sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Terapia genética reverte perda de visão em pacientes

Terapia genética reverte perda de visão em pacientes


Com o uso da terapia genética, cientistas da Universidade de Oxford, na Inglaterra, conseguiram reverter a perda de visão em pacientes vítimas da coroideremia, doença hereditária que provoca a degeneração da corioide, estrutura do olho localizada entre a camada esclerótica e a retina. A expectativa é que a técnica possa ser utilizada para tratar formas mais comuns de cegueira hereditária, como a retinite pigmentosa e degeneração macular.

A nova técnica envolve a injeção de um vírus no olho do paciente para distribuir bilhões de genes saudáveis que irão substituir o gene específico da coroideremia. Os resultados dos primeiros testes com humanos foram publicados na revista New England Journal of Medicine. Dos seis pacientes que passaram pela terapia há quatro anos, apenas um, que recebeu doses menores, apresentou declínio na visão.

Para o controle do experimento, os pacientes receberam a injeção em apenas um dos olhos. A expectativa dos cientistas era que a terapia impedisse ou desacelerasse a perda de visão, entretanto, dois pacientes apresentam melhora significativa na visão do olho tratado, apesar do declínio do olho não tratado neste período. Outros três mantiveram a visão no olho tratado.

— Existiram questionamentos recentes sobre a eficácia da terapia genética a longo prazo, mas agora nós temos provas inequívocas que os efeitos de uma única injeção do vetor são sustentáveis — disse Robert MacLaren, líder dos estudos. — Mesmo uma pequena melhora na visão central desses pacientes pode dar-lhes considerável independência.

O pesquisador explica que a terapia genética aproveita as propriedades infecciosas do vírus para inserção de DNA em uma célula, sendo que o DNA do vírus é removido e substituído por DNA programado em laboratório para corrigir determinada falha no material genético do paciente.

— Restaurar a visão de forma permanente em pessoas com cegueira hereditária seria uma conquista médica notável — disse Stephen Caddick, diretor de Inovação na Wellcome Trust, financiadora da pesquisa. — Esta é a primeira vez que vemos o que parece ser uma mudança permanente na visão apenas após uma rodada de tratamento. É um passo real em direção a uma era em que a terapia genética faça parte do tratamento rotineiro desses pacientes.

O advogado aposentado Jonathan Wyatt, de 68 anos, foi o primeiro paciente do mundo a receber o tratamento. Ele sofre com problemas de visão desde os 20 anos de idade, mas, após a terapia, foi capaz de dobrar o seu nível de visão no olho esquerdo, que recebeu a injeção do vírus.
— Eu me sinto com sorte, privilegiado e honrado de fazer parte deste fantástico grupo de pesquisa. Eu sinto que apesar de eu ser a carne no sanduíche, minha vida está fazendo uma contribuição para ajudar outros — disse Wyatt. — Me tornou mais independente, eu acho que eu seria mais dependente, teria mais preocupação em pegar os trens por minha conta.


Definidos os confrontos das quartas de final da Copa Loterias Caixa de Futebol de 5

Definidos os confrontos das quartas de final da Copa Loterias Caixa de Futebol de 5
Foto: ICB e Apadevi garantiram vaga na próxima fase

A primeira fase da Copa Loterias Caixa de Futebol de 5 terminou nesta quinta-feira, 5, com a disputa de seis jogos no Ginásio de Cajazeiras, em Salvador. Com isso os confrontos das quartas de final foram definidos com as oito melhores equipes ainda na disputa do título da principal competição do país na modalidade.

Equipe de melhor campanha na fase inicial, a Agafuc-RS garantiu a primeira colocação geral ao vencer a AMC-MT, algoz em 2016, por 1 a 0, com gol de Raimundo Nonato. Os gaúchos enfrentam a Apadevi-PB nas quartas, às 11h30, desta sexta-feira, 6. Já o time de Cuiabá ficou com a quinta melhor campanha e encara os donos da casa, ICB-BA, que empatou em 1 a 1 com a Apadv-SP, às 17h.

Os paulistas também avançaram e vão pegar a Urece-RJ, às 14h. Os cariocas venceram o clássico estadual contra o Ceibc-RJ por 2 a 1, e ficaram só atrás dos gaúchos na classificação geral. Já a arquirrival ficou logo atrás, em terceiro, e pega o Cedemac-MA, que passou fácil pela ADVP-PE por 3 a 0. O jogo será às 15h30.

Na contramão das equipes que ainda lutam pelo título, as quatro equipes que ficaram fora da próxima fase vão jogar pela permanência na Série A. Às 08h30, a Asdefipel-RS encara a ADVP-PE, e logo em seguida, às 10h, será a vez de Ismac-MS x Apace-PB lutarem pela continuidade na elite do futebol de 5 nacional.

Transmissão inédita
As partidas do fim de semana (semifinais e final) terão transmissão ao vivo do SporTV 3, a partir das 10h, no sábado, e das 9h30, no domingo. A exibição dos jogos no canal faz parte de um acordo firmado entre o Grupo Globo e o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), que deu origem ao Selo Paralímpico, lançado na última semana.

Serviço
Copa Loterias Caixa de Futebol de 5 – Série A
Data: 3 a 8 de outubro
Horários: Tabela completa aquiLocal: Ginásio Poliesportivo de Cajazeiras
Endereço: Estrada do Coqueiro Grande, 127 - Fazenda Grande 2, Salvador/BA
Entrada franca

Fonte: cbdv.org.br

Urece vence clássico carioca e passa às quartas do Brasileiro de Futebol de 5

Imagem

Por CPB

A Urece-RJ jogou melhor e venceu o clássico contra o Ceibc-RJ por 2 a 1, com gols do paraguaio Villa, nesta quinta-feira, 5, em Salvador, pela última rodada da primeira fase da Copa Loterias Caixa de Futebol de 5 - Série A. Com a vitória, o time passou para as quartas de final em primeiro no Grupo C, enquanto a Caixa Escolar avançou em segundo.

Depois de um primeiro tempo morno, com poucas chances de gols, a Urece-RJ voltou inspirada para a etapa complementar. E, contando com um Villa inspirado, abriu 2 a 0. A equipe teve tranquilidade para administrar o resultado e ficar com a vitória. No fim do jogo, Juliano descontou, mas era tarde demais.

"O time estava muito empenhado. Vínhamos de derrotas para eles e estávamos engasgados. Nosso time quer continuar no campeonato e a gente entrou com tudo, concentrado e com muita vontade de ganhar. O time agora entra mais motivado nas quartas de final, entra com mais empenho, vontade e confiança para poder encarar a próxima partida", vibrou o ala Liwisgton.

O Grupo C se encerrou com o jogo entre Asdefipel-RS x Apace-PB. O time de Pelotas aproveitou a fase ruim do time paraibano e venceu pelo placar de 1 a 0, gol do argentino Claudio Monzon. A equipe aguarda o encerramento da rodada para confirmar a classificação para as quartas de final. Pelo Grupo A, a Apadevi-PB venceu o Ismac-MS por 2 a 1.

A primeira fase da competição será finalizada na tarde desta quinta-feira. O time da casa, ICB-BA, encara a APADV-SP, pelo Grupo A. E pela chave B, a ADVP-PE pega o Cedemac-MA, no clássico nordestino, enquanto os gaúchos da Agafuc-RS duelam com a AMC-MT em clima de revanche. Este será o primeiro encontro entre as equipes depois do duelo da edição passada, quando o time de Cuiabá levou a melhor nas quartas de final.

Transmissão inédita
As partidas do fim de semana (semifinais e final) terão transmissão ao vivo do SporTV 3, a partir das 10h, no sábado, e das 9h30, no domingo. A exibição dos jogos no canal faz parte de um acordo firmado entre o Grupo Globo e o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), que deu origem ao Selo Paralímpico, lançado na última semana.

A edição deste ano do principal torneio de futebol de 5 do Brasil conta com 12 times de nove Estados. Eles foram divididos em três grupos. Os dois melhores de cada mais os dois melhores terceiros colocados avançam às quartas de finais. Na sequência, os vencedores disputam as semifinais, no sábado, 7. A grande final será no domingo, 8.

Serviço
Copa Loterias Caixa de Futebol de 5 – Série A
Data: 3 a 8 de outubro
Horários: Tabela completa aqui
Local: Ginásio Poliesportivo de Cajazeiras
Endereço: Estrada do Coqueiro Grande, 127 - Fazenda Grande 2, Salvador/BA
Entrada franca

Com informações da Confederação Brasileira de Desporto de Deficientes Visuais (CBDV)

Fonte: cpb.org.br

Nona semana Guga Kuerten começa nesta quinta-feira, 5, em Florianópolis

Marcio Rodrigues/CPB/Mpix
Imagem

Por CPB

Com mais de 1.800 atletas inscritos, representando 18 países, a Semana Guga Kuerten será aberta nessa quinta-feira, dia 5, nas quadras do Jurerê Sports Center (JUSC), em Florianópolis. O evento, que é realizado pelo nono ano consecutivo, conta com uma programação que envolve disputas de tênis em várias modalidades. O Torneio Profissional de Tênis em Cadeira de Rodas abre oficialmente a Semana.

Os 78 tenistas inscritos buscam pontos no ranking da ITF e o prêmio de R$ 64 mil. A estreia ocorre nesta sexta-feira, nas quadras do clube-sede do evento. De forma simultânea, a Semana Guga Kuerten promove também de sexta até o próximo domingo o Tennis Kids. O mentor do evento, Gustavo Kuerten aproveita a Semana para lançar às 10h, no JUSC, um novo projeto.

A Semana Guga Kuerten também promove competições de Beach Tennis. Nesse primeiro fim de semana, 7 e 8 de outubro, será realizada a Copa Guga Kuerten de Beach Tennis e entre os dias 12 a 15, acontece a Copa das Federações de Beach Tennis. Já as disputas da Copa Guga Kuerten Infantojuvenil de tênis convencional estão concentradas entre os dias 9 e 15 de outubro.

Além das competições, a Semana Guga Kuerten promove ainda ações lúdicas para crianças, como a Arena Guga Tênis, no Shopping Itaguaçu e no JUSC, e o Festival Escolinha Guga de Minitênis, no sábado, dia 14. E já que o evento é aberto ao público, as pessoas podem visitar, durante os onze dias da Semana, a exposição no clube-sede que exibe os principais troféus e objetos que marcaram a carreira profissional do tricampeão de Roland Garros.

Com informações da Confederação Brasileira de Tênis (CBT)

Fonte: cpb.org.br

CT Paralímpico recebe Copa Brasil de Bocha - Pares e Equipes a partir desta sexta-feira

Imagem
Alaor Filho / CPB / MPIX

Por CPB

Maciel Santos, Natali Fraga, Guilherme Germano e José Carlos Fraga, equipe que trouxe dois ouros para o Brasil no Open Internacional de Bocha realizado em setembro, nos Estados Unidos, tem mais um desafio a partir desta sexta-feira, 6: a Copa Brasil de Bocha Pares e Equipes, que será realizada no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo.

Os quatro atletas competirão com outros expoentes da modalidade, como dez dos participantes da Copa América, realizada em agosto, na Colômbia, de onde o Brasil saiu com dez medalhas. Ao todo, 17 equipes de oito estados do Brasil se enfrentam até este sábado, 7, em São Paulo.

O evento, organizado pela Associação Nacional de Desportos para Deficientes (Ande), é também uma preparação para o Open Regional de Bocha, que acontecerá em dezembro na cidade de Mar del Plata, Argentina.

* Com informações da Associação Nacional de Desportos para Deficientes (Ande)

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

Fonte: cpb.org.br

Cadeirante tem dedo amputado em rampa de ônibus no Farol - Veja o vídeo.


Um acidente grave foi registrado nesta sexta-feira, 15, por um usuário de transporte coletivo, na Praça do Centenário. Uma cadeirante perdeu um dedo na rampa de um ônibus que fazia a linha Clima Bom/Ponta Verde da Viação São Francisco.

O vídeo mostra a vítima recebendo os primeiros socorros na calçada, em meio aos passageiros do coletivo. Ouve-se gritos de uma pessoa, que pode ser a vítima do acidente. Ainda não há informações sobre a identidade desta cadeirante.



Mulheres com deficiência e cuidadoras participam da Campanha Outubro Rosa

Serão distribuídos vouchers gratuitos para mamografia a mulheres já cadastradas

Arte em fundo rosa claro, com um laço em rosa escuro ao centro

A 3ª edição do “Outubro Rosa para Mulheres com Deficiência” começa no dia 7 de outubro, em São Paulo. A iniciativa da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPED) conta com a parceria da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência (CMPD-SP) e da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM).

Poderão participar as mulheres com deficiência e cuidadoras previamente cadastradas, que ainda não fizeram a mamografia. Também terão atendimento as pacientes que farão retorno dos exames feitos na edição de 2016. Todas realizarão a mamografia em equipamentos com acessibilidade no Hospital Municipal do Campo Limpo. Os atendimentos e encaminhamentos serão feitos por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

A cerimônia de abertura do Outubro Rosa da SMPED será no dia 7 de outubro, no Plenário 1º de Maio, da Câmara Municipal de São Paulo, a partir das 14h. Haverá uma apresentação cultural e palestra sobre prevenção do câncer de mama, com participação do público. Nesse dia, também será feita a distribuição de vouchers às participantes.

Estarão presentes o secretário municipal da Pessoa com Deficiência, Cid Torquato, o presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia Regional São Paulo e professor titular de Ginecologia da Faculdade de Medicina de Jundiaí, médico mastologista e ginecologista, João Bosco Ramos Borges, o presidente da Comissão de Ações Sociais e Defesa da Mulher da Sociedade Brasileira de Mastologia e prof. assistente da disciplina de Ginecologia e Obstetrícia da FMUSP/HC/ICESP, Carlos Alberto Ruiz, e apresidente do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, Ana Cláudia Domingues.

O artigo 18 da Lei Brasileira de Inclusão (LBI) assegura “atenção integral à saúde da pessoa com deficiência em todos os níveis de complexidade, por intermédio do SUS, garantido acesso universal e igualitário”. O secretário municipal da Pessoa com Deficiência alerta que, na prática, isso não acontece “Faltam, por exemplo, mamógrafos adaptados para atender às mulheres cadeirantes e profissionais capacitados para se comunicar em Libras”, ressalta Cid Torquato.

Sobre o Outubro Rosa

O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. Este movimento começou nos Estados Unidos, onde vários estados tinham ações isoladas referentes ao câncer de mama e/ou mamografia no mês de outubro, posteriormente, com a aprovação do Congresso Americano o mês de Outubro se tornou o mês nacional (americano) de prevenção do câncer de mama.

A primeira iniciativa vista no Brasil foi em 2002, com a iluminação em rosa do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (mais conhecido como o Obelisco do Ibirapuera), situado em São Paulo.

O movimento Outubro Rosa alerta às mulheres para o risco do câncer de mama e a importância dos exames de rotina para a detecção precoce da doença. O câncer de mama é o tipo que mais atinge as mulheres no Brasil e exige cuidados. A previsão do Instituto Nacional do Câncer (Inca) é de que ocorram cerca de 58 mil novos casos no biênio 2016-2017. A chance de cura é de 90% quando o diagnóstico é precoce.

Abertura: 3ª Edição do Outubro Rosa para Mulheres com Deficiência – Reconstruindo a vida
Quando: Sábado, 7/10, às 14h
Onde: Câmara Municipal de São Paulo
Endereço: Viaduto Jacareí, 100, Bela Vista, São Paulo – SP

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Após quase um ano homem é preso por estuprar pessoa com síndrome de down no Piauí

Suspeito estava foragido desde dezembro do ano passado.

Por Carlos Rocha, G1 PI

Delegado Cadena Júnior explicou que lei protege pessoas com deficiência (Foto: Fernando Brito/G1)
Delegado Cadena Júnior explicou que lei protege pessoas com deficiência (Foto: Fernando Brito/G1)

A Divisão de Capturas da Polícia Civil do Piauí (Dicap) cumpriu nesta terça-feira (3) mandado de prisão contra um coveiro em Teresina por estupro de vulnerável. A prisão aconteceu em um cemitério da cidade em que o homem trabalhava, na zona Leste de Teresina. O homem estava foragido desde dezembro do ano passado, quando foi expedido o mandado de prisão.

Segundo o delegado Alfredo Cadena Júnior, da Dicap, a prisão aconteceu para dar cumprimento ao mandado de prisão. “Foi em um cemitério no Balão do São Cristovão. Ele foi preso porque desde dezembro do ano passado havia um mandado de prisão por estupro de vulnerável. Era uma pessoa que tem deficiência mental, com síndrome de down”, relatou o delegado.

Cadena Júnior explica que há proteção na lei para garantir o direito das pessoas com deficiências. “Como ela não tinha discernimento pleno a lei protege, além das crianças, quem não tem a capacidade de consentir uma relação sexual”, comentou o delegado a respeito do cumprimento do mandado de prisão contra o homem. Na prática foram dez meses até que a ordem judicial fosse cumprida.

“Chegou há cerca de um mês na Dicap e fizemos um levantamento porque ele se encontrava em local incerto e não sabido. Inclusive no mandado de prisão consta isso e aí conseguimos após algum tempo de investigação localizar um possível local de trabalho”, finalizou.

Fonte: hg1.globo.com

Vítima de tiroteio em boate de Gravataí foi escolhida sem motivo, diz delegado

Suspeitos teriam consumido cocaína e deram início à confusão que terminou com um jovem de 18 anos e um cadeirante mortos a tiros, segundo investigação da polícia.

Por G1 RS

Local onde duas pessoas foram mortas no começo de agosto (Foto: Reprodução/RBS TV)
Local onde duas pessoas foram mortas no começo de agosto (Foto: Reprodução/RBS TV)

A Polícia Civil concluiu o inquérito que apurou a  morte de duas pessoas dentro de uma boate em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Um jovem de 18 anos e um cadeirante de 25 anos morreram no local na madrugada de 2 de agosto. De acordo com a polícia, os três envolvidos escolheram o adolescente como alvo de forma aleatória, e a segunda vítima foi atingida por uma  atingida por uma bala perdida.

Dois adultos e um adolescente foram indiciados por duplo homicídio qualificado. "O adolescente e o adulto tinham consumido cocaína, e estavam dispostos a arranjar confusão. Não havia motivação relevante. Agiram sem motivo aparente, e resolveram dar uma garrafada na vítima (o jovem de 18 anos).

 Logo em seguida, o adolescente sacou a arma e abriu fogo contra a vítima, e como o cadeirante estava na linha de tiro acabou sendo atingido", afirmou o delegado Felipe Borba, responsável pela investigação.

As vítimas são o segurança Luis Gustavo da Silva, de 18 anos, e o cadeirante Jorge Luis Rosa da Silva, de 25 anos, que era cliente da boate. Os indiciados, no entanto, não tiveram o nome revelado. Dois deles haviam sido presos na semana passada por porte ilegal de arma, mas foram liberados, ainda conforme o delegado.

Fonte: g1.globo.com

Prefeitura de Salto de Pirapora regulariza entrega de merenda após flagrante em van - Veja o vídeo.

TV TEM registrou refeições transportadas com veículo adaptado para pessoas com deficiência e sem as condições sanitárias exigidas.

Por G1 Sorocaba e Jundiaí

Resultado de imagem para Prefeitura de Salto de Pirapora regulariza entrega de merenda após flagrante em van
Prefeitura de Salto de Pirapora regulariza entrega de merenda de escolar

A Prefeitura de Salto de Pirapora (SP) regularizou a entrega de merenda às escolas municipais e estaduais. A reportagem da TV TEM denunciou na terça-feira (3) que a refeição estava sendo transportada com uma van adaptada para pessoas com deficiência e sem higiene.

Segundo a portaria de abril de 2013 da Vigilância Sanitária, o compartimento que transporta a merenda escolar tem que ser revestido, impermeável, não tóxico e resistente a procedimentos de higienização para transportar alimentos prontos ou não.

Click AQUI para ver o vídeo.

A legislação também ressalta que o motorista deve ficar em uma cabine isolada, sem contato com a carga, e que a temperatura deve estar em conformidade com o alimento transportado. Neste dia, o termômetro passava dos 30ºC.

Uma equipe de reportagem foi acompanhar a entrega e verificou que o veículo correto - com o compartimento fechado e isolado - foi utilizado desta vez. Além disso, nenhum saco de carne foi encontrado espalhado no carro.

Dessa vez, panelas estavam em cima de engradado, seguindo normas sanitárias (Foto: TV TEM/Reprodução)
Dessa vez, panelas estavam em cima de engradado, seguindo normas sanitárias (Foto: TV TEM/Reprodução)

Prática condenada

As imagens da reportagem da TV TEM foram analisadas pelo Conselho Regional de Nutricionistas em São Paulo, que condenou a prática usada em Salto de Pirapora.

“Os produtos transportados, sejam as caixas plásticas, as panelas, não podem estar em contato direto com o piso do veículo. É necessário um estrado lavável e impermeável", explica Débora Cabanes Bertolomeu do Conselho.

Débora aponta ainda que existe uma série de resquisitos importantes, como a questão da licença de funcionamento do veículo para transporte de alimentos, que é dada pela Vigilância Sanitária Municipal.

A representante do Conselho Regional de Nutricionistas informa que a saída das merendeiras das dependências da cozinha torna passível a contaminação por bactérias externas, vindas da poeira, por exemplo.

Uma bandeja com carne sem refrigeração e em contato direto com o assoalho do veículo foi encontrada em transporte irregular de Salto de Pirapora (Foto: Reprodução TV TEM)
Uma bandeja com carne sem refrigeração e em contato direto com o assoalho do veículo foi encontrada em transporte irregular de Salto de Pirapora (Foto: Reprodução TV TEM)

Veículo não municipal

Além dos flagrantes de irregularidades sanitárias, a van usada pela prefeitura não é municipal. O veículo pertence a uma empresa que acabou de ganhar uma licitação para o transporte escolar na cidade.

A prefeitura diz que fez um contrato emergencial para não deixar as escolas desabastecidas, mas não informou o valor do contrato.

O Ministério Público pediu explicações à prefeitura sobre a denúncia. A promotora Maria Paula Pereira Rocha deu prazo de 15 dias para que o prefeito explique porque um carro irregular estava sendo usado para levar os alimentos para as escolas.

A promotora quer saber detalhes sobre a relação da empresa São João, dona da van, com a prefeitura. A São João presta o serviço de transporte de alunos na cidade. Assim que a prefeitura responder ao Ministério Público, a promotora irá decidir se abre uma ação civil pública ou não.

A Transparência Brasil, que fica de olho nos gastos públicos, afirma que a prefeitura deveria divulgar os valores gastos, que devem ser acordados e devidamente publicados.

“Isso gera gastos para o munícipio, e toda despesa deve ser indicada de onde vem, o que está sendo pago com que, onde está o contrato. Há uma falta de transparência que acaba levantando uma série de suspeitas sobre a lisura deste serviço”, afirma a diretora de operações, Juliana Sakai.

Van adaptada para deficientes é usada no transporte irregular de merenda escolar em Salto de Pirapora (Foto: Reprodução TV TEM)
Van adaptada para deficientes é usada no transporte irregular de merenda escolar em Salto de Pirapora (Foto: Reprodução TV TEM)

Fonte: g1.globo.com

Pessoas com deficiência precisam renovar cartão que dá direito a gratuidade em ônibus em Juiz de Fora

Prazo já começou e vai até o dia 20 de dezembro; ação é obrigatória para quem precisa usufruir do benefício em 2018.

Por G1 Zona da Mata

Usuários de cartões especiais precisam renovar cadastro em Juiz de Fora (Foto: Reprodução/TV Integração)
Usuários de cartões especiais precisam renovar cadastro em Juiz de Fora (Foto: Reprodução/TV Integração)

A renovação do cartão de ônibus que dá direito a gratuidade no transporte urbano de Juiz de Fora às pessoas com deficiência (PCD) começou na segunda-feira (2) e vai até o dia 20 de dezembro. A ação é organizada pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) e pelo Departamento de Políticas para a Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH) e a renovação é obrigatória para utilização do benefício em 2018.

Quem usa o cartão ou o responsável devem apresentar os documentos de identidade com foto e comprovantes de residência e renda atualizados. Pacientes com doenças renais, oncológicas e ostomizados devem levar também os respectivos atestados, padronizados pelo Departamento, que fica na Rua São Sebastião, n° 750, no Centro da cidade.

Atualmente, 2.635 pessoas utilizam os cartões especiais. O Assistente Administrativo, Paulo Carneiro, explicou que o benefício atende aos deficientes e aos acompanhantes, quando necessário. "É muito importante essa ação, para se ter controle de quantas pessoas ainda usam o benefício, quantas obtiveram melhora e podem passar na roleta e quantas morreram", disse.

Os usuários que apresentarem melhora passam a utilizar o benefício "Passse Fácil", que também dá gratuidade no transporte. A renovação deste é feita no mês do aniversário do beneficiário. O horário de atendimento é de segunda a quinta-feira, das 8h às 11h e das 14h às 17h.

Fonte: g1.globo.com

Como uma foto salvou a vida de uma menina com uma forma rara de câncer.

A fotografia acima salvou uma vida.

BBC
Foto de Rose, aos seis meses, levou a diagnóstico de retinoblastoma
Foto de Rose, aos seis meses, levou a diagnóstico de retinoblastoma

BBC Brasil

Aos seis meses, Rose Lucking-Elhitmi, de Devon, no sul da Inglaterra, foi diagnosticada com retinoblastoma (tumor na retina), uma forma rara de câncer.

Os médicos identificaram a doença após o avô de Rose notar algo estranho na fotografia da neta.

"A gente estava de férias no Lake District e, por alguma razão, naquela ocasião usamos o flash, não sei por quê. Quando tiramos a foto, eu notei que ao invés dos olhos dela ficarem vermelhos, como era esperado, um ficou vermelho, como era esperado, um ficou vermelho e o outro, branco", diz Terry Lucking, avô da menina.

Rose estava com câncer no olho direto e com sinais iniciais de um tumor no esquerdo.

Os médicos conseguiram tratar o esquerdo, mas Rose terá que conviver com o tumor do olho direito por toda a vida.

Aos três anos, a menina recebeu nesta semana um prêmio especial por sua coragem, resiliência e paciência na luta contra o câncer.

"Ela ganhou esse prêmio pela bravura", conta Suzannah Lucking, mãe de Rose.

Se dirigindo à filha, ela completa:

"Você subiu ao palco, pegou seu certificado, sua medalha, seu urso de pelúcia, e todo mundo aplaudiu, não foi? Porque você foi muito corajosa e forte."

O câncer de Rose hoje encontra-se em remissão - quando não há sinais da presença da doença, mas ainda não se pode dizer que está curado.

Segundo os pais da menina, apesar de a filha não ter a visão no olho direito, ela leva uma vida ativa e feliz.

Fonte: noticias.bol.uol.com.br

Melhor jogador do mundo marca e gaúchos garantem vaga nas quartas do Brasileiro de Futebol de 5

Imagem

Por CPB

Com dois gols de Raimundo Nonato e um de Ricardinho, craques da Seleção Brasileira de futebol de 5, a Agafuc-RS venceu o Cedemac-MA por 3 a 0 nesta quarta-feira, 4, no ginásio de Cajazeiras, em Salvador. Com o resultado, o time do Rio Grande do Sul garantiu vaga nas quartas de finais da Copa Loterias Caixa Série A com uma rodada de antecedência.

Mesmo com o resultado elástico, a partida foi dura para os gaúchos. O time maranhense correu bastante e, em alguns momentos, levou perigo ao gol de Luan nas investidas de Jardiel e de Costela. No entanto, o talento dos campeões paralímpicos fez a diferença e a vitória ficou com Ricardinho e companhia.

"O jogo começou bem difícil, a equipe do Cedemac é muito rápida, tem jogadores que marcam bem e saem para o ataque, numa transição muito boa. Tem o Jardiel, o Marcos (Costela) e o Maxwell, que é um canhoto muito habilidoso. Nós sabíamos que tinhamos que ter atenção. Encaixamos 1 a 0 e, depois, no segundo tempo, conseguimos matar o jogo", analisou Ricardinho.

Ainda pelo Grupo B, a AMC-MT emplacou a primeira vitória na competição e chegou aos 4 pontos. O time de Cuiabá venceu a ADVP-PE por 3 a 0, gols de João (2) e Rony. Pela chave C, a Ceibc-RJ virou sobre a Apace-PB e também garantiu vaga na próxima fase com uma rodada de antecedência. Bill abriu o placar para os paraibanos, mas os cariocas chegaram ao resultado com Juliano e Quintero.

Ainda nesta quarta-feira, mais três jogos movimentam a competição. A Urece-RJ pega a Asdefipel-RS, o ICB-BA encara a Apadevi-PB, e a Apadv-SP encontra o Ismac-MS na última partida da segunda rodada.

Transmissão inédita
As partidas do fim de semana (semifinais e final) da Copa Loterias Caixa de Futebol de 5 terão transmissão ao vivo do SporTV 3, a partir das 10h, no sábado, e das 9h30, no domingo. A exibição dos jogos no canal faz parte de um acordo firmado entre o Grupo Globo e o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), que deu origem ao Selo Paralímpico, lançado na última semana.

A edição deste ano do principal torneio de futebol de 5 do Brasil conta com 12 times de nove Estados. Eles foram divididos em três grupos. Os dois melhores de cada mais os dois melhores terceiros colocados avançam às quartas de finais. Na sequência, os vencedores disputam as semifinais, no sábado, 7. A grande final será no domingo, 8.

Serviço
Copa Loterias Caixa de Futebol de 5 – Série A
Data: 3 a 8 de outubro
Horários: Tabela e resultados aqui
Local: Ginásio Poliesportivo de Cajazeiras
Endereço: Estrada do Coqueiro Grande, 127 - Fazenda Grande 2, Salvador/BA
Entrada franca

Assessoria de imprensa da Confederação Brasileira de Desporto de Deficientes Visuais (CBDV)
Tadeu Casqueira - (11) 98769-1371 (TIM) / (11) 2548-0463
tadeucasqueira@cbdv.org.br

Fonte: cpb.org.br

Inscrições para voluntariado nas Paralimpíadas Escolares estão abertas até 10 de novembro

Imagem

Por CPB

Estão abertas as inscrições para trabalho voluntário nas Paralímpiadas Escolares 2017. Os interessados podem se cadastrar por este link: https://goo.gl/forms/2pd5aQPCJY9gGRDS2 até 10 de novembro.

Os selecionados prestarão serviço nas quadras, piscinas e pista de atletismo e terão direito à hospedagem no Ibirapuera, ao transporte de ida e volta ao local de competição (Centro de Treinamento Paralímpico), à alimentação e à duas camisas do evento.

Para mais informações ou dúvidas, envie um e-mail para: comissao.voluntariado@gmail.com

O evento
As Paralímpiadas Escolares são o maior evento do mundo para atletas com deficiência em idade escolar (de 12 a 17 anos). A edição deste ano, que ocorre de 21 a 24 de novembro, contará com mais de 900 atletas que competirão em diferentes modalidades: futebol de 5 (para cegos), vôlei sentado (formato 4x4) , basquete em cadeira de rodas (formato 3x3), atletismo, bocha, futebol de 7, goalball, judô, natação, tênis de mesa e tênis em cadeira de rodas.

Fonte: cpb.org.br

Lei da “Bengala Verde” para promover inclusão de pessoas com baixa visão - Veja o vídeo.

Projeto apresentado pelo vereador Paulo Frange na Câmara Municipal de São Paulo é inspirado no modelo criado na Argentina há mais de 20 anos

Imagem Internet/Ilustrativa
Resultado de imagem para Lei da “Bengala Verde” para promover inclusão de pessoas com baixa visão


As pessoas com baixa acuidade visual são aquelas que possuem menos de 30% da visão no melhor olho e/ou campo visual (visão lateral) menor que 20 graus, mesmo com o uso de óculos adequados. Elas se acostumaram a viver num estado ambivalente, no qual não há nem ausência nem presença total de visão. Estão no meio do caminho entre a escuridão e a penumbra. Muitas vezes, não são percebidas pela sociedade ou então são confundidas com pessoas cegas, já que algumas recorrem a bengala branca indicada para as pessoas com ausência total da visão.

Veja abaixo o vídeo



É uma situação que gera desconfiança, discriminação e constrangimento em atividades simples do cotidiano, como reconhecer rostos, ler placas de sinalização, letreiros de ônibus, atravessar ruas ou até mesmo escolher a comida num buffet à quilo.

“Estas pessoas frequentam escolas muitas vezes não preparadas ou trabalham com ferramentas nem sempre adequadas, e em alguns casos a claridade, ou a falta dela, ainda atrapalha. Muitas desconhecem o que é profundidade ou visão periférica”, afirma o autor do projeto, o vereador Paulo Frange, do PTB.

O Dr. Paulo Frange é médico e entende que a bengala não pode ser motivo de discriminação mas sim um instrumento fundamental para a orientação, mobilidade e segurança dessas pessoas. A distinção da cor da bengala é vista como uma forma eficaz de identificação e que pode ajudar nas tarefas diárias.

“O fato de(pessoas com baixa visão) utilizarem uma bengala branca pode até causar outro problema maior a elas, sendo difícil, complicado e cansativo ter que, dar explicações que a baixa visão permite executar algumas tarefas”, explica.

De acordo com o Projeto de Lei apresentado na Câmara Municipal, a bengala verde possuirá as mesmas características da bengala branca em peso, longitude, empunhadura elástica, rebatibilidade, podendo ou não conter na última anilha uma luz de led para facilitar a visão noturna. O Projeto dispõe ainda que o Poder Executivo dará publicidade para conhecimento da população, por instrumentos e mecanismos necessários à divulgação do uso da bengala verde pelas pessoas diagnosticadas com baixa visão.

“São inúmeras experiências vivenciadas por essas pessoas que buscam autonomia, independência e reconhecimento em uma sociedade que, por sua vez, ainda não as identifica como parte de um grupo de pessoas com deficiência visual”, acrescenta.

Bengala Verde foi usada pela primeira vez na Argentina há 21 anos

Em 1996, justamente para enfrentar as dificuldades específicas do universo da baixa visão, a professora uruguaia de educação especial, Perla Mayo, que atua na Argentina, criou a bengala verde – cor que representa a esperança, de “ver-de outra maneira”, de “ver-de-novo“. A intenção da diretora do Centro Mayo de Baja Visión, localizado em Buenos Aires, foi contribuir para a aceitação do uso da bengala pelas pessoas com baixa visão (que até hoje rejeitam a bengala branca por ser um símbolo da cegueira), não só para a identificação pelas outras pessoas como para construir a noção de pertencerem a um grupo ainda imerso na invisibilidade social.

A repercussão foi tão positiva que dois anos depois, em 1998, Perla Mayo apresentou no Congresso Mundial de Baixa Visão, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, uma pesquisa sobre o uso da bengala verde. Na Argentina a Lei nº 25.682, que estabelece a bengala verde como instrumento de orientação e mobilidade para as pessoas com baixa visão, garante, inclusive, cobertura médica obrigatória por parte do Estado e dos planos de saúde.

Atualmente, mais de dez mil argentinos utilizam a bengala verde no país que comemora, em 26 de setembro, o “Día del Bastón Verde”. Países como Nicarágua, Colômbia, Paraguai, México, Equador, Bolívia, Costa Rica, Venezuela e Uruguai também difundem o uso da bengala verde por meio de ações e campanhas educativas.

No Brasil, o Grupo Retina desenvolve, desde 2014, a “Campanha Bengala Verde” para promover a iniciativa em todo o território nacional. O Projeto de Lei apresentado pelo Vereador Paulo Frange é mais um passo para que os brasileiros aprofundem e qualifiquemr o debate sobre o tema, com a ampla participação das pessoas com baixa visão e dos diversos setores da sociedade.

“Afinal, o que parece ser, em princípio, apenas uma mudança de cor, na verdade, representa uma efetiva oportunidade para informar sobre as características da baixa visão e as dificuldades enfrentadas por seis milhões de pessoas que vivem entre over e o não ver“, conclui o vereador.

Fonte: vidamaislivre.com.br -  Imagem Internet/Ilustrativa

Prêmio Claudia reconhece o trabalho da primeira repórter brasileira com síndrome de Down

Fernanda Honorato falando ao microfone.

Reproduzido do Portal Comunique-se

Fernanda Honorato brilhou na noite de segunda-feira, 2, durante a 22ª edição do Prêmio Claudia. A jornalista é a primeira repórter com síndrome de Down do país e foi agraciada na categoria Trabalho Social. “Agradeço pela oportunidade e por colocarem uma mulher com deficiência intelectual em um prêmio tão importante”, declarou a comunicadora, que subiu ao palco emocionada pelo reconhecimento. A profissional concorreu com Gina Ponte, educadora que criou um projeto para ampliar o conhecimento dos alunos sobre o papel e a força da mulher, e Karine Vieira, assistente social que ajuda pessoas recém-egressas do sistema penitenciário a conseguir emprego.

Fernanda tem Marília Gabriela como musa inspiradora e sempre conta que quando criança brincava de entrevistar seus familiares. Em 2006, foi descoberta enquanto dançava em uma boate e passou a integrar o time do ‘Programa Especial’, da TV Brasil, tornando-se a primeira repórter com deficiência intelectual do país. “Gostaria de agradecer a pessoa que abriu a porta para mim e colocou uma pessoa com síndrome de down para ser repórter. Queria, também, dedicar o prêmio às outras candidatas. Se eu sou o que sou, devo às pessoas que acreditaram no meu sonho de romper barreiras”, disse. Fernanda acredita que o reconhecimento abre muitas oportunidades de informação e tecnologia para a inclusão de pessoas.

Em oito categorias, o Prêmio Claudia jogou luz no trabalho de diversas mulheres inspiradoras espalhadas pelo Brasil. A cerimônia teve apresentação de Eduardo Moscovis e revelou a atriz Taís Araújo como a grande homenageada. “Eu queria tanto que as crianças tivessem as mesmas oportunidades nesse país. Eu só acredito em mobilidade social através da educação. E quando eu fico firme com o meu filho e ele me desafia, eu falo para ele: ‘você vai cansar, porque eu sou incansável’. Para todos os trabalhos que vimos hoje aqui no palco, nós precisamos ser incansáveis”, afirmou a artista.

Além da entrega dos troféus e da homenagem, o Prêmio Claudia foi palco para divulgação do novo posicionamento da Revista Claudia, que chega neste mês às bancas com uma edição de manifesto sob o mote #EuTenhoDireito. Com a jornalista Ana Paula Padrão na direção do veículo, a marca do Grupo Abril passa a defender o direito que as mulheres têm de não ser julgada por suas escolhas. “A gente quer ser feliz e convida todo mundo para essa grande festa. A gente quer ser leve, livre e solta. Bota na cabeça e na ponta da língua #EuTenhoDireito e conte comigo e com Claudia para gritar sua escolha por aí”, escreveu Ana Paula na carta ao leitor da edição.

Prêmio Paratodos: edital no ar

Logo, em fundo cinza e letras azuie marinho, na primeira linha, em caixa alta a palavra para e na segunda todos.
Logo, em fundo cinza e letras azul marinho, na primeira linha, em caixa alta a palavra para e na segunda todos.

Confira, a seguir, o regulamento do Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar.

Inscrições abertas!

PRÊMIO PARATODOS DE INCLUSÃO ESCOLAR

Regulamento 2017

Objetivo
O Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar, com patrocínio da LECCA Investimentos e apoio dos Institutos Alana, Mara Gabrilli e Rodrigo Mendes,vai selecionar e premiar experiências pedagógicas bem sucedidas em inclusão de alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação, que tenham sido desenvolvidas por professores de instituições de ensino regular, da Educação Infantil ao Ensino Superior, considerando os critérios estabelecidos neste regulamento.

Da candidatura
2.1 Todos os professores de instituições de ensino regulares públicas ou privadas – da Educação Infantil ao Ensino Superior – podem se inscrever no Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar. A instituição de ensino deve ser reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

2.2 Somente poderão ser inscritas experiências de inclusão com resultados de eficácia comprovados (desempenho positivo do aluno, participação em atividades da turma, evolução acadêmica do aluno) durante os anos letivos de 2016 e 2017.

2.3 Serão considerados somente os relatos enviados dentro do prazo estabelecido por este regulamento. A Comissão Organizadora não se responsabiliza por inscrição não recebida no prazo por motivos de falhas técnica de computadores, de linhas de comunicação, de acesso à internet, entre outros fatores que impossibilitem o envio do relato do professor.

2.4 Fica limitada a inscrição de no máximo dois trabalhos distintos por participante.

Inscrição
3.1 A inscrição do candidato deve ser feita por e-mail, de 05 de outubro até às 23h59 de 31 de dezembro de 2017, a partir do envio do relato da experiência escolar vivida, evidenciando e comprovando os resultados obtidos no período a que se refere este regulamento. O envio deve ser feito pelo email: premio@paratodos.net.br.

3.2 O ato de inscrição implica concordância e adesão irrestritas a este regulamento e atesta a veracidade das informações da ficha e do caso enviado.

3.3 Deve-se enviar juntamente com o relato anuência da direção da escola da participação do professor e exposição do relato. No caso de envio de fotos e/ou vídeos, é fundamental autorização dos responsáveis dos menores de idade, bem como dos demais participantes do material enviado.

3.4 A inscrição corresponderá ainda a autorização para publicação do material enviado pelo Paratodos e instituições parceiras.

3.5 Não é cobrada taxa de inscrição;

3.6 Pedidos de esclarecimento de eventuais dúvidas de interpretação do regulamento deverão ser endereçados, até 05 (cinco) dias úteis antes da data do término do prazo de inscrição, para o e-mail premio@paratodos.net.br.

Do formato de apresentação do trabalho
4.1 Os candidatos devem enviar relato do trabalho de inclusão ocorrido dentro da instituição de ensino indicando o seu segmento da educação.

4.2 Os Relatos não devem ultrapassar 08 (oito) páginas. Devem ser encaminhados em anexo por e-mail, digitado em fonte Arial ou Times New Roman (corpo 12), em formato A4, com 3 cm nas margens superior e esquerda e com 2 cm nas margens inferior e direita, usando espaçamento de 1,5. Pede-se que seja, preferencialmente, em formato PDF.

4.3 Os Relatos devem apresentar obrigatoriamente uma capa com as seguintes informações: nome do professor; título do trabalho; instituição de ensino; segmento da educação; cidade/estado; resumo do relato.

4.4 Os relatos devem seguir o roteiro: Apresentação (geral); Equipe Responsável (pelo experiência pedagógica); Descrição da Experiência (proposta para o grupo, adaptação para alunos em situação de inclusão, alunos beneficiados, objetivo da ação, impactos e resultados e avaliação); Considerações Finais (conclusão) e Bibliografia (se for o caso).

4.5 Podem ser enviados para complementar o relato, como anexos à inscrição: vídeos, fotografias, aplicativos, projetos pedagógicos, depoimentos de familiares, material pedagógico adaptado ou de desenho universal, ou quaisquer outros materiais que comprovem as ações feitas em sala de aula e seus benefícios em favor da inclusão.

4.6 Para todo e qualquer depoimento de familiar em vídeo ou fotografia, seja adulto ou criança, torna-se necessária a autorização dos envolvidos por escrito.

4.7 Juntamente como o relato, é preciso enviar anuência da direção da escola sobre o relato enviado.

4.8 Qualquer outra forma de envio será analisado pela comissão durante a triagem dos trabalhos recebidos e poderá ser desclassificado sem justificativa.

Comissão Organizadora
5.1 A Comissão Organizadora, formada pelas integrantes do movimento Paratodos, é responsável pela coordenação do prêmio e tem ainda a função de fazer uma triagem nos trabalhos recebidos, com base nos critérios estabelecidos.

Julgamento
6.1 O julgamento dos casos inscritos será realizado por uma Comissão Julgadora, que será formada por profissionais da área de educação e especialistas de inclusão e ou acessibilidade.

6.2 A Comissão Julgadora atribuirá o Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar ao caso que melhor cumprir os objetivos do concurso descritos no item 1.1.

6.3 A seleção das experiências vai considerar objetividade do relato da experiência; consistência pedagógica e conceitual, sucesso escolar dos alunos envolvidos, contextualização da escola e potencial de aplicação da experiência em outras realidades educacionais.

6.4 Também serão avaliados nos relatos a sintonia da proposta pedagógica dos alunos em inclusão com os alunos da turma, em parceria com famílias; parceria AEE/professores; utilização de recursos da comunidade; olhar para o potencial do aluno; menção de acompanhantes; envolvimento da equipe escolar; envolvimento com demais alunos, supervisão multidisciplinar dos professores do AEE; protagonismo dos docentes.

6.5. Não serão aceitos artigos acadêmicos, mesmo aqueles não publicados ainda.

6.6 A Comissão Julgadora avaliará os casos conforme ainda esforço incomum, determinação, isenção, perseverança, ética e respeito à diversidade.

Dos critérios
7.1 Os relatos devem seguir os seguintes critérios:

Foco no tema da inclusão escolar de alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação;

Coerência com os objetivos da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência);

Indicação de resultados da ação;

Menção à forma de gestão da escola, demonstrando a prática democrática, colaborativa e participativa entre gestores, educadores e demais segmentos da comunidade escolar;

Descrição da(s) estratégia(s) pedagógica(s) inclusiva(s);

Indicação de impactos pedagógicos e sociais no aluno e na turma; e
Possibilidade de replicar a experiência, com devidas adaptações, vivenciada pelo educador.

Premiação
8.1 Os três casos mais relevantes receberão brindes do Paratodos e terão seus trabalhos divulgados no site.

8.2 As escolas nas quais foram desenvolvidas as experiências selecionadas como finalistas serão premiadas com placas comemorativas.

8.3 O caso escolhido para receber o Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar receberá além da camiseta e da divulgação, um tablet.

Disposições Finais
9.1 Não poderão participar do Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar: Membros ou familiares da Comissão Organizadora e da Comissão Julgadora; e Professores que não sejam formados e que não estivessem legalmente contratados na escola referida na data em que o trabalho foi executado.

9.2 Todos os trabalhos enviados ao concurso poderão ser expostos, veiculados e reproduzidos em publicações, programas e eventos de caráter educativo ou cultural, ou de divulgação da promotora do concurso, independente de qualquer remuneração, autorização ou licença de seus autores, sem qualquer tipo de compensação ou indenização, assegurada a menção da autoria.

9.3 A inscrição no Prêmio implica, em caráter irrevogável.

9.4 Ao se inscrever, o participante autoriza também que as entrevistas e depoimentos que porventura sejam concedidos ao Paratodos ou a parceiros sejam reproduzidos por estas entidades, por si ou por terceiros e divulgados nos materiais, suportes, mídias e meios indicados neste regulamento.

9.5 Os trabalhos que não atenderem às exigências deste regulamento serão automaticamente desclassificados.

9.6 Todas as questões omissas do regulamento, assim como a interpretação de dispositivos, serão decididas pela Comissão Organizadora de forma soberana, e suas decisões não serão objeto de questionamento ou impugnação por qualquer das partes envolvidas.

9.7 O nome das crianças e dos familiares envolvidos serão alterados para efeito de publicação protegendo sua identidade.