conscientização para melhor utilizar os carros exclusivos para mulheres e pessoas com deficiência e para os usuários que transportam bicicletas.

Os carros ganharam adesivos de identificação na parte interna dos trens, e os pisos das plataformas estão sendo renovados. O carro exclusivo feminino e para pessoas com deficiência foi adotado em cumprimento a uma lei distrital desde o dia 1º de julho de 2013.
O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, no pico da manhã e da tarde, no período das 6h às 8h45 e das 16h45 às 20h15. Para usufruir o direito, os usuários devem utilizar sempre o primeiro carro do trem, o chamado carro líder, localizado logo após a cabine do piloto.

Já o transporte de bicicletas deve ser realizado no último carro do trem, não podendo exceder cinco veículos por viagem. A recomendação é que, dentro do trem, a bicicleta seja acomodada de forma que não obstrua a passagem e que não perturbe os outros usuários. Isso porque, segundo o Metrô, passageiros sem bicicletas sempre têm preferência de embarque.

Desde seu funcionamento, o carro exclusivo feminino e para portadores de deficiência vem ganhando adesão de usuários. Segundo o órgão, diariamente, uma média de 15 pessoas entram em contato com a Ouvidoria para informar e reclamar sobre o descumprimento da lei.

Apesar de não haver punição, o Metrô-DF, garante que tem autuado quem desrespeita a norma por meio de seus empregados e, também, tem contado com o apoio dos próprios usuários, no sentido de preservar os direitos concedidos. Se houver resistência ao Corpo de Segurança Operacional do Metrô, quando os agentes solicitam a saída do usuário, eles são encaminhados à delegacia e podem responder criminalmente.

O presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado, explica que a ideia da campanha é conscientizar a população para o respeito aos usuários e reforçar lições de cidadania e boas práticas sociais.

Nossos principais fiscais são os usuários, que entram em contato com a empresa em casos de descumprimento da legislação. Queremos garantir uma prestação de serviço ainda mais eficiente e segura para a população do DF.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Carro estacionado em vaga para deficientes é alvo de 'pegadinha'.

Brincadeira, feita por um canal do YouTube, chamou a atenção em Maringá. Milhares de adesivos coloridos foram colados por humoristas no veículo.



Um carro estacionado em uma vaga para deficientes físicos, coberto por adesivos coloridos que formavam o desenho de uma placa de trânsito, na região central de Maringá, no norte do Paraná, chamou a atenção de quem passou por lá nesta quarta-feira (24).

A brincadeira, feita por um canal de humor no YouTube, deixou em dúvida os moradores da cidade. Centenas de pessoas se aglomeraram para acompanhar a reação do motorista, que se irritou com a "pegadinha" pregada no carro irregular. A história viralizou nas redes sociais.

O secretário de Trânsito e Segurança de Maringá, Ideval de Oliveira, diz acreditar que o condutor era um ator, integrante do canal. Ele afirma que, de qualquer forma, uma multa de R$ 53 foi aplicada ao motorista pela infração.

"Acho a ação válida. É um trabalho de conscientização. Não conheço o grupo, mas, se o objetivo é chamar a atenção para que as pessoas não façam o uso indevido da vaga, tudo bem", comenta o secretário.

Segundo a prefeitura, mais de mil multas já foram aplicadas no ano, em Maringá, a motoristas que estacionam em vagas especiais, como fizeram os humoristas. O G1 tentou contato com os administradores do canal, mas, até as 18h20 desta quarta-feira, eles não responderam às solicitações.





Justiça considera ilegal limitação de passagens gratuitas para deficientes no transporte público.

          transporte-publico-gratuito-para-deficientes

O Tribunal de Justiça do Paraná declarou ser inconstitucional a lei municipal de Ponta Grossa, nos Campos Gerais, que limita a quantidade de passagens gratuitas utilizadas por pessoas com deficiência no transporte público da cidade. De acordo com a lei 7.018, os deficientes podem utilizar sem custo os ônibus urbanos somente duas vezes ao dia.
Para o TJPR, os dispositivos da lei municipal ferem o disposto no artigo 224 da Constituição Estadual, que prevê a gratuidade do transporte coletivo às pessoas com necessidades especiais, sem qualquer limitação quanto à quantidade de viagens diárias.
A decisão foi proferida em ação direta de inconstitucionalidade proposta pelo procurador-geral de Justiça do Paraná, a pedido da 6ª Promotoria de Justiça de Ponta Grossa. A ação foi resultado de uma investigação realizada pelo MP, que constatou a ilegalidade noticiada por diversos usuários do transporte coletivo local que sofrem com a restrição imposta.
Fontes: bonde.com.br - pessoascomdeficiencia.com.br

Deficientes auditivos têm direito à isenção de IPI na compra de veículos, diz PGR.

   deficiente-auditvo-direito-isenção-de-ipi

A isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) na compra de automóveis deve ser estendido aos deficientes auditivos. Esse é o entendimento do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao questionar o inciso IV do artigo 1º da Lei 8.989/1995. A norma, ao especificar o rol de deficientes contemplados pelo benefício fiscal – portadores de deficiência física, visual, mental severa ou profunda ou autistas, diretamente ou por intermédio de seu representante legal -, não incluiu as pessoas com deficiência auditiva.
Para Janot, não há razão para a discriminação. Segundo ele, a exclusão configura omissão parcial inconstitucional e afronta os princípios da dignidade da pessoa humana e da isonomia (artigos 1º, inciso III, e 5º, caput). Por essa razão, ajuizou a Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão Parcial (ADO 30), ratificada em parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) no dia 16 de junho.
De acordo com a ação, “apesar do esforço da Lei Federal 8.989/95 em garantir a isonomia material entre as pessoas com deficiência e as pessoas sem deficiência, a ausência dos deficientes auditivos no corpo da norma estabeleceu distinção desarrazoada entre pessoas que sem encontram na mesma situação”.
O procurador-geral destaca que, pela sua condição humana, as pessoas possuem igual dignidade, mesmo que existam diferenças físicas, intelectuais e psicológicas, devendo ter os seus interesses igualmente considerados, independentemente de suas capacidades e características individuais. Para ele, a efetivação dessa política fiscal revela o reconhecimento de algumas dificuldades que as pessoas com deficiência física têm para a vida em sociedade, em especial, quanto à mobilidade e acesso aos espaços públicos, e da necessidade de inclusão social dessa parcela da sociedade.
Para Rodrigo Janot, uma vez que o Estado tenha assegurado o cumprimento do princípio da proteção às pessoas com deficiência, “não há razão para que dentro desse grupo contemplado por tais ações afirmativas haja discriminação, favorecendo-se determinadas pessoas em detrimento de outras”.
Prazo – A ação também pede que seja estipulado prazo razoável para o Congresso Nacional editar norma para suprir a exclusão dos deficientes auditivos do rol do inciso IV do artigo 1º da lei 8.989/95.
Em sua manifestação, a Advocacia-Geral da União questionou, em preliminar, a possibilidade jurídica dos pedidos. Para o órgão, de acordo com a jurisprudência do STF, ao Poder Judiciário não caberia impor prazo obrigatório aos demais poderes para edição de ato normativo, ou por ato próprio suprir omissões do legislador. A AGU sustenta que essas providências resultariam em ofensa ao princípio da divisão funcional do poder.
De acordo com o parecer da PGR, o próprio STF admitiu configuração de inércia do legislador mesmo quando já tenha atuado ao propor projeto de lei ou dar início à sua tramitação. Janot destaca decisão do STF na ADO 24 que impôs prazo para que a lacuna legislativa fosse sanada.
“Dado o entendimento recente da Suprema Corte brasileira no que se refere às omissões inconstitucionais, é cabível estabelecer prazo razoável para que o Congresso Nacional inaugure ou conclua a deliberação acerca de proposição legislativa. Portanto, os pedidos formulados na inicial não devem ser considerados juridicamente impossíveis”, argumenta o procurador-geral.
Quanto à segunda preliminar, sobre a impossibilidade de o Judiciário, por ato próprio suprir omissão do legislador, a PGR sustenta que o tema confunde-se com o mérito da ação.
O relator da ação no STF é o ministro Dias Toffoli.
Fontes: olhardireto.com.br - pessoascomdeficiencia.com.br

Menina que nasceu sem nariz ganha prótese feita em 3D.



Uma menina de dois anos da Irlanda do Norte está passando por um procedimento inovador e deve ganhar uma prótese de nariz feita por uma impressora 3D.
Tessa Evans nasceu com arrinia, ou seja, sem nariz e nem olfato, um problema congênito muito raro. Acredita-se que ela seja uma das duas pessoas da Grã-Bretanha com o problema.
O procedimento envolve a colocação de uma série de implantes com o passar do tempo.
Por enquanto, Tessa ainda não tem uma abertura nasal, os implantes ainda são muito pequenos. Uma traqueotomia a ajuda a respirar.
Segundo o pai da criança, Nathan Evans, quando ela chegar ao final da adolescência e estiver totalmente desenvolvida, ela receberá o implante definitivo e serão feitos retoques cosméticos para que tudo fique natural e pareça que ela tenha nascido com um nariz.
Fonte: www.bbc.com

Ensaio mostra parto normal de cadeirante que perdeu as duas pernas.

    MontagemBOL/Elis Freitas Fotografias
   

A fotógrafa Elis Freitas, 32, realizou um belíssimo ensaio mostrando a gestação e o momento do parto de Derick, filho de Lurdes Soares, a Lulu, 33. Em entrevista ao blog Maternar, da Folha de S.Paulo, a recente mamãe, que perdeu as duas pernas aos 7 anos depois de ser atropelada por um caminhão, contou que sempre sonhou com um parto normal. Apesar de ter sido desencorajada por vários médicos, Lulu seguiu em frente com sua ideia.

Quando estava no nono mês de gravidez, Lulu posou para a fotografa Elis Freitas. A atendente de telemarketing, que mora com a mãe e uma irmã em Várzea Grande (MT), contou que a deficiência nunca tirou sua liberdade e independência.

Grávida de nove meses, Lulu posa para as lentes da fotógrafa Elis Freitas. A cadeirante optou pelo parto normal.

Decidida a ter parto normal, Lulu, chegou a ser desencorajada por vários médicos. "Falavam que meu corpo era pequeno demais, que eu passava muito tempo sentada, que a bacia não abriria", contou em entrevista ao blog Maternar.

Quando já estava quase optando pela cesárea, Lulu encontrou o médico Victor Rodrigues. "Estava quase acreditando que não conseguiria, mas ele renovou minhas forças", declarou.

Em entrevista ao blog Maternar, Lulu diz que respeita quem escolhe a cesárea ao parto normal. Mas, para ela, outra cirurgia não estava nos planos. "Não queria a recuperação de uma cirurgia de parto, dar trabalho para minha mãe depois. E sei que o parto normal é melhor para a mãe e para o bebê", declarou

O parto de Lulu foi acompanhado pelo namorado com quem está há 8 anos.

O filho de Lulu, Derick, nasceu no começo de junho. "Me senti realizada. Meu parto foi algo transformador, me senti o maior dos vulcões entrando em erupção: quente e forte", declarou a nova mamãe

Todo o trabalho de parto de Lulu, que durou 14 horas, foi fotografado por Elis Freitas.

                                
                                           Na imagem, Derik, o filho de Lulu, que nasceu por parto normal

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Adolescentes criam camisinha que muda de cor ao detectar DSTs.

Indicador no preservativo permite a identificação de micro-organismos causadores de doenças.

Reprodução/Teen Tech Awards

"S.T.EYE" permite a identificação de contaminação pela mudança de cor no presevertivo.

Um grupo de adolescentes britânicos inventou uma camisinha que muda de cor quando detecta a presença de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), como sífilis e clamídia. Com um indicador que mostra diferentes cores de acordo com o tipo de bactéria ou infecção encontrada, a invenção recebeu o nome de “S.T.EYE” (uma brincadeira com sigla em inglês STI, Sexually Transmited Infections).
 
Os estudantes da escola britânica Isaac Newton Academy Daanyaal Ali, 14, Muaz Nawaz, 13, e Chirag Shah, 14, ganharam o prêmio da área de saúde no Teen Tech Awards em Londres pela invenção. “Nós a criamos para ajudar o futuro de uma nova geração.
 
Nós queríamos algo que detectasse essas doenças prejudiciais da maneira mais segura possível para que as pessoas pudessem tomar ação imediata na privacidade de suas casas, sem a necessidade de procedimentos médicos invasivos” afirma Daanyaal Ali sobre o objetivo da criação.
 
Como recompensa pelo prêmio, a escola concedeu o valor de 1.000 libras esterlinas (aproximadamente R$ 4,847) a cada estudante. Fora isso, receberam convites para uma recepção especial no Palácio Buckingham.
 
Outras invenções de destaque no Teen Tech incluíam um par de sapatos que cria, ao andar, energia suficiente para carregar dispositivos eletrônicos e uma ferramenta capaz de administrar o uso da água que poderia ser usado pelas comunidades rurais africanas para administrar o sistema de água.
 

Adaptação de Veículos para Deficientes Pode Ficar Mais Barata.

                              


Acessórios para adaptar veículos a pessoas com deficiência podem ter isenção de Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI). A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou hoje um projeto de lei (PLS 257/2013) que concede o benefício.

Pela proposta, ficam isentos do IPI os elevadores que auxiliam as pessoas a entrarem em veículos, plataformas de elevação para cadeira de rodas, rampas para cadeiras de rodas, guinchos para transporte, bancos móveis e outros equipamentos necessários à adaptação de motoristas.

Atualmente, apenas os veículos, sem a adaptação, possuem isenção de IPI. Já os acessórios que precisam ser instalados depois, têm alto custo. Só a rampa elevatória automatizada custa em torno de R$ 28 mil. O tributo contribui para elevar o preço desses produtos.

Como foi aprovado de forma terminativa na comissão, o projeto segue para a Câmara dos Deputados se não houver recurso para votação em Plenário.

Descrição da Imagem ‪#‎PraCegoVer‬: Sobre o fundo amarelo, há uma ilustração de uma pessoa com cadeira de rodas, uma chave de fendas e um carro. Sobre a imagem, está escrito "Pessoas com deficiência poderão ter isenções para adaptar veículos".

Histórias de Cadeirantes 03 - Rafael Prudêncio


Quase todos os dias uso o transporte público de Brasília, e como sabem nem todos os ônibus são adaptados e os que são muitas vezes não funcionam corretamente.

Essa semana aconteceu um fato constrangedor, mas como levo a vida numa boa achei muito engraçado. Vindo do Sarah, que faço reabilitação, desembarquei na estação praça do relógio e embarquei no coletivo onde a rampa funcionou, eu subi e embarquei. Tudo correndo bem, até que a rampa travou e o motorista e cobrador tentaram fechá-la manualmente, com chutes e pontapés, sem sucesso. O ônibus estava lotado, todos querendo ir para casa e nós esperando a rampa destravar. Eu sabendo que teríamos que descer comecei a rir com a cabeça baixa para ninguém perceber. 

Vinte minutos depois descemos e embarcamos em coletivo.


Descaso! Homem com “ossos de vidro” tem tratamento negado por planos de saúde.

Síndrome rara torna os ossos quebradiços e necessita de cuidados especiais. 

Do R7

 

Nesta semana, a Patrulha do Consumidor foi procurada em mais um caso que chocou a todos. A dona de casa, Luciana Soares, procurou a ajuda do Programa da Tarde, pois o seu marido sofre de uma síndrome rara que precisa de tratamento, entretanto, os planos de saúde tem se negado a ajudá-lo.

Luciana procurou ajuda do Programa da Tarde em outubro do ano passado, pois o seu marido, Edgar, é portador de uma rara síndrome conhecida como “síndrome dos ossos de vidros”, uma doença que acomete as articulações, tornando-as frágeis

O plano de saúde de Edgar faliu no ano passado e agora, Luciana procura por outros planos de saúde que aceitem atender seu marido, entretanto, todos tem se recusado

Edgar sofre de uma rara, chamada popularmente por “síndrome dos ossos de vidro”, que acomete as articulações, ele precisa de fisioterapia e atendimentos especiais

“Ele era um ser humano saudável, um pai de família que recolhia INSS, vivia normalmente, cuidava da família, era trabalhador, e essa situação é por conta da doença, mas aí ficou doente, e agora ele é tratado como um ser que não é importante para a sociedade, porque é isso que estão fazendo”, desabafou Russomanno

Na época, a Patrulha do Consumidor entrou em contato com a Agência Nacional de Saúde, que é responsável por fiscalizar o atendimento oferecido aos clientes pelos planos de saúde.

“Quando a agência encerra o plano de saúde, ela tem que fazer a portabilidade, e levar todos os consumidores que estão naquele plano de saúde para outro plano de saúde, e garantir o atendimento dessas pessoas. É este o trabalho da Agência Nacional de Saúde”, garantiu Russomanno.

A Agência Nacional de Saúde ficou responsável por encontrar outro plano de saúde para cuidar de Edgar.

A história parecia ter sido solucionada, entretanto, Luciana voltou a procurar o Programa da Tarde na semana passada, e infelizmente, nada mudou.

Indignado, Celso Russomano desabafou: “Cidadão e idoso que está doente, deve ter todo o carinho do poder público, começa por aí. Mas ninguém quis a carteira, porque a carteira de pessoas carentes e idosos é complicada porque dá despesa, e pano de saúde hoje em dia só quer cuidar de gente jovem que não fica doente, assim coloca dinheiro no bolso e não dá saúde para ninguém”.


Patrulha Do Consumidor vai acompanhar este caso, e Celso Russomanno afirmou: “Eu vou convocar o presidente da Agência Nacional de Saúde na Câmara dos Deputados para explicar publicamente porque este senhor não tem ajuda. Eu estou cansado, estamos tentando há meses e não encontramos uma solução”.


















Brasil goleia a Argentina por 4 x 0 e avança às semifinais do Mundial de Futebol de 7.

  Zeca comemorando o primeiro gol do Brasil na partida
  Zeca comemora o primeiro gol do Brasil na partida.

A Seleção Brasileira de futebol de 7 (paralisia cerebral) goleou a Argentina por 4 x 0 na manhã desta quarta-feira, 24, em jogo válido pelas quartas de final do Mundial de Futebol de 7, disputado em Burton Upon Trent, na Inglaterra. A equipe, que havia terminado a primeira fase com 100% de aproveitamento, segue sem levar gols na competição. O adversário da semifinal, marcada para sexta-feira, 26, às 12h30 (horário de Brasília), será a Ucrânia, que goleou a Irlanda também pelo placar de 4 x 0.
No jogo contra a Argentina nesta quarta-feira, o Brasil venceu sem dificuldades. Logo aos dois minutos, Zeca fez o primeiro gol. Aos sete, a equipe chegou ao segundo em cobrança de falta de Jan. O mesmo jogador marcou o terceiro no fim do primeiro tempo, após tentar fazer um lançamento na área que acabou encobrindo o goleiro argentino.
Na volta dos vestiários, como nas partidas anteriores, o Brasil cadenciou mais o jogo e tocou mais a bola. Zeca perdeu uma chance incrível dentro da pequena área aos 14 minutos, mas, aos 23, não perdoou e marcou o quarto, depois de bela jogada de Ronaldo.
“Nós viemos com essa proposta de jogo, de trabalhar a bola e de achar os espaços para concluir ao gol. Na sequência, procuramos nos preservar para a semifinal. Teremos um confronto muito difícil, independente do adversário”, comentou o capitão Zeca, autor de dois gols no jogo.
“Foi como nós tínhamos previsto. Eles (argentinos) tiveram que jogar com uma equipe mais frágil hoje, por terem alguns jogadores lesionados. Nós cadenciamos e administramos bem a partida. Fizemos o placar no primeiro tempo e administramos no segundo, até para não termos um desgaste físico ou uma lesão”, explicou o treinador da Seleção, Dolvair Castelli.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Problemas para escovar os dentes de crianças com Autismo? Porque isso acontece e como ajudar.

Você conhece alguma criança com Autismo que dá o maior trabalho para escovar os dentes? Não é incomum na hora da escovação essa criança estar chorando, gritando, apertando a boca para fechar ou virando a cabeça?  Se sim, nesse post algumas ideias e informações podem te ajudar.

por Ana Leite
                          imagem: plind
                   3255021772_c676646804


O primeiro passo nesta situação é entender o “Porque”…

Crianças com Autismo lidam melhor com uma situação quando entendem o todo e não apenas uma parte. Nesta tarefa a escovação é o “todo” e as partes são:  a escova de dentes, o creme dental, a pia, a torneira, a água,  abrir a boca…

A criança precisa entender como todas estas partes  “se encaixam” e resultam em “escovar os dentes “. Além disso,  pode não ser clara a ideia de “dentes limpos e sujos”, o que dificulta ainda mais.

As questões relacionadas com a sensação (a sensação da escova na boca, o gosto da pasta de dente também é outra causa provável para a dificuldade de escovação.

Primeiro passo para uma escovarão de sucesso no Autismo: prepare a criança.

Que tal ensinar as partes que formam o todo?  Você pode ter fotos dos objetos e colocá-las perto da pia, ajudando a criança a identificar cada objeto e como ele está ligado ao ato de escovar.

Seja o exemplo! Faça e deixe a criança assistindo. Mostre os objetos, os movimentos, vá descrevendo a atividade. Isso ajuda a criança a se sentir menos “ameaçada”.

Ter uma música ou uma história sobre a escovação (veja este exemplo com a contadora de histórias Carol Levy que canta sobre a escovação), a necessidade de escovar os dentes e processo de escovação. Use esses recursos enquanto escova os dentes e repita enquanto escovar os dentes da criança.

Outra forma lúdica de desmistificar a escovação é fazer a criança escovar os dentes de bonecos!

Outras estratégias:

– Explore as várias sensações relacionadas com a escovação. Use as mãos da criança para fazer pressão ao redor da boca, gengivas e dentes. Mastigar e comer alimentos de diferentes texturas também ajuda.

– Brinque com a criança fazendo caretas em frente ao espelho. Abrir a boca é fundamental para a escovação. Dica:  faça uma careta esfregando a língua sobre os dentes!!

– Permita que a criança escolha a cor e o tipo da escova (algumas podem ter as imagens de seus personagens favoritos), bem como o sabor do creme dental.

– Incentive a criança a provar o sabor de creme dental, colocando-o em seu dedo. Depois que a criança estiver acostumada com o sabor, coloque uma pequena quantidade na escova de dentes e incentive-o a colocar a escova na boca (ou quem sabe com o próprio dedo). A resposta mais comum é a criança sugar/mastigar as cerdas . Se a criança não mostra sinais de desconforto, avance e vá para a próxima fase, deixe-o esfregar e fazer movimentos com a escova dentro da boca.

– Conte enquanto você escova os dentes da criança, de modo que ela saiba quando a tarefa vai acabar. Da mesma forma escovação com músicas vai ajudar a criança a se lembrar se esqueceu de alguma parte da tarefa, por exemplo: se esqueceu de escovar os dentes inferiores. Isso também vai ajudar a lembrar a sequência da tarefa.

– Ensine o ato de cuspir e enxaguar a boca.

Recompense a criança para cada etapa concluída com êxito.

Para reduzir os problemas relacionados com a escova e a pasta:
Use escovas super macias. O fim cerdas deve ser arredondado. Escovas com cabos mais grossos permite que seu a criança pegue melhor. Também estão disponíveis escovas com cabeças inclinadas de modo que é mais fácil de atingir as partes mais profundas da boca.
Quanto ao creme dental, inicialmente utilize apenas uma quantidade do tamanho de ervilha, pois evita espuma excessiva na boca.

E por fim, crie uma rotina!! A criança vai cooperar melhor se a escovação é sempre feito em um tempo fixo e de uma forma especial. Crie uma rotina durante a escovação: comece sempre na mesma extremidade da boca e avance para o outro lado, os dentes inferiores primeiro seguido pelos dentes superiores.

LEMBRE-SE: isso é um processo!! Não queira que em 1 ou 2 dias o problema já esteja resolvido!