sábado, 15 de julho de 2017

Em torneio da Fterj, cadeirantes voltam neste sábado ao Parque Olímpico

POR GUSTAVO LOIO

Paulo Emílio, à esquerda, e Vinicius Pontes
Paulo Emílio, à esquerda, e Vinicius Pontes | Gustavo Loio

'Tenho que lutar contra minha própria deficiência para praticar o esporte'. A frase, dita pelo fuzileiro naval reformado Vinicius Pontes, é um retrato de sua paixão e de sua dedicação ao tênis paralímpico. Afinal, um acidente de moto, em 2003, o fez perder os movimentos das pernas e, parcialmente, os do braço direito.

- Eu era destro e fui fazer minha reabilitação no Sara (em Brasília, em 2004), onde tinha uma série de atividades. Uma delas era o tênis de mesa. Falei com o professor na época que não dava para praticar, porque eu era destro. Aí ele disse: 'aqui não tem isso, você tem que treinar'. Comecei a treinar, e na segunda semana já estava difícil de me ganharem - conta Vinicius, que, neste sábado, disputará o 1º Torneio de Cadeirantes, organizado pela Federação de Tênis do Estado do Rio, no Parque Olímpico da Barra. Outras duas atrações do evento serão um aulão para alunos de colégios públicos da região e um torneio de classes.

Com o primeiro contato com o esporte paralímpico, Pontes passou a saborear diversas conquistas inimagináveis para ele até então, após o acidente:

- Foi algo extraordinário fazer simples gestos com a canhota, como jogar um papel numa lixeira, porque o tênis de mesa já me dava a condição de reaprender a viver. Talvez as pessoas não consigam observar o que o esporte traz. Além da parte física, o social, é tudo uma gama de coisas positivas, que às vezes as pessoas não conseguem perceber. Você, recém-lesionado, pode achar que a vida não dá mais, aí começa a interagir e vê que pode. Daqui a pouco, você, que achava que não conseguiria se motivar, acaba motivando, também os outros.

Após o período de reabilitação, Vinicius fui para o rúgbi e, em seguida, para o tênis:

- O tênis é um esporte que tem essa facilidade de integração, de mesclar um andante com o cadeirante, posso treinar com minha esposa, com um amigo.
Quarto colocado no Brasil na categoria quad, para atletas com comprometimentos em três membros, Vinicius espera que o torneio que começa neste sábado seja o ponto de partida para um maior investimento na modalidade no Rio.

- Comecei no tênis paralímpico em um projeto na Uerj, que acabou por falta de apoio e ficamos sem lugar para treinar. Enquanto em outros estados há projetos sociais para os cadeirantes, hoje, mesmo em quarto na minha categoria, preciso pagar para treinar - conta o tenista.


Observado por Paulo Emílio, Vinicius Pontes devolve a bola na quadra central do Parque Olímpico
Observado por Paulo Emílio, Vinicius Pontes devolve a bola na quadra central do Parque Olímpico | Gustavo Loio

E os desafios para um atleta cadeirante que joga tênis não são pequenos:

- A cadeira para treinar é diferente, você tem que ter todo um material específico, que não é barato, o acesso, às vezes, é muito ruim, nem todos conseguem treinar. Por isso que tem muito cadeirante que, além do problema do deslocamento, tem dificuldade de comprar o material.

Na relação de Vinicius com o tênis paralímpico, o médico José Carlos Morais, precursor da modalidade no país, teve um papel bastante importante.

- Como no Rio ele sempre teve ligado a este tipo de inclusão. Ele disponibilizou cadeiras, material.

O fuzileiro naval reformado espera que o torneio no Parque Olímpico seja o ponto de partida para mais ações voltadas aos cadeirantes no estado do Rio:
- Fico feliz por participar e, também, por saber que a Federação vai apoiar projetos para a nossa modalidade - conta.

Parceiro de treino de Vinicius, o coronel reformado do Exército Paulo Emílio Silva também vai jogar o torneio no Parque Olímpico.

- Tenho 22 anos na cadeira de rodas, foi meu segundo esporte, após a natação. Levei um tiro em 1995, fiquei paraplégico e após a natação, comecei a jogar tênis, que já jogava em pé. Sai um tempo e fui para o tiro com arco e depois voltei para o tênis.

Tal como Vinicius, Paulo é grato ao amigo Morais:

- O projeto dele, o Cadeiras na Quadra, em Niterói, é muito importante, porque foi o primeiro que surgiu para trazer crianças deficientes para a quadra.

O coronel do Exército também elogia a iniciativa da Fterj:

- Esta parceria com a federação é muito importante, pq vai propiciar o que não temos, pois vai oferecer quadra, cadeira, que não é a cadeira do dia a dia, é um ponto entre a cadeira de basquete e a normal. Se a federação nos apoiar, vamos trazer os cadeirantes para cá. No Rio estávamos órfãos e esta iniciativa do presidente da Fterj é muito bem-vinda - elogiou.

Presidente da federação, Renato Cito é outro a destacar a importância de Morais:

- Ele é nosso conselheiro estatutário, um amigo que aprendi a admirar. A primeira vez que o vi foi num torneio no Itaquá Soccer, torneio que ele faz em parceria com a ITF. Senti um ótimo clima, alto astral entre os jogadores. Nossa aproximação foi natural. Ele viu que a federação não veio para enganar ninguém, nem pra fazer pose, teatro. Falei para ele: vamos fazer um calendário, vamos buscar os cadeirantes.

PROGRAMAÇÃO. Para ver toda a programação do evento no Parque Olímpico, clique AQUI.


Alexandre Katz, diretor técnico da Fterj, Paulo Emílio, Renato Cito, presidente da entidade, e Vinicius Pontes
Alexandre Katz, diretor técnico da Fterj, Paulo Emílio, Renato Cito, presidente da entidade, e Vinicius Pontes | Gustavo Loio

Turismóloga e blogueira conta as sensações do fantástico mundo da Disney World

                          Deficiência visual não impede viagens

A viagem dos sonhos também pode ser encarada como desafio. E para demonstrar que as pessoas com deficiência podem escolher seu destino, a Turismóloga e blogueira, Mellina Reis lançou mão dos medos de sair de casa e embarcar em viagens para encorajar pessoas com ou sem deficiência na hora de partir para o roteiro dos sonhos, em família ou com sua companheira inseparável há três anos e meio, Hilary - cão guia que também é protagonista da página de Mellina na internet intitulada "quatro patas pelo mundo".

Com aproximados 25% de resíduo visual, a paulista Mellina Reis acabou de retornar dos Estados Unidos, onde visitou o fantástico mundo da Disney World. Turismóloga, blogueira e dona de um sorriso contagiante, ela retratou com exclusividade para o blog "Novo Olhar" sua viagem a Orlando.

Mellina sempre planeja o roteiro de suas viagens, e assim já conheceu cidades do Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil. No exterior, além de Orlando, já visitou o Chile. "Antes mesmo de entrar na sala de embarque fazemos a preparação da Hilary, ela faz suas necessidades, pois o voo até Orlando é de nove horas. Nas ruas as pessoas me ajudam, conheço novos amigos e muitas vezes sou convidada para passeios turísticos ou acabo conhecendo outros turistas. Aprendi que quem tem boca vai a Roma e pego o máximo de informações com guias ou no hotel ", relatou.

A experiência na Disney World foi muito importante. "Nos parques era muita música, som de fontes que tiravam a atenção de Hillary, para encontrar a entrada dos brinquedos contava com a ajuda de minha mãe, que também me descrevia as imagens dos locais que visitei, ao todo três parques. Uso o tato, audição e todos os sentidos para sentir a energia do local e na Disney não foi diferente. Já estou na expectativa de experimentar a próxima viagem", ressaltou Mellina.

Criação do blog
E foi com foco em estimular pessoas com deficiência visual e de qualquer natureza que ela lançou em setembro de 2016 sua página na internet, o blog "quatro patas pelo mundo". “Quero mostrar aos empresários a necessidade de adaptar espaços para atender este público de pessoas com alguma deficiência, além de motivá-las a sair de casa para aventuras e desfrutar de novas sensações”.

Fonte: g1.globo.com

Projeto de Lei exigirá obrigatoriedade do uso de elevadores em ônibus rodoviários

                   



Por Antonio Jorge de Melo

A Lei Nº 10.048, de 8 de novembro de 2000, determina em seu artigo 5º que os veículos de transporte coletivos a serem produzido após 12 meses da publicação da citada lei deveriam ser planejados de forma a facilitar o acesso a seu interior das pessoas com mobilidade reduzida. Já o Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei nº13146/2015) estabelece que “são asseguradas à pessoa com deficiência prioridade e segurança nos procedimentos de embarque e desembarque nos veículos de transporte coletivo”.

No mesmo ano de 2015, o INMETRO publicou a Portaria 269 falando da obrigatoriedade dos ônibus rodoviários interestaduais e internacionais saírem de fábrica com elevadores (plataformas elevatórias), e não mais com a atual cadeira de transbordo, conforme ocorre hoje. No entanto, para quem é cadeirante ou possui algum tipo de deficiência que comprometa a sua mobilidade, a falta de respeito no cumprimento a essas leis é flagrante e facilmente perceptível.

Vale ressaltar ainda a falta de interesse das empresas de ônibus em treinar e qualificar profissionais para proporcionar um atendimento digno, seguro e adequado a esse perfil de passageiros, causando a eles transtornos desagradáveis, constrangimentos, aborrecimentos e insegurança, alem da flagrante violação da dignidade humana.

Altineu Cortes, Deputado Federal e atual Presidente da Comissão de Transportes da Câmara dos Deputados, reconhece que “os comandos das leis que tratam da acessibilidade no transporte coletivo são bastante genéricos e exigem apenas que os veículos devem ser acessíveis, sem entrar em maiores minúcias”. Altineu explica ainda que “... há o problema relacionado à facilidade com que as normas podem ser alteradas”, conforme o caso da Portaria Nº269/15/INMETRO, que deveria ter entrado em vigor em julho de 2015, foi adiada para julho de 2016, e novamente adiada para julho de 2017.

                       

Diante dos fatos acima relatados, e buscando uma maneira da Portaria 269 do INEMETRO ser efetivamente cumprida pelas poderosas empresas de ônibus rodoviários, e em resposta ao apelo do MOVELA (Movimento em Defesa dos Direitos da Pessoa com ELA), o Deputado Altineu protocolou no último dia 13 de julho na Câmara dos Deputados o PROJETO DE LEI Nº 8088, que "altera a Lei nº 13146/2015, (Estatuto da Pessoa com Deficiência), para vedar a utilização de cadeira de transbordo no embarque e desembarque de transportes coletivos”, inclusive ônibus interestaduais e internacionais, conforme determina a Portaria 269/2015 do INMETRO. Assim, o Art. 48 da Lei nº 13146/2015 passa a vigorar acrescida do seguinte Artigo 48-A:

“Nos veículos de transporte coletivo rodoviário urbano, intermunicipal, interestadual e internacional de passageiros fabricados a partir de 01 de julho de 2017, as operações de embarque e desembarque somente podem ocorrer por meio de rampa de acesso, plataforma elevatória ou equipamento com tecnologia equivalente, aprovado pelo órgão de metrologia legal, vedada a utilização da cadeira de transbordo.” (NR).

Menina com doença rara já passou por 29 cirurgias no rosto: “Ela é a criança mais feliz”

Maisie Coulton sofre com uma doença que afeta o desenvolvimento dos ossos e de alguns tecidos do rosto

Do R7

                                  Foto: Reprodução/Daily Mail
                                       Uma menina inglesa de 8 anos sofre com Síndrome de Treacher
Collins, uma doença que afeta o desenvolvimento dos ossos e de alguns tecidos
do rosto. Desde que nasceu, Maisie Coulton, já passou por 29 cirurgias para tentar corrigir problemas na mandíbula, nos dentes, nos olhos e nas
bochechas. As informações são do jornal britânico Daily Mail

Uma menina inglesa de 8 anos sofre com Síndrome de Treacher Collins, uma doença que afeta o desenvolvimento dos ossos e de alguns tecidos do rosto. Desde que nasceu, Maisie Coulton, já passou por 29 cirurgias para tentar corrigir problemas na mandíbula, nos dentes, nos olhos e nas bochechas. As informações são do jornal britânico Daily Mail.

                 Foto: Reprodução/Daily Mail
                    
Apesar da doença, Sarah, a mãe de garota conta que ela é uma
inspiração. 
 — Ela é a
criança mais feliz que alguém pode conhecer. Maisie está sempre feliz em falar
da doença para outras pessoas e ajudá-las a
entender. Não sei como ela faz isso
      Apesar da doença, Sarah, a mãe de garota conta que ela é uma inspiração.

Ela é a criança mais feliz que alguém pode conhecer. Maisie está sempre feliz em falar da doença para outras pessoas e ajudá-las a entender. Não sei como ela faz isso.

Foto: Thinkstock
Segundo a mãe da menina, ela nasceu sem orelhas e não conseguia respirar. Por
causa do problema, no dia seguinte, a pequena foi imediatamente submetida a uma traqueostomia, em que foi feito um furo no pescoço para que ela pudesse ser entubada
Segundo a mãe da menina, ela nasceu sem orelhas e não conseguia respirar. Por causa do problema, no dia seguinte, a pequena foi imediatamente submetida a uma traqueostomia, em que foi feito um furo no pescoço para que ela pudesse ser entubada


Foto: Thinkstock
Os pais de Maisie precisaram realizar um tratamento para
aprender como cuidar da filha em casa.

  
— Tivemos que aprender a sugar as traqueias e a trocar os
tubos de emergências a cada semana. Estávamos atordoados. Ainda estávamos
tentando entender o fato de que nosso bebê tinha nascido com uma condição séria
Os pais de Maisie precisaram realizar um tratamento para aprender como cuidar da filha em casa.

Tivemos que aprender a sugar as traqueias e a trocar os tubos de emergências a cada semana. Estávamos atordoados. Ainda estávamos tentando entender o fato de que nosso bebê tinha nascido com uma condição séria.


Foto: Reprodução/Daily Mail
Apesar de Maisie não se importar com a doença, Sarah admite
que está preocupada com o bullying e com a vida social da garota.

 

— Embora muitos aspectos da doença sejam corrigíveis ao
longo do tempo, e a aparência possa ser suavizada, fico preocupada com a autoestima de Maisie. Ela pode ter que se esforçar
para ser feliz.
Maisie está ajudando a aumentar a conscientização sobre a
doença na instituição britânica de caridade infantil “Genetics Disorders UK”
Apesar de Maisie não se importar com a doença, Sarah admite que está preocupada com o bullying e com a vida social da garota.

Embora muitos aspectos da doença sejam corrigíveis ao longo do tempo, e a aparência possa ser suavizada, fico preocupada com a autoestima de Maisie. Ela pode ter que se esforçar para ser feliz.

Maisie está ajudando a aumentar a conscientização sobre a doença na instituição britânica de caridade infantil “Genetics Disorders UK”,


Mãe britânica luta pelo direito da filha de morrer - Veja o vídeo

Rose, de dez anos, é cega, está presa a uma cadeira de rodas e seu cérebro não amadureceu completamente; sua mãe, Juliet, quer interromper a medicação e alimentação por tubo.

Por BBC

Foto: Reprodução/BBC
 (Foto: Reprodução/BBC)

A britânica Juliet Flower luta para que sua filha tenha o direito de morrer.
Rose, de dez anos, tem uma condição genética rara. Ela é cega e não se move, e seu cérebro não amadureceu totalmente. A menina tem convulsões todos os dias.

“Ela nunca vai melhorar. Algumas coisas não têm solução”, diz Juliet.

Click AQUI para assistir ao vídeo.

Ela quer interromper a alimenção por tubo e a medicação de Rose.

A menina tem um longo histórico de intervenções médicas, e uma doença recente quase a matou.

“Temos que colocar na balança o que é melhor para ela”, afirma Juliet.

“Não se trata de Rose ter uma grande deficiência, ser cega, estar em uma cadeira de rodas, nada disso importa, nós a amamos. Trata-se de sua saúde, seu futuro e da sua qualidade de vida no dia a dia, não suas deficiências.”

Médicos precisam seguir regras para decidir o que é melhor para uma criança. Um segundo grupo de especialistas avaliará Rose para determinar o que fazer.
“Ela é linda, e, nos dias bons, há sorrisos”, diz Juliet.

“Quero que as pessoas enxerguem por trás dos belos sorrisos, vejam o que seu corpo está fazendo e se perguntem o que fariam se fosse seu filho.”

Fonte: g1.globo.com

Inglês que perdeu as pernas em acidente na F4 visita o paddock da F1 em Silverstone - Vejam os vídeos.

Billy Monger é recebido por Lewis Hamilton no box da Mercedes, e acompanha o treino do tricampeão mundial ao lado de Toto Wolff. Jovem de 17 anos sofreu grave acidente no mês de abril

Por GloboEsporte.com, Silverstone, Inglaterra

Inglês que perdeu as pernas em acidente na F4 visita o paddock da F1 em Silverstone

Opiloto Billy Monger, de 17 anos, sofreu um acidente horrível que marcou o mês de abril no automobilismo. O britânico bateu na traseira de um adversário durante a sexta etapa da F4 Inglesa e, em função das lesões causadas pelo forte impacto, precisou amputar as duas pernas (a direita logo abaixo do joelho, com a esquerda já na parte da coxa). Depois de voltar a guiar um carro de corrida no começo de julho, Billy recebeu um convite para visitar o paddock da Fórmula 1 nesta sexta-feira.

Conheceu Lewis Hamilton



Conversou com Toto Wolff


E também com Carlos Sainz Jr.


Recentemente Monger fez um teste na Fun Cup, categoria europeia que promove corridas com réplicas de Fuscas, na histórica pista de Brands Hatch, na Inglaterra. Com o apoio da Team BRIT, instituição que ajuda deficientes no automobilismo, o jovem inglês tenta recuperar a licença de piloto, e caso consiga a permissão para correr profissionalmente novamente, ele poderá competir na Fun Cup ainda na temporada de 2017.

Click AQUI para ver o vídeo do acidente.

Click AQUI para ver o vídeo



Cão-guia robô promete mais autonomia e liberdade para milhões de deficientes visuais - Veja o vídeo



Não é nada difícil perceber hoje o quanto a tecnologia como um todo pode mudar a vida das pessoas, especialmente criando novas possibilidades e demandas que até pouco tempo simplesmente não existiam. Mas é especialmente bonito e comovente ver a tecnologia criando soluções alternativas e mais eficientes para problemas que sempre existiram, melhorando concretamente a vida de pessoas que talvez jamais tivessem pensado que poderiam melhorar. Esse é o caso da empreendedora Neide Selim, que criou a Lysa – um produto simples, porém capaz de impactar positivamente na vida de milhões de pessoas.



Trata-se de um cão-guia para ajudar os deficientes visuais a se locomoverem com segurança e autonomia. No lugar de um animal, porém, Neide criou um cão-guia robô, que oferece melhorias e maiores possibilidades aos usuários do que a bengala e o próprio cão, de forma a manter a integridade física e principalmente ampliar consideravelmente a liberdade e a confiança de quem a usar. Assim, o que o cão-robô Lysa faz é diretamente tornar a vida do deficiente visual melhor e mais livre.


Lysa não só reconhece buracos e obstáculos no chão, mas, principalmente, por meio dede sensores, ela reconhece um problema que a maioria das pessoas que enxerga provavelmente jamais pensou como um problema especial: os obstáculo aéreos, localizados acima da linha da cintura. A bengala, meio mais comum utilizado pelos cegos para se locomoverem, possui um alcance restrito até mesmo do chão, e simplesmente não dá conta de perceber tais obstáculos aéreos.


Orelhões, placas, lixeiras suspensas, balcões, galhos de árvores e outros obstáculos altos podem significar machucados, cicatrizes e sequelas para o deficiente visual que nem a bengala nem o cão seriam capazes de perceber.


Lysa não só alerta (como um cão que fala), como cria uma rota alternativa – feito um cachorro de fato, “puxando” o usuário em outra direção, para protegê-lo de bater ou esbarrar em um obstáculo. Essa condução pode ser feita por Lysa em velocidades diversas.


Antes de criar Lysa, Neide era professora de robótica em uma escola pública, que um dia decidiu criar um cão-robô com seus alunos, a fim de mostrar como a robótica funciona. Ao invés, no entanto, de simplesmente desenvolver algo divertido, ela decidiu por tornar essa iniciativa em algo que pudesse potencialmente melhorar a vida das pessoas – e do mero cão-robô. Com a adição de sensores especiais, nasceu Lysa, um cão-robô guia.

                          

Além de proteger mais e melhor o deficiente visual, Lysa é também uma alternativa mais viável. Afinal, além da escassez de cães-guia de fato no país, treinar um cachorro é um processo demorado, difícil e com alto custo. Lysa já vem pronta e, ainda que não seja exatamente barata, depois de adquirida ela estará sempre pronta para guiar a pessoa quando e para onde ela quiser. Considerando que somente no Brasil o número de deficientes visuais passa dos milhões, trata-se de uma potencial revolução na locomoção e, assim, na inclusão concreta dessas pessoas.



São empreendimentos como Lysa, simples e, ao mesmo tempo, incrivelmente eficientes e transformadores, que dão a graça especial do programa Shark Tank Brasil – Negociando com Tubarões. Exibido toda quinta-feira às 20hs, no Canal Sony, o programa reúne os maiores investidores do Brasil para encontrarem novos empreendimentos e grandes ideais em que queiram investir e tornarem-se sócios. Se o aspecto financeiro é fundamental, é naturalmente unânime entre os investidores que lucrar causando um impacto positivo na sociedade e no mundo é muito melhor.



Não é por acaso, portanto, que a Lysa causou um verdadeiro rebuliço no programa. O resultado da apresentação de Neide foi, ao mesmo tempo, bastante interessante no que diz respeito ao businessque o produto envolve, e emocionante por sua potencial transformação social que pode trazer.

                        

Fonte: hypeness.com.br -   fotos/divulgação


Nordeste de Goalball vai garantir duas equipes no Brasileiro neste sábado (15)

Nordeste de Goalball vai garantir duas equipes no Brasileiro neste sábado (15)
Foto: Adevirn-RN está na semifinal masculina e muito próximo na feminina

As semifinais da categoria masculina do Regional Nordeste de Goalball foram conhecidas nesta sexta-feira (14), após o fechamento da primeira fase da competição. Os duelos que vão definir as classificadas para a final e, consequentemente, quem vai carimbar a vaga para a Copa Loterias Caixa são: Apace-PB x ICB-BA e AWA-PE x Adevirn-RN. As semifinais da divisão feminina sairá após a última rodada na manhã deste sábado (15).

Com cem por cento de aproveitamento, Apace-PB, AWA-PE e Adevirn-RN dominaram os Grupos A, B e C, respectivamente. Restava, então, a última vaga para fechar os quatro melhores times do campeonato. E com o mesmo número de pontos que Funad-PB e Ierc-RN, o ICB-BA teve a felicidade de superar os rivais no saldo de gols e ficou com a vaga como melhor 2º colocado.

Na categoria feminina, as semifinais serão definidas na manhã deste sábado. Ierc-RN e Adevirn-RN estão quase lá. Ambas lideram suas chaves com duas vitórias, mas ainda precisam somar mais um ponto para confirmar a classificação. No Grupo A, o ICB-BA e a Apace-PB ainda sonham com a vaga e estão três pontos atrás do Ierc-RN. Situação parecida no Grupo B, que tem Cedemac-MA e AWA-PE no encalço da Adevirn-RN.

O penúltimo dia do Regional Nordeste de Goalball começa às 08h30 com as partidas do encerramento da primeira fase feminina. E a partir das 15h, as semifinais de ambas as categorias. Os finalistas no masculino garantem vaga na Copa Loterias Caixa. A definição da vaga feminina será na decisão do título no domingo.



Serviço
Regional Nordeste de Goalball 2017
Data: 13 a 16 de julho de 2017
Horário: 08:30 às 19:20 (13/07); 08:30 às 17:40 (14/07); 08:30 às 11:00 e 15:00 às 17:30 (15/07) e 08:00 às 10:30 (16/07).
Local: Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Endereço: Avenida da Arquitetura, S/N, Cidade Universitária – Recife/PE
Entrada franca

Fonte: cbdv.org.br

Petrúcio Ferreira é destaque do segundo dia do Mundial de Atletismo; Veja programação completa

Por CPB

Imagem


Recordista mundial dos 100m T47 (amputados de braço), com 10s57, o paraibano Petrúcio Ferreira começa neste sábado, 15, sua trajetória no Mundial de Atletismo Paralímpico de Londres. O velocista de 19 anos estreará na competição com a disputa das eliminatórias da prova mais rápida do atletismo, às 6h15 (de Brasília). Além dele, cinco brasileiros também vão à pista e ao campo do Estádio Olímpico.


Yohansson Nascimento também disputará as eliminatórias dos 100m T47, mas está na segunda bateria, às 6h25. Ainda na pista, Fabrício Júnior tem a possibilidade de ir às semifinais dos 100m T12 (baixa visão), às 8h15, caso avance nas eliminatórias, que ocorrem na tarde desta sexta-feira, 14. Ricardo Costa Oliveira, campeão paralímpico do salto em distância T11 (cego total), disputa, às 6h55, as semifinais dos 100m.

Por fim, no campo, Jonas Licurgo tentará uma medalha no lançamento de dardo F55. A disputa está marcada para começar às 6h03. Na mesma classe, mas no arremesso de peso feminino, Elizabeth Gomes terá a chance de ser a primeira medalhista mulher do Brasil neste Mundial.

Esta será a oitava edição do Mundial de Atletismo Paralímpico. Cerca de 1.300 atletas de 100 países são esperados nas 213 disputas por medalha, todas no Estádio Olímpico de Londres. Em 2015, em Doha, no Catar, o Brasil ficou com a sétima colocação no quadro geral de medalhas do evento. Foram oito medalhas de ouro, 14 de prata e mais 13 de bronze.

Acompanhe a transmissão ao vivo pelo Facebook (facebook.com/comiteparalimpico), e a cobertura nos perfis no Twitter (@cpboficial) e no Instagram (ocpboficial)

Patrocínio
A equipe brasileira de paratletismo tem patrocínio das Loterias da Caixa e da Braskem.

Time São Paulo
O atleta Yohansson Nascimento é integrante do Time São Paulo, parceria entre o CPB e a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo que beneficia 56 atletas e nove atletas-guia de 10 modalidades.

Fonte: cpb.org.br

Apace-PB é a primeira classificada no Regional Nordeste de Goalball

Apace-PB é a primeira classificada no Regional Nordeste de Goalball
Foto: Cedemac também está na briga pela classificação

O Regional Nordeste de Goalball começou nesta quinta-feira (13), no ginásio do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Pernambuco, e a atual campeã da categoria masculina, Apace-PB, largou na frente ao conquistar a vaga antecipada para as semifinais. Outras equipes também começaram bem e se aproximaram da próxima fase.

Na categoria masculina a Apace-PB venceu duas partidas (IEACN-PB e Ierc-RN) e soma 6 pontos no Grupo A. A equipe enfrenta a Adevise-SE na última rodada, que ao lado das outras duas rivais, podem passar para como melhor 2º colocado.

No Grupo B a AWA-PE também venceu seus dois jogos, mas ainda não tem garantida a classificação para a próxima fase. Cedemac-MA e Funad-PB estão na cola e podem chegar a mesma pontuação dos pernambucanos. A AAA tem situação mais delicada e sem pontuar ainda, está praticamente fora.

Na terceira chave da competição cada equipe jogou apenas uma vez, então é a disputa está completamente em aberto. O ICB-BA e a ADEVIRN-RN venceram na primeira rodada, mas ainda tem mais duas partidas para fazer. IAPQ-PE e Assobecer-PE vão em busca da reabilitação.

Na categoria feminina o Ierc-RN e o ICB-BA lideram o Grupo A, mas com ligeira vantagem do time potiguar no saldo de gols. Apace-PB e IEACN-PB não pontuaram e precisam vencer para continuar sonhando com as semifinais.

Situação parecida no Grupo B. A Adevirn-RN venceu a AAA-AL, enquanto o Cedemac-MA passou pela AWA-PE. A segunda rodada da categoria feminina acontece nesta sexta-feira (14), e a última acontece no sábado.



Serviço
Regional Nordeste de Goalball 2017
Data: 13 a 16 de julho de 2017
Horário: 08:30 às 19:20 (13/07); 08:30 às 17:40 (14/07); 08:30 às 11:00 e 15:00 às 17:30 (15/07) e 08:00 às 10:30 (16/07).
Local: Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Endereço: Avenida da Arquitetura, S/N, Cidade Universitária – Recife/PE
Entrada franca

Fonte: cbdv.org.br

Paulista Thiago Paulino abre com medalha de ouro a campanha do Brasil no Mundial de Atletismo

Por CPB

Márcio Rodrigues/CPB/MPIX
Imagem

Thiago Paulino conquistou nesta sexta-feira, 14, a medalha de ouro do arremesso de peso, classe F57, no Mundial de Atletismo Paralímpico, disputado em Londres. É o primeiro pódio do Brasil na competição, cujas primeiras provas foram nesta sexta, e seguirão até o dia 23, no Estádio Olímpico, que recebeu os Jogos de 2012.

O atleta de 31 anos venceu a disputa ao registrar a marca de 14,31m em seu terceiro lançamento. Thiago foi o único dos competidores a quebrar a barreira dos 14m. Na segunda posição ficou o chinês Guoshan Wu (13,91m) e, em terceiro, ficou o polonês Janusz Rokicki, com a marca de 13,76m. Thiago chega, assim, à sua primeira conquista em nível internacional. Havia ficado com a quinta posição nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016 e em sétimo lugar no último Mundial, em Doha (Catar), em 2015, nesta mesma prova.

"Costumo pensar que tudo acontece no seu tempo certo. A primeira coisa que passou na minha cabeça foi Doha. Esse grito de campeão mundial estava engasgado desde lá, mas sou uma pessoa bastante paciente e preciso agradecer a muitas pessoas, pois sempre acreditaram e agora comemoram comigo. Minha esposa está grávida, e o meu filho, Heitor, vai nascer em agosto. Posso dizer que ele vai ser filho de um campeão mundial", disse Paulino, que teve de amputar a perna esquerda abaixo do joelho devido a um acidente de moto, em 2010.

Após a disputa do arremesso de peso, Thiago terá pela frente o lançamento de disco, no dia 22. Em abril, ele conseguiu o recorde mundial da prova, com 48,04m, no Open Internacional Loterias Caixa, em São Paulo, e é um dos favoritos da prova.

Também competiu nesta sexta-feira Fabrício Júnior. O velocista da classe T12 - para atletas com baixa visão - classificou-se para as semifinais dos 100m ao vencer a sua bateria com o tempo de 11s16. Ele fez ao todo o quarto melhor tempo das eliminatórias e credenciou-se para voltar à pista neste sábado, 15, às 8h15 (de Brasília). Fabrício, de Naviraí (Mato Grosso do Sul), perdeu parte da visão devido a uma toxoplasmose, contraída pela mãe durante a gestação.

Confira, abaixo, a participação dos demais brasileiros neste sábado, 14, segundo dia do Mundial de Londres. O SporTV anuncia a transmissão das provas a partir das 15h45. O perfil do CPB no Facebook também exibirá, via streaming, ao vivo, toda a programação do dia.

Esta será a oitava edição do Mundial de Atletismo Paralímpico. Cerca de 1.300 atletas de 100 países são esperados nas 213 disputas por medalha, todas no Estádio Olímpico de Londres. Em 2015, em Doha, no Catar, o Brasil ficou com a sétima colocação no quadro geral de medalhas do evento. Foram oito medalhas de ouro, 14 de prata e mais 13 de bronze.

Programação dos brasileiros - sábado (15/7)*
6h03 - Jonas Licurgo (final do lançamento de dardo F55)
6h08 - Elizabeth Gomes (final do arremesso de peso F55)
6h15 - Petrúcio Ferreira (semifinal dos 100m T47)
6h25 - Yohansson Nascimento (semifinal dos 100m T47)
6h55 - Ricardo Costa Oliveira (semifinal dos 100m T11)
8h15 - Fabrício Júnior (semifinal dos 100m T12)
16h20 - Petrúcio Ferreira e Yohansson Nascimento (final dos 100m T47) - caso avance
17h14 - Ricardo Costa Oliveira (final dos 100m T11) - caso avance
17h23 - Fabrício Junior (final dos 100m T12) - caso avance
*Horário de Brasília

Acompanhe a transmissão ao vivo pelo Facebook (facebook.com/comiteparalimpico), e a cobertura nos perfis no Twitter (@cpboficial) e no Instagram (ocpboficial)

Patrocínio
A equipe brasileira de paratletismo tem patrocínio das Loterias da Caixa e da Braskem.

Fonte: cpb.org.br

Prefeitura do Rio promove cerimônia de posse da Comissão Permanente de Acessibilidade – CPA

Image may contain: 6 people, people smiling, people sitting, table and indoor
Membros da Comissão Permanente de Acessibilidade assinam termo de posse.

A Prefeitura do Rio de Janeiro, representada pela Subsecretaria da Pessoa com Deficiência (SUBPD), realizou, na terça-feira (11), a cerimônia de posse dos membros que compõem a Comissão Permanente de Acessibilidade – CPA. Os 32 integrantes que fazem parte do quadro da CPA têm a função de relatar e opinar sobre assuntos referentes à acessibilidade, integrar grupos de trabalho para tarefas específicas, sugerir o assessoramento de técnicos especializados e buscar medidas necessárias para estudos relacionados às atribuições da CPA.

A CPA será coordenada pela subsecretaria da Pessoa com Deficiência, e desenvolverá políticas de acessibilidade, considerando que atuará de forma transversal em diversas áreas, promovendo permanente debate com as políticas públicas setoriais da Prefeitura, bem como com outros órgãos e instituições da sociedade civil.

Segundo Ana Lúcia Peixoto, presidente da Comissão Permanente de Acessibilidade, “a reformulação da CPA foi muito sonhada, temos a ideia de fazer a diferença tornando a cidade eficiente para o cidadão. Nesse início já temos como projeto a reavaliação dos trâmites internos da prefeitura com relação à formulação de calçadas, fiscalização e aprovação de projetos acessíveis e produção de laudos de acessibilidade. Ainda para esse ano temos o objetivo de formular os selos para acessibilidade”.

A cerimônia de posse contou com a presença do subsecretário da Pessoa com Deficiência, Geraldo Nogueira, que deu início ao evento, do deputado estadual, Márcio Pacheco, do advogado e membro da Comissão da Pessoa com Deficiência da Alerj, Charles de Souza, do presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da OAB-RJ,Luís Claudio Freitas e da arquiteta e coordenadora do Núcleo Pró-acesso da UFRJ, que também é membro da CPA, Regina Cohen.

“A CPA é instrumento fundamental para a gestão pública, que deseja proporcionar mobilidade urbana com qualidade e conforto. Sua composição técnica, público-privada, legitima suas avaliações e pareceres sobre a acessibilidade dentro do conceito de desenho universal, permitindo maior acerto na concepção das edificações, transportes, vias e espaços públicos. Assim, a CPA também é o caminho para melhor gestão das políticas públicas de nossa cidade”, explicou Geraldo Nogueira.

Click AQUI para ver os nomes dos Membros da CPA:

Mulher viaja 3 mil quilômetros para se casar com jovem deficiente, semanas depois de conhecê-lo online - Veja o vídeo.


Algumas pessoas com deficiência, que usam uma cadeira de rodas, talvez se perguntem se ainda tem chances de encontrar o amor de sua vida e se casar com a pessoa dos seus sonhos. Grigory Prutov foi uma dessas pessoas.

Grigory, que nasceu em Vladivostok, Rússia, pode falar de experiência de como ele eventualmente se casou com uma moça encantadora que ele conheceu pela internet.

Quando nasceu, Grigory era um bebê comum como qualquer outro. No entanto, seus pais logo perceberam que algo estava errado quando ele não conseguia andar depois de um certa idade. Ele foi diagnosticado mais tarde com a atrofia muscular que causou a deterioração em seus músculos da espinha.

Os médicos disseram a seus pais que a condição é incurável e ele só tinha cerca de 4 a 5 anos de vida. Grigory, no entanto, desafiou as probabilidades e chegou a idade adulta. Ele usa uma cadeira de rodas.


Grigory é tímido e fez poucos amigos. Foi assim que ele se voltou para o uso do computador para fazer amizade virtualmente. Certo dia ele postou um texto dolorosamente trágico, na famosa rede social russa VKontakte, onde dizia:

“...Eu não posso experimentar o mundo em toda sua beleza. Dói pensar em todas as coisas que eu nunca poderei ter.

Eu não posso experimentar o mundo em toda sua beleza. Eu não posso nadar em um rio ou no mar. Eu não posso correr na grama sem dor. Eu não posso ajudar meus amigos a carregar coisas. Eu não posso cuidar das pessoas que eu amo. Eu não posso fazê-los felizes.

Assista o vídeo:

E eu nunca vou saber o que é ser amado, como se sente quando alguém te quer, quando alguém tem ciúmes ou orgulho de te apresentar. Nunca saberei o que é abraçar alguém que amo, protegê-la, dançar com ela, dar flores ou dar um presente para ela...”

O post de Grigory recebeu milhares de comentários, tanto de pessoas maldosas quanto de pessoas tentando levantar sua moral e melhorar sua autoestima. Entre elas estava Anna, que mora no Cazaquistão, e que após ler o post de Grigory, entrou em contato dizendo que ele havia tocado seu coração. Quando viu as fotos de Anna, Grigory imediatamente se apaixonou pela bela moça. Apesar das hesitações, ele mais tarde enviou suas fotos para dar-lhe uma ideia de como ele realmente é.


O resto, como dizem, é história. Em vez de sumir -como geralmente acontece-, Anna viajou cerca de 3.000 km para conhecê-lo. Foi amor à primeira vista para o casal e finalmente se casaram, ignorando alguns comentários ridículos e maldosos dos quais foram vítimas.


Fontes: http://www.mdig.com.br - cantinhodoscadeirantes.com.br

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Protesto de cadeirantes deixa trânsito lento no centro de Maceió - Veja o vídeo

Um grupo bloqueou o corredor de ônibus e passageiros tiveram que terminar o percurso a pé.

Por G1 AL

Resultado de imagem para Protesto de cadeirantes deixa trânsito lento no centro de Maceió
Cadeirantes bloquearam corredor de ônibus no centro de Maceió

Um grupo de cadeirantes protesta contra a falta de acessibilidade no centro de Maceió na manhã desta quinta-feira (13). Eles bloquearam o corredor de ônibus, deixando o trânsito lento na região.

Click AQUI para ver o vídeo.

Os manifestantes ficaram na rua com cartazes pedindo mais acessibilidade. Por causa do bloqueio, os ônibus ficaram parados no início da via e os passageiros precisam descer antes da parada e seguir a pé para o Comércio.

O presidente da Associação dos Cadeirantes de Maceió, André Dionísio, afirmou que os logistas já foram notificados pela Superintendência Municipal de Controle e Convívio Urbano (SMCCU) e pelo Ministério Público de Alagoas (MP-AL).

“Foi dado o prazo para as modificações serem feitas, mas já se passou quase um ano e nada cumprido”, reclamou.

Dionísio disse que os cadeirantes só sairão do local quando representantes da prefeitura e da Aliança Comercial. “Foram eles que se comprometeram a fazer as modificações”, disse.

A assessoria de comunicação da Aliança Comercial informou que o acordo com o comerciantes ainda não foi homologado pelo MP-AL. Disse ainda que as lojas ainda precisam de adequar as normas e que isso só pode ser feito em um prazo maior.

No ano passado, antes do acordo, os cadeirantes fecharam o corredor de ônibus no para cobrar as mesmas reivindicações.

Cadeirantes bloquearam corredor de ônibus no centro de Maceió (Foto: Magda Ataíde/G1)
Cadeirantes bloquearam corredor de ônibus no centro de Maceió (Foto: Magda Ataíde/G1)


Ônibus ficaram parados em rua do centro de Maceió  durante protesto de cadeirantes (Foto: Magda Ataíde/G1)
Ônibus ficaram parados em rua do centro de Maceió durante protesto de cadeirantes (Foto: Magda Ataíde/G1)

Fonte: g1.globo.com

Cadeirante tem 90% do corpo queimado após explosão de botijão de gás em Teófilo Otoni

Ele estava sozinho em casa no momento da explosão; ele foi permanece internado em estado grave.

Por G1 Vales de Minas Gerais

Cozinha ficou destruída após a explosão com o botijão de gás  (Foto: Divulgação/ Corpo de Bombeiros )
Cozinha ficou destruída após a explosão com o botijão de gás (Foto: Divulgação/ Corpo de Bombeiros )

Um cadeirante de 57 anos teve cerca de 90% do corpo queimado após a explosão de um botijão de gás dentro de casa em Teófilo Otoni, na noite dessa quarta-feira (12).

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o incidente ocorreu na cozinha, que ficou completamente destruída. Não havia outras pessoas no imóvel.

Ainda de acordo com os militares, provavelmente um vazamento de gás provocou a explosão. A vítima foi levada em estado grave para o hospital Santa Rosália, onde permanece internada.

Fonte: g1.globo.com

FIG 2017 terá camarote da acessibilidade

Espaço é gratuito, tem capacidade para 60 pessoas, e contará com intérprete de libras, banheiro químico adaptado e programação em braille.

Por G1 Caruaru

Espaço é destinado para pessoas com deficiência  (Foto: Divulgação/Assessoria )
Espaço é destinado para pessoas com deficiência (Foto: Divulgação/Assessoria )

Foi confirmado pela Fundarpe a realização do Camarote da Acessibilidade na 27ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns, no Agreste de Pernambuco. A estrutura é reservada para pessoas com deficiência que querem acompanhar os shows na Praça Mestre Dominguinhos, principal polo do evento.

O espaço é gratuito, tem capacidade para 60 pessoas, e contará com intérprete de libras, banheiro químico adaptado e programação em braille, além de dispor de um profissional de apoio. Em virtude do número limitado, é necessário que os interessados realizem o agendamento, a partir desta quarta-feira (12), no horário de 8h às 14h, pelo telefone: (87) 3762-7082.

A inscrição pode ser feita também presencialmente, na Casa dos Conselhos, situada na avenida Ernesto Dourado, 890, bairro Heliópolis. Para as pessoas com deficiência auditiva, o agendamento pode ser feito pelo e-mail: comudegaranhuns@hotmail.com

Inicialmente, cada pessoa poderá escolher duas noites para o uso do espaço. Porém, segundo informou o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Comud), de acordo com o número de agendamentos, essa quantidade de dias poderá aumentar.

O agendamento vai até o último dia de FIG, sábado (29). O camarote abre a partir das 21h e funciona até o encerramento do último show.

Fonte: g1.globo.com