sábado, 22 de abril de 2017

Deputado pede atenção popular para a osteoporose e suas sequelas

Por Priscila Torres*


Poucos dias após os deputados aprovarem, em sua primeira fase de estudos, a criação do Dia Estadual de Prevenção, Controle e Orientação sobre a Osteoporose em Mato Grosso, o Ministério da Saúde fez um alerta. Ele reforçou a necessidade de se apostar – ainda durante a infância – nas ações de prevenção contra a doença. O sobreaviso do ministério foi feito em Joinville (SC), durante o 7º Congresso Brasileiro de Densitometria, Osteoporose e Osteometabolismo.

O 7º Bradoo discutiu particularidades da formação óssea, novidades no diagnóstico das doenças osteometabólicas e apresentou novas terapêuticas importantes para o tratamento dessas doenças. Segundo o seu presidente, Dalisbor Marcelo Weber Silva, “assim como a hipertensão leva ao AVC e o colesterol alto leva ao infarto – ambos sem dar sintomas – a osteoporose leva a fraturas de forma silenciosa, que podem ser muito graves”.

Em seu alerta, o doutor Dalisbor citou as fraturas do fêmur, em que aproximadamente 25% dos pacientes morrem em 6 meses e 30% ficam em cadeiras de rodas. Sobre o assunto, o deputado Wagner Ramos (PSD) lembrou do seu Projeto de Lei n° 32/2016. “Ele cria uma data de atenção para a osteoporose, os cuidados que devemos ter em torno da prevenção, de avaliações e do nosso corpo”, disse o parlamentar.

Segundo ele, nesse contexto cabe à população em geral uma conscientização sobre a prática regular de exercícios físicos e os seus benefícios para que se possa obter uma melhor qualidade de vida. “É importante que a população seja informada das consequências causadas por essa doença para a prevenção dos riscos e de sua evolução”, concluiu Wagner.

Priscila Torres*
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de Artrite Reumatoide aos 26 anos, enquanto atuava como enfermeira, estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros. De repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída.
Hoje sou “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil. http://www.artritereumatoide.blog.br/


Motoristas são flagrados estacionando em vagas para pessoas com deficiência, no ES - Veja o vídeo.

Imagens foram feitas em um shopping da Serra. Telespectador que tem um filho com deficiência ficou revoltado com a situação.

Por TV Gazeta

Resultado de imagem para Motoristas são flagrados estacionando em vagas para pessoas com deficiência, no ES

Motoristas foram flagrados estacionando seus carros em vagas destinadas para pessoas com deficiência, em um shopping da Serra, no Espírito Santo. Nas imagens, é possível ver os carros que estacionam no local sem permissão.

Click AQUI para ver o vídeo.

O vídeo foi feito pelo telespectador Igor Prata, que se revoltou com a situação. Ele tem um filho com deficiência e conta que sempre tem dificuldade para estacionar na vaga que tem direito.

O shopping onde a situação ocorreu disse que não pode multar o motorista que estaciona na vaga reservada. No entanto, a assessoria do shopping disse que é aplicada uma multa moral, que é um papel com um pedido pra que o motorista respeite a vaga destinada a deficientes, idosos ou grávidas.

Apesar disso, quem se sentir lesado, pode acionar a guarda de trânsito, mesmo dentro de um local particular, e a guarda pode multar o motorista infrator.

Fonte: g1.globo.com

Rebeca Campos disputa Open Internacional Paralímpico em SP

Paratleta acreana compete na classe S14, nos 200m livre, 200m medley, 100m costas e 100m peito. Primeira prova ocorre nesta sexta-feira (21)

Por Nathacha Albuquerque Rio Branco, AC

                              Rebeca Campos, paratleta acreana (Foto: Geison Moraies/arquivo pessoal)
Rebeca Campos particpa de Open Internacional em SP (Foto: Geison Moraies/arquivo pessoal)

Após abrir com vários pódios a temporada 2017, conquistou seis ouros na etapa regional Centro-Leste do Circuito Caixa, e alcançar índices para as etapas nacionais, a atleta Rebeca Campos (Classe S14), destaque da natação acreana, se prepara para mais um desafio. Ela disputa o Open Internacional, em São Paulo (SP), no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, neste fim de semana, nos 200m livre, 200m medley, 100m costas e 100m peito. A primeira prova ocorre nesta sexta-feira (21), no período da tarde, nos 100 m peito.

Treinando na capital paulista desde a semana passada, Rebeca completou 20 anos nesta quinta-feira (20) e comemorou ao lado dos grandes nomes do esporte paralímpico nacional. Geison Morais, treinador da paratleta destaca o potencial dela nas competições fora do estado e a importância dos patrocínios durante a temporada 2017, que promete ser uma das mais competitivas da carreira da jovem.

Na quarta ela fez a classificação internacional, que é um exame para comprovar a deficiência. É um longo processo. E com enorme alegria recebeu mais um presente no dia de seu aniversário. Ela foi contemplado com um novo patrocínio. Num momento deste, em que tudo faz diferença, essa ajuda vem a fortalecer ainda mais a disputa ao longo do ano - explica.

Além de Rebeca, Jerusa Geber e Edson Cavalcante também participam da disputa, no atletismo. O Open Internacional é realizado anualmente pelo Comitê Paralímpico Brasileiro. O evento conta com a presença de atletas dos cinco continentes e faz parte do calendário do Comitê Paralímpico Internacional de atletismo e natação e conta pontos no ranking mundial das duas modalidades.

Pessoas com deficiência intelectual e portadores de síndromes terão acesso a vagas especiais em Fortaleza

Decisão foi acordada entre o Ministério Público e Prefeitura de Fortaleza.

Imagem Internet/Ilustrativa
Resultado de imagem para deficiência às vagas especiais nos estacionamentos

A Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) vai regulamentar no prazo de 60 dias o acesso às vagas de estacionamento, em Fortaleza, às pessoas com deficiências diversas. Nesta semana, a Prefeitura de Fortaleza acatou a recomendação do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) para ampliar o acesso de pessoas com diversos tipos de deficiência às vagas especiais nos estacionamentos localizados no município de Fortaleza.

A decisão ocorreu após audiência realizada pelas 18ª e 20ª Promotorias de Justiça Cível de Tutela Coletiva da Pessoa com Deficiência e Acessibilidade, ligadas ao MPCE. De acordo com o promotor de Justiça Eneas Romero de Vasconcelos, titular da 18ª Promotoria de Justiça Cível, a partir de agora, familiares e acompanhantes de pessoas com deficiências intelectual, auditiva, autismo, síndrome de down e outras deficiências poderão solicitar à AMC o documento que permite acesso à vaga especial nos estacionamentos.

Segundo o promotor de Justiça, a recomendação do MPCE foi emitida em agosto de 2016 e desde setembro de 2016, a AMC vem concedendo documentos conforme recomendação do Ministério Público com autorizações pontuais. A partir de agora, o fireito às vagas fica grantido para toda a população deficiente física, mental e com outras síndromes.

Fonte: g1.globo.com - Imagem Internet/Ilustrativa

Após várias cirurgias, menina com nanismo vive momento mágico na Disney.

Do UOL

  Resultado de imagem para Após várias cirurgias, menina com nanismo vive momento mágico na Disney                 
Daisy Perez, 7 anos, nasceu com um tipo de nanismo chamado acondroplasia (que se caracteriza por membros curtos, mas tronco normal). A menina –que passou por inúmeras cirurgias por causa do problema— conseguiu realizar o sonho de conhecer a Disney graças a uma enfermeira que acompanhou seu caso e a Make a Wish, instituição de apoio a crianças.

A viagem em si já encheu a menina de alegria, mas o ápice foi o encontro com a princesa preferida de Daisy: a Bela, da história "A Bela e a Fera".

Os funcionários dos parques da Disney são treinados para identificar oportunidades de fazer o dia dos visitantes ainda mais especial e foi o que aconteceu com Daisy.

Ao encontrar a menina fantasiada da personagem, uma funcionária do parque Epcot –vestida como Bela-- decidiu se aproximar e interagir com a menina, que foi às lágrimas.

A história de Daisy ganhou repercussão na internet após uma tia da menina postar em sua conta no Twitter fotos do encontro."A Bela se aproximou de Daisy e perguntou se ela tinha planos. Como dissemos que não, a princesa a convidou a fazer um passeio pela França [área dedicada ao país no Epcot]", falou Patricia.


Regional Sul de Goalball tem as primeiras classificadas para as semifinais

Regional Sul de Goalball tem as primeiras classificadas para as semifinais
Foto: A anfitriã AMACAP-PR está classificada para a semifinal.

O Regional Sul de Goalball começou nesta sexta-feira (21), no Centro Esportivo Jardim Alvorada, em Maringá, e quatro equipes já garantiram vaga nas semifinais da competição na categoria masculina. Na disputa entre as mulheres, o sábado será decisivo, e todas as equipes chegam em condições de brigarem por um lugar na final, que acontece no domingo.

Com duas vitórias cada, AMACAP-PR e IRM-PR sobram no Grupo B, e garantiram vaga na semifinal da competição. Neste sábado (22), as equipes se enfrentam para ver quem fica com a liderança da chave. Mesma situação do Grupo A, que com três equipes, viu ACESA-SC e ACERGS-RS derrotarem a AFADEV-RS. O time de Farroupilhas não tem mais chance de classificação. Já o time de Porto Alegre e de Florianópolis jogam pelo primeiro lugar.

Na categoria feminina, as quatro equipes mostraram bastante equilíbrio. IRM-PR e ACERGS-RS empataram em 6 a 6, e na única vitória de uma equipe no primeiro dia de competição, a ADEVIFOZ-PR venceu partida difícil contra a ACEVALI-SC por 14 a 12. Neste sábado, acontecem mais quatro partidas para o fechamento da primeira fase. As duas melhores colocadas disputam o título no domingo.

A disputa da artilharia também começou acirrada. Na corrido de melhor goleador da categoria masculina, Wesley Vieira, da AMACAP-PR fez 10 gols, seguido de perto por Adenilson Vicente, do IRM-PR, com 9. No feminino, Heloiza Vanzuita, da ACEVALI-SC, balançou as redes adversárias 8 vezes, enquanto Salete Tomaz, da ADEVIFOZ-PR, marcou 6.

Parceria

Antes da bola rolar para o início do Regional Sul de Goalball, a cerimônia de abertura da competição apresentou as equipes participantes, na presença da coordenadora de paradesporto da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de Maringá, Mariana Picolli.

É uma enorme satisfação ter vocês aqui. A secretaria de esporte da cidade iniciou este ano com uma nova gestão, então esse ano eu assumi com o objetivo de fazer muita coisa pelo esporte paralímpico na cidade. Esperamos que esta seja a primeira de muitas competições que queremos realizar aqui. A gente agradece a CBDV, a AMACAP e deseja a todos uma excelente competição, e quando quiserem voltar estaremos à disposição - disse Mariana Picolli.

O secretário geral da CBDV, Helder Araújo, fez questão de agradecer a parceria e destacou a importância do início do novo ciclo.

Queria agradecer à Secretaria, em nome da Mariana Picolli, agradecer a AMACAP, parceira na organização do Regional, e queria agradecer à todas as equipes, todos os participantes. Esse é o primeiro Regional do ano, onde começamos um novo ciclo, no qual acho importantíssimo pelos resultados que nós colhemos no ciclo passado e todo resultado que tivemos teve um pedaço de cada um de vocês, técnicos, dirigentes, atletas. E torcemos para que nossos eventos continuem com um nível alto, isso é importante para a modalidade, para o Brasil - encerrou o secretário geral da CBDV, Helder Araújo.


Regional Sul de Goalball
Data: 21 a 23 de abril de 2017
Horário: 09:00 às 11h30 – 13:30 às 17:40 (21 e 22/04); 08:00 às 09:40 (23/04).

Local: Centro Esportivo do Jardim Alvorada
Endereço: Rua Mato Grosso, S/N - Maringá/PR - 87033-110 (esquina com Alameda Dr. João Paulino).

Entrada franca

Fonte: cbdv.org.br

Thiago Paulino abre Open Internacional Loterias Caixa com recorde mundial no lançamento de disco

Por CPB

Daniel Zappe/CPB/MPIX
Imagem

O paulista Thiago Paulino bateu nesta sexta-feira, 21, o recorde mundial do lançamento de disco, classe F57. O paulista foi a estrela da abertura do Open Internacional Loterias Caixa de Atletismo e Natação. A competição acontece no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo, e segue até domingo, 23.

Thiago registrou a marca de 48,04m - melhor do que o antigo recorde, que pertencia a ele próprio, de 47,68m. Como consequência, o lançador ainda atingiu o índice A e garantiu a sua vaga para o Mundial de atletismo paralímpico, que acontecerá em julho, em Londres.

"Estou muito feliz porque trabalhei bastante para este resultado. Fiquei um pouco frustrado por não conseguir uma medalha no Rio 2016, no arremesso de peso, mas já comecei logo em seguida a preparação para o lançamento de disco. Conseguir este resultado logo na primeira competição do ano leva a minha confiança lá em cima para ir muito bem no Mundial também", disse o atleta de 31 anos.

Thiago teve de amputar a perna esquerda abaixo do joelho devido a um acidente de moto, em 2010. No ano passado, ele ficou com a quinta colocação no arremesso de peso F57 nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016. O lançamento de disco não fez parte do programa da competição.

Quem também alcançou a marca classificatória para o Mundial de Londres foi Renata Bazone. A meio-fundista da classe T11 (cegos totais) classificou-se nos 800m, em que registrou o tempo de 2min31s22 - mais de um segundo abaixo do índice estabelecido pelo CPB, de 2min32s40.

Já na parte da tarde, destaque para Caio Vinicius, que venceu o arremesso de peso, classe T12 (atletas com baixa visão). Ele fez a marca de 15,43m - a melhor do ranking mundial nesta temporada e muito próxima do índice classificatório para o Mundial de Londres. Para qualificar-se nesta prova, o CPB estabeleceu o mínimo de 16,12m. Outro bom resultado veio com Davi Wilker, nos 400m classe T13. Ele venceu a prova com o tempo de 49s85.

O Open conta com a presença de 316 atletas - 181 do atletismo e mais 135 da natação. Participarão representantes de Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Jamaica, México e Peru. A competição integra o calendário oficial do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês) e é uma etapa da World Series de natação e do Grand Prix de atletismo.

A entrada é franca e aberta ao público.


Programação da competição
21/04 - sexta
Atletismo: 9h às 11h - 15h às 17h
Natação: 15h30 às 17h40

22/04 - sábado
Atletismo: 9h às 11h - 16h às 18h
Natação: 9h às 12h - 15h30 às 18h45

23/04 - domingo
Atletismo: 9h às 11h
Natação: 9h às 12h30

O Open
O Open Internacional de Atletismo e Natação é realizado anualmente pelo Comitê Paralímpico Brasileiro e conta com o patrocínio das Loterias Caixa. O evento conta com a presença de atletas nacionais e internacionais e faz parte do calendário do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês) de abertos das duas modalidades. O Open Internacional também conta pontos para os atletas para a formação do ranking mundial de atletismo e natação.

Patrocínios
A equipe brasileira de atletismo tem patrocínio das Loterias Caixa e da Braskem.

A equipe de natação tem patrocínio das Loterias Caixa.

Fonte: cpb.org.br

Primeiro dia de disputas da natação no Open Internacional Loterias Caixa tem cinco índices para o Mundial da modalidade

por CPB

Alexandre Urch/CPB/MPIX
Imagem

Cinco brasileiros obtiveram o índice para o Mundial de natação, em setembro, na Cidade do México, na tarde desta sexta-feira, 21, no Open Internacional Loterias Caixa. Enquanto Daniel Dias e Andre Brasil se classificaram ao quinto Mundial de sua carreira, Phelipe Rodrigues, ao quarto, Patrícia Santos e Cecília Araújo alcançaram a importante competição pela primeira vez.

Cecília, 19 anos, não escondeu a alegria pela conquista já no primeiro dia de competição no Open. Especialista nos 100m, classe S8, prova que valeu a vaga no Mundial, a jovem gostou de já ter nadado na primeira queda na piscina. "Estou muito feliz por isso. Estava bem nervosa antes da prova, mas pouco antes de subir no bloco ignorei essa ansiedade e fui para o índice. Era a minha prova e eu me joguei", disse.

Com paralisia cerebral, Cecília já havia representado o Brasil em outras importantes competições, mas o Mundial ainda era uma meta que perseguia. "O pensamento que tenho agora é apenas 'Ufa! Consegui'. Já tinha ido ao Parapan de Toronto 2015, aos Jogos Paralímpicos Rio 2016 e agora em 2017 vou ao México", contou.

O índice para o Mundial foi estipulado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro analisando tempos fortes e que podem dar ao atleta possibilidade de medalha na competição. Cecília fez os 100m livre S8 em 1min09s10, seis décimos mais rápido do que o estipulado pela comissão técnica.

Entre os outros que classificaram para a competição do México, Daniel Dias chamou a atenção pelo tempo quase sete segundos abaixo do índice - fechou os 100m livre S5 em 1min10s83 enquanto precisava fazer, no mínimo, 1min17s31. Nos 100m livre S10, a marca necessária era de 54s03. Phelipe fez em 52s58 e Andre, em 53s60. Patrícia carimbou a vaga ao nadar os 100m livre S4 em 1min40s33, mais de três segundos abaixo do que precisava.

As atividades na natação voltam às 9h deste sábado. As provas da manhã serão as Superfinais, disputas multiclasses que definirão quem são os nadadores mais rápidos do Open. A prova, contudo, não é decidida pelo tempo, mas pelo índice técnico.

Fonte: cpb.org.br

Dia de acesso para deficientes: usuários de cadeiras de rodas compartilham suas piores histórias de acessibilidade

Olivia Djouadi diz: "Meu filho usa uma cadeira de rodas e nós não dirigimos. Acesso é horrível na maioria dos lugares '

Para pessoas sãos, ser capaz de obter de A para B é um dado absoluto.

Quer se trate de um trem para outra cidade, ir às compras ou simplesmente deixar a casa, é fácil de tomar para concedido o fato tudo é projetado em primeiro lugar e acima de tudo para aqueles sem uma deficiência.

E, embora devamos celebrar os negócios e locais que usam seu tempo e recursos para tornar-se mais acessível, há muito trabalho a ser feito antes que as pessoas com uma variedade de condições podem levar suas vidas sem um número infinito de obstáculos no caminho.

"Houve um tempo em que passei três dias com exames bastante duros no hospital e cheguei 30 minutos antes de o trem partir - só para me dizer que minha ajuda não viria me encontrar", Sarah, de 30 anos Blogger e caridade trustee, diz Metro.co.uk.

"Foi-me dito que eu teria que esperar para o próximo trem - se meu namorado não estava comigo, eu sei que eu teria soluçado e esperou, mas ele assumiu o comando e levantou-se para mim.

Sarah tem Ehlers Danlos Síndrome - uma condição que afeta o tecido conjuntivo em todo o corpo - e por isso é um usuário de cadeira de rodas elétrica.

E embora ela diga que sua estação de trem local, Wellingborough, é 'fab' em fornecer acesso, tentar chegar ae de Londres é outra história.

"Eles nunca me encontraram com uma rampa, e me deixaram esperando por até 20 minutos antes de me ajudar a sair do trem", diz ela.

Que teve, como faria para qualquer um, um impacto emocional significativo.

"Isso me faz sentir que o meu tempo não é importante - como eles podem me deixar esperar porque eu não sou importante.

"Eu me sinto ansioso, especialmente porque eu viajo lá para consultas hospitalares, eu não quero chegar atrasado.

"Eu chorei, me senti inútil e isso arruinou meu dia. Isso me faz não querer viajar de trem, porque é tanta tensão.

Sarah certamente não está sozinha em suas experiências com os transportes públicos.

Shona, um blogueiro de 19 anos de idade com deficiência e estilo de vida, tem a Síndrome de Marfan - uma doença hereditária dos tecidos conectivos do corpo - e usa uma cadeira de força (uma cadeira de rodas elétrica) para se locomover.

'Outro dia, um motorista de ônibus se recusou a parar por mim, e me olhou bem nos olhos, para que eu soubesse que ele tinha feito isso de propósito', ela lembra.

"Havia um carrinho no lugar da cadeira de rodas - mas em vez de pedir que eles se movessem, o que eles poderiam ter ficado felizes sem problemas - ele me deixou na calçada".

"Isso me fez sentir como um cidadão de segunda classe, como pessoas sãos são mais dignos de respeito do que eu.

"Fiquei com raiva e frustrado por ser 2017 e nem conseguir pegar um ônibus sem que algo assim aconteça".

Shona explica que, embora muitas formas de transporte prometam que eles vão ser acessível para cadeira de rodas (pense nos pequenos símbolos de cadeira de rodas exibidos no mapa de Londres), muitos deles não entregam.

Alguém muito familiarizado com isso é Patricia, 65 anos de idade, que tem uma condição neurológica chamada siringomielia, e por isso tem usado uma cadeira de rodas por 30 anos.

Quando se trata de questões de acessibilidade, ela diz que "sempre foi um problema":

"Fui recentemente fazer compras na cidade com minha irmã - foi um dia muito molhado, então decidimos pegar um táxi preto quando chegamos à Estação Central de Glasgow", diz ela.

"Um motorista de táxi virou, olhou para mim e saiu sem explicação. Outra não sabia como usar a alça em seu carro para proteger a cadeira de rodas.

"Levou quatro ou cinco táxis diferentes antes que alguém me levou para onde eu queria ir."

Frequentemente se os táxis dão uma razão para não a dirigir, será uma desculpa - que "suas rampas estão quebradas", ou algo ao longo daquelas linhas:

"Um motorista disse que os táxis nos turnos noturnos" não levam cintas "- como se as pessoas em cadeiras de rodas não saíssem à noite", diz ela.

"Uma coisa estranha é que muitos deles exibem um crachá desabilitado em suas janelas, o que significa que eles têm o treinamento certo para me levar de A para B, então quem sabe como eles conseguiram.

- É discriminação.

Patricia fez queixas ao seu conselho local, mas só recebeu "curtas, inúteis" respostas.

Da mesma forma, para Shona, não há "desculpa" para não parar para um usuário de cadeira de rodas, e ela acredita que os motoristas devem fazer mais esforço para mover os outros dos espaços para cadeiras de rodas - mesmo que não tenham certeza de que será possível: Precisa ser uma melhor educação para motoristas de ônibus, e regras mais claras.

E para Sarah, o que é necessário é um nível aumentado de compreensão.

"O pessoal precisa de um melhor treinamento de conscientização sobre deficiência - eles precisam entender o que é estar em uma cadeira de rodas, e não ser capaz de saltar de um trem facilmente como todo mundo", diz ela.

Projeto de inclusão social de pessoas com deficiência em corridas de rua recebe apoio do Banco do Brasil

Pernas, pra que te quero! é uma ação de inclusão social de crianças e adultos em cadeiras de rodas.

Criado há dois anos em Curitiba, o projeto de inclusão social “Pernas, pra que te quero” acaba de receber dois importantes apoios institucionais: foi selecionado pelo Programa Banco do Brasil de Patrocínios e, ao mesmo tempo, irá participar da 1ª Etapa do Ciclo de Aceleração InovAtiva Brasil 2017, programa do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior com o Sebrae. A iniciativa promove a inclusão de pessoas com deficiência que utilizam cadeiras de rodas em corridas de rua dos calendários municipais, sendo conduzidos por corredores.

“Mais que um projeto de inclusão social de pessoas com mobilidade reduzida em corridas de rua, nós queremos que elas – principalmente as crianças – se sintam pertencentes a esta comunidade e incluídas em suas atividades. E que, ao viver essas experiências de liberdade e felicidade, sintam emoções nunca antes sentidas, com o vento na cara e o sorriso no rosto. O apoio das empresas é fundamental para conseguirmos executar as ações do ‘Pernas’ ao longo do ano, podendo expandir o projeto para outras cidades”, explica Rebeca Paciornik Kuperstein, diretora do “Pernas, pra que te quero”.

Ação social

O Programa Banco do Brasil de Patrocínios é um processo seletivo que define projetos a serem patrocinados por meio da aquisição do direito de associação da marca do Banco do Brasil a projeto de iniciativa de terceiro como o “Pernas”. Os recursos serão destinados à realização de projetos ambientais, sociais, culturais e negociais, realizados em território nacional.

Os participantes nas cadeiras de rodas são conduzidos por equipes de corredores que se revezam entre si.

Potencial inovador

Selecionado para participar da 1ª Etapa do Ciclo de Aceleração InovAtiva Brasil 2017, o “Pernas, pra que te quero” é um dos 300 projetos com maior potencial inovador do Brasil – escolhido entre 1793 inscrições.

O InovAtiva Brasil é um programa de aceleração em larga escala para negócios inovadores de qualquer setor e local do Brasil, realizado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e pelo Sebrae. O participante selecionado recebe capacitação de nível mundial em empreendedorismo inovador, mentorias e atividades presenciais, além de se conectar com potenciais parceiros, investidores e empresas. O objetivo é atender principalmente empreendedores que estejam desenvolvendo negócios inovadores em qualquer setor.

Sobre o “Pernas, pra que te quero”

Corrida de rua para crianças e adultos em cadeiras de rodas conduzidos por corredores, o “Pernas, pra que te quero” foi criado em 2015 e, até agora, já levou a sensação de vento na cara, sorriso no rosto e sensação de liberdade a mais de 100 jovens cadeirantes em seis corridas de rua organizadas em Curitiba e Maringá, no Paraná. Além de reunir grupos de corredores e cadeirantes, o “Pernas” disponibiliza o sistema de terceira roda portátil e manopla extensível, que dão segurança e estabilidade para a cadeira durante a corrida.

Fontes: Panashop - turismoadaptado.wordpress.com

Nota transcendente de todos os juízes brasileiros e Ministério Público contra a Reforma Trabalhista

                                     Carteira de trabalho

A Frente Associativa da Magistratura e do Ministério Público (FRENTAS), composta pela Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (CONAMP), Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho(ANPT), Associação dos Juízes Federais do Brasil (AJUFE), Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Associação Nacional do Ministério Público Militar (ANMPM), Associação dos Membros do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (AMPDFT) e Associação dos Magistrados do Distrito Federal e Territórios (AMAGIS-DF), Entidades de classe de âmbito nacional que congregam mais de 40 mil juízes e membros do Ministério Público, considerando os termos do substitutivo apresentado pelo deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) no Projeto de Lei n. 6787/2016, conhecido de todos como a Reforma Trabalhista, vêm a público afirmar:

O substitutivo apresentado no referido Projeto de Lei extrapola em muito o objeto da proposta encaminhada pelo Senhor Presidente da República, mas este detalhe formal está longe de ser o seu problema mais grave.

Conhecidos os seus termos, não há dúvida em afirmar que se cuida do maior projeto de retirada de direitos trabalhistas já discutido no Congresso Nacional desde o advento da CLT.

Trata-se de um ataque que passa pela supressão de direitos materiais e processuais hoje constantes de lei (CLT) e até mesmo no que deixa de ser aplicado do Código Civil na análise da responsabilidade acidentária, optando-se pela tarifação do valor da vida humana, em vários pontos passando também pela evidente agressão à jurisprudência consolidada dos Tribunais Regionais e do Tribunal Superior do Trabalho.

De outro modo, são criadas/ampliadas novas formas de contratos de trabalho precário, que diminuem, em muito, direitos e remuneração, permitindo, inclusive, pagamento abaixo do salário mínimo mensal, o que concorreria para o aumento dos já elevados níveis de desemprego e de rotatividade no mercado de trabalho.

O substitutivo, além do mais, busca a cada momento criar dificuldades e travas para o reconhecimento de responsabilidades do empregador, como o faz nas novas limitações que impôs aos artigos 2º e 3º da CLT, podendo esconder nesses novos termos as obrigações de grandes empresas que já tiraram ou venham a tirar proveito de mão de obra escrava.

Longe das tradições do Direito e do Processo do Trabalho, o substitutivo cria, a todo tempo, presunções de que o trabalhador age de forma ilícita e censurável na relação processual, colocando a empresa como ente sacrificado por essas ações. Tanto assim que, em pelo menos duas ocasiões, nega aos trabalhadores a gratuidade processual plena, mesmo reconhecida a sua hipossuficiência: quando faltar à primeira audiência e quando as perícias tiverem resultado negativo, retirando dos juízes a possibilidade de exame caso a caso.

São hipóteses que mais parecem ameaças veladas, para instrumentalizar passivos sancionatórios que a grande parte dos trabalhadores não teria como pagar, o que resultaria no desestímulo ao acesso à jurisdição e na elitização de uma Justiça reconhecidamente popular.

Mesmo sem esgotar todos os pontos, é necessário dizer ainda que outras modificações indevidas, como o fim do impulso processual de ofício (que produz celeridade) e a inaceitável inclusão da TRD no § 7º do art. 879 como fator de correção dos débitos trabalhistas, quando o correto – e constitucional – seria o IPCA-E, evidenciam que a proposta balizou-se marcadamente pelos interesses de apenas um lado dessa complexa relação.

Não bastante, o projeto trata de terceirização nas atividades meio e fim e do trabalho intermitente, condições altamente precarizantes de trabalho em todo o mundo e no Brasil especialmente.

Por tudo isso, a Frente Associativa da Magistratura e do Ministério Público (FRENTAS) conclama os senhores Deputados e as senhoras Deputadas a rejeitarem a proposta.

Brasília, 19 de abril de 2017
Norma Angélica Cavalcanti
Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (CONAMP)
Coordenadora da Frente Associativa da Magistratura e do Ministério Público – FRENTAS
Germano Silveira de Siqueira
Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (ANAMATRA)
Angelo Fabiano Farias da Costa
Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT)
Roberto Carvalho Veloso
Associação dos Juízes Federais do Brasil (AJUFE)
Julianne Marques
Presidente interina da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB)
Elísio Teixeira Lima Neto
Associação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (AMPDFT)
Clauro Roberto de Bortolli
Associação Nacional do Ministério Público Militar (ANMPM)
José Robalinho Cavalcanti
Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR)
Fábio Francisco Esteves
Associação dos Magistrados do Distrito Federal e Territórios (AMAGIS DF)

Conheça Suellen Calixto...

Olá, me chamo Suellen Gomes Calixto, tenho 26 anos, casada, moro em Taubaté, interior de São Paulo, bacharel em Administração.


Aproximadamente aos 4 anos fui diagnosticada com a neuropatia de Charcot Marie Tooth... Andei até os 16 anos...

Mas a minha vida toda eu ja sabia q iria parar de andar em algum momento, pois tenho um irmão com o mesmo diagnóstico... Sobre a doença, quando criança, caia mais q o normal, fui muito "zoada" pelas outras crianças as quais convivia ( escola, vizinhança, primos...). Preconceito manifestado não me lembro de nenhum caso q tenha me marcado, ja o preconceito escondido, onde apenas olhares sao capazes de expor, isso sempre... ser "corta-assunto" dos grupinhos de adolescentes na maioria dos lugares públicos, q quando passo tds param de conversar pra te ver passar... isso foi o q sempre me incomodava, ter q ir em qualquer lugar e ser reparada por todos, sempre me intrigava e muitas vezes me escravizava a ponto de optar nao ir, tipo nos dias de TPM braba por exemplo... kkkkkk



Eu sempre fui uma pessoa descolada, carismática, nunca deixava me abater por tanto tempo, minha vida toda me "preparei" psicologicamente pra cadeira de rodas, pois tenho um irmão com o mesmo diagnóstico. masss a teoria é bemmmm distante da prática , rsrs e dos 14 aos 16 anos, onde era nitido q realmente tava perto de pegar a cadeira de rodas, foi dificil, nao foi constante, mas nao foi nada facil aceitar isso...evitei ao maximo esse dia kkkk (faz parte) eu era muito rueira, da "baguncinha" rsrs a dificuldade para andar foi chegando e eu fingindo q nada tava acontecendo, saia com as amigas carregada nas costas, de bicicleta e fazia meus pais tbm me carregarem... ate q um dia eu e uma amiga combinamos de ir num festival de reggae ( o som q eu mais amava) e na hr de ir, ela me disse: Su só vamos se vc levar a cadeira, nao tem como ir sem né?! E eu tipo: 😳😯😱 e depois de alguns segundos "paralisada" falei: ta né ( meio apavorada) kkkkk

E desde entaooo percebii quão livre poderia ser... afinal eu dependia muito das pessoas para me locomover.. e foi muito melhor ter aceitado logo

Como eu disse sempre fui meio descolada e era difícil me ver triste e deprimida, mas eu guardava muitos monstros e tristezas por dentro, quem me conheceu via quanto eu era "rebelde", dava de durona pra esconder meus sentimentos oprimidos... e ai Jesus se apresentou a mim, me ajudou a matar todos os monstros q viviam escondidos dentro de mim, naqueles lugares de dificil acesso kkkkk na verdade tem me ajudado todos os dias, e me da uma paz e uma alegria q é impossível de se achar na vida, me presenteou com um marido abençoado e maravilhoso. Se sou feliz? Muito mais que isso!

É possivel sim ser feliz com poucos movimentos, ou ate mesmo sem braço ou pernas ou sem os dois, pq o q te faz feliz nao são membros , mas por experiência própria, a felicidade, a alegria, a paz, e tudo o mais q precisamos, q desejamos para uma vida top de linha, esta em Jesus, e acredite: ELE É O ÚNICO QUE PODE MATAR OS MONSTROS QUE NÓS MESMO "ALIMENTAMOS"! Que Ele possa se apresentar a vocês e possam entender que nossa dependência deve estar NELE e não em nossas cadeiras, muletas ou qualquer acessório que nos ajude em nosso dia a dia, ou pessoas q conduzem nossas cadeiras e nos ajudem em algo que nós não fazemos sozinhos, pois sem nenhuma dúvida afirmo: poderíamos ter todos nossos membros funcionando perfeitamente , uma vida estável , mas sem ELE continuaremos com nosso vazio preenchido por sonhos inalcançáveis e monstros escondidos!

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Paratleta é campeão peso e absoluto no Abu Dhabi World Championship

Com deficiência congênita na perna direita, Alex Taveira vence na categoria e no Absoluto evento mundial nos Emirados Árabes Unidos. Nessa quinta encara o Adulto

Por Tércio Neto Boa Vista

Casca Grossa Alex Taveira compete de igual para igual nos campeonatos mundiais de BJJ  (Foto: Imagem/Divulgação)
Casca Grossa Alex Taveira compete de igual para igual nos campeonatos mundiais de BJJ (Foto: Imagem/Divulgação)

Superação e força de vontade. O lutador de jiu-jítsu Alex Taveira de 31 anos, que nasceu com deficiência congênita na perna direita é um daqueles exemplos emblemáticos. O multicampeão da Carioca Academy foi campeão de parajiu-jitsu no Abu Dhabi World Championship 2017 no dia 14 de abril na faixa preta, na categoria pluma e absoluto. Taveira fez cinco lutas nas duas categorias na competição realizada nos Emirados Árabes Unidos.

"Nossa maior deficiência é achar que somos inferiores ou diferentes fisicamente dos outros, e sim, podemos conseguir todos os nossos objetivos, como sempre falo, nossa maior deficiência é a nossa mente achar que não conseguimos fazer tudo que queremos, então tire o que achar ruim e siga em frente e faça, você descobrirá que pode muito mais do que sua mente falou até onde iria."

Alex Taveira

Nesta quinta-feira é a vez de Taveira disputar na categoria Adulto, a principal categoria onde estão os melhores lutadores do Mundial. O feito de Alex fica mais nítido por estar sempre lutando em campeonatos junto aos atletas sem deficiência nas categorias principais. O currículo? Tem um bicampeonato mundial, Panamericano, Mundial sem kimono e campeão Brasileiro.

O lutador é treinado pelo mestre de jiu-jítsu Cristiano Carioca, que fez carreira treinando alguns dos grandes nomes do mundo da luta, dava aulas em Manaus(AM), mas agora vive e tem uma academia em Boa Vista(RR), a Cristiano Academy. Taveira seguiu o mestre Cristiano Carioca e também veio morar em Boa Vista. Sobre o pupilo, o mestre falou a respeito.

Lutador da Cristiano Academy vai encarar nesta quinta-feira a categoria principal do Mundial (Foto: Imagem/Divulgação)
Lutador da Cristiano Academy vai encarar nesta quinta-feira a categoria principal do Mundial (Foto: Imagem/Divulgação)

Ele treina desde criança comigo lá em Manaus e possui vários títulos importantes, todos lutando na categoria adulto como campeão Mundial, Panamericano, Mundial sem kimono e campeão Brasileiro. Ele é um fenômeno – disse o treinador.

TRANSFORMAR DEFICIÊNCIA EM EFICIÊNCIA

O primeiro contato com o jiu-jítsu veio quando tinha 11 anos influenciado por um amigo com o qual jogava futebol. Desde lá, cresceu exponencialmente no mundo da arte suave.

Fui convidado por um amigo Zildo Brito. Jogávamos bola na rua e ele percebeu que eu tinha uma coordenação boa para o jiu-jítsu e me convidou pra fazer um teste em uma academia. No início não achei nada interessante, mas chegando lá foi apaixonante e estou no esporte até hoje. Vivo disso – disse Alex.

                                 No lugar mais alto do pódio no Abu Dhabi World Championship 2017 (Foto: Imagem/Divulgação)
No lugar mais alto do pódio no Abu Dhabi World Championship 2017 (Foto: Imagem/Divulgação)

O atleta que nasceu com uma deficiência congênita preferiu a glória ao lamento. Por ter a perna direita bem menor que a perna esquerda desenvolveu uma espécie de guarda nas lutas que tira o sossego dos adversários. Como ele mesmo diz.

O jiu-jítsu e o mestre que tenho me tornou essa pessoa tão forte que não consigo me ver com essa deficiência e sim através de muito trabalho tornamos ela uma eficiência fora do normal - afirmou.

Sobre outros atletas ou pessoas que possuem algum tipo de 'limitação', e quem desejam seguir um caminho, ele deixa um recado.

- Nossa maior deficiência é achar que somos inferiores ou diferentes fisicamente dos outros, e sim, podemos conseguir todos os nossos objetivos, como sempre falo, nossa maior deficiência é a nossa mente achar que não conseguimos fazer tudo que queremos, então tire o que achar ruim e siga em frente e faça, você descobrirá que pode muito mais do que sua mente falou até onde iria - finaliza o lutador.

Quem quiser conhecer o trabalho do atleta e também apoiar o trabalho basta ir na Cristiano Academy localizada na Rua Dr. Arnaldo Brandão n.º 460, no bairro São Francisco.

Equipamentos que permitem que cadeirante fique de pé são doados para escolas no AP

Alunos de seis escolas da rede municipal de Macapá serão beneficiados. Doação de aparelhos ocorreu nesta quinta-feira (20).

Por Jéssica Alves, G1 AP, Macapá

Equipamento consiste em um cinto para o adulto prender à cintura e se locomover com a criança (Foto: Jéssica Alves/G1)
Equipamento consiste em um cinto para o adulto prender à cintura e se locomover com a criança (Foto: Jéssica Alves/G1)

Seis unidades do aparelho chamado “Firefly Upsee”, que torna viável a caminhada de crianças cadeirantes, foram doados nesta quinta-feira (20) para alunos de seis escolas da rede municipal de Macapá. O equipamento vai permitir que os estudantes possam participar de atividades esportivas e disciplinas fora da sala de aula, segundo a Secretaria Municipal de Educação (Semed).

A ideia aparentemente é simples, mas tem potencial para mudar a rotina de crianças que não têm locomoção nos membros inferiores. O equipamento consiste em um cinto para o adulto prender à cintura, um colete (que lembra o modelo salva-vidas) para a criança vestir e sandálias para a dupla.

A doação foi feita por uma empresa privada para a escola municipal José Leoves Teixeira, localizada no bairro Renascer 2, Zona Norte da capital, mas como foram seis equipamentos, eles serão compartilhados para mais cinco escolas, explicou a diretora Keyla Cristina.

Rodrigo Santos, de 11 anos, foi um dos estudantes beneficiados com a doação (Foto: Jéssica Alves/G1)
Rodrigo Santos, de 11 anos, foi um dos estudantes beneficiados com a doação (Foto: Jéssica Alves/G1)

“Temos um aluno cadeirante em nossa escola e quando recebemos a doação da empresa logo soubemos que seriam seis equipamentos e que poderíamos compartilhar com outras escolas que também tivessem alunos cadeirantes”, enfatizou.

O aparelho será utilizado pelos alunos durante as atividades esportivas e de recreação, com o auxílio de um professor, que vai usar o equipamento junto com a criança. Um dos alunos beneficiados é o Rodrigo Santos, de 11 anos, que estuda no 5º ano do ensino fundamental na escola José Leoves e nasceu com má formação na coluna.

“Estou muito animado porque vou poder brincar, jogar bola e dançar. Há muito tempo eu queria ficar em pé e esse aparelho vai me ajudar”, disse.

Doação ocorreu nesta quinta-feira (20) para seis escolas da rede municipal (Foto: Jéssica Alves/G1)
Doação ocorreu nesta quinta-feira (20) para seis escolas da rede municipal (Foto: Jéssica Alves/G1)

A mãe de Rodrigo, a cobradora de ônibus Maria da Luz, de 46 anos, enfatiza que o aparelho vai ajudar no aprendizado do filho.

“Ele fica a maior parte do tempo na cadeira de rodas, que de alguma forma deixa ele bem estressado. Com o equipamento ele vai poder participar mais das atividades junto com os colegas, e isso vai contribuir para ele aprender melhor. Estamos muito felizes com isso e ele está bem animado”, comentou a mãe emocionada.

O pequeno Vinicius Moreira, de 5 anos, nasceu com paralisia cerebral e também foi contemplado com o aparelho. A mãe dele, Aldemira Moreira, de 41 anos, comemorou e disse que o uso será um diferencial na vida do filho.

“Ele tem dificuldade se se locomover e o aparelho será muito bom para o meu filho, que é agitado, mas tem as limitações. Agora ele poderá ver o mundo com uma visão mais ampla”, disse.

Fonte: g1.globo.com

Polícia prende cadeirante suspeito de dirigir carro usado em fuga após assalto em Jundiaí - Veja o vídeo.

Crime registrado em março foi esclarecido nesta quarta-feira (19) após investigações. Além do cadeirante, dois adolescentes e um homem também foram detidos.

Por Fernanda Szabadi, G1 Sorocaba e Jundiaí

Resultado de imagem para Polícia prende cadeirante suspeito de dirigir carro usado em fuga após assalto em Jundiaí
Polícia prende cadeirante suspeito de dirigir carro usado em fuga após assalto em Jundiaí

A Polícia Civil apreendeu nesta quarta-feira (19) dois adolescentes e dois homens suspeitos de participarem do assalto a um bar na rua da Várzea, em Jundiaí (SP), em março. Entre os detidos, está um cadeirante, que seria proprietário da arma usada no dia do crime e o motorista do carro usado na fuga.

Click AQUI para ver o vídeo.

Os policiais chegaram primeiro até o cadeirante depois que o veículo dele foi flagrado por câmeras de segurança. Na casa do suspeito, além do veículo, foi encontrada uma arma calibre 12 usada no dia do crime.

O cadeirante foi preso em flagrante por porte de arma e identificou os outros três suspeitos de participarem do assalto, que tiveram os mandados de prisão cumpridos nesta quarta-feira. Todos têm passagem policial por tráfico ou furto.

Segundo a polícia, os adolescentes, de 16 e 17 anos, e o homem disseram à polícia que o cadeirante era o condutor do veículo usado na fuga. Já o cadeirante alega que apenas havia emprestado o carro e a arma, mas que não esteve presente no local.

Ainda segundo a polícia, o homem perdeu os movimentos das pernas após levar oito tiros durante uma briga de bar em outra ocasião. Os quatro suspeitos foram levados à delegacia e, em seguida, encaminhados ao Centro de Triagem de Campo Limpo Paulista (SP).

Fonte: g1.globo.com

Cadeirante aciona PM após motorista de ônibus se negar a transportá-lo em Franca - Veja o vídeo.

Policiais tiveram que ajudar o passageiro a embarcar no ônibus. Outro agente que estava na rodoviária presenciou a ação e gravou vídeo.

Por LG Rodrigues, G1 Ribeirão e Franca

Resultado de imagem para Cadeirante aciona PM após motorista de ônibus se negar a transportá-lo em Franca
Cadeirante chama a polícia após motorista e cobradora não aceitarem embarque


Um cadeirante precisou acionar a Polícia Militar para conseguir embarcar em um ônibus de viagem que partia de Franca (SP) na tarde desta terça-feira (18). De acordo com a própria vítima, o motorista da Cristalense Transportes e Turismo disse que não poderia ajudá-lo porque o veículo não era adaptado para fazer o transporte de pessoas que usam cadeiras de rodas.

Click AQUI para ver o vídeo.

Após acionar a Polícia Militar, o cadeirante José Crispolini Filho conseguiu embarcar no ônibus que tinha a cidade de Ituverava como destino. Em nota, a Cristalense informou que se tratou de um caso isolado e disse que nunca havia acontecido algo similar antes com um veículo da empresa. Além disso, a Cristalense afirma que orienta seus profissionais a ajudar pessoas com qualquer tipo de deficiência e vai tomar as medidas cabíveis.

José afirma, entretanto, que essa não foi a primeira vez que ele foi alvo de preconceito por motoristas enquanto tentava embarcar em um ônibus na região. Segundo ele, sua cadeira de rodas é motorizada devido ao fato de que ele possui dificuldades para mexer as mãos e isso torna o equipamento mais pesado do que as cadeiras de rodas mais simples.

“Cheguei na rodoviária para pegar o ônibus e o motorista e o cobrador disseram que não iam me pegar e eu chamei a polícia. Já viajei nesse ônibus algumas vezes, em outra oportunidade também tive que chamar a polícia, mas os agentes não precisaram me colocar dentro do ônibus. Daquela vez o problema foi na hora de tirar a passagem. A moça não queria vender, chamei a polícia, eles vieram, e o policial comprou minha passagem porque ela não queria vender”, diz.

Passageiro precisou da ajuda de policiais para entrar em ônibus de Franca (Foto: Reprodução)
Passageiro precisou da ajuda de policiais para entrar em ônibus de Franca (Foto: Reprodução)

Nessa ocasião, os próprios funcionários da empresa se organizaram para colocar o homem dentro do veículo, mas ele diz que a situação vivida nesta terça-feira foi algo extremo. José usa cadeira de rodas desde que nasceu devido a um problema na hora do parto, quando houve falta de oxigênio em seu cérebro, o que ocasionou uma paralisia cerebral.

Ao chegar em seu destino, colegas de uma policial de quem ele é amigo ajudaram o homem a descer do ônibus. José teme, entretanto, que a situação poderá se repetir na segunda-feira (24) quando ele deverá usar o mesmo ônibus para voltar à cidade. O vídeo do ocorrido desta terça-feira foi gravado por um policial que presenciou o ocorrido.

“Acontece diariamente, até quando uso ônibus de Franca é a mesma coisa. O pessoal não tem um pingo de preparo”, finaliza.

Policiais Militares orientaram passageiro após deixá-lo dentro de ônibus em Franca (Foto: Reprodução)
Policiais Militares orientaram passageiro após deixá-lo dentro de ônibus em Franca (Foto: Reprodução)

Fonte: g1.globo.com