sábado, 15 de outubro de 2016

Preso na BA suspeito de engravidar sobrinha com paralisia cerebral no ES

No final de 2011, quando foi descoberta a gravidez, o pai foi o principal suspeito. Mas um exame de DNA, feito com material genético do feto e de filhos do suspeito, descartou a hipótese

TV Vitória Redação Folha Vitória


Não houve resistência do suspeito por conta da tática Foto: TV Vitória

Depois de quase quatro anos foragido, um capixaba foi preso suspeito de estuprar e engravidar a própria sobrinha, que tem paralisia cerebral. O suspeito, de 43 anos, foi preso por policiais do Grupo de Operações Táticas, na Bahia.

“Tinha uma certa dificuldade porque o elemento se deslocava muito. O cidadão tem um deslocamento diário. Nós ficamos quase 48 horas para localizá-lo. Teve um feriado na semana, o que prejudicou um pouco uma melhor localização. No momento da abordagem, ele se deslocou para outro município, o que trouxe mais transtorno. Na estrada localizamos o veículo e, posteriormente, escolhemos um ponto mais seguro, onde foi feito a abordagem”, conta o delegado Fabrício Dutra.

Ainda de acordo com o delegado, não houve resistência do suspeito.

A jovem tinha 19 anos quando sofreu os abusos do tio. Na época, o caso foi investigado pela Delegacia Especializada da Mulher da Serra.

“Trata-se de um estupro de uma vítima vulnerável, maior de idade, mas portadora de necessidades físicas que, em estado acamado permanente, ficava aos cuidados do pai. A mãe, em uma visita, percebeu que o ventre da filha estava muito avolumado e que ela não se sentia bem, demonstrava um incomodo. Quando ela levou ao médico, foi uma surpresa porque a vítima estava grávida”, explicou a delegada Susane Parente Ferreira.

No final de 2011, quando foi descoberta a gravidez da jovem, o pai foi o principal suspeito. Mas um exame de DNA, feito com material genético do feto e de filhos do suspeito, descartou a hipótese. A partir daí, a polícia descobriu que quem cometia os abusos era o tio da vítima, que ficou foragido por quatro anos.

“A primeira suspeita recaiu sobre o pai ou irmão. Só que um tio tinha passado um período com a família procurando um emprego. Sabendo da gravidez, ele fugiu. Feita a coleta de declarações de todas as pessoas que conheciam essa família, solicitadas as perícias de DNA com todos que tinham contato com a vítima, foi constatado que o tio era autor desse estupro”, afirmou a delegada.

Segundo Ferreira, mesmo com o exame de DNA com o resultado positivo e a decisão da Justiça, o suspeito nega ter cometido abuso.

A Polícia Civil informou que a jovem teve uma gravidez de risco. Ela não chegou a completar os nove meses de gestação e precisou passar por um parto de urgência, mas o feto nasceu morto.

Obama aperta mão mecânica de tetraplégico que colocou chip no cérebro para sentir toque

Copeland, que perdeu a capacidade de mexer o corpo, e o tato, do peito para baixo após um grave acidente de trânsito há mais de uma década, se surpreendeu com os resultados.



Em um novo avanço na saga científico-tecnológica para criar próteses que devolvam a pessoas amputadas ou paralisadas os movimentos e sensações dos membros de forma mais precisa e natural possível, cientistas da Universidade de Pittsburgh, EUA, conseguiram fazer pela primeira vez que um homem tetraplégico sentisse quando partes da mão de um braço robótico controlado por ele por meio de uma interface cérebro-máquina eram tocadas. O cobaia do experimento, Nathan Copeland, de 28 anos, pode sentir o toque do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Posso sentir quase todos os dedos, o que é uma sensação realmente muito estranha — comentou Copeland, que usou o braço-robô para apertar a mão do presidente Obama, durante visita à universidade. — Às vezes é como um choque e outras como uma pressão, mas na maior parte das vezes posso sentir os dedos com precisão. É como se meus dedos estivessem sendo tocados ou empurrados.

Copeland é mais um da série de voluntários das pesquisas feitas na instituição americana, similares às realizadas pelo brasileiro Miguel Nicolelis na Universidade Duke, também nos EUA, e outros grupos ao redor do mundo. Na abertura da Copa do Mundo de 2014, Nicolelis demonstrou um exoesqueleto controlado pelo cérebro de um paraplégico que permitiu que ele desse o pontapé simbólico oficial de início da competição à beira do gramado do estádio do Itaquerão.

Mas à diferença do exoesqueleto de Nicolelis, que usou uma espécie de touca para “ler” os pensamentos do paraplégico através de seu crânio, numa interface conhecida como “não invasiva”, Copeland teve quatro redes de eletrodos implantadas diretamente na superfície do cérebro numa cirurgia, num tipo de interface “invasiva”. Duas destas redes, colocadas na região associada ao controle motor no órgão, permitem que ele movimente o braço robótico “lendo” seus pensamentos, enquanto as outras duas foram instaladas sobre área do cérebro ligada ao sistema somato-sensório, fornecendo o retorno (feedback) do toque ao estimular eletricamente grupos de neurônios que foram relacionados ao tato de partes de uma de suas mãos por exames de ressonância magnética e magnetoencefalografia.

O resultado mais importante deste estudo é que a microestimulação do córtex sensorial pode suscitar uma sensação natural no lugar de um formigamento — resume Andrew B. Schwartz, professor de neurobiologia da Escola de Medicina da Universidade de Pittsburgh e um dos coautores de artigo sobre o experimento, publicado ontem na revista científica “Science Translational Medicine”. — Esta estimulação é segura, e as sensações evocadas permaneceram estáveis ao longo de meses. Mas ainda precisamos fazer muitas pesquisas para entender melhor os padrões de estimulação necessários para ajudar os pacientes a realizarem movimentos melhores.

  

Anteriormente, os cientistas da Universidade de Pittsburgh já tinham demonstrado outros importantes avanços na construção e operação de interfaces cérebro-máquina. Há cerca de quatro anos, Jennifer Collinger, também pesquisadora da instituição e coautora do experimento com Copeland, liderou grupo que permitiu à americana Jan Scheuermann, tetraplégica desde 2003 devido a uma rara doença neurodegenerativa, encantar o mundo com um vídeo no qual controlava um braço robótico, agarrando e movendo objetos em várias direções, usando apenas a força do pensamento. Dois anos depois, Jennifer e seu grupo apresentaram melhorias no desenho do equipamento, assim como nos programas de computador envolvidos na interpretação dos sinais cerebrais recebidos e na sua calibragem, que ampliaram ainda mais o repertório de movimentos que Jan é capaz de fazer com o braço-robô.

Mais que só pensar em ativar músculos

Mas a maneira natural como movimentamos nossos braços e interagimos com nosso ambiente vai além de só pensar em ativar os músculos certos. Para identificar a textura e rigidez de um objeto, e assim saber se podemos pegá-lo com mais força ou delicadeza, por exemplo, dependemos também do tato e suas informações constantemente repassadas para o cérebro. E é por isso que os cientistas estão se esforçando para incluir a sensação nas próteses do futuro. No momento, Copeland pode sentir se os dedos do braço robótico estão sendo pressionados e distinguir a intensidade desta pressão de certa forma, mas não consegue sentir, por exemplo, se algo está frio ou quente.

Nosso objetivo último é criar um sistema que se mova e sinta como um braço natural — conclui Robert Gaunt, outro pesquisador da universidade americana e líder do novo experimento. — Ainda temos um longo caminho para chegar lá, mas este é um grande começo.

Fontes: Jornal O Globo - tetraplegicos.blogspot.com.br

Em Portugual Governo prepara vasto pacote" de medidas para pessoas com deficiência

O ministro do Trabalho anunciou esta sexta-feira, dia 7/10 que o Governo está a trabalhar num "vasto pacote" de medidas para as pessoas com deficiência, desde medidas já anunciadas, como os projetos de vida independente, a alterações ao Código Civil ou o estacionamento na via pública.


Na sequência da interpelação feita pelo Bloco de Esquerda sobre "Políticas para a Deficiência", na reunião plenária, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social aproveitou para lembrar as medidas que tem vindo a por em prática nesta matéria.

Por outro lado, Vieira da Silva adiantou que o Governo está a trabalhar "num vasto pacote integrado de novas iniciativas" para as pessoas com deficiência, com vista, entre outros, a melhorar a proteção social, as condições de vida e a participação ativa destas pessoas.

Nessa matéria, o ministro relembrou a intenção do Governo em avançar com a criação de uma prestação única para as pessoas com deficiência, assumindo que até ao final do ano serão apresentadas as propostas e as reformas legislativas necessárias para a renovação da proteção social.

Para Vieira da Silva, esta prestação tem como objetivo "agregar as principais prestações pecuniárias" e terá uma componente de base, componentes de compensação de encargos específicos e uma componente de combate à pobreza.

"Visando a erradicação da pobreza nas pessoas com deficiência, mas também a valorização da sua inserção no mercado de trabalho", explicou Vieira da Silva.

No que diz respeito aos Modelos de Apoio à Vida Independente, Vieira da Silva disse que o Governo vai "criar e regulamentar um modelo inovador e abrangente", de base comunitária, com recurso à figura da assistência pessoal e que permita que as pessoas com deficiência possam sair das instituições e possam viver em família.

"Ainda no que respeita à proteção social e aumento de rendimentos, estamos a trabalhar para que as pessoas com deficiência com rendimentos de trabalho tenham direito a um maior abatimento fiscal, como forma de incentivar a sua participação laboral", anunciou.

Por outro lado, adiantou que foi criado um grupo de trabalho para a definição do estatuto do cuidador informal que incluirá também a figura do cuidador de pessoas com deficiência ou incapacidade.

Ao nível do plano da promoção de cidadania, Vieira da Silva adiantou que vai ser feita uma revisão ao Código Civil com vista à capacitação legal das pessoas com deficiência, bem como a revisão da legislação em matéria de estacionamento na via pública.

O Governo está também a preparar o acesso das pessoas surdas ao número de emergência 112, tendo o ministro revelado igualmente que está a ultimar a criação de um conselho consultivo para a deficiência que potencie a participação da sociedade civil na conceção e avaliaçãp das políticas públicas.

No global, estas medidas fazem parte da Agenda para a Inclusão das Pessoas com Deficiência, que irá substituir a Estratégia Nacional para a Deficiência, que terminou em 2013.
BE exige prestação única para tirar cidadãos com deficiência da “pobreza extrema”

O deputado do BE Jorge Falcato questionou esta sexta-feira se em 2017 as pessoas com deficiência terão assegurado "um rendimento digno" através da prestação única que assegure que aqueles cidadãos saiam "da situação de pobreza extrema em que se encontram".

"Todas as pessoas com deficiência vão ter assegurado um rendimento digno a partir de janeiro de 2017? A prestação única vai mesmo assegurar que todas as pessoas com deficiência saiam da situação de pobreza extrema em que se encontram?", questionou Jorge Falcato na abertura de um debate de interpelação ao Governo convocado pelo Bloco de Esquerda sobre "políticas para a deficiência".

Jorge Falcato tornou-se esta sexta-feira, dia 7/10 a primeira pessoa com deficiência em cadeira de rodas a usar o púlpito do Parlamento, embora uma das plataformas não tenha funcionado devidamente e o deputado tenha caído, sendo assistido por funcionários e pelo líder parlamentar do BE.

Nesta intervenção a partir do púlpito, o deputado bloquista sublinhou que a "implementação da vida independente" é "fundamental para a emancipação das pessoas com deficiência e um contributo importante para se iniciar uma verdadeira política de desinstitucionalização".

"O primeiro passo foi dado com a inscrição no Orçamento do Estado, por proposta do BE, do lançamento, ainda este ano, de projetos-piloto de vida independente", afirmou.

Esses projetos-piloto, declarou, terão de passar por "pagamentos diretos à pessoa com deficiência, direito de escolha da assistência pessoal pelo utilizador" e por assegurar o número de horas de assistência pessoal necessárias a todas as atividades da vida diária".

"O que queremos saber é se estes princípios serão assegurados e quando vão abrir as candidaturas para a implementação destes projetos. Queremos saber quando é que as pessoas com deficiência têm hipótese de mandar nas suas próprias vidas", reclamou.

Jorge Falcato defendeu ainda que "o sistema de atribuição de produtos de apoio continua um calvário burocrático sem resposta em tempo útil, onde ainda se continua a invocar a falta de verbas para recusar pedidos".

"A formação profissional inclusiva é ainda uma miragem. A educação inclusiva, onde se deveriam estar a construir as bases de uma verdadeira inclusão social, não está a cumprir essa função", exigiu.

O deputado bloquista sublinhou também que "a legislação sobre acessibilidade não está a ser respeitada, por incúria e desleixo dos responsáveis, mas também por falta de recursos disponíveis para tal".

Menina que nasceu sem olhos usa as cores para pintar ‘mundo particular’ - Veja o vídeo.

Criança de Sorocaba faz contas de matemática, lê e escreve em braile. Ana Luiza tem uma doença rara provocada por malformação na gestação.


             
Pintar as paredes do quarto e a cabeceira da cama de lilás foi um pedido da Ana Luiza, de 11 anos, de Sorocaba (SP). Ela explica que gosta da cor por conta de uma flor roxa. Aliás, as cores fazem parte da rotina da menina, que pinta tudo ao seu redor.
    deficiencia-visual
Quem observa a menina andando de bicicleta e brincando, atividades preferidas dela, não imagina que a Ana Luiza nunca enxergou. Ela nasceu sem os olhos devido a uma doença rara, a anoftalmia, causada por malformação ou infecção durante a gestação.
Os olhos verdes são graças a próteses estéticas. Mas, para a menina, a deficiência nunca foi obstáculo, pelo contrário, desde o seu nascimento os olhos da mãe têm sido a porta para o mundo. “Quando eu entrei naquela UTI e olhei ela com o olhinho fechado, eu falei ‘mas ela só está de olho fechado’. Essa foi minha visão, que ela só estava de olho fechado”, conta Larissa Fogaça, mãe da Ana Luiza. Desde então, a menina tem dado provas de que não é preciso enxergar para ver o que se passa ao redor.
  2
       Menina é dedicada aos estudos e motiva colegas (Foto: Reprodução/TV TEM)
Com as mãos ela faz contas de matemática, viaja pelo globo terrestre, aprende a conhecer as letras, lê e escreve em braile. O som a auxilia a seguir na direção correta com a bicicleta. Na escola, o apoio das amigas ajuda na locomoção. Ela consegue, ainda de maneira simples e precisa, detalhar como é um passarinho.
 “É um bichinho que voa e ele come sementinhas das árvores.” No papel desenha um coração, aquele mesmo que a faz sentir o mundo e deixá-lo ainda mais especial.
3
Ana Luiza se diverte com as amigas na escola (Foto: Reprodução/TV TEM)
O avô Amorim Souza conta que ninguém consegue ficar triste perto da Ana. “Ela supera todas as dificuldades, ela ensina coisas que, às vezes, nós não conseguimos aprender. A Ana veio para nos ensinar”, comenta.
A mãe conta que, para ela, a filha nasceu perfeita. “Eu não olho a minha filha como deficiente, eu olho para ela e vejo que ela é uma criança normal, que é capaz como qualquer outra criança. A gente que é deficiente, que priva, temos que tirar esses olhos de deficiente que a gente tem e olhar do jeito que eles olham. Amorosa… não tem o que falar, eu não imaginava e veio perfeita. Ela é tudo”, finaliza Larissa.

Cadeirantes ficam sem transporte em Ribeirão Preto

 transporte-adaptado

Empresa parou o serviço por falta de pagamento da Prefeitura; Administração Municipal alega que trabalha para sanar a dívida

Motoristas da Sertran, empresa que realiza o transporte de cadeirantes e pessoas com dificuldades de locomoção em Ribeirão Preto paralisou o serviço nesta quinta-feira, 13, por falta de pagamento por parte do município.

De acordo com a prefeitura, o serviço atende 353 usuários, que estão cadastrados, hoje prejudicados pela paralisação. Em 2016, já foram realizadas mais de 3,5 mil viagens por mês para o transporte de pacientes para realização de consultas médicas.

O serviço de transporte especial é de responsabilidade das secretarias da Saúde, da Educação e da Assistência Social.

Em nota, a secretária municipal da Fazenda informou que a Administração Municipal está trabalhando para normalizar a situação, e que o pagamento dos fornecedores obedece ordem cronológica.

Fontes: www.revide.com.br - pessoascomdeficiencia.com.br

Acesso Cultura debate acessibilidade da comunicação e cria novo prémio

             conferencia-anual-o-que-e-entao-relevancia-dos-conteudos-e-acessibilidade-da-linguagem
        Conferência anual – O que? E então? Relevância dos conteúdos e acessibilidade da linguagem

Nota: A conferência está esgotada e terá transmissão em  livestreaming.

A Associação Acesso Cultura vai debater a 17 de outubro, em Lisboa, a importância dos conteúdos e da acessibilidade da linguagem para os públicos do setor e no encontro lançará um novo prémio.

De acordo com fonte da organização, trata-se da conferência anual da associação e tem como título “O quê? E então? – Relevância dos conteúdos e acessibilidade da linguagem”, e decorrerá na Fundação Calouste Gulbenkian.

Criada em 2013, a Acesso Cultura, Associação Cultural, promove iniciativas sobre a acessibilidade à criação artística nos aspetos físico, social e intelectual, e entrega anualmente um conjunto de prémios com o objetivo de distinguir entidades que apliquem boas práticas nesta área.

Neste encontro anual, a 17 de outubro, a entidade vai anunciar a abertura das candidaturas a um novo prémio, o Prémio Acesso Cultura — Linguagem Acessível, como forma de criar motivação adicional para estudar e implementar as boas práticas neste aspeto particular da acessibilidade.

Sobre o encontro, Maria Vlachou, diretora executiva, disse à Lusa que considera “urgente refletir sobre algumas das verdadeiras barreiras à cultura — como a linguagem que usamos — e, finalmente, agir”.

Entre os participantes do encontro vão estar Martine Gosselink, diretora do Departamento de História do Rijksmuseum em Amsterdão, na Holanda, e Dany Louise, autora do livro “Interpretation Matters”, e consultora do Arts Council England.

Em discussão vão estar dois painéis: um sobre a relevância dos conteúdos e a acessibilidade da linguagem, moderado pela jornalista da cultura Sandy Gageiro, e contará com a participação de José Alberto Ribeiro, diretor do Palácio Nacional da Ajuda, Joana Lobo Antunes do Instituto de Tecnologia Química e Biológica, Filipa Oliveira, da Fundação Eugénio de Almeida, e Cristina Perpétuo, do Museu de Évora.

O segundo painel, dedicado à linguagem simples, será moderado por Sandra Fisher-Martins e contará com a participação de Célia Sousa, do Instituto Politécnico de Leiria, especialista em comunicação aumentativa, Ângelo Merayo, do Conselho Português para os Refugiados, Joana Sousa Monteiro, do Museu de Lisboa, e Raquel Barata, do Museu Nacional de História Natural e da Ciência.

Este ano, o Prémio Acessibilidade Integrada (física, social, intelectual) foi entregue ao Parque Biológico da Serra da Lousã, o Prémio Acessibilidade Física foi para o Grupo Dançando com a Diferença, e o Prémio Acessibilidade Social foi entregue, ex-aequo, à companhia Comédias do Minho e à Sociedade Artística de Pousos, distrito de Leiria.

Fontes: Noticias ao Minuto - turismoadaptado.wordpress.com

Maceió recebe a primeira edição dos Jogos Paralímpicos nesta sexta-feira

Competição será realizada em dois locais: no Estádio Rei Pelé e no CEPA

Por GloboEsporte.com Maceió 

Yohansson conquista o terceiro título mundial consecutivo nos 200m do Mundial Paralímpico de Doha, no Catar (Foto: Daniel Zappe/CPB)
Medalhista paralímpico, Yohansson Nascimento é referência no esporte (Foto: Daniel Zappe/CPB)

Com seis medalhas paralímpicas, o alagoano Yohansson Nascimento é referência nas pistas de corrida e também um exemplo fora delas. Com determinação e garra, o velocista é um exemplo de superação, por isso, a Secretaria de Esporte de Alagoas resolveu criar os Jogos Paralímpicos, com o objetivo de incentivar os atletas alagoanos a não desistirem do sonho olímpico.

O esporte paralímpico brasileiro é destaque no mundo e Alagoas tem grandes atletas. É preciso incentivar esta modalidade esportiva e instigar novos atletas. Devemos, sobretudo, descobrir novas promessas olímpicas, além de usar como uma forma de inclusão social – comentou a secretária de esporte, Cláudia Petuba.

                        Primeiro treino oficial da Seleção Brasileira de Atletismo no CT Paralímpico (Foto: Daniel Zappe / CPB)
Atletas com deficiência vão ter a chance de mostrar seu talento nos Jogos (Foto: Daniel Zappe/CPB)

A primeira edição dos Jogos vai ser realizada neste fim de semana, em Maceió. As disputas vão ser em dois locais: no Estádio Rei Pelé, no Trapiche da Barra, e também no Cepa, no bairro do Farol.

A abertura da competição será às 16h desta sexta-feira, no ginásio do Centro de Estudos e Pesquisas Aplicadas. O evento contará com a participação de grupos culturais da Pestalozzi. Depois, os atletas da bocha entram em ação.

No sábado, o atletismo começa às 8h, e será no Trapichão. No período da tarde, às 14h, será a vez da natação, as provas serão realizadas no parque aquático do Cepa. No domingo, a programação termina com a disputa do vôlei sentado e do golbol, no Cepa.

Confira a programação:
Dia 14 – Sexta-feira
Abertura: 16h - CEPA (Ginásio CDR)
Bocha: 17h30 - CEPA (Ginásio CDR)

Dia 15 – Sábado
Atletismo: 08h até as 12h - Estádio Rei Pelé
Natação: 14h até as 17h - Parque aquático do CEPA

Dia 16 – Domingo
Golbol: 08h até as 12h - CEPA (Ginásio CDR)
Vôlei sentado: 14h até as 17h - CEPA (Ginásio CDR).

Ibiraçu ganha instituição de apoio à pessoa com deficiência

Ministério Público credenciou mais uma instituição ao PRONAS/PCD.Organização poderá ampliar a prestação de serviços médico-assistenciais.

Do G1 ES

 Campinas (SP) registrou 671 casos de crimes contra deficientes em dois anos  (Foto: Reprodução/EPTV)
Ibiraçu vai contar com mais uma instituição de assistência e apoio à pessoa com deficiência (Foto: Reprodução/EPTV)

O município de Ibiraçu, no Norte do Espírito Santo, vai contar com mais uma instituição de assistência e apoio à pessoa com deficiência. O Ministério da Saúde credenciou a Associação Amigos da Justiça Cidadania, Educação e Arte, no Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS/PCD).

A organização poderá ampliar a prestação de serviços médico-assistenciais, o apoio a formação, o treinamento e o aperfeiçoamento de trabalhadores e a realização de pesquisas clínicas, epidemiológicas e experimentais no estado.

O novo projeto será acompanhado pelo Ministério da Saúde, que irá definir as áreas prioritárias para execução das ações e serviços, deliberar sobre os projetos aprovados, definir parâmetros para aprovação, acompanhar a prestação de contas, avaliar os resultados da execução das ações e, ainda, definir a sistemática de monitoramento e avaliação.

Caso a execução seja de má qualidade ou de inexecução dos projetos, o Ministério da Saúde poderá inabilitar, por até três anos, a instituição, além de outras responsabilizações cabíveis.

Além da Associação Amigos da Justiça Cidadania, Educação e Arte, foram credenciadas mais 23 instituições em todo o país. Com isso, essas organizações podem arrecadar recursos e abater os valores do imposto de renda.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, vê com entusiasmo a chegada dessas novas instituições. “Serão mais recursos, mais parceiros que irão nos auxiliar a chegar ao acesso à saúde dessa população e, também, a desenvolver ações de prevenção, de promoção à saúde e de habilitação/reabilitação da pessoa com deficiência”, disse.

O programa
O PRONAS/PCD foi instituído pela Lei nº 12.715/2012 e normatizado pela Portaria GM/MS nº 1.550/2014, com alterações dadas pelas Portarias nº 1.575/2014 e Nº 275/2016.

O programa do Ministério da Saúde incentiva ações e serviços desenvolvidos por entidades, associações e fundações privadas sem fins lucrativos, na área da pessoa com deficiência. Pessoas físicas e jurídicas que contribuírem com doações para projetos nessas duas áreas poderão se beneficiar de deduções fiscais no Imposto de Renda (até 1% do IR total devido).

Para participar, as instituições interessadas precisam se credenciar junto ao Ministério da Saúde, entre 1º de janeiro à 31 de julho de cada ano, e apresentar suas propostas com a identificação do que será executado.

Cada um deverá conter informações como capacidade técnico-operativa da instituição para execução do projeto, ações e serviços a serem utilizados, estimativa de recursos financeiros e físicos que vão ser empregados, o período de execução, entre outros itens.

Fonte: g1.globo.com

Em um ano, Brasil registra mais de 2 mil casos de microcefalia

Ministério da Saúde ainda investiga 3.055 casos da malformação.Pernambuco ainda é o estado com mais registros da doença.

Do G1, em São Paulo

 Mulher segura bebê com microcefalia em Olinda, estado de Pernambuco (Foto: Nacho Doce/File Photo/Reuters)
Mulher segura bebê com microcefalia em Olinda, estado de Pernambuco (Foto: Nacho Doce/File Photo/Reuters)

Um ano após o início das investigações dos casos de microcefalia no Brasil, o país tem 2.033 casos confirmados da malformação. As informações são do Ministério da Saúde e se referem aos dados contabilizados até dia 8 de outubro deste ano.

Neste mesmo período, 486 mortes são suspeitas e podem ter ligação com a infecção por zika e a microcefalia. Dentre esses registros, 170 óbitos tiveram confirmação de que foram causados pela malformação e/ou alteração do sistema nervoso central. Outros 96 foram descartados.

Além dos casos comprovados de microcefalia, 3.055 casos ainda são investigados pelos estados e pelo Ministério. Desde o início dos registros, 9.814 casos foram notificados - destes, 4.726 foram descartados. Apenas 381 pacientes com confirmação de microcefalia tiveram a comprovação por critério laboratorial específico para a existência do vírus da zika.

Mesmo com o baixo número de registros de confirmação para o vírus nos casos da malformação, o Ministério “ressalta que esse dado não representa, adequadamente, a totalidade do número de casos relacionados ao vírus. A pasta considera que houve infecção pelo zika na maior parte das mães que tiveram bebês com diagnóstico final de microcefalia”.

Estes mais de 2 mil casos confirmados pelo Governo Federal ocorreram em 688 municípios, localizados em todos os estados e no Distrito Federal. O estado de Pernambuco ainda é o mais afetado, com 389 registros confirmados, seguido pela Bahia e Paraíba, com 319 e 181 casos, respectivamente.

Vírus se espalha
O vírus da zika se espalhou ao redor do mundo. Nesta segunda-feira (10), a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que ele provavelmente irá se propagar pela Ásia. A informação foi divulgada após centenas de casos serem notificados em Cingapura e dois bebês tailandeses terem nascido com microcefalia.

O vírus, transmitido principalmente por mosquitos, foi detectado em 70 países, incluindo pelo menos 19 países da região Ásia-Pacífico, de acordo com o diretor da OMS para a segurança sanitária e emergências, Li Ailan.

A diretora da OMS, Margaret Chan, disse que os líderes da região expressaram preocupações sobre o surto, acrescentando que os especialistas ainda estavam batalhando para encontrar formas de combater o flagelo. "Infelizmente, os cientistas ainda não têm respostas para muitas questões críticas", disse Chan.

Nos Estados Unidos, uma nova área de transmissão local foi encontrada em Miami. Na Flórida, estado mais afetado pela infecção do zika, foram reportados até esta semana 1.021 casos de zika, incluindo 155 infecções não relacionadas a viagens e 106 infecções em grávidas este ano.

Casos confirmados por estado e região
Alagoas - 84
Bahia - 319
Ceará - 149
Maranhão - 157
Paraíba - 181
Pernambuco - 389
Piauí - 99
Rio Grande do Norte - 140
Sergipe - 124

Nordeste - 1.642
Espírito Santo - 31
Minas Gerais - 8
Rio de Janeiro - 130
São Paulo - 31

Sudeste - 200
Acre - 2
Amapá - 9
Amazonas - 18
Pará - 1
Rondônia - 7
Roraima - 10
Tocantins - 18

Norte - 65
Distrito Federal - 9
Goiás - 29
Mato Grosso - 48
Mato Grosso do Sul - 21

Centro-Oeste - 107
Paraná - 4
Santa Catarina - 4
Rio Grande do Sul - 11
Sul - 19

Fonte: g1.globo.com

Médicos separam gêmeos siameses unidos pela cabeça nos EUA

Jadon and Anias McDonald têm 13 meses e permanecem sedados.Cirurgia durou mais de 16 horas e terminou na manhã desta sexta-feira (14).

Do G1, em São Paulo

Gêmeos siameses Jadon e Anias McDonald passaram por uma cirurgia de separação que terminou na manhã desta sexta-feira (14). (Foto: Reprodução/Facebook/Nicole McDonald)
Gêmeos siameses Jadon e Anias McDonald passaram por uma cirurgia de separação que terminou na manhã desta sexta-feira (14). (Foto: Reprodução/Facebook/Nicole McDonald)

Médicos do Centro Médico Montefiore, em Nova York, concluíram, na manhã desta sexta-feira (14), complexa cirurgia de separação de gêmeos siameses unidos pela cabeça. Segundo a CNN, o procedimento de mais de 16 horas de duração foi bem-sucedido.

Os gêmeos Jadon e Anias McDonald têm 13 meses e foram operados por uma equipe liderada pelo cirurgião James Goodrich, especialista nesse tipo de cirurgia. A mãe dos bebês, Nicole McDonald, postou uma mensagem na manhã desta sexta-feira no Facebook relatando que a operação foi realizada, mas que a situação ainda era complexa.

Segundo Nicole, os bebês compartilhavam uma área de 5 x 7 cm do tecido cerebral e o cirurgião teve de decidir como dividi-lo "com base em seu instinto", já que não havia um plano definido.

Gêmeos em sala de cirurgia antes do procedimento (Foto: Reprodução/Facebook/Nicole McDonald)
Gêmeos em sala de cirurgia antes do procedimento (Foto: Reprodução/Facebook/Nicole McDonald)

Nicole relatou ainda que um dos bebês, Anias, ficou debilitado pelo procedimento e está sendo mantido estável por meio de medicamentos. É possível, segundo a mãe, que ele não consiga mover um ou ambos os lados do corpo no início por causa da região do cérebro envolvida na cirurgia.

Nos próximos dias, os bebês estarão sujeitos a inchaço cerebral e acidente vascular cerebral (AVC). "Os próximos meses serão críticos em termos da recuperação e não sabemos com certeza como Anias e Jadon vão se recuperar nas próximas semanas", escreveu Nicole.

Após os Jogos do Rio, associações iniciam atividades no CT Paralímpico Brasileiro

Por Ivo Felipe

Gustavo Carvalho/CPB
Imagem
Equipe de basquete em cadeira de rodas utiliza o Centro Paralímpico

O início do ciclo que culminará nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 marca também uma nova fase no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro. Além do retorno dos atletas de alto rendimento à instalação em São Paulo, começaram na semana passada as atividades no local de associações paulistas de esporte adaptados.

Nos últimos dias, equipes de basquete em cadeira de rodas, rugby em cadeira de rodas, goalball e futebol de 5 de clubes tradicionais, como a APADV, Águias do Rugby, Magic Wheels, ADD/Magic Hands e Clube dos Paraplégicos estiveram nas dependências do CT para treinamentos e jogos pelas competições que encerram a temporada.

"Será fundamental para os nossos clubes e confederações utilizarem uma estrutura como a que é oferecida no Centro de Treinamento. São as mesmas condições que foram disponibilizadas para os nossos atletas nos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Sem dúvida este instrumento será uma garantia da nossa capacidade de continuar a avançar", disse Mizael Conrado, vice-presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro.

Neste sábado, 15, por exemplo, o Clube dos Paraplégicos disputa partida válida pelo Paulista da modalidade contra a equipe da ADAPP, a partir das 15h.

"A prioridade de uso do Centro de Treinamento é, claro, das Seleções Brasileiras, mas os atletas só chegam até lá porque são formados pelas associações. Por este motivo é importante oferecer esta parceria, para que estes clubes usem as instalações nos horários disponíveis do CT", disse Gustavo Carvalho, supervisor de relacionamento do CPB com as associações esportivas.

"Tem havido uma procura bastante grande, uma vez que há no CT o acesso a equipamentos de grande qualidade, cujo acesso é bastante difícil em outros locais", completou.

A agenda do Centro de Treinamento está bastante movimentada até o fim do ano. Apesar de os Jogos Paralímpicos terem passado, São Paulo ainda será sede de diversas competições do calendário do esporte adaptado, além dos treinos das Seleções Brasileiras e das associações. Confira abaixo uma lista dos eventos programados.

1/11 a 6/11 – Copa Brasil Futebol de 5
3/11 a 6/11 - Copa Brasil de Bocha (pares e equipes)
11/11 a 13/11 – Circuito Caixa Loterias Atletismo, Natação e Halterofilismo
18/11 a 20/11 – Campeonato Brasileiro de Esgrima em CR
22/11 a 25/11 – Paralimpíadas Escolares

Fonte: cpb.org.br

Brasileiros desenvolvem aparelho para examinar retina com smartphone

Paula Felix Em São Paulo

  Reprodução/Youtube
  

O protótipo de um equipamento que faz exames de retina usando um smartphone vai representar o Brasil em uma competição internacional de inovação realizada no próximo mês na Alemanha. O aparelho, batizado como SRC (Smart Retinal Camera), foi desenvolvido por três ex-alunos da USP (Universidade de São Paulo) em São Carlos e é uma versão portátil do retinógrafo, aparelho que permite observar e registrar imagens da retina.

"Nosso objetivo é ajudar comunidades carentes, algumas cidades mais pobres nem têm oftalmologistas e um equipamento de mesa custa de 70 a 80 mil dólares. O que a gente espera é que ele tenha um custo dez vezes menor do que o equipamento padrão", diz o engenheiro de computação José Augusto Stuchi, um dos criadores do projeto.

Ele também é cofundador e engenheiro da Phelcom, startup criada pelo grupo para desenvolver o protótipo, que foi financiado pelo Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

Stuchi conta que o projeto teve início há dois anos e um olho mecânico foi utilizado para fazer os testes. "Com esse equipamento, um operador pode fazer o exame. As imagens serão capturadas pelo celular e enviadas para nuvem para análise de um médico por meio de telemedicina. Com ele, é possível ver o fundo de olho e examinar pacientes com diabetes, pessoas que podem desenvolver glaucoma, retinopatia e degeneração macular relacionada à idade. Todos os problemas de retina podem ser detectados com esse retinógrafo", explica.

Para os testes em seres humanos, o grupo está verificando a possibilidade de fazer em universidades ou solicitar uma autorização para a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A expectativa é que, até 2018, o aparelho já esteja no mercado.

Competição
No mês passado, os ex-alunos participaram da edição nacional do Falling Walls Lab, competição de soluções inovadoras que podem contribuir para a sociedade nas mais diversas áreas. Ao todo, concorreram 94 projetos. Na final, que será realizada nos dias 8 e 9 de novembro na Alemanha, eles terão de enfrentar 99 concorrentes de várias partes do mundo.

"Estamos desenvolvendo um projeto técnico, mas, por trás do equipamento, tem o sonho de cumprir a nossa missão, que é contribuir com inovação para melhorar a saúde e a vida das pessoas."

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Catarinenses recebem a 3ª etapa da Copa Brasil de Paraciclismo 2016

Por CPB

Marco Antonio Teixeira/MPIX/CPB
Imagem
Jady Malavazzi antes de competir nos Jogos Rio 2016.

Após passagem por São Paulo e Rio de Janeiro, a Copa Brasil de Paraciclismo 2016 chega a São José, em Santa Catarina, nos dias 14, 15 e 16 de outubro. A terceira etapa do evento é a última antes da grande final, então cada ponto conquistado pode ser decisivo na busca pelo título brasileiro da temporada.

Participam da competição homens e mulheres nas categorias: Ciclismo C1, C2, C3, C4 e C5; Handbike H1, H2, H3, H4 e H5; Tricycle T1 e T2; e Tandem B. Os paraciclistas com as melhores classificações também somam pontos importantes no ranking nacional.

A grande final da Copa Brasil está marcada para 27 de novembro em Aracaju (SE). O campeão será definido após a somatória dos pontos obtidos nas quatro etapas, consagrando assim os campeões brasileiros de resistência e contrarrelógio.

A terceira etapa da Copa Brasil de Paraciclismo 2016 – Troféu João Schwindt é uma organização e realização da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC), Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e Federação Catarinense de Ciclismo (FCC).

Com informações da Confederação Brasileira De Ciclismo

Fonte: cpb.org.br

Campanha arrecada doação para treinar cães que ajudam cadeirantes - Veja o vídeo.

Cachorro de serviço ajudará pessoas com dificuldade de locomoção.Valores doados ajudam na alimentação e acompanhamento ao veterinário.

Do G1 São Paulo

                              Imagem para o resultado de notícias

Além de serem grandes companheiros, os cães ajudam a melhorar a saúde e a qualidade de vida dos humanos. Eles são treinados para ajudar cadeirantes, pacientes internados em hospitais e ajudam deficientes visuais a se locomover.

Click AQUI para ver o vídeo.

Quem recebe o cachorro não paga nada por ele por causa do programa Cão Inclusão, que prepara cães para isso. Eles estão fazendo uma campanha pra arrecadar doações. A campanha é feita pela internet e vai arrecadar fundos para custear o treinamento dos cachorros.

Com esse treinamento, o cachorro de serviço ajudará o cadeirante a ter mais independência, autonomia e qualidade de vida. O objetivo é adquirir um filhote da raça Golden Retriever para garantir o primeiro ano de treinamento dos animais.

Três cães estão em treinamento e dois já foram entregues. Eles ajudam em funções como pegar objetos no chão, abrir e fechar portas, acender luzes e acionar campainhas.

Os interessados em fazer doação podem clicar aqui.

Os valores doados ajudam na alimentação do cão, acompanhamento ao veterinário e para o treinamento do animal.

Fonte: g1.globo.com

Cadeirante cai em escada rolante de shopping e é levada para hospital

Extra

                              


Uma cadeirante caiu quando descia a escada rolante do Parque Shopping Sulacap, na Zona Oeste do Rio, na tarde desta quinta-feira. Segundo a assessoria do shopping, Maria José de Oliveira Martins, de 62 anos, recebeu o suporte do estabelecimento e foi levada para o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, na Ilha do Fundão.

A assessoria de imprensa do hospital confirmou que Dona Maria José não corre risco de morte. Ela fez uma sutura no corte que teve na perna. No entanto, por ter batido a cabeça na queda, ficará internada em observação até esta sexta-feira.

Na página do Facebook "Padre Miguel News", uma internauta disse trabalhar no estabelecimento e afirmou que foi imprudência da própria vítima:

"Trabalho no Sulacap Shopping. Foi imprudência dela, por duas vezes o segurança pôs ela no elevador. Lá tem mais elevadores do que escada. E além do mais ela estava acompanhada. Eu acho que era a filha", comentou.

Outra internauta afirmou que cadeirantes pegam com frequência as escadas rolantes do shopping. "Demorou muito para isso acontecer, eu trabalhei lá durante quase 3 anos e sempre os seguranças informavam aos cadeirantes, aos pais com carrinhos com bebês dentro, que haviam elevadores e que não era pra ir pela escada rolante. Mas parece que tem muitas pessoas que não escutam e fazem isso!! Infelizmente por falta de aviso não foi. Tenho certeza".

Em nota, o Parque Shopping Sulacap disse que "respeita as normas de acessibilidade contando com sinalizações e meios próprios para utilização de portadores de necessidades como a dela".

‎Fonte: extra.globo.com


Siameses unidos pela cabeça passam por cirurgia de separação nos EUA

Anias e Jadon foram encaminhados para a sala cirúrgica na manhã desta quinta e deverão ficar 20h em operação, em Nova York. Caso raro é comandado por médico referência em separação de siameses no mundo.

Por G1, em São Paulo

Caso de gêmeos ligados pela cabeça é ainda mais raro (Foto: Nicole McDonald/Reprodução/Facebook)
Caso de gêmeos ligados pela cabeça é ainda mais raro (Foto: Nicole McDonald/Reprodução/Facebook)

Considerados como um caso ainda mais raro de gêmeos siameses, Anias e Jadon McDonald nasceram há pouco mais de 1 ano unidos pela cabeça. A mãe, Nicole, e o pai, Christian, decidiram fazer uma cirurgia difícil para tentar separá-los. O procedimento está ocorrendo nesta quinta-feira (13), em Nova York.

Os gêmeos foram levados à sala de cirurgia do Montefiore Medical Center, no Bronx, às 7h15 da manhã (8h15, horário de Brasília) desta quinta. Desde então, a equipe de médicos trabalha para que a operação seja encerrada com sucesso. Durante o caminho até a sala, o irmão mais velho, Aza McDonald, de 3 anos, montou na maca com os meninos e os acompanhou até o encontro com os médicos, como reportou a rede CNN. A previsão é que a cirurgia dure cerca de 20 horas.

Gêmeos unidos pela cabeça, chamados de “craniopagus”, são extremamente raros, com uma frequência de um caso para 2,5 milhões de nascimentos no mundo. Destes casos, cerca de 40% dos bebês são natimortos e outro ⅓ morre nas primeiras 24h de vida.

Gêmios antes da cirugia nesta quinta-feira (Foto: Nicole McDonald/Reprodução/Facebook)
Gêmios antes da cirugia nesta quinta-feira (Foto: Nicole McDonald/Reprodução/Facebook)

O caso de Anias e Jadon é ainda mais difícil, já que eles compartilham parte do tecido cerebral. Há, portanto, o risco de morte para ambos os bebês durante a cirurgia ou que tenham complicações cerebrais após o procedimento. O processo de separação será liderado por James Goodrich, considerado um neurocirurgião referência em separação de gêmeos siameses - neste ano, chegou a separar com sucesso um par de gêmeas da Arábia Saudita.

Na tarde desta quinta, a mãe dos meninos chegou a postar nas redes sociais que não tinha notícias sobre o status do procedimento.

“Não ter notícias é uma boa notícia, suponho. Eles [médicos] passaram pelos ossos do crânio e será atingida a temida zona do tecido cerebral por volta das 17h [18h, em Brasília]. Tudo está bem, no geral, e os meninos estão tolerando bem a anestesia. Até agora, tudo que está sendo feito na cirurgia já foi feito antes. Meu coração está acelerado para ouvir ‘a parte mais difícil’, a parte da terra desconhecida. Cada hora parece ser um dia inteiro, mas nossa fé não vai vacilar”, escreveu.

Anias e Jadon McDonald nasceram há pouco mais de 1 ano (Foto: Nicole McDonald/Reprodução/Facebook)
Anias e Jadon McDonald nasceram há pouco mais de 1 ano (Foto: Nicole McDonald/Reprodução/Facebook)


Fonte: g1.globo.com