sábado, 14 de novembro de 2015

Bebê com duas cabeças nasce em Bangladesh

                           Bebê com duas cabeças nasce em Bangladesh


Médicos de Bangladesh estão cuidando de uma menina que nasceu com duas cabeças na quarta-feira (11) à noite.

Ela está recebendo tratamento por dificuldades respiratórias, depois de ser transferida para a unidade de terapia intensiva do maior hospital do país, em Dacca. “Quando eu vi minha filha, fiquei espantado.

Ela tem duas cabeças totalmente desenvolvidas. Ela está comendo com duas bocas e respirando com dois narizes”, disse o pai, Jamal Mia. “Ainda assim eu agradeço a Alá porque ela e a mãe estão bem agora”, completou. Abu Kawsar, proprietário do Standard Hospital of Total Healthcare, onde a menina nasceu em um parto por cesárea, afirmou que os exames iniciais apontam que ela tem apenas um conjunto de órgãos vitais.

“Com exceção de ter duas cabeças, a recém-nascida tem o restante dos órgãos e membros como um recém-nascido normal”, disse Kawsar. Milhares de pessoas seguiram para o hospital em Brahmanbaria, local do parto, depois que a notícia foi divulgada. Com a presença da multidão, os médicos optaram pela transferência para a capital. Uma criança também nasceu com duas cabeças em Bangladesh em 2008, mas não resistiu e faleceu pouco depois. 

Copy the BEST Traders and Make Money : http://bit.ly/fxzulu

Nova Odessa apresenta Aula Inaugural de Goalball.

Ontem a tarde (13/11) estive presente acompanhado com a minha esposa Sônia, o meu filho Renato prestigiando a Aula Inaugural de Goalball.



O Goalball foi introduzido em 1946 pelo austríaco Hans Lorenzen e pelo alemão Sepp Reindl, num esforço para ajudar a reabilitação de soldados derivados da II guerra mundial na qual perderam a sua visão. O jogo foi apresentado ao mundo em 1976 nas Olimpíadas de Toronto, no Canadá, passando, desde então, a pertencer aos Paralímpicos. Além disso, a cada quatro anos, um Campeonato Mundial é realizado com o primeiro tendo sido, na Áustria, em 1978. Desde os primeiros tempos, a popularidade de Goalball tem aumentado grandiosamente, na medida em que agora é jogado em mais de 100 países a nível mundial.



Foi uma ótima tarde onde aprendi mais sobre esse esporte, e conheci várias pessoas voltadas a essa modalidade esportiva como o Sr. Sérgio Gatto representante da Secretaria de Estado dos Direitos das Pessoas com Deficiência, e da coordenadora de goalball escolar, Beatriz Bonfim; da AIADV Escola de Cegos Santa Luzia de Itu, da equipe do Ceprevi de Itapetininga. Nova Odessa hoje conta com um representante que a Danielle Vilas Longhini, que tem 14 anos.


Estiveram presntes na aula inaugural as equipes de Itu, e Itapetininga.

Equipe de Itu

Equipe de Itapetininga


Hoje Nova Odessa está entre as 16 cidades que preticam essa modalidade esportiva.


Parabenizamos a Danielle representante de Nova Odessa pela sua dedicação onde desejamos sucesso e dizer que a APNEN sempre estará ao seu lado para lhe prestigiar e ajudar, ao Secretário de Esportes Nenê Réstio e toda a sua equipe, ao Técnico Vicente, pela iniciativa e participação...Parabéns a todos..

Fonte: APNEN Nova Odessa

CDH aprova prioridade para o lazer de pessoas com deficiência em áreas de praia

imagem_materia

Solicitações de utilização de áreas de praia para o desenvolvimento de projetos de acessibilidade para o uso de pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida podem passar a receber atendimento prioritário por parte das instituições públicas responsáveis. É o que estabelece substitutivo do senador Romário (PSB-RJ) a projeto de lei (PLS 4/2014) aprovado pela Comissão de Direitos Humanos e Participação Legislativa (CDH) nesta quarta-feira (11).
A prioridade para a análise, seja nas prefeituras ou, posteriormente, pela Secretária do Patrimônio da União (SPU) se aplicará a projetos promovidos por instituições públicas ou privadas sem fins lucrativos. Ainda pelo substitutivo, podem ser instalados nos espaços cedidos, por tempo determinado, módulos com fundações superficiais que cubram área de até 100m².
O projeto, que agora seguirá para a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), para decisão terminativa, é do senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES). O texto original propõe transferir aos municípios a disciplina do uso de praias para projetos de acessibilidade voltados às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.
Como as praias são bens da União, seu uso está sujeito também à autorização SPU. Ocorre que, segundo Ferraço, os processos administrativos relativos à autorização de uso são muito demorados. Seriam incompatíveis sobretudo com solicitações para desenvolvimento de projetos de cunho temporário.
Ferraço citou como exemplo bem-sucedido projeto desenvolvido no Município de Vila Velha, no Espírito Santo, em temporada de verão. No caso, o público com deficiência e redução de mobilidade contou com toda a infraestrutura para desfrutar de uma temporada com banho de mar, atividades de lazer e prática esportiva assistida, em área de praia caracterizada pelo mar calmo e por poucas ondas.
Substitutivo
Romário salienta que, em sua essência, concorda com a avaliação do autor de que a demora da SPU em finalizar os processos de permissão de uso das praias pode inviabilizar projetos dessa natureza, uma vez que um de seus componentes principais é a “janela de oportunidade” para a instalação da estrutura necessária ao atendimento do público, consistente no verão e outono.
Observou, contudo, que havia um problema de juridicidade no projeto, uma vez que não cumpre a exigência de inovar o ordenamento jurídico. Segundo ele, a Lei 9.636, de 1998, que trata da gestão e alienação dos bens imóveis da União, já prevê a competência de estados e municípios para autorizar a permissão de uso de áreas específicas sob o domínio dessa esfera federativa.
Ainda avalia que, embora indesejável, a eventual demora do procedimento administrativo perante a SPU não justifica a supressão, por meio da lei proposta, da competência da União para avaliar se estão sendo observados os requisitos de utilização das praias por outras pessoas, ainda que por “motivos nobres”.
Para solucionar a questão, Romário optou pela apresentação do substitutivo, acrescentando à Lei 9.636/1998 a exigência de atendimento prioritário dos requerimentos de utilização de áreas de praia relacionados ao desenvolvimento de projetos de acessibilidade.
Fontes: Agência Senado - pessoascomdeficiencia.com.br

Casal com Síndrome de Down explica como está junto há mais de uma década

Roberto Justus recebeu os convidados Ariel Goldenberg e Rita Pokk
Um dos casais que mais provam que o verdadeiro amor supera qualquer dificuldade é Rita Pokk e Ariel Goldenberg. Casados há 11 anos, os dois possuem Síndrome de Down.
sidrome de down
O casal contou que começou o relacionamento após se conhecerem em uma festa no restaurante da mãe de Rita. Os dois trocaram olhares, e se aproximaram depois de dedicarem músicas românticas um para o outro.
2
A história, que começou em 2000, foi totalmente formalizada após os dois se casarem em uma linda cerimônia.
3
Roberto Justus perguntou se Ariel é carinhoso, e o rapaz, sem jeito acabou dizendo que adora paparicar Rita.
— Sou romântico, eu levo café da manhã na cama, levo um cafezinho, compro buquê de flores.
4
E Rita não deixou de confirmar todo esse romantismo do marido, afirmando que eles são muito apegados e estão sempre passeando juntos.
5
Atualmente, o casal mora com a mãe de Ariel e uma amiga do prédio.
6
Assim como todo casal, os dois possuem algumas discussões, mas ambos afirmam que são apenas por situações bobas.
8
O segredo por trás de um relacionamento tão longo e sem brigas? Rita não titubeia ao dar a resposta.
— A gente não briga porque nos amamos.

Isenções na compra de carros 0 km

por: cadeiranteslife



Depois de receber um folheto sobre isenção de impostos na compra de carro 0 km resolvi fazer um post a respeito deste assunto porque as experiências falam mais alto do que a teoria. Isso porque minha mãe, que recebeu o folheto e me deu, fez o comentário: - Se é por isso me encaixo em varias situações...
Realmente, a lista de deficiências e doenças que aparecem no folheto são muitas vezes parte da vida das pessoas e elas não sabem que têm este direito ou ás vezes acham que o tem e não conseguem o benefício. Isso acontece por dois principais motivos:

1.Caso a pessoa tenha uma artrite reumatoide, artrose ou qualquer outra doença que possa gerar uma dificuldade de locomoção, diminuição de força ou de movimentos que são essenciais para levar uma vida normal, ela realmente é considerada uma pessoa com deficiência; mas se o caso não limita a vida desta pessoa ela não é considerada Pessoa com Deficiência;

O DECRETO Nº 5.296 DE 2 DE DEZEMBRO DE 2004. 
Fala sobre o que é considerado uma deficiência:

I - deficiência física - alteração completa ou parcial de um ou mais segmentos do corpo humano, acarretando o comprometimento da função física, apresentando-se sob a forma de paraplegia, paraparesia, monoplegia, monoparesia, tetraplegia, tetraparesia, triplegia, triparesia, hemiplegia, hemiparesia, ostomia, amputação ou ausência de membro, paralisia cerebral, nanismo, membros com deformidade congênita ou adquirida, exceto as deformidades estéticas e as que não produzam dificuldades para o desempenho de funções;

III - deficiência visual - cegueira, na qual a acuidade visual é igual ou menor que 0,05 no melhor olho, com a melhor correção óptica; a baixa visão, que significa acuidade visual entre 0,3 e 0,05 no melhor olho, com a melhor correção óptica; os casos nos quais a somatória da medida do campo visual em ambos os olhos for igual ou menor que 60o; ou a ocorrência simultânea de quaisquer das condições anteriores;

IV - deficiência mental – funcionamento intelectual significativamente inferior à média, com manifestação antes dos dezoito anos e limitações associadas a duas ou mais áreas de habilidades adaptativas.
Assim, mesmo a minha própria mãe que tem artrite e artrose e, além disso, tem problemas de coluna, estas alterações não comprometem a função física dela e não geram maiores dificuldades no desempenho de suas funções diárias, e por isso ela  não teria direito às isenções.

2. Além de a pessoa ter de apresentar uma das características acima, ou de uma das da lista abaixo, a pessoa terá de fazer seu exame médico de rotina na renovação da carteira de motorista ou na requisição de uma para quem começará a dirigir, ela não pode ser aprovada no exame e deverá passar por uma junta médica do Detran que dirá se ela realmente te direito á isenção e até mesmo a possuir ou não uma habilitação.
Aqui é que mora a maior dor de cabeça! Isso porque o exame é feito de forma muito superficial, somente com laudos de médicos do SUS e exames, assim o resultado pode depender muito da boa vontade desta junta médica. Conheço histórias de pessoas com deficiência que tiveram seu direito de dirigir negado por uma junta e permitido por outra; Pessoas com próteses de fêmur e mobilidade reduzida com isenção negada e assim por diante. Portanto, se você tem alguma das características que se enquadrem nos casos aqui citados, podem e devem buscar seus direitos, mas com a ciência de que o caminho pode ser cheio de obstáculos...
Existe uma questão que seria assunto para um único post: DEFICIENCIA AUDITIVA! Sim, as pessoas com deficiência auditiva não aparecem na lei que contempla a isenção de impostos na compra de carro, mas isto já está sendo mudado, hoje as pessoas que tem entrado com ações judiciais têm ganhado este direito! É triste que tenha que ser assim, mas somente lutando é que conseguiremos que haja uma mudança na sociedade.

Segue a lista de quem tem direito à isenção de impostos que está no folheto da concessionária que recebi:

  • Amputações
  • Artrite reumatoide
  • Artrose
  • AVC
  • AVE (Acidente Vascular Enfático)
  • Autismo
  • Alguns tipos de câncer
  • Doenças degenerativas
  • Deficiência visual
  • Deficiência mental (severa ou profunda)
  • Doenças neurológicas
  • Encurtamento de membros ou más formações
  • Esclerose múltipla
  • Escoliose acentuada
  • LER (lesão por esforço repetitivo)
  • Linfomas
  • Lesões com sequelas físicas
  • Manguito rotator
  • Mastectomia (retirada da mama)
  • Nanismo (baixa estatura)
  • Neuropatias diabéticas
  • Paralisia
  • Paraplegia
  • Mal de Parkinson
  • Poliomielite
  • Próteses internas e externas: joelho, quadril, coluna etc.
  • Problemas na coluna
  • Quadrantomia (relacionada a câncer de mama)
  • Insuficiência renal crônica com uso de fístula
  • Síndrome de túnel do carpo
  • Talidomida
  • Tendinite crônica
  • Tetraparesia
  • Tetraplegia.

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Verão chegando e o Programa Praia Acessível bombando



O verão está próximo e, com ele, uma boa pedida é praia e mar. Refresque-se nas ondas do Programa Praia Acessível. Veja abaixo a lista dos municípios que já aderiram e contam com a estrutura oferecida pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, do Governo do Estado de São Paulo.
Escolha a sua praia e divirta-se:

Bertioga
Gestor: Itamara
Tel: (13) 3317-4239  (13)  3317-4257  (13)  3319-8000  (13)  3317-4033
E-mail: prof.augusto@velaecia.com.br

Cananéia

Gestor: Roney Cesar Pontes
Tel: (13) 3851-3205
E-mail: convenios@cananeia.sp.gov.br

Caraguatatuba
Gestor: Felipe Leite
Tel: (12) 3897-7023 (12) 9-8107-1250
E-mail: felipe_goldinho@hotmail.com

Guarujá

Gestor: Moíses Fabrício
Tel: (13) 3386-2340 (13) 9-7404-5213
E-mail: moisesfafisio@msn.com

Ilhabela
Gestor: Beatriz Bello
Tel: (12) 9-9714-3830    (12) 3896-5330
E-mail: diretoria.esportes@ilhabela.sp.gov.br

Itanhaém

Gestor: Edson dos Santos
Tel: (13) 3426-2344
E-mail: edsonsantospcd@gmail.com

Mongaguá

Gestor: Arnaldo
Tel: (13) 3507-4724
E-mail: social@mongagua.sp.gov.br

Peruíbe

Gestor: Polliana de Paula Ribeiro
Tel: (13) 3451-1025
E-mail: polliana.gpam@gmail.com

Gestor: Edna Edite de Santana
Tel: (13) 3451-1025
E-mail: Edna.plan@gmail.com

Gestor: Andréia Alves

Tel: (13) 3455-2071
E-mail: andreiaalvesperuibe@hotmail.com

Praia Grande

Gestor: Rui Lemos Smith
Tel: (13) 3473-2281
E-mail: ruilemossmith@hotmail.com

Santos

Gestor: Eduardo Ravacini
Tel: (13) 3202-1911 (13) 9-9108-7002
E-mail: codep@santos.sp.gov.br

São Sebastião

Gestor: Auréo Antônio
Tel: (12) 3862-1785 (12) 9-9779-2702
E-mail: professoraureofutebol@yahoo.com.br

São Vicente
Gestor: Alexandre Morais Rodrigues
Tel: (13) 3569-1409
E-mail: turismo@saovicente.sp.gov.br

Ricardo Fernandes

Tel: (13) 9-8844-9198
E-mail: educacaoricardo@gmail.com

Ubatuba
Gestor: Gerson Perez Campos
Tel: (12) 3833-9007
E-mail: gersonturismo.gmail.com

Saiba mais sobre o Programa Praia Acessível:
http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/ultimas-noticias/programa-praia-acessivelverao-para-todos-no-estado-de-sao-paulo

Salão na Itália ensina mulheres cegas a cuidar da própria beleza sozinhas

Um salão de cabeleireiros em Milão, a capital da moda italiana, oferece cursos de beleza para mulheres cegas que querem cuidar da própria aparência sozinhas.


A ideia nasceu da amizade entre a proprietária do centro de beleza, Tiziana Ghislotti, com uma deficiente visual.

"Um dia eu estava na academia de ginástica secando meus cabelos e a Tiziana se aproximou oferecendo ajuda para enxugá-los. A princípio fiquei um pouco ofendida, porque apesar de ser cega, posso usar o secador sozinha. Mas logo depois, a sua naturalidade e simpatia me conquistaram", conta à BBC Brasil Florinda, de 34 anos, funcionária de uma Consultoria de Recursos Humanos.

Meses depois, enquanto dava conselhos à amiga sobre como escovar os cabelos em casa, Tiziana percebeu que poderia ser útil a outras deficientes visuais. 

A partir daí, ela elaborou os cursos gratuitos realizados no próprio salão, duas vezes ao mês, depois do expediente.

"Não é um trabalho fácil, é um desafio para mim e para as minhas assistentes. Até conhecê-las, a gente não fazia ideia das inúmeras dificuldades que as pessoas cegas enfrentam cotidianamente para realizar até mesmo os gestos mais simples.Mas no final, quem ganha somos nós, que passamos a conhecer uma realidade diferente", afirma Tiziana, que é proprietária de um dos salões de beleza mais movimentados da cidade.

Durante os encontros, que duram cerca de três horas, cada assistente se dedica a duas alunas. 

'As instruções para penteados e maquiagens são personalizadas, com base no tipo de cabelo e de pele, biotipo, estilo de vida e, naturalmente, gosto pessoal". 

Elas se cuidam muito, querem se informar sobre os produtos, sobre a moda. São mulheres que trabalham, são dinâmicas e esportivas. É importante que elas tenham em quem confiar, afirma Tiziana, que tem 40 anos de profissão.

A aparência conta

Para Florinda, que perdeu a visão aos 20 anos por causa de uma doença degenerativa, é importante manter um bom aspecto.

"Sei que todos me olham porque sou diferente, porque caminho com uma bengala branca. E já que sou constantemente alvo de atenção, quero que me vejam não apenas como deficiente, mas como alguém de boa aparência. Afinal, vivo em mundo de pessoas que enxergam."

Ela afirma que estar bem penteada e com as mãos cuidadas a fazem sentir-se bem. 

"No curso aprendi um segredo precioso para enxugar os cabelos com o secador sem que eles se armem. E funciona realmente. As sugestões que nos dão são muito válidas. Agora, quando chego ao escritório, os colegas notam e elogiam cada pequena diferença no meu visual."

Florinda passou a praticar esportes depois de perder a visão. Ela e o marido, com quem é casada há 9 anos e que também é cego, participaram da Paraolimpíada de Londres, em 2012. Ele, como campeão de beisebol, ela de canoagem. Recentemente, Florinda aprendeu a esquiar.

"Sou muito esportiva e não abro mão do que posso fazer com
autonomia para ficar mais bonita, como pentear-me e vestir-me bem. E apesar de ter um pouco de dificuldade em me maquiar, uso um pouco de base, rímel e um brilho nos lábios."

Confiança

Também para Giovanna Gossi, de 49 anos e cega desde a infância por causa de um glaucoma congênito, a aparência conta e muito.  

"Para quem não pode se ver no espelho, a preocupação com o próprio aspecto é ainda maior. Não vejo meu rosto e, portanto, tenho que confiar nas pessoas ", diz a telefonista de um instituto financeiro.

No curso, além de técnicas específicas para escovar ou amarrar
cabelos finos, ela recebeu sugestões de maquiagem e conselhos para substituir alguns cosméticos por produtos mais fáceis de serem utilizados, como trocar a base líquida pelo pó compacto.

"Nas aulas, desenvolvemos um método que agradou a todas. Basta passar o pincel no estojo de pó três vezes e iniciar a aplicação abaixo das bochechas, de dentro para fora, duas vezes em cada lado do rosto, depois espalhar pela testa, descer passando pelo nariz até o queixo, sem deixar nenhuma parte de fora, e esfumaçá-lo no início do pescoço", ensina.

Combinando cores

Também em Milão, Giovanna e outras deficientes visuais fizeram um curso com uma personal shopper de quem receberam dicas de como comprar roupas adequadas a cada fisionomia e estilo, além de aulas de postura e lições sobre como caminhar de salto alto. 

"É claro que quando você corre para pegar o 'tram' (espécie de bonde sobre trilhos, comum em Milão), vai tudo por água abaixo", brinca.

Exigente e atenta às novidades da moda, Giovanna recorre a uma amiga na hora de ir àscompras e combinar cores. 

"Não posso usar somente preto e branco porque são cores que, juntas, ficam sempre bem. Há muitos outros tons que podem ser misturados".

E embora o namorado não seja deficiente visual, Giovanna diz não confiar no seu gosto.

"Jamais vou sair para comprar roupas com ele. Porque qualquer coisa que eu vista, até uma camisa de homem, o comentário dele é sempre o mesmo. 'Belíssima!' ".



Estreia de Espetáculo Com Atores Especiais Emociona Público Em São Paulo

Cia Teatral Olhos de Dentro
Estreou no último dia 07 de novembro no Teatro Ruth Escobar, em São Paulo, a peça SuperAtos. O espetáculo é realizado por pessoas especiais Síndrome de Down, cadeirantes, cegos, deficiências múltiplas, Síndrome do X Frágil e pessoas sem deficiências, todas que, por meio da arte cênica, superam seus limites. O ponto central que caracteriza este Projeto como uma Inclusão Social, unindo no mesmo palco pessoas com e sem deficiências, é a treze anos o foco principal da Cia Teatral Olhos de Dentro – Um Exercício de Inclusão.

Adaptado e dirigido pela pedagoga e atriz Nina Mancin, SuperAtos “foi inspirado por cenas marcantes de filmes de superação do cinema, muitos baseados em fatos reais, as cenas são conduzidas pela música tema do filme, o espetáculo conta também com música composta cantada e tocada pelos alunos ao vivo”, relata ela que a treze anos está a frente do Projeto.
Nos próximos três sábados há apresentação de SuperAtos, tenho no elenco, Bia Laranja, Bruna Menezes, Carol Vieira, Daniel Lazaro, Fernando Gobbo, Gabriel Pereira, Geraldo Ferreira, Giulia Merigo, Glaucia Del Valle, Lu Felipe, Luciano Joaquim, Luiz D’Alberto, Marcelo Evans, Naty Cerd, Naya Andrade, Ney Francisco, Paloma Trindade, Paulo Bertocco, Rafael Pereira, Serginho Da Matta, Tamy Soares, Uryel Del Valle e Verônica Trindade.
Equipe de apoio: Carol Caldeirão, Claudia Bertocco, Célia Regina e Eliana Andrade. Design Gráfico: Fabio Cunha. Trilha sonora e música: Serginho Da Matta.
Cia Teatral Olhos de Dentro
Com treze anos de caminhada, a Cia Teatral Olhos de Dentro – Um Exercício de Inclusão promove a formação teatral para cidadãos com deficiência física, visual, síndrome de down, autismo, dentre outras, mesclando com pessoas sem nenhuma dessas características, atendendo crianças, adolescentes e adultos com objetivo de integrá-los na área de artes cênicas, promovendo e estimulando a convivência no meio teatral e na vida.
“Mais de 250 pessoas que já passaram pela Cia, temos muitos relatos de casos que melhoraram sua autoestima e, consequentemente, a sua convivência e comunicação na escola e na vida como um todo pelos benefícios do fazer artístico. O ponto central que caracteriza este Projeto como uma Inclusão Social, é mesclar junto a elas pessoas sem nenhuma dessas deficiências, parceiros de aulas e de palco”, relata a diretora Nina Mancin.
Além das oficinas, o projeto conta com montagens de espetáculos teatrais com a participação de todos os alunos e apresentações públicas no Teatro Ruth Escobar, tendo em seu histórico os espetáculos teatrais: 2002, Retalhos”; 2003, “Linhas Cruzadas”; 2004, “Os velhos”; 2005, “Um Lugar qualquer”; 2006, “O Girassol”; 2007, “Ensaio Sobre a Vida”; 2008/9,“Shakespeare aos Pedaços”; 2010, “Shakespeare Eterno”; 2012, “Tudo Junto e Misturado”; 2013, “Cidade Cheia de Graça”; 2014 “CinemAção”.
Mais informações no blog da Cia: http://www.ciaolhosdedentro.net
SERVIÇO
Espetáculo: SuperAtos
Adaptação e Direção: Nina Mancin
Cia Teatral Olhos de Dentro – Um Exercício de Inclusão
De 07 a 28 de Novembro às 19:30h
Teatro Ruth Escobar – Sala Miriam Muniz
Rua dos Ingleses, 209 -Bela Vista – SP
tel: (11) 3289-2358
Ingresso: 10,00

Brasil fatura disputa por equipes na abertura do evento-teste da bocha para os Jogos Paralímpicos do Rio-2016

12/11/2015 - Rio de Janeiro, RJ, Aquece Rio Evento Teste - Riocentro -  - Bocha ©Daniel Zappe/MPIX/CPB
12/11/2015 – Rio de Janeiro, RJ, Aquece Rio Evento Teste – Riocentro – – Bocha ©Daniel Zappe/MPIX/CPB

As competições do evento-teste de bocha para os Jogos Paralímpicos do Rio-2016 começaram nesta quinta-feira, 12, no Pavilhão 4 do Riocentro. O Brasil começou bem, com a conquista do primeiro lugar por equipes, classes BC1/BC2.
Composta pelos atletas Lucas Araújo, Luiz Carlos Rodrigues, Maciel Santos e José Carlos Oliveira, a equipe brasileira fechou o dia com 100% de aproveitamento. A primeira vitória foi contra Portugal (7×4). Depois, foi a vez de o Brasil bater a Rússia (13×1). Por fim, o último jogo ocorreu contra a Grã-Bretanha (5×4).
Maciel Santos é o mais experiente jogador de bocha do Brasil e é capitão da equipe. O atleta, que nasceu com paralisia cerebral, já representava o país em competições internacionais com 14 anos de idade. Atual primeiro do ranking do mundo e medalhista paralímpico na classe BC2, ele já sentiu um gostinho de atuar em casa na principal competição esportiva da modalidade. “Quando eu entrei e vi a estrutura aqui do Rio de Janeiro, lembrei muito de Londres-2012. É a mesma coisa, só que em casa. Já me imaginei nos Jogos Paralímpicos e aqui dentro do Brasil não vai ter para ninguém”, disse.
Nesta sexta-feira, 12, as provas serão individuais e em caráter classificatório. No sábado, ocorrerão as finais.
Confira os resultados dos jogos por equipe:
Grã-Bretanha 9 x 2 Rússia
Grã-Bretanha 7 x 3 Portugal
Portugal 6 x 4 Rússia
Brasil 7 x 4 Portugal
Brasil 13 x 1 Rússia
Portugal 6 x 4 Rússia
Brasil 5 x 4 Grã-Bretanha

Porto Alegre (RS) recebe neste sábado, 14, o Grand Prix INFRAERO de Judô; Competição representa volta da Seleção Brasileira aos tatames

Lúcia Araújo, medalha de prata nos Jogos Paralímpicos de Londres-2012, é presença confirmada na competição
A medalhista paralímpica de prata em Londres-2012, Lúcia Araújo, estará presente no evento

A capital Porto Alegre (RS) será sede de um dos maiores eventos do judô do país. A cidade vai receber no ginásio do Grêmio Náutico União cerca de 170 judocas de todo o Brasil para a disputa do Grand Prix INFRAERO da modalidade, neste sábado, 14, a partir das 8h30. A competição marca também o retorno dos atletas da Seleção Brasileira aos tatames depois da disputa dos Jogos Parapan-Americanos de Toronto, quando os atletas conquistaram sete medalhas.
A etapa, que encerra o calendário anual de competições da modalidade, terá lutas de bom nível, principalmente pela proximidade dos Jogos Paralímpicos do Rio-2016. O Brasil tem 13 vagas garantidas para o maior evento paradesportivo do mundo, mas muitos atletas ainda brigam por um lugar entre os selecionados. A comissão técnica brasileira estará atenta e acompanhando o desempenho dos judocas.
A última etapa do Grand Prix INFRAERO será realizada com disputas nas categorias adulto e iniciante, ambas no masculino e feminino, com judocas de 41 associações. O início das lutas no iniciante será às 9h, enquanto no adulto, às 10h30, com as finais previstas para às 15h30.
O retrospecto brasileiro no ano
Nas principais competições internacionais, o judô brasileiro fez bonito. Na disputa dos Jogos Mundiais da IBSA, em maio, na Coreia do Sul, foram quatro medalhas nas disputas individuais e duas por equipes. Lúcia Araújo, Alana Maldonado, Deanne Almeida e Wilians Araújo conquistaram bronze, enquanto o time masculino ficou com a prata e, o feminino, com o terceiro lugar.
Três meses se passaram e a Seleção Brasileira desembarcou em Toronto, no Canadá, para os Jogos Parapan-Americanos. A competição mais importante do ano rendeu ao Brasil sete medalhas, sendo duas de ouro, com Abner Oliveira e Michele Ferreira. Wilians Araújo e Alana Maldonado mais uma vez fizeram bonito e subiram no segundo degrau mais alto do pódio para receberem a prata. A bagagem brasileira ficou mais pesada com outras três medalhas de bronze, conquistadas por Harlley Arruda, Arthur Silva e pela lenda do judô mundial, Antônio Tenório, tetracampeão paralímpico.
O Grand Prix é uma realização da CBDV (Confederação Brasileira de Desportos para Deficientes Visuais), com patrocínio da INFRAERO e do Ministério do Esporte, e apoio da Federação Gaúcha de Judô, da Associação de Cegos do Rio Grande do Sul (ACERGS) e do Grêmio Náutico União.
Serviço
Grand Prix de Judô
Data: 14 de novembro de 2015
Horário: a partir das 8h30
Local: Grêmio Náutico União
Endereço: Grêmio Náutico União – Rua Quintino Bocaiuva, 500 – Moinhos de Vento – Porto Alegre/RS
Com informações da Confederação Brasileira de Desportos para Deficientes Visuais (CBDV).