sábado, 25 de março de 2017

Jovem com doença de Crohn pede ajuda para exames que podem destravar cirurgia

Por Priscila Torres*



Jéssica Souza Rodigues, de 23 anos, que sofre com sintomas da doença de crohn – inflamação gastrointestinal grave, geralmente, provocada por desregulação do sistema imunológico – precisa de ajuda para custear exames necessários para que ela comprove na justiça a necessidade de um transplante autólogo de medula óssea.

Segundo a jovem, os primeiros sintomas surgiram aos 21 anos, mas a doença só foi diagnosticada há seis meses, depois de vários exames e internações. “Fui em muitos médicos e ninguém sabia o que eu tinha. Até que passei por uma especialista que descobriu meu problema”, relata.

Desde que a doença de crohn foi descoberta, Jéssica é submetida a medicações fortes e duas doses mensais de uma injeção que custa R$ 8 mil cada e é fornecida pela SES (Secretaria de Estado de Saúde).

“Eu gastei muito até descobrir o que eu tinha. Depois ainda tive de esperar a liberação da Casa da Saúde. É tudo muito caro. Os medicamentos são de alto custo e não posso ficar sem”, observa.

Sem cura para a doença, Jéssica diz que a cirurgia é o único alívio para os sintomas.

“É uma doença muito complicada e dolorosa, não tem um dia que não sofro. Durmo e acordo com dores. Tem dias que chego a evacuar 30 vezes. Foras as constantes internações. Tomo medicamentos fortes e que já não estão fazendo muito efeito, preciso do transplante”, frisa.

Transplante 

A paciente explica que o procedimento, que utiliza a medula do próprio paciente, é recomendado no tratamento de doenças que afetam a imunidade do organismo, e pode colocar fim aos sintomas da inflamação. No entanto, a técnica ainda é considerada nova no país e não é liberada pelo SUS (Sistema Único de Saúde) ou convênios particulares.

O transplante de células tronco em pacientes com a doença de crohn foi realizado pela primeira vez no Brasil em 2013 no Hospital Beneficiência Portuguesa, em São José do Rio Preto (SP), desde então, 29 pacientes passaram pelo procedimento que custa entre R$ 180 mil a R$ 400 mil, dependendo do tempo de internação e condições clínicas.

Para conseguir liberação do convênio, Jéssica diz que precisa passar por consulta com um proctologista e fazer todos os exames em São José do Rio Preto, mas ela afirma não ter condições de custear os gastos.

“Infelizmente não tenho dinheiro. Essa primeira etapa tem de ser toda pelo particular porque meu convênio não cobre”, justifica. A paciente estima que para custear transporte, consulta, exames e hospedagens serão necessários cerca de R$ 6 mil.

Priscila Torres*
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de Artrite Reumatoide aos 26 anos, enquanto atuava como enfermeira, estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros. De repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída.
Hoje sou “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil. http://www.artritereumatoide.blog.br/


Aos 26 anos, menina tetraplégica realiza o sonho de ser maquiadora profissional

Nos últimos seis anos, Steph Aiello foi vítima de dois acidentes graves e ainda superou um câncer. Mas nada foi capaz de detê-la. Hoje, ela se destaca como uma youtuber de sucesso e inspira outras pessoas a superarem suas limitações. 


Depois de guardar dinheiro suficiente para realizar o seu sonho de frequentar um curso de cosmetologia, a norte-americana Steph Aiello se envolveu em um acidente gravíssimo que a deixou tetraplégica aos 20 anos de idade. A fatalidade aconteceu um dia antes de sua primeira aula.

Era outubro de 2010, enquanto Aiello dirigia da Califórnia para Las Vegas, um cansaço extremo a fez dormir no volante. O carro saiu da estrada e o impacto da batida a deixou paralisada da cintura para baixo, assim como restringiu os movimentos das mãos. Desde então, ela se movimenta com a ajuda de uma cadeira de rodas.

“Eu não acreditei na época”, contou à People. “Pensei que não poderia ser real. Não achava que as consequências seriam a longo prazo. Foi muito difícil pra mim.”Depois de três meses de terapia intensiva no hospital, os médicos concederam a ela o direito de passar seis horas com a família no dia de Natal. As duas só não imaginavam que dali a alguns minutos, no caminho de casa, seriam atingidas na estrada por um motorista embriagado. O acidente deixou a mãe em uma condição gravíssima.

“Minha família não acreditava – pensou que a gente estava brincando”, disse. “Eu fiquei tipo: ‘Não, nós fomos atingidas e foi grave’. Então, eles se dirigiram ao local e ficaram chocados com o que viram. Só conseguiam dizer: ‘Como isso foi acontecer?’.”

De volta à reabilitação, Aiello descobriu, dois anos mais tarde, que tinha também um tumor desmoide – benigno, porém, agressivo no local.Surpreendentemente, a jovem encontrou forças para lutar contra o diagnóstico. Em quatro meses, ouviu dos médicos que estava curada, após o tratamento de radioterapia.

Apesar dos trágicos acontecimentos, que se somaram a um ano de depressão pós-acidente, Aiello agora, aos 26 anos, decidiu que não deixaria o seu sonho escapar.“Eu estava exausta de deitar na cama e não fazer nada. Decidi que era a hora de ter minha vida de volta e abraçar o meu ‘novo normal’”, disse.

Além de reaprender a escovar os dentes, se vestir e dirigir, ela também encontrou novas maneiras de aplicar maquiagem. Com a boca, abre os recipientes; enquanto, os dedos unidos por uma borracha ajudam a manusear o pincel com mais precisão. A parte mais difícil, segundo Aiello, é aplicar os cílios postiços. Mas nada é impossível! “Continuei testando novas maneiras, o que implicou em muitos olhos colados. Apesar de tudo, consegui”, comemora.

Após o acidente, ela encontrou no Instagram, onde tem mais de 97 mil seguidores, o espaço para divulgar os tutoriais e inspirar outras pessoas a superarem suas limitações. Tomar a iniciativa não foi fácil. A jovem estava nervosa em mostrar suas mãos ao público. “Eu as cortava durante a edição dos vídeos para que ninguém soubesse da minha condição. Estava temerosa de abrir isso para o mundo, tinha medo das críticas pesadas.”

Tudo mudou após um encontro com a ex-modelo e apresentadora Tyra Banks durante um evento de beleza. “Ela me levou ao palco e disse para todo mundo que eu iria fazer das minhas mãos, a minha marca registrada”, contou Aiello que é hoje uma Youtuber de sucesso – seu canal soma mais de 8 mil inscritos. “Desde então, levei aquilo comigo e mudei completamente a maneira de gravar os vídeos.”

A mudança fez com que o seu sucesso ultrapassasse as barreiras da web. Em dezembro, Aiello deu mais um passo importante para sua carreira de maquiadora profissional. Ela foi contratada pela tricampeã de surfe Carissa Moore, que se casaria naquele mês e queria que sua beleza fosse criada pelas mãos da menina.

“Eu estava apavorada. Só conseguia pensar que seria um desafio maravilhoso. Porém, nunca tinha feito uma maquiagem de noiva antes. Decidi encarar. Fiz da melhor maneira que podia e, depois de ver o resultado, me senti tão bem que chorei no meu caminho de volta para casa.”

Com a ajuda de Moore, apelidada de “a alma doce” por Aiello, a jovem maquiadora foi capaz de assumir com segurança outros trabalhos. E hoje só tem o que comemorar!


Fontes: Revista Marie Claire - fernandazago.com.br

Nova Victoria? Potiguar de 18 anos desponta como promessa do goalball

Comparada a uma das melhores jogadoras do mundo, Amanda Santana perdeu a visão gradativamente após sua mãe contrair bactéria na gravidez. Brasil está invicto no Parapan de Jovens

Por Flávio Dilascio, São Paulo

Nova Victoria? Potiguar de 18 anos desponta como promessa do goalball

O talento e o jeito de arremessar chamam a atenção de quem tem acompanhado as partidas de goalball da seleção feminina do Brasil nos Jogos Parapan-Americanos de Jovens, em São Paulo. Com apenas 18 anos, Amanda Santana vem sendo lapidada para servir à equipe principal do país em breve. A moral da jogadora é tanta que a jovem potiguar vem sendo chamada de "Nova Victoria". Artilheira da seleção principal, Victoria é considerada uma das melhores jogadoras de goalball do mundo. Integrante do cronograma da Paralimpíada, a modalidade é disputada por atletas cegos. O Brasil ficou em quarto na competição feminina na Rio 2016.

- Acho muito interessante essa comparação com a Victoria, uma honra para mim, porque se trata de uma jogadora muito talentosa e experiente. Quem sabe um dia eu chego no nível dela. Eu a conheci pessoalmente nos Jogos Escolares. Ela foi muito simpática comigo. Nunca tivemos proximidade, mas gosto muito de ser comparada à Victoria - disse Amanda.

Moradora do bairro Bom Pastor em Natal, Amanda se divide entre o goalball e os estudos. Mesmo com a rotina de treinos no seu clube, o IERC, a atleta tem cursado o primeiro ano do Ensino Médio em uma escola da capital potiguar. Amanda perdeu a visão aos dez anos de idade. A jogadora nasceu enxergando parcialmente e foi perdendo o sentido durante a infância.

Amanda Santana fez 18 dos 32 gols do Brasil no Parapan de Jovens (Foto: Leandro Martins/CPB/MPIX)
Amanda Santana fez 18 dos 32 gols do Brasil no Parapan de Jovens (Foto: Leandro Martins/CPB/MPIX)

- Os médicos dizem que foi por causa de uma bactéria que a minha mãe pegou durante a gravidez. Já nasci com uma pequena deficiência na visão, que foi piorando com o passar dos anos. A partir dos dez anos, passei a não enxergar mais. Foi um período muito triste, me senti muito mal. Ficava o tempo todo dentro de casa. Aos poucos, fui me soltando, graças muito aos meus amigos, que me motivaram a voltar a ter uma vida normal - contou.

Líder do torneio feminino de goalball dos Jogos Parapan-Americanos de Jovens de São Paulo, o Brasil soma três vitórias em três jogos realizados até aqui - o campeão será conhecido na sexta-feira. As outras seleções participantes são Colômbia e México. Ao todo, a seleção brasileira marcou 32 gols até aqui. Amanda balançou a rede 18 vezes, o que aumenta ainda mais a expectativa sobre o futuro da jogadora.

- Confesso que comecei o Parapan um pouco nervosa, mas depois as coisas começaram a fluir. Estou muito satisfeita com o meu desempenho e o da seleção brasileira. Vamos com tudo em busca desse título - concluiu Amanda.

Amanda (à direita) faz a defesa na vitória sobre o México (Foto: Cezar Loureiro/CPB/MPIX)
Amanda (à direita) faz a defesa na vitória sobre o México (Foto: Cezar Loureiro/CPB/MPIX)

Os resultados do goalball feminino brasileiro no Parapan de Jovens:
Brasil 10 x 0 Colômbia
Brasil 12 x 2 México
Brasil 10 x 0 Colômbia

Estudo: Células-tronco revertem casos de impotência por retirada da próstata - Veja o vídeo.

AFP Em Paris

iStock


Homens que não tinham ereções após retirar a próstata conseguiram manter relações sexuais recorrendo a um tratamento com células-tronco, afirma um estudo que será divulgado neste sábado (25), em Londres.

Em oito de 21 homens tratados foi possível reparar a disfunção erétil, apontam resultados preliminares "promissores" da investigação realizada pela equipe de Martha Haahr, do hospital universitário de Odense (Dinamarca), que será apresentado no Congresso da Associação Europeia de Urologia, em Londres.

Os investigadores utilizaram células-tronco retiradas de gordura abdominal dos pacientes por lipoaspiração para injetar no pênis e, seis meses após o procedimento,oito dos 21 pacientes recuperaram função erétil suficiente para ter atividade sexual, o que foi mantido durante um ano de observação.

Nenhum dos 21 pacientes relatou efeitos colaterais significativos durante o período do procedimento e no ano seguinte. Segundo Martha Haahr,"é a primeira vez que a terapia com células-tronco permite a pacientes recuperar uma função erétil suficiente para ter relações sexuais".

Os resultados deste teste clínico de fase 1, destinado em um primeiro momento a verificar a segurança do método, sugere a possibilidade de se tratar pacientes que sofrem disfunção erétil por outras causas,como diabetes, destacam os investigadores. "Mas trata-se de um teste limitado, sem um grupo-controle", acrescentou Haahr.

A equipe recebeu autorização das autoridades dinamarquesas para passar diretamente a testes de fase 3 e avaliar a eficácia do método em um maior número de pacientes operados de câncer de próstata,disse Lars Lund, do hospital universitário de Odense, que participou do trabalho apresentado em Londres.

O teste autorizado envolve somente pacientes com continência urinária e será comparativo. A incontinência urinária é um dos riscos da retirada total da próstata.

         VENÇA OS MEDOS E COMBATA O CÂNCER DE PRÓSTATA. 

Click AQUI para ver o vídeo.


Ela sofreu bullying e já foi anã de Xuxa; agora será estrela de novela das nove

FERNANDA LOPES

DIVULGAÇÃO
Juliana Caldas, atriz com nanismo que estará na próxima novela de Walcyr Carrasco - Divulgação
Juliana Caldas, atriz com nanismo que estará na próxima novela de Walcyr Carrasco

Portadora de nanismo, a atriz Juliana Caldas, 30 anos, está prestes a realizar um sonho: terá um papel importante em uma novela. Ela foi selecionada pela Globo para interpretar uma anã, filha de Marieta Severo, que enfrenta a sociedade ao namorar um rapaz de estatura normal. Será uma das atrações da trama que Walcyr Carrasco escreve para a faixa das 21h, no ar a partir de outubro.

Juliana foi proibida pela Globo de dar entrevistas. Ela revelou toda a sua trajetória em uma recente participação no Programa Especial, da TV Brasil. "Adoraria fazer um drama. Gosto de comédia, mas gostaria de me desligar um pouco desse lado da comédia com o pequeno [de piada sobre anões], porque é sempre assim", disse ao programa da TV pública.

Juliana começou a carreira com teatro infantil no parque O Mundo da Xuxa, de Xuxa Meneghel (que fechou em 2015).

"Comecei a carreira em um parque de diversão, onde eu me fantasiava como personagens e fazia uma apresentação de 30 minutos para a criançada. Nesse parque infantil acabei conhecendo outros atores e quis trabalhar mais na área. Entrei em teatros musicais infantis", conta. Ela já atuou em espetáculos como A Bela e a Fera, Peter Pan e Barney e seus Amigos.

Com 1,22 metro de altura, a atriz já viu pessoas apontando e rindo de sua estatura. Em seu perfil no Facebook, publicou um depoimento sobre as dificuldades que enfrenta no dia a dia.

"Ser olhada em público tornou-se tão normal para mim que eu muitas vezes não percebo que isso está acontecendo até que afete a pessoa com quem estou. É uma experiência estranha no início, mas eventualmente você aprende a ignorá-la (...). Nós todos temos bagagem; uma pessoa com deficiência física só tem uma bagagem que não pode esconder. Uma altura ou qualquer outra coisa que não se tenha controle nunca deve reduzir o nível de amor e respeito que você tem por alguém", declarou.

                         Divulgação
                         
                        Juliana Caldas, atriz de 1,22 metro de altura

Mesmo com os olhares tortos, Juliana investiu na carreira artística e diversificou suas atividades também para a moda. Desde 2010, trabalha como modelo e faz parte de uma agência de moda inclusiva, que conta com outras profissionais com algum tipo deficiência, como paraplegia.

"Quando as pessoas descobrem que eu trabalho como atriz e modelo, elas ficam meio 'Nossa!'. Se espantam. Como atriz já estão um pouco mais acostumadas, mas como modelo se assustam, porque existe aquela ideia de modelo de 1,90 metro, magra, loira. E aí, quando olham para uma pessoa com nanismo, acham bastante diferente. [Mas ao] explicar o nosso trabalho, que é moda inclusiva, acabam achando até legal".

Desde que começou a trabalhar como modelo, Juliana já participou de editoriais e saiu na capa de uma revista. A profissão também mudou a forma com que ela enxerga e cuida de seu próprio corpo.

"Nunca saio de casa sem estar maquiada, arrumada, bem vestida. Uma dica que eu dou para quem está começando é primeiramente acreditar em si. Ter confiança no seu potencial, gostar de si. Todo mundo tem suas qualidades, tem que mostrar isso", afirmou.

                                  Divulgação
                                  
                                  Atriz será a primeira anã de Walcyr Carrasco

Pioneira
A personagem de Juliana será a primeira anã escrita por Walcyr Carrasco para uma novela, mas o autor já tem um histórico de incluir em suas tramas casais com que superaram alguma deficiência com amor incondicional.

Em Amor À Vida (2013), Bruna Linzmeyer viveu Linda, uma garota autista. Rafael (Rainer Cadete) se apaixonou por ela, ajudou em seu desenvolvimento psicológico e em sua inserção na sociedade. Já em Caras & Bocas (2009), a atriz deficiente visual Danieli Haloten interpretou a personagem Anita. Ela e o garçom Anselmo (Wagner Santisteban) se apaixonaram e formaram uma família no final da trama.

Orgulhosa de ter sucesso em sua profissão, Juliana procura conscientizar outros portadores de necessidades especiais a se esforçarem e exigirem seu lugar na sociedade.

"Temos muito ainda que lutar. Temos muitos direitos, e há pessoas que não conhecem os direitos que têm. Vamos levantar a cabeça, nos conhecer, saber o que a gente é capaz de fazer. Eu acredito que ainda vamos ter um mundo mais com a nossa cara", declarou.

Médicas residentes geram polêmica ao tirar selfie com pé recém-amputado: 'Minha primeira perna, pai'

Mexicanas ainda teriam publicado imagem com o que seria um estômago

Do R7

Reprodução/Twitter

Imagem foi publicada no Twitter, que já foi excluído

Duas médicas residentes foram demitidas e enfrentam um processo depois de terrem tirado uma selfie no local de trabalho segurando um pé amputado.

Uma das garotas é Carolina Dominguez Garcia, de 24 anos, que publicou a imagem em seu perfil pessoal no Twitter. "Minha primeira perna,pai. Me desculpe se isso vai te incomodar", diz a publicação.

Chefes da Segurança Social de Monterrey, no México, exigiram que as duas meninas saíssem da clínica e anunciaram que vão até os tribunais contra elas

Mikel Arriola, diretor do Instituto de Segurança Social do México, afirmou que os processos de demissão já foram encaminhados.

— Nós não vamos parar de reconhecer que todas as residentes que trabalham no Instituto são uma boa fonte de orgulho.

Relatos ainda dizem que, além de um pé amputado, Carolina também teria postado um foto com o que seria um pedaço de um estômago.

Ainda não está claro de qual corpo os orgãos foram retirados e as famílias das garotas disseram que também entraram com ações legais. A conta de Carolina no Twitter foi removida.


Prefeitura de São Paulo promove encontro de servidores públicos com deficiência

                     Imagem relacionada

Com o objetivo de discutir o protagonismo da pessoa com deficiência e construir uma rede de funcionários públicos com deficiência atuantes nas transformações da cidade, a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPED) promove no dia 29/03, às 14h, no Auditório do 7º andar do Edifício Matarazzo, um encontro com os servidores concursados, comissionados, estagiários e terceirizados com deficiência que atuam na Prefeitura de São Paulo com a presença dos secretários municipais Cid Torquato, Eliseu Gabriel de Pieri e Paulo Antonio Spencer Uebel.

Com apoio das Secretarias Municipais de Gestão e do Trabalho e Empreendedorismo, o evento - que promove o debate das políticas públicas sobre acessibilidade e inclusão - será o primeiro de uma série de ações que visam estimular a contribuição na construção do Programas de Metas 2017 a 2020.

O secretário municipal da Pessoa com Deficiência, Cid Torquato, acredita que a participação dos servidores públicos com deficiência é primordial para a construção de uma cidade mais inclusiva: “O importante não é só mostrar que pessoas com deficiência trabalham no setor público, mas, estimular para que estes funcionários sejam protagonistas e atuantes na construção de políticas municipais mobilizando suas unidades de trabalho”, disse o secretário.

Para conhecer melhor cada servidor com deficiência, a SMPED está realizando uma pesquisa para mapear os locais de atuação e as funções desenvolvidas por estes funcionários, além de saber quais são as mudanças necessárias para transformar São Paulo na cidade dos seus sonhos. O formulário está disponível no link http://bit.ly/2n6z9VW, até dia 28/03.

Segundo dados do Sistema Integrado de Gestão de Pessoas e Competências – SIGPEC, da Coordenadoria de Gestão de Pessoas da Secretaria Municipal de Gestão (COGEP/SMG), dos 131 mil servidores ativos da Prefeitura de São Paulo em setembro de 2016, apenas 400 autodeclararam possuir alguma deficiência. Isso representa 0,3% do total.

Para participar do encontro é necessário realizar a inscrição pelo site http://bit.ly/2nzlmFh

Fonte: revistaincluir.com.br - Imagem internet/Ilustrativa

Presentar futura norma internacional de turismo acessível para todos

 
As boas práticas mundialmente aceitadas, as empresas que se dedicam a estabelecer os critérios de actuação

Impulsada por Fundación ONCE, Associação Espanhola de Normalização, UNE e Organização Mundial do Turismo (OMT), teve lugar em Madrid os dias 13 e 14 de Fevereiro a primeira reunião de trabalho para a elaboração de uma Norma Internacional de Turismo acessível para todos Acaba de celebrarse em Madrid.

O Comité Técnico do TC 228, responsável pelo turismo e pelos serviços relacionados com o ISO (Organização Internacional de Normalização), desenvolveu um padrão internacional global e transversal que inclua, um primeiro lugar, um inventário sistemático dos padrões, os critérios técnicos, as recomendações Y los requisitos ya existentes en el ámbito de turismo accesible. Além disso, se recomendar recomendações e requisitos para esses segmentos da cadeia de valor e atividades relacionadas, que é internacional e internacional em matéria de acessibilidade continua pendente.

La futura Norma relativa a ISO 21902 Turismo e serviços relacionados. Turismo accesible para todos. Requisitos y recomendaciones. En todo al alcance, a nova norma oferecerá diretrizes claras para a planejamento do turismo ea gestão de destinos, e que proporcionará recomendações e requisitos sobre a chave.

Para Jesús Hernández, diretor de Accesibilidade Universal e Inovação de Fundação ONCE, a nova norma supondrá "uma palanca para promover o projeto para todos em um setor econômico e importante para o nível mundial. O lazer e o gozo da cultura eo turismo são um direito de pessoas com deficiência, que em muitos casos não podem desfrutar de ele. Lo que supone una discriminación. Além disso, desde o ponto de vista econômico a atividade turística pensou para todas as pessoas suprime uma fonte de criação de riqueza ".

Por sua parte, Márcio Favilla, Diretor Executivo da Organização Mundial do Turismo (OMT) destaca que a acessibilidade universal é um direito e uma oportunidade de negócios para destinos e empresas. "El turismo accesible es la respuesta al derecho universal de todos a viajar y descubrir el mundo. A la vez es una oportunidad para el sector turismo de captar un mercado global que incluye millones de personas con discapacidad, los ciudadanos senior, las familias con niños pequeños y otras personas que se encuentran conicos barreras, tanto físicas como culturales, cuando viajan . "

De igual forma, Javier García, Diretor de Normalização da Associação Espanhola de Normalização, UNE, afirma que "as normas técnicas são documentos para o alcance de todos, que contêm o consenso de todas as partes relacionadas às boas práticas mundialmente aceitas, ajudando a Las organizaciones a definir sus criterios de actuación. Atualmente, o catálogo espanhol reconhece 75 normas e projetos de norma que estabelecem os requisitos de acessibilidade em muitos ámbitos, que beneficiam tanto as pessoas com deficiência e suas famílias como a sociedade em geral ". UNE é a entidade responsável pelo desenvolvimento das normas técnicas em Espanha e representante nacional pelos organismos internacionais e europeus de normalização.

Até agora o grupo de trabalho estabelecido no marco do ISO TC228, conta com representantes de Panamá, Áustria, Reino Unido, Chipre, Luxemburgo, Portugal, Argentina, Malta, Canadá, Irlanda e Espanha, além de representantes das Associações ENAT Red Europea de Turismo Accesible), a HOTREC, a Associação Europeia de Restaurantes e Agências de Viagens (ECTAA), a SBS (Associação europeia que representa as Pymes em matéria de normalização) ea ANEC Asociación Europea de Consumidores)

O novo padrão, que está previsto é aprovado em 2018 depois de alcançar um consenso de um nível de ISO, e uma publicação em todo o largo de 2019, se aplicam a diferentes grupos de interesse do sector turístico, tanto públicos como privados e diferentes níveis.

Fontes: Caribbean News Digital - turismoadaptado.wordpress.com

Jams da Dança sem fronteiras começam em março NO CCSP

    Foto: Beto Amorim
    A imagem está no formato retangular na horizontal. Nela contém um grupo de pessoas, entre elas idosos, jovens e crianças; homens e mulheres dançando espalhados por um pátio do centro cultural de SP, ao lado deles tem um palco, com uma banda tocando uma música. Fim da descrição.
   Legenda: Espetáculo "Frestas do Olhar"

A partir do próximo domingo, dia 26/03, a Cia. Dança sem Fronteiras promove JAMs de Dança para Todos no Centro Cultural São Paulo (CCSP). Pessoas com e sem deficiência são convidadas a participar das atividades, que serão realizadas até junho e acontecem sempre no último domingo de cada mês.

Essa iniciativa visa promover a dança como um bem cultural acessível a todos, da Cia. Dança sem Fronteiras, contemplada pela 19ª edição do Programa de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo com o projeto Novas Fronteiras do Olhar.

Com música ao vivo, as JAMs incentivam a pesquisa de movimento e dança, transformando a ação por meio da reflexão e da experiência de cada um ao longo dos exercícios, que são conduzidos pela coreógrafa Fernanda Amaral e têm participação dos bailarinos com e sem deficiência integrantes da companhia.

O objetivo das práticas de improvisação coletiva é possibilitar e permitir a participação de todos, incluindo pessoas com habilidades e caraterísticas físicas, motoras e intelectuais diversas, como uma oportunidade de vivenciar o trabalho da Cia. Dança sem Fronteiras, que trabalha com a técnica da DanceAbility e acolhe a diversidade dos intérpretes.

As JAMs integram o programa institucional Livre Acesso, do Centro Cultural São Paulo, que garante o acesso de pessoas com deficiência a todas as possibilidades oferecidas pelo CCSP.

Brasil fica com a medalha de ouro do goalball feminino no Parapan SP 2017

Brasil fica com a medalha de ouro do goalball feminino no Parapan SP 2017
Foto: Time brasileiro agradece ao público pelo apoio (Crédito: Leandro Martins/CPB/MPIX)

A Seleção Brasileira feminina de goalball faturou na manhã desta sexta-feira (24), a medalha de ouro dos Jogos Parapan-Americanos de Jovens São Paulo 2017. A equipe verde-amarela confirmou seu favoritismo e encerrou a campanha na competição de forma invicta. O título veio com vitória por 10 a 0 sobre o México.

Antes de receber a medalha, o time fez questão de ressaltar a torcida, que fez a diferença. O técnico Dailton Nascimento lembrou que a arquibancada cheia também faz parte da preparação para futuras competições.

Elas foram testadas na pressão hoje, com torcida, bons técnicos assistindo e televisão. O Brasil tem a felicidade de ter meninas tão talentosas - vibrou o treinador brasileiro.

A sexta-feira também foi dia de semifinais. Os times masculinos do Brasil e do México jogaram e a partida semifinal durou menos de 5 minutos: os brasileiros marcaram 10 gols, o necessário para que o time fosse declarado vencedor. Em seguida, Argentina e Colômbia disputaram a outra vaga na final. O placar de 8 × 2 leva os argentinos para a final e coloca frente a frente os dois rivais sul-americanos, neste sábado, às 10h.



Fonte: cbdv.org.br

Brasil tem sexta-feira com ouro no futebol de 5 e em mais sete modalidades no Parapan de Jovens

Por CPB

Imagem

A sexta-feira foi dourada para a Seleção Brasileira de futebol de 5 (para cegos) nos Jogos Parapan-Americanos de Jovens São Paulo 2017. A equipe do Brasil venceu a Argentina por 1 a 0, com gol de Jonathan, para se consagrar a campeã do torneio. Além do futebol de 5, o país ainda levou medalhas de ouro em sete outras modalidades neste penúltimo dia de disputas do evento.

No futebol para cegos, assim como em muitos outros esportes, esta é uma das maiores rivalidades. Na estreia da competição, na terça-feira, a Argentina havia vencido o Brasil pelo mesmo placar, deixando os brasileiros apreensivos por se tratar de um torneio curto. "Chegamos com receio na primeira partida, mas hoje entramos para ganhar mesmo, com gana, para deixar a taça aqui", contou o autor do gol.

Para o técnico Fábio Vasconcelos, o título foi merecido pelo amadurecimento que a Seleção apresentou durante a competição. "Vim com a ideia de trabalhar com esses jovens para renovar a Seleção principal, que ganha tudo, mas já está envelhecendo. E aqui tem muitos jogadores novos, de 15 ou 16 anos, que nunca jogaram partidas internacionais ou que jogam pouco em seus clubes. Então foram crescendo dentro da competição, trabalhando a parte psicológica, mesmo com a pressão muito grande da comparação com a Seleção adulta. Achei que hoje fizeram uma excelente partida, mereceram a vitória, e me deixaram bastante feliz por terem acompanhado minha ideia", analisou o treinador.

Tênis em cadeira de rodas
No último dia de competições do tênis em cadeira de rodas, disputado no Clube Espéria, Brasil e Argentina consolidaram-se como as duas grandes forças do torneio.

Na simples masculina, o Brasil fez a dobradinha com Jucelio Torquato e Fabio Bernardes, com ouro e prata, respectivamente. Na simples feminina, mais duas medalhas para o Brasil: Maria Fernanda Alves perdeu para a argentina Antonella Pralong por 2 sets a 0 e ficou com a prata. O bronze foi para Jade Lanai Moreira, que superou Nicole Maria Dhers, da Argentina, por 2 sets a 0.

Jade e Maria Fernanda ainda levaram a prata nas duplas após perder a final para as argentinas Antonella e Nicole Maria. Ontem, a dupla masculina formada por Jucelio e Fabio levou a medalha de ouro.

Natação
A modalidade encerrou as atividades hoje e o Brasil levou 61 medalhas nos quatro dias de competição, sendo 27 de ouro, 17 de prata e 17 de bronze. Um dos destaques do grupo brasileiro foi Matheus Ribeiro, que nadou cinco provas e levou cinco medalhas de ouro. "Quando cheguei aqui, não esperava baixar meus tempos como fiz aqui. E consegui ser mais rápido em todas as provas individuais e fiquei com ouro em todas elas. Estou bem satisfeito", resumiu Matheus.

Tênis de mesa
Nesta sexta-feira, as disputas por medalhas na modalidade foram por equipe. O time formado por Danielle Rauen, Lethicia Rodrigues e Iolanda de Almeida ficou com a medalha de ouro. Também levou o ouro o trio masculino formado por Marlison Alfaia, Gustavo Laskosky e Paulo Fonseca, no torneio classes 6-10.

Além das duas medalhas de ouro, o Brasil ainda levou uma prata com Camila Ribeiro, Maria Laura Freitas e Raiza da Silva, que formaram o time feminino das classes 6-10.

Goalball
A sexta-feira foi de medalha de ouro para as meninas e classificação à final para os meninos. No feminino, o time brasileiro goleou o México por 10 a 0 para comemorar o título. No masculino, repetiu-se o mesmo placar também contra os mexicanos. A equipe enfrenta a Argentina na final, neste sábado, às 10h.

Vôlei sentado
Em um jogo bem disputado, as brasileiras levaram a melhor sobre os Estados Unidos para subir ao topo do pódio. Até chegar à final, o Brasil não havia perdido nem um set, mas na decisão, depois de abrir 1 a 0 (25 a 15), viram as americanas se fortalecerem e vencer o segundo set (25 a 23), igualando o placar. No terceiro, as brasileiras fizeram 25 a 20, fecharam a partida em 2 a 1 e comemoraram a medalha dourada. O time masculino ficou com o bronze ao vencer a República Dominicana por 3 a 0.

Bocha
Um ouro e uma prata foram conquistadas por brasileiros nesta sexta. A medalha dourada foi para Lucas Araújo, na classe BC3, que venceu o colombiano Carlos Torres por 5 x 3. Na classe BC4, Marcial Quadros, do Brasil, perdeu para Cristian Salcedo, da Colômbia, por 6 x 4 e ficou com a prata.

Basquete em cadeira de rodas
O time masculino alcançou a final da competição nesta sexta-feira. Os brasileiros ficaram com a vaga ao vencer a Colômbia por 63 a 27. Os rivais na decisão deste sábado serão os mexicanos, que venceram a Argentina por 74 a 49. A final começa às 11h.

Futebol de 7
Após garantirem a classificação à final com uma vitória por 7 a 3 sobre a Venezuela na quinta-feira, o Brasil teve a sexta-feira para descansar para a final deste sábado. O confronto que vale a medalha de ouro será contra a arquirrival Argentina, às 11h30.

Para mais informações sobre o Parapan de Jovens, confira o site do evento (www.saopaulo2017.com). Acompanhe também as redes sociais dos Jogos.

Fonte: cpb.org.br

Conheça Claudia...

                                    

Meu nome é Claudia, tenho 38 anos e quando tinha 11 anos fui diagnosticada com Distrofia Muscular de cinturas, uma doença degenerativa e progressiva.

No começo ainda andava com dificuldades, mas com o passar do tempo a cadeira de rodas foi inevitável. Precisava escolher: ou eu vivia minha vida trancada dentro de casa, ou encarava essa situação... E foi então que descobri minha liberdade através da cadeira de rodas.

Para muitos, a cadeira de rodas é um sinônimo de prisão, eu digo que não, pois é o começo de uma liberdade .

Nunca enfrentei o preconceito visível. É claro que as pessoas olham pois não acreditam que uma pessoas em uma cadeira de rodas possa ter família e até ser feliz. Mas, os olhares curiosos sempre vão existir.

                                              

Mesmo com todas minhas dificuldades consegui concluir o ensino médio. Em 1997 conheci meu marido e nos casamos em 2001.

Três anos depois, mesmo com algumas contrariedades médicas pelo fato do meu estado físico que poderia se agravar , realizei o maior sonho: O de ser Mãe!

Tive algumas complicações na hora do parto, mas quando Deus tem um propósito, ele cumpre .

O meu "sonho" se chama Arthur e está prestes a fazer 13 anos. Ele é um menino lindo, saudável e que me ajuda muito.

Meu marido e meu filho são grande incentivo e minha vida. Meu marido é um anjo que Deus mandou pra mim .me ajuda muito!

                              

Todos nós passamos pela vida com um propósito e devemos cumpri -lo da melhor forma possível. Desafios e dificuldades sempre surgirão, cabe á você escolher o caminho á seguir. Não é fácil e requer muito esforço, mas com muita força de vontade conseguimos vencer a cada dia os adversários que existem dentro você... O desânimo e o cansaço são inevitáveis, mas a sua força e principalmente a sua fé faz que tudo dê certo, é preciso apenas vencer o seu medo! Apesar das limitações e dificuldades; somos os únicos responsáveis por nossa felicidade. A superação é diária e a cadeira de rodas é apenas um detalhe. 


Institutos ‘Mara Gabrilli’ e ‘Gabi’ realizarão primeiro mutirão do ano na Vila Mascote

A ação vai acontecer neste sábado (25/04), a partir das 8h30.

um jovem com a camiseta do projeto está ao lado de uma das atendidas, que apoia os braços nele e na fundadora do IMG, Mara Gabrilli, que está do outro lado. Os três estão sorrindo.

Neste sábado (25/3), o Instituto Mara Gabrilli (IMG), em ação conjunta com o Instituto Gabi , realizarão o primeiro mutirão de 2017 do Projeto Cadê Você?. A edição acontecerá na Vila Mascote, bairro da região do Jabaquara, zona sul da capital paulista. Na ocasião, acontecerá a inauguração da sede própria do Instituto Gabi, que abrirá suas portas para realizar o mutirão e atender as demandas mapeadas das unidades básicas de saúde da região.

Criado em 2010, o projeto Cadê Você? localiza e identifica pessoas com deficiência moradoras de comunidades carentes da cidade, levando informações sobre os principais serviços nas áreas de saúde, trabalho, acessibilidade, educação e direito a esse público.

Para isso, uma equipe multidisciplinar – formada por psicólogos, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, assistentes sociais e fonoaudiólogos, realiza uma avaliação socioeconômica da região, levando em consideração a oferta de equipamentos de reabilitação disponíveis à população. De acordo com a deficiência e grau de necessidade, cada participante é conduzido a um atendimento específico. No final de cada consulta, todos são encaminhados aos serviços públicos mais próximos de suas residências.

Desde sua criação, há sete anos, o Cadê Você? já atendeu cerca de 3 mil pessoas, resgatando dignidade na faceta mais vulnerável da sociedade, que é a da pessoa com deficiência moradora da periferia.

Ainda nessa edição, o projeto contará, mais uma vez, com a parceria do Instituto Sorrir para a Vida, instituição para onde os atendidos serão encaminhados para tratamento odontológico, além da Coloplast, empresa que oferece serviços, produtos de saúde e cuidados íntimos, e que recentemente firmou uma parceria tornando-se também patrocinadora do Instituto Mara Gabrilli.

Neste mutirão, a empresa oferecerá um profissional de saúde para compor a equipe multidisciplinar do projeto e explicar às pessoas com deficiência e seus familiares os cuidados básicos que devem ter com o trato urinário. É muito comum entre pacientes que sofreram lesão medular a ocorrência de problemas de funcionamento da bexiga e intestino. Muitas vezes, por falta de cuidados e informação, essas pessoas acabam desenvolvendo sérias infecções e outras doenças decorrentes.

SERVIÇO

41º mutirão do Projeto Cadê Você?
Dia: sábado (25/3)
Horário: das 8h30 às 16h
Onde: Instituto Gabi – Rua Palacete das Águias, 753 – Vila Mascote
Mais informações: Maria Aparecida Valença – coordenadora do Projeto Cadê Você? cida@img.org.br – (11) 976196781

Família denuncia internauta que ofendeu bebê com Síndrome de Down na web.

Vivian Ortiz Do UOL, em São Paulo.

Reprodução/Facebook/Ju Preto
Juliana Preto posa com o sobrinho Fernando, de 11 meses
Juliana Preto posa com o sobrinho Fernando, de 11 meses.

Fernando, um bebê de 11 meses com Síndrome de Down, foi comparado a um filhote de cachorro nos comentários de uma foto postada pela tia dele, a jornalista Juliana Preto, no dia 21 de março,considerado o Dia Internacional da Síndrome. Por conta das circunstâncias, a família, que mora em Recife (PE), optou por denunciar a agressora e levar o caso à justiça.

Em entrevista ao UOL, Juliana explica que a mulher que fez o comentário fazia parte de seus contatos na rede social por questões profissionais e que, apesar dos vários amigos em comum,não tinha uma real amizade com ela. "Quando publiquei, recebi várias palavras elogiosas de pessoas achando a foto fofa, até por ele ser pequenininho", conta.

Dois dias depois da publicação, na quinta-feira (23), o comentário agressivo chamou sua atenção: "Lindos quando são pequenos, mas quando crescem só pensam em trepar", escreveu essa internauta sobre a foto.

                     

Juliana afirma ter ficado tão chocada com as palavras que nem soube o que fazer na hora. "Fui respondendo de forma educada, e ela retrucando.Aí a mãe do meu sobrinho viu e também agiu de forma educada, mas como outras pessoas começaram a criticá-la também, ela apagou os comentários", explica.

A família, no entanto, já estava atenta ao caso e copiou todas as mensagens, além de ir atrás dos dados da tal internauta.Eles procuraram uma delegacia para prestar queixa nesta sexta-feira (24) pela manhã. "A ideia é que ela entenda que não pode sair ofendendo as pessoas impunemente", ressalta Juliana.

De acordo a jornalista, a internauta teria cometido crime de injúria qualificada, além de se enquadrar na lei 13.146/2015,que trata da inclusão das pessoas com deficiência. "No artigo 88, fala especificamente sobre incitação ao ódio contra pessoas com deficiência e Síndrome de Down na internet, com penas de dois a cinco anos", ressalta.

Juliana lembra que, mesmo com toda a repercussão que o caso está tendo--especialmente nas redes sociais--, em nenhum momento aconteceu um pedido de desculpas da parte da internauta.

"Tenho meus preconceitos e brigo com isso todos os dias na tentativa de ser uma pessoa melhor, mas ela não teve essa humildade. Por isso, a família decidiu ir atrás dos direitos do Fernandinho. Essa vai ser a primeira luta dele",diz.

Procurada pela reportagem, a mulher que fez os comentários na foto de Juliana não havia respondido ao contato até o fechamento da matéria.

sexta-feira, 24 de março de 2017

SPFC e IOK homenageiam o Dia Internacional da Síndrome de Down

Foto: Reprodução/IOK
A imagem está no formato retangular na horizontal. Nela contém 4 jogadores de futebol do São Paulo, em fileiro no gramado, para cantar o hino, ao lado deles estão 4 crianças que tem síndrome de down usando a camiseta do instituto. Fim da descrição.
Legenda: Atendidos do IOK participarão da próxima partida do SPFC

O jogo entre São Paulo x Corinthians, pelo Campeonato Paulista, está marcado para o Morumbi, no dia 26/03. Uma data que será inesquecível para as crianças e jovens atendidas pelos projetos do Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural (IOK).

Eles entrarão em campo antes de iniciar a partida com a camiseta do IOK e uma faixa comemorativa com os dizeres: 21.03 – Dia Internacional da Síndrome de Down. Depois, as crianças vão assistir ao jogo em um lugar reservado no estádio e sentir de perto a energia da torcida num dos mais importantes clássicos do futebol.

“O São Paulo mais uma vez compreende a importância de promover a conscientização sobre esta data tão importante. E nós só temos a agradecer ao clube pelo carinho e pela alegria que vão proporcionar a essas crianças e jovens”, afirma Dra. Olga Kos, vice-presidente do IOK.

“O São Paulo cumpre, mais uma vez, sua missão social ao apoiar novamente a iniciativa do Instituto Olga Kos. Esperamos que, ao abrir esse espaço em uma partida no Morumbi, o clube possa ajudar a promover a conscientização sobre a causa”, diz o vice-presidente de Comunicações e Marketing do clube, José Francisco Manssur.

Natália Monaco, coordenadora de Esportes do Instituto Olga Kos, explica a importância da prática esportiva no processo de inclusão de pessoas com a síndrome de Down.“A prática esportiva ajuda na promoção da saúde, auxiliando na diminuição do stress cotidiano, aumento da autoestima e permite que o praticante desenvolva o seu crescimento pessoal. Independente da linha da prática esportiva competição ou alto rendimento, participação ou educação, o esporte promove benefícios no aspecto social e cognitivo quando em diversos momentos exige tomada de decisão”.

Natália Monaco destaca ainda que além da prática específica, o esporte pode acontecer em diversos ambientes, o que facilita as relações sociais entre os indivíduos, pois atua sob uma demanda diversificada de ambientes e grupos.

“Podemos dizer que o esporte é um grande agente facilitador de relações. Atualmente, observamos os grupos de futebol do trabalho, grupos de caminhada de amigos e até mesmo dentro de ambientes corporativos. O sedentarismo mata e adoece cerca de 5 milhões de pessoas por ano no mundo. Desta forma, a prática esportiva traz benefícios imensuráveis na vida de seus praticantes”.

TVs oferecem recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência

Foto: Divulgação
A imagem está no formato retangular na horizontal. Nela contém a parte de baixo de uma TV samsung, dando enfoque ao nome Samsung. Na frente, está um controle remoto apoiado na estante. Fim da descrição.
Legenda: TVs Samsung são acessíveis para pessoas com deficiência

Todas as Smart TVs da Samsung possuem um recurso que poucos conhecem, mas que oferece acessibilidade para pessoas com deficiência visual e auditiva. Ao clicar nas configurações de acessibilidade do menu, o usuário tem à disposição diversas funcionalidades como o Guia de Voz e ajuste nos níveis de alto contraste, que facilitam o uso e proporcionam uma melhor experiência de assistir TV. Estas inovações tecnológicas permitem que esse público adquira ainda mais independência no seu dia a dia.

O destaque dos recursos projetados especialmente para as pessoas com deficiência visual é o Guia de Voz, que facilita o gerenciamento das funções da TV e guia o usuário nas operações do cotidiano como troca de canais, ajuste de volume, descrição dos programas exibidos no Guia Eletrônico de Programas (EPG), acesso ao menu de configurações, buscas no Google ou YouTube, além de outras etapas que são apenas mostradas na tela.

Além disso, o recurso por voz ajuda o usuário a mexer nos aplicativos, gravar programas que serão exibidos e checar horários dos próximos programas, por exemplo. É possível também ajustar a velocidade e o tom do Guia de voz, para que o entendimento seja melhor e mais claro para cada usuário.

O tamanho da fonte, que pode ser ajustado, é outra funcionalidade presente nas Smart TVs da Samsung. É bastante útil para as pessoas que têm visão parcial ou miopia, pois com a letra maior é mais fácil para o usuário enxergar na distância entre o televisor e o sofá.

Por meio dos níveis de alto contraste, a interface gráfica de usuário nas Smart TVs Samsung permite que tudo fique ainda mais legível. O ajuste no contraste funciona para quem tem dificuldades para enxergar quando a tela da TV está muito escura ou muito clara.

Há também o recurso que oferece acessibilidade as pessaos com deficiência auditiva. Nas Smart TVs da Samsung é possível conectar um fone de ouvido bluetooth para ajudar as pessoas - que precisam aumentar um pouco mais o volume - a assistir a sua novela ou programa favorito, escutando melhor e sem incomodar os amigos ou a família que estão na sala.


Parapan de Jovens inaugura pódio em quatro modalidades

A terça-feira foi de medalhas nos Jogos Parapan-Americanos de Jovens São Paulo 2017. 

Imagem Internet
Resultado de imagem para A terça-feira foi de medalhas nos Jogos Parapan-Americanos de Jovens São Paulo 2017.

O pódio da competição foi inaugurado ontem, dia 21/03, com natação, atletismo, halterofilismo e tênis de mesa. Os primeiros a conhecerem seus campeões foram os nadadores, mas o que chamou atenção dos torcedores do Brasil foi a dupla quebra de recorde brasileiro da halterofilista Mariana DAndrea, que levou a medalha de ouro na divisão leve feminina da modalidade ao levantar 105kg na barra.

A jovem de 19 anos esteve nos Jogos Paralímpicos Rio 2016, mas queimou as três tentativas na ocasião. Hoje, a paulista ignorou a ansiedade por estar em uma competição internacional e confirmou as três tentativas. "Comecei com 98kg só para entrar na disputa. Depois que recebi a confirmação, fiquei mais tranquila para os próximos movimentos", contou.

Mariana, então, seguiu para a quebra de recorde brasileiro, de 101kg, que pertencia a ela mesmo. "Senti que estava bem e pedi 103kg. Como já tinha confirmado, parti para os 105kg e deu certo", comemorou a atleta.

Com a medalha no peito, a atleta agora planeja ir ao mundial da modalidade, em setembro, na Cidade do México. Com a carga alcançada hoje, Mariana fica confiante para chegar a mais um campeonato internacional na carreira. "O mundial agora é a minha meta. Acho que chego lá, sim", analisou.

Além do ouro de Mariana, o Brasil ainda levou mais uma medalha de prata, com Lucas Manoel dos Santos (até 49kg), e uma de bronze, com Marcos Gabriel Cruzato (até 49kg).

Outros destaques

A terça-feira também foi de disputa em outras modalidades do programa do Parapan de Jovens. Confira abaixo o resumo do dia.

Basquete em cadeira de rodas
A Argentina conseguiu duas vitórias na chave feminina da competição. Na partida de estreia, superou o Peru por 8 a 0. Em seguida, bateu o time chileno por 5 a 3. As chilenas recuperaram-se no duelo contra as peruanas e venceram por 6 a 0.

Futebol de 5
A equipe da Colômbia estreou com uma grande atuação diante dos mexicanos. O time sul-americano superou os rivais do América do Norte por 5 a 1. Na parte da tarde, o grande clássico da modalidade foi disputado no CT Paralímpico Brasileiro – Brasil x Argentina. O resultado foi feliz para o lado dos hermanos, que venceram por 1 a 0.

Futebol de 7
A Seleção Brasileira conseguiu a segunda vitória seguida no evento. Após estrear com triunfo sobre a Venezuela, o time verde e amarelo teve mais uma atuação convincente e superou o Chile por 2 a 0 – com gols de Gustavo de Jesus e Paulo Silva.

Goalball
O Brasil também foi soberano nesta manhã no goalball. Tanto os homens quanto as mulheres do país venceram na estreia do evento. A equipe masculina fez 10 a 0 sobre a Argentina. Já o feminino venceu pelo mesmo placar, mas contra a Colômbia.

Vôlei Sentado
A Colômbia e a Venezuela começaram bem a chave feminina do evento. A equipe colombiana superou o time da casa, Brasil, por 3 sets a 0. Mesmo placar que ilustrou a vitória das venezuelanas sobre o time da República Dominicana.

Fonte: revistaincluir.com.br - Imagem Internet