sábado, 2 de junho de 2018

Hospitais da rede pública terão que fazer exame que identifica Down

Entrada do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, no Município de Duque de Caxias
Entrada do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, no Município de Duque de Caxias Foto: Uanderson Fernandes / Agência O Globo

Extra

A Assembleia Legislativa do Rio aprovou, esta semana, projeto de lei do deputado Gustavo Tutuca, que obriga hospitais e maternidades da rede pública a fazer o exame dos cariótipos nos recém-nascidos com diagnóstico de doenças cromossômicas ou genéticas. O projeto já foi para sanção do governador Luiz Fernando Pezão. O exame é um estudo que identifica possíveis alterações genéticas na fase celular embrionária.

Nesse período, por conta do aumento ou da diminuição do número de cromossomos, podem se desenvolver aneuploidias (alteração cromossômica numérica) ou síndromes, como a Síndrome de Down. Portanto, é necessária a realização do teste de cariótipo em recém-nascidos que manifestem fisicamente alguns sintomas, para possibilitar o acesso ao diagnóstico correto e o posterior tratamento — justifica o deputado.

A garantia do teste será apenas após verificação e diagnóstico clínico feito por pediatra ou médico especialista. O texto do projeto de lei 2.551/17 determina ainda que, quando o quadro clínico sugerir doenças cromossômicas ou genéticas, mesmo com cariótipo normal, será assegurado o acesso a uma segunda linha de exames genéticos e técnicas específicas.

Ex-presidiário cadeirante é preso suspeito de tráfico de drogas em Maceió

Com ele, a polícia ainda apreendeu 50 gramas de maconha.

Por G1 AL

Com o suspeito preso na parte alta de Maceió, a polícia apreendeu uma arma e maconha (Foto: George Arroxelas/G1)
Com o suspeito preso na parte alta de Maceió, a polícia apreendeu uma arma e maconha (Foto: George Arroxelas/G1)

Um ex-presidiário cadeirante foi preso em flagrante, na noite desta sexta-feira (1), suspeito de tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo no Tabuleiro do Martins, parte alta de Maceió.

De acordo com informações do tenente Sampaio do Comando da Radiopatrulha (RP), Jamerson dos Santos Muniz, 33, foi localizado após denúncia anônima feita ao Serviço de Inteligência.

Ainda segundo informações do militar, Jamerson estava deitado em casa, localizada na Rua Santa Luzia, no momento da prisão. No local, foram encontrados 50 gramas de maconha e um revólver calibre 38.

No imóvel também estavam a esposa, mãe e avós do suspeito, que deram a autorização para a busca aos militares no local.

O suspeito e o material apreendido foram levados para a Central de Flagrantes I, no Farol. Jamerson já tinha passagens ateriores também por tráfico de drogas e posse de arma ilegal, e passou meses no presídio.

De acordo com a polícia, Jamerson dos Santos Muniz foi encontrado após denúncia anônima (Foto: George Arroxelas/G1)
De acordo com a polícia, Jamerson dos Santos Muniz foi encontrado após denúncia anônima (Foto: George Arroxelas/G1)

Fonte: g1.globo.com

Projeto que promove a participação de cadeirantes em corridas realiza treino na Lagoa

A iniciativa promove a participação de cadeirantes em corridas de rua

POR O GLOBO

Divulgação
Lado a lado. Voluntários conduzem portadores de deficiências em triciclos adaptados

RIO — Criado na Baixada Santista há cerca de dois anos, o projeto Empresto Minhas Pernas já teve a adesão de muitos corredores, tendo eles deficiência física ou não. Com a premissa de chamar cadeirantes para corridas de rua, — para participar das provas eles usam um triciclo adaptado e são “empurrados” por companheiros de pista ao longo do trajeto —, o grupo dá início às atividades cariocas hoje, às 15h, com um grande treino no Complexo Lagoon, na Lagoa. O evento é uma preparação para a Etapa Quinta da Boa Vista do Circuito Rio Antigo, marcada para o dia 24.

Nosso objetivo é transformar a corrida de rua em uma incrível experiência de inclusão e sociabilização para atletas com deficiência e voluntários — comenta Stefan Klaus, idealizador do projeto, que virá ao Rio para participar do treino e pretende levar dez triciclos à prova oficial.

O Circuito Rio Antigo deste ano tem quatro etapas. A primeira, em 25 de março, teve a Lapa como sede. A segunda foi na Quinta da Boa Vista. O circuito será realizado também na Cinelândia, em 16 de setembro, e na região do Porto Maravilha, no dia 9 de dezembro. Os triciclos usados nas provas são adquiridos com verba captada junto a apoiadores e patrocinadores do Empresto Minhas Pernas.

Antes restrito às ruas do Centro da cidade, o Circuito Rio Antigo vai se consolidando em outros pontos com importante valor histórico da capital fluminense, como o bairro de São Cristóvão, na Zona Norte.

Micro e pequenas empresas de São João têm dificuldades para renovar alvarás - Veja o vídeo.

Legislação municipal exige banheiros adaptados para pessoas com deficiência em todos os estabelecimentos, mas nem todos têm espaço suficiente.

Por G1 São Carlos e Araraquara

Resultado de imagem para Empresas de São João têm dificuldades para renovar alvará de funcionamento
Empresas de São João têm dificuldades para renovar alvará de funcionamento

Micro e pequenas empresas de São João da Boa Vista (SP) estão com dificuldades para renovar o alvará de funcionamento, porque não estão adaptadas ao plano municipal de acessibilidade.

Click AQUI para ver o vídeo.

As adequações exigidas fazem parte do plano aprovado em 2013 e baseado em uma lei federal de 2010. Mas alguns comerciantes alegam que não têm como fazer as adaptações exigidas.

Segundo a Associação Comercial, São João da Boa Vista tem 1.684 lojas no segmento varejista e 2.633 no setor de serviço. Juntas empregam cerca de 13 mil pessoas e movimentam mais de um R$ 1 milhão.

Comércio de São João da Boa Vista terá que fazer adaptações para ter mais acessibilidade (Foto: Rodrigo Sargaço/EPTV)
Comércio de São João da Boa Vista terá que fazer adaptações para ter mais acessibilidade (Foto: Rodrigo Sargaço/EPTV)

Dificuldades
É o caso de Ana Paula Ceschin, que tem sua loja em um espaço alugado em um prédio tombado. Há dez anos trabalhando no comércio, pela primeira vez ela não conseguiu renovar o alvará.

“Mandaram o fiscal para fazer a vistoria de acessibilidade. Nós temos a rampa provisória – nesse momento eles estão aceitando a rampa móvel –, porém, todas as lojas precisam ter banheiro adaptado”, afirmou.

Banheiros dos estabelecimentos comerciais de São João da Boa Vista deverão ser adaptados para portadores de deficiência (Foto: Rodrigo Sargaço/EPTV)
Banheiros dos estabelecimentos comerciais de São João da Boa Vista deverão ser adaptados para portadores de deficiência (Foto: Rodrigo Sargaço/EPTV)

Para fazer a reforma ela teria que ter uma autorização especial para alterar o prédio e custo das obras ficaria muito alto. “Eu tenho a impressão que se isso persistir muitas lojas vão fechar”, disse.

É lei
Segundo o departamento de engenharia da Prefeitura de São João da Boa Vista, não há um prazo final pra adequação, que será definido de acordo com o tipo de empresa.

Também não foram definidas multas para quem não cumprir a determinação, mas a prefeitura está orientando os comerciantes a fazerem as adaptações no espaço para se adequarem à lei e em muitos casos, concede alvarás provisórios.

“Não há distinção de uma loja de roupas para uma de comida. A legislação federal exige banheiro adaptado nas duas. A empresa que apresentar laudo do engenheiro ou arquiteto informando que não há como fazer adaptação alguma do imóvel nos estamos concedendo prazo e aguardando alternativas se é possível viabilizar algumas exceções na legislação”, afirmou o diretor do departamento de engenharia da prefeitura Gustavo Lago.

Diretor do departamento de engenharia da prefeitura Gustavo Lago (Foto: Rodrigo Sargaço/EPTV)
Diretor do departamento de engenharia da prefeitura Gustavo Lago (Foto: Rodrigo Sargaço/EPTV)

Direitos e deveres
Para a Associação Comercial, o ideal é que essa adaptação seja realizada com o menor impacto possível na economia da cidade.

“A ideia é que novos imóveis já abram com as adaptações necessárias, mas para imóveis já construídos que haja uma flexibilização para essa legislação para não penalizar nem o deficiente, nem o empresário”, afirmou o consultor Júnior Correia.

Segundo a presidente da Associação de Valorização e Promoção das Pessoas com Deficiência, Elisângela Guedes, a mobilidade e a acessibilidade são direitos de quem busca mais igualdade no dia a dia.

“Se tivesse o básico para a gente entrar já ajudaria bastante. É sempre bom saber que ali a gente pode ir que vai conseguir utilizar, que vai conseguir entrar”, afirmou.

Fonte: g1.globo.com

Brasil enfrenta os Estados Unidos na estreia do Mundial de Goalball

Imagem

Por CPB

Os jogos de estreia das Seleções Brasileiras no Campeonato Mundial de Goalball IBSA 2018 serão neste domingo, 3. O primeiro time a entrar em quadra, pelo Brasil, será o masculino contra os Estados Unidos, às 4h (horário de Brasília). Já a equipe feminina enfrentará a China às 9h20. A competição acontece em Malmö, na Suécia, de 3 a 9 de junho.

“Os Estados Unidos são uma equipe muito forte que também está no Mundial para conseguir a medalha de ouro e a vaga nos Jogos de Tóquio. Então a nossa estreia será muito difícil, porque, nos últimos anos, quando nós nos confrontamos, foi em jogos bem estratégicos. Eles também têm jogadores de alto nível e pode se dizer que são nosso maior adversário no grupo”, comentou Alessandro Tosim, técnico da Seleção Brasileira masculina de goalball.

O Brasil foi derrotado pelos americanos, por 10 a 1, nas semifinais dos Jogos Paralímpicos Rio 2016. A competição terminou com a Lituânia com a medalha de ouro, os Estados Unidos com a prata e o Brasil com o bronze. Desde então, no entanto, os dois times se encontraram duas vezes em quadra, ambas com resultado favorável para os brasileiros.

A Seleção verde e amarela venceu a americana, com o placar de 8 a 3, no Campeonato das Américas de Goalball IBSA 2017, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. Em março de 2018, a vitória foi de 7 a 1 na semifinal do Malmö interclup, na Suécia. Nos dois campeonatos, a Seleção Brasileira masculina conquistou o troféu de campeã.

“Depois do jogo no Rio 2016, já tivemos dois jogos contra os Estados Unidos e vencemos, então aquele episódio já foi esquecido, foi usado como aprendizado. Com certeza, é muito importante iniciar o campeonato com uma vitória, mas se ela não vier, o Mundial é um campeonato longo, já que há sete jogos na fase de grupos e isso nos traz uma segurança maior. Nós também temos seis atletas preparados para o Mundial, o que nos dá confiança”, comentou Leomon Moreno jogador da Seleção Brasileira masculina de goalball.

A primeira etapa do Campeonato Mundial de Goalball IBSA 2018 será a fase de grupos, de 3 a 7 de junho, em que os times se enfrentam dentro da própria chave. Os quatro primeiros de cada grupo avançam à fase de quartas de final. A Seleção Brasileira masculina está no grupo B com os Estados Unidos, o Canadá, a Alemanha, o Irã, o Egito, a República Tcheca e o Japão. A Seleção feminina está no grupo D com a China, o Canadá, os Estados Unidos, a Argélia e a Grécia.

Ao todo, 19 países estão participando do torneio, sendo que apenas oito possuem equipes nas duas categorias. Ambos os times brasileiros contam com seis atletas.

Fonte: cpb.org.br

Daniel Dias bate recorde mundial dos 50m livre em Sheffield, na Inglaterra


Imagem

Por CPB

O paulista Daniel Dias bateu na manhã desta sexta-feira, 1º, o recorde mundial dos 50m livre, classe S5. Em sua segunda prova na etapa de Sheffield (Inglaterra) da World Series, o atleta de 30 anos registrou a marca de 31s90 - quatro centésimos mais veloz do que o antigo tempo, 31s94, que pertencia a ele próprio, registrado em 2014, em Pasadena, nos Estados Unidos.

"Eu estou muito feliz com o resultado e gostaria de agradecer a Deus, à minha família, ao meu técnico, Leonardo Tomasello. Muito obrigado por tudo", disse Daniel Dias ao ser entrevistado ainda no pódio do evento. Na última quinta-feira, 31, Daniel já havia sagrado-se medalhista de ouro nos 100m livre em Sheffield, com 1min09s81.

As finais estão sendo disputas em formato multiclasse, e as medalhas são distribuídas de acordo com o índice técnico dos atletas. Nos 50m livre, o Brasil ainda ficou com a medalha de prata com Phelipe Rodrigues, da classe S10. A exemplo de Daniel Dias, ele também já havia subido ao pódio nos 100m livre, na abertura do evento.

O recorde mundial coloca Daniel Dias em boa posição na luta pelo bicampeonato da World Series - circuito criado no ano passado pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês). O brasileiro cravou a melhor performance da temporada inaugural e tem grande chance de novamente ser o destaque.

No primeiro dia de ação na piscina em Sheffield, o Brasil também havia subido ao lugar mais alto do pódio nos 50m peito SB3. Patrícia Pereira registrou 1min03s18 e foi a mais bem colocada da prova.

A etapa de Sheffield da World Series é a quinta da temporada, se estenderá até domingo, 3. Os resultados completos da competição podem ser conferidos AQUI. Vale ressaltar que as competições estão sendo transmitidas por meio do Facebook e do site oficial do Comitê Paralímpico Brasileiro.

A competição é uma oportunidade para os atletas se classificarem para o Parapan-Pacífico 2018, evento mais importante da temporada de natação, que ocorrerá entre os dias 9 a 13 de agosto, na Austrália.

Time São Paulo
Os atletas Daniel Dias e Phelipe Rodrigues são integrantes do Time São Paulo, parceria entre o CPB e a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo que beneficia 62 atletas e seis atletas-guia de dez modalidades.

Fonte: cpb.org.br

Circuito Loterias Caixa de atletismo estreia novo formato na 1ª nacional neste sábado

Daniel Zappe/CPB/MPIX
Imagem

Por CPB

O Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, receberá neste fim de semana, 2 e 3 de junho, a 1ª etapa nacional do Circuito Loterias Caixa de Atletismo. Ao todo, 287 atletas de 22 Estados e do Distrito Federal estão inscritos, sendo São Paulo a unidade da federação com o maior número de representantes: 122.

O calendário das etapas nacional do Circuito Loterias Caixa em junho ainda contempla a abertura do nacional de natação, no final de semana dos dias 9 e 10, e halterofilismo em 22, 23 e 24 – esse último, será realizado simultaneamente à II Copa Brasil de esgrima em cadeira de rodas, também no CT Paralímpico.

O Circuito Loterias Caixa de atletismo conta com duas etapas nacionais e a terceira etapa, agora, recebe o nome de Campeonato Brasileiro, e funcionará de uma forma diferente das demais. Para a competição deste final de semana, estão habilitados para participar atletas que obtiveram o índice mínimo estabelecido pelo CPB nos eventos validados, como as etapas regionais do Circuito Loterias Caixa, Desafio CBAt/CPB, Jogos Universitários, eventos da Federação Paulista de cegos e da Associação Brasileira de Desportos para Deficientes Intelectuais (ABDEM). Além dos esportistas com os 50 melhores Índice Técnico Competitivo (ITC) da temporada passada. A segunda etapa nacional será em agosto.

Trinta medalhistas paralímpicos participarão desta etapa nacional do Circuito Loterias Caixa de atletismo, como o paraibano Petrúcio Ferreira (T47) – recordista mundial na prova dos 100m, o alagoano Yohansson Nascimento (T45) – medalhista nos Jogos Rio 2016, a sul-mato-grossense Silvânia Costa (T11) – campeã no salto em distância no Rio.

Nesta temporada, a modalidade conta com algumas novidades como a inauguração de dois rankings nacionais e o Campeonato Brasileiro – antiga terceira fase nacional. O Campeonato Brasileiro, que será realizado em outubro, contará com a participação dos oito melhores atletas de cada prova por classe funcional, de acordo com o ranking nacional. As provas serão com finais diretas, disputadas em três dias: sexta-feira (manhã e tarde), sábado (manhã e tarde) e domingo (manhã).

“A intenção é dar uma outra chance para atletas que não obtiveram os índices para as nacionais. Esses atletas acabavam ficando desmotivados para se manter competindo ao longo do ano por não estarem no Circuito e não participavam mais de competições oficiais do CPB. Assim, mesmo sem o índice mínimo, mas estando entre os oito do ranking, eles têm chance de competir no Brasileiro”, explicou Ricardo Melo, coordenador-técnico da modalidade.

O ranking nacional de atletismo reunirá as marcas dos atletas feitas em competições chanceladas pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês).

“O ranking nacional é uma vontade muito antiga, mas existia uma dificuldade técnica de se reunir todas as marcas dos atletas, só existia o ranking Circuito Loterias Caixa. Agora, o ranking nacional contará com marcas feitas em todas as competições válidas, em âmbito nacional ou internacional. Será um documento muito mais fiel a realidade do atletismo no Brasil”, declarou Ricardo.

As corridas de rua também ganharão um ranking, para as provas de 10km, meia maratona e maratona. Após acordo com os organizadores de algumas corridas, o CPB conseguiu que os resultados sejam homologados neste novo ranking.

Imprensa

Os profissionais de imprensa interessados em cobrir a 1ª etapa nacional do Circuito Loterias Caixa de atletismo não precisam de credenciamento prévio. Bastará dirigir-se à sala de imprensa da arena para identificação.

O Circuito

O Circuito Caixa Loterias é organizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro e patrocinado pelas Loterias Caixa. Este é o mais importante evento paralímpico nacional de atletismo, halterofilismo e natação. Composto por quatro fases regionais e duas nacionais, tem como objetivo desenvolver as práticas desportivas em todos os municípios e estados brasileiros, além de melhorar o nível técnico das modalidades e dar oportunidades para atletas de elite e novos valores do esporte paralímpico do país. Em 2018, as disputas das fases nacionais serão separadas por modalidade - haverá ainda um Campeonato Brasileiro de cada esporte.

Patrocínios

O paratletismo tem patrocínio das Loterias Caixa e da Braskem.

Serviço

Data: 2 e 3 de junho
Cidade: São Paulo (SP)
Local: CT Paralímpico Brasileiro, em São Paulo - Rodovia dos Imigrantes, km 11,5 (ao lado do São Paulo Expo)

Programação*
Circuito Loterias Caixa de atletismo
Sábado (2/6) - 8h às 12h e 14h às 18h
Domingo (3/6) - 8h às 12h
*Programação sujeita a alterações

Fonte: cpb.org.br

Onde estão as pessoas com deficiência na produção cultural? Vem que o Janela diz! - Veja o vídeo

Jeorge Pereira (esq.), cadeirante, é diretor do filme 'Organismo', que leva a tetraplegia ao cinema (Foto: Marcelo Guimarães)

Por Janela dos Dias

Quando se fala em acessibilidade, pensa-se logo na inclusão das pessoas com deficiência no acesso aos equipamentos culturais, tanto pela arquitetura quanto pelas ferramentas de comunicação e as tecnologias assistivas, certo? Por esse pensamento, a gente pode acabar esquecendo a necessidade de inclusão e autonomia também no fazer cultural e artístico.

Quantos produtores, diretores, cineastas, dramaturgos, músicos, pintores, cantores ou atores com deficiência você conhece? O quanto as pessoas com deficiência têm produzido culturalmente apesar das barreiras enfrentadas no dia-a-dia? Quem são esses produtores e como eles estão construindo suas narrativas?

Esse é o tema do novo vídeo do Janela dos Dias: o protagonismo das pessoas com deficiência na produção cultural. Para isso, o apresentador Carlos di Oliveira entrevistou o cineasta cadeirante Jeorge Pereira, que estreou em 2017 com o filme Organismo, que chegará em breve aos cinemas brasileiros.

Eles vão falar sobre as adaptações no set de filmagem, de que modo o fato de usar cadeira de rodas influenciou o filme e as relações culturais entre corpo e deficiência, tudo isso na linda sala do Cinema São Luiz, no Centro do Recife.

Vem com a gente abrir as janelas da acessibilidade para o mundo!


Sobre o Janela dos Dias

Janela dos Dias é um canal que fala sobre acessibilidade na cultura por meio de vídeos com acessibilidade comunicacional, ou seja, com os recursos de audiodescrição (voltado para pessoas cegas e com baixa visão), legendas para surdos e ensurdecidos e Libras.

Os vídeos são lançados quinzenalmente, sempre abordando os espaços com acessibilidade, pessoas que trabalham na área e pessoas com deficiência atuantes como produtores culturais.

O tradutor de Libras pernambucano Carlos di Oliveira apresenta o canal Janela dos Dias no Youtube.

Fonte: poraqui.news

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Missão Brasileira tem participação especial em Conferência da ONU sobre Direitos da Pessoa com Deficiência

Delegação liderada pela Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência participa da 10ª Conferência de Países Signatários da Convenção da ONU.

Imagem Internet/Ilustrativa
Resultado de imagem para 10ª Conferência de Países Signatários da Convenção da ONU.

Brasil assinará acordos bilaterais com países como Chile, Colômbia e México e promoverá eventos paralelos especiais para apresentação de indicadores da realidade atual relativa ao tema, além de compartilhar experiências sobre o legado dos últimos jogos paralímpicos

O Brasil terá a oportunidade de fazer uma criteriosa avaliação sobre o cumprimento nacional da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência, da qual é signatária desde 2008. A delegação brasileira comandada pela Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência participa da 10ª Conferência dos Estados Partes Signatários da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência, que ocorrerá na sede da ONU, em Nova Iorque, Estados Unidos da América, entre 13 a 15 de junho de 2017.

O encontro internacional reunirá embaixadores, autoridades e líderes de entidades públicas, de movimentos da sociedade civil de diversos países e de organismos internacionais - todos empenhados na melhora da qualidade, da eficácia e dos sistemas de avaliação das políticas públicas relacionadas com a implementação das recomendações da Convenção em cada país signatário.

O impacto da discriminação múltipla sofrida por pessoas com deficiência, a plena participação desse público nas ações humanitárias e a Nova Agenda Urbana – Habitat III são alguns dos subtemas a serem tratados na conferência, cujo tema geral será “A Segunda Década da CDPD: Inclusão e plena participação das pessoas com deficiência e suas organizações representativas na implementação da Convenção”. A realização do evento está ancorada no artigo 40 da Convenção da ONU, que estipula reuniões regulares, periódicas dos Estados Partes para considerações e avaliações sobre sua implementação.

Participação Brasileira – A relevância do legado dos Jogos Paralímpicos para a abordagem da questão da inclusão em todas as esferas da sociedade merecerá uma apresentação especial do Brasil aos outros países presentes. Estão sendo organizados ainda eventos paralelos em que o país relatará a experiência nacional sobre educação inclusiva, a relação da mídia nacional com as pessoas com deficiência e a realidade atual relativa à preservação de direitos de meninas e mulheres com deficiência no Brasil.

Num momento especial do evento, das 18 às 20 horas do dia 14 de junho, o Brasil assinará acordos bilaterais internacionais com o Chile, Colômbia e México. Será a oportunidade também de lançamento oficial da candidatura do nosso país a uma vaga no Comitê dos Direitos da Pessoa com Deficiência das Nações Unidas em Genebra, Suíça. Ao enfatizar a relevância que tem dado às políticas públicas voltadas às pessoas com deficiência, o Brasil deve fortalecer suas relações de cooperação – não só com esses países com os quais firmará acordo, como também com todas as outras nações presentes, promovendo uma enriquecedora e produtiva troca de informações e o compartilhamento de experiências a respeito dos direitos da pessoa com deficiência. A própria Convenção da ONU prevê, em seu artigo 32, a cooperação internacional entre os Estados Partes, se necessários com apoio de organizações internacionais e regionais e com a sociedade civil, para promover entre os países o desenvolvimento conjunto de programas, a capacitação e a cooperação em pesquisa e em conhecimentos científicos voltadas ao público com deficiência – inclusive com assistência técnica e financeira e compartilhamento de tecnologias assistivas acessíveis.

“Nossa missão é estratégica para a estruturação das futuras políticas públicas à luz da Convenção”, declara o secretário especial Marco Pellegrini. “Devido à importância geopolítica do Brasil e por tudo que precisamos conquistar no estabelecimento de uma sociedade realmente inclusiva, queremos ampliar gradativamente a participação brasileira em foros como esse, sempre que possível reunindo representação das três esferas de Poder da União, Estados e Municípios”, conclui, ressaltando também a importância da participação nesse processo dos movimentos da sociedade civil, fundamental nos avanços já promovidos no país em prol da acessibilidade e, consequentemente, da dignidade humana.

Fonte: pessoacomdeficiencia.gov.br - Imagem Internet/Ilustrativa

Acessibilidade

Imagem Internet/Ilustrativa
Resultado de imagem para Acessibilidade

Acessibilidade é um atributo essencial do ambiente que garante a melhoria da qualidade de vida das pessoas. Deve estar presente nos espaços, no meio físico, no transporte, na informação e comunicação, inclusive nos sistemas e tecnologias da informação e comunicação, bem como em outros serviços e instalações abertos ao público ou de uso público, tanto na cidade como no campo.

É um tema ainda pouco difundido, apesar de sua inegável relevância. Considerando que ela gera resultados sociais positivos e contribui para o desenvolvimento inclusivo e sustentável, sua implementação é fundamental, dependendo, porém, de mudanças culturais e atitudinais. Assim, as decisões governamentais e as políticas púbicas e programas são indispensáveis para impulsionar uma nova forma de pensar, de agir, de construir, de comunicar e de utilizar recursos públicos para garantir a realização dos direitos e da cidadania.

A fim de possibilitar à pessoa com deficiência viver de forma independente e participar plenamente de todos os aspectos da vida, a SDH/PR trabalhará pela implementação de medidas apropriadas para assegurar o acesso, em igualdade de oportunidades com as demais pessoas. Essas medidas incluirão a identificação de barreiras à acessibilidade e a disseminação do conceito de desenho universal.

Fonte: pessoacomdeficiencia.gov.br -  Imagem Internet/Ilustrativa

O que diz decisão do STJ sobre caso de expulsão de estudante com autismo

Expulso
Amir Robemboim Bliacheris (à frente), de 11 anos, cursava o 6º ano do ensino fundamental quando foi expulso. Foto: Jefferson Bernardes/Estadão

por MARCOS WEISS BLIACHERIS

Discriminação, preconceito, ilícito, exclusão. Essas palavras, retiradas das ementas de decisões do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT), mostram como o judiciário vem avaliando os atos praticados pelo Colégio Logosófico Gonzalez Pecotche em 2014. Naquele ano, a escola expulsou um estudante com autismo, no caso, meu filho. A instituição cancelou sua matrícula no meio do primeiro semestre, poucos meses depois do ingresso da criança e algumas semanas após o recebimento da notícia que o aluno fora diagnosticado com transtorno do espectro autista (TEA). O fato foi amplamente  noticiado pela imprensa nacional.

O processo condenou o colégio ao pagamento de indenização por danos morais causados à criança. A sentença foi confirmada pelo Tribunal de Justiça. A ementa do acórdão mostra, em termos didáticos, as diversas atitudes contrárias ao Direito que foram tomadas pela instituição de ensino e serve de guia para casos semelhantes.

Decisão do STJ: o direito à diferença

A decisão judicial considera que a atitude correta de uma escola com um estudante de comportamento atípico é encaminhá-lo a tratamento especializado e viabilizar sua  inclusão. Ou seja, diante de comportamento que foge ao padrão, deve-se promover a inclusão da criança ou adolescente adequando o ambiente, flexibilizando o currículo e diversificando as estratégias pedagógicas. Enfim, tomando medidas de acordo com as necessidades do aluno, com o objetivo de equiparar oportunidades para garantir sua participação e o pleno desenvolvimento de seu potencial. Nas palavras da própria decisão do TJDFT, o colégio falhou ao não proporcionar o tratamento especializado, sem discriminação na sala de aula. Ou seja, ao não reconhecer e concretizar o direito à diferença.

A exclusão do estudante é ato ilícito, sendo atitude discriminatória nas palavras do TJDFT. A decisão nota também que o argumento usado para a exclusão é justamente o comportamento que tem origem no diagnóstico: a chamada Síndrome de Asperger, uma forma de autismo.

Uma das alegações da escola no processo seria de que não havia sido notificada de que a criança estava no espectro autista. A jurisprudência deixa claro que isso é irrelevante diante do fato de que há um comportamento considerado inadequado ao ambiente escolar pela própria instituição. Nesse caso, caberia ao colégio investigar as razões de tais comportamentos junto à família e participar da evolução do aluno e de eventuais acompanhamentos. Como diz o Tribunal, “para isso existe na escola os orientadores educacionais, além de professores”.

Atitude excludente

Outra questão comum a muitas famílias de crianças com TEA, com Síndrome de Down ou com transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), entre outras, é a culpabilização dos pais. A decisão é clara ao falar que a escola jamais poderia alegar falha ou omissão dos responsáveis para justificar o que considera uma deficiência: os serviços educacionais prestados pela instituição de ensino que praticou o ato ilícito.

A Justiça considerou que a atitude adequada é a inclusão e não a exclusão, no caso, o cancelamento da matrícula e o fechamento das portas a um estudante com autismo. A atitude do colégio, além de não atender à sua missão pedagógica, foi considerada ilegal por contrariar convenções internacionais, a  Constituição federal e a Lei de diretrizes e bases da educação brasileira (LDB) Além de ser considerada uma ofensa ao bem-estar de uma criança.

A luta por direitos

O caso chegou ao STJ após a escola haver sido derrotada na primeira e segunda instâncias judiciais. Após a confirmação da condenação pelo Tribunal de Justiça, o colégio teve seu recurso especial negado, sem julgamento de mérito. Contrariada, a instituição recorreu ao STJ para sofrer mais uma derrota judicial e ver confirmada a decisão negando prosseguimento ao recurso.

Mais um passo foi dado nessa luta por justiça que vem se arrastando desde 2014. A decisão final acontece no mesmo mês em que uma pessoa cadeirante se viu obrigada a defender seus direitos até o STJ para poder ser ajudada pelos funcionários do condomínio onde mora. As mais altas esferas da Justiça têm sido chamadas para garantir os mais elementares direitos das pessoas com deficiência, seja o de mover-se livremente, seja o de acesso à educação.

Por mais que nos pareça anacrônico, em pleno século XXI, ainda há quem lute ferrenhamente pelo direito de excluir.

Marcos Weiss Bliacheris é advogado e coautor dos livros “Sustentabilidade na administração pública” e “Panorama de licitações sustentáveis – Direito e gestão pública”, ambos da Editora Fórum.

Artigo originalmente publicado no portal Inclusive em 10/05/2018, disponível em bit.ly/decisao-stj-expulsao-estudante-autismo


Fonte: diversa.org.br - Imagem Jefferson Bernardes/Estadão /Ilustrativa

Ações são desenvolvidas em escola para incentivar o respeito aos deficientes visuais - Veja o vídeo.

Alunos da escola Madre Imaculada passaram pela experiência em uma aula simulada.

Por G1 Santarém, PA

Resultado de imagem para Ações são desenvolvidas em escola para incentivar o respeito aos deficientes visuais
Ações são desenvolvidas em escola para incentivar o respeito aos deficientes visuais

A Sabrina Batista, 13 anos, é estudante da escola Madre Imaculada de Santarém, no oeste do Pará, ela é deficiente visual. Na manhã de quarta-feira (31), os colegas de sala de aula da Sabrina vivenciaram o dia a dia dela, suas dificuldades e desafios enfrentados na escola.

Click AQUI para ver o vídeo.

“Meus colegas estão fazendo a experiência de como é a minha vida, eles falam que é complicado, difícil, é tudo isso, mas pelo menos eles vão saber como eu me sinto na sala de aula, quando o professor tenta explicar o assunto e eles não deixam”, explicou Sabrina Batista.

A dinâmica aconteceu em uma turma de oitavo ano da escola, os alunos foram vendados com óculos e convidados a vivenciarem todas as situações, como pessoas com limitações visuais.

A iniciativa surgiu a partir da realidade da estudante, e de uma aula de História, ministrada pelo professor Alenilson Ribeiro. O objetivo dessa ação é estimular a comunidade escolar ao respeito e cidadania, além da atenção a quem tem algum tipo de deficiência física, auditiva ou visual.

“Os nossos alunos têm que perceber a dificuldade de viver sem a visão”, disse o professor de história. Os alunos aceitaram o desafio de colocar-se no lugar do outro, e perceberam como é difícil estudar, circular pelos corredores da escola e fazer uma simples atividade sem o apoio da visão.

A estudante Vivian Araújo, 13 anos, estava sendo a guia de uma colega, e falou da dificuldade. “É muito difícil ter a missão de guiar uma pessoa, é importante dar o direcionamento correto”, explicou. A colega, que estava sendo guiada, ressaltou a complexidade da experiência.

O professor Alenilson Ribeiro acredita que a iniciativa é uma ação de cidadania, ressaltando aos alunos que existem políticas públicas que garantem o direito aos deficientes. “Mostrar essas experiências, na prática para os estudantes, através de movimentos como este, é muito importante”, ressaltou.

Fonte: g1.globo.com

Correios prorrogam inscrições para 5 mil vagas de jovens aprendizes pessoas com deficiência não têm restrição de idade.

Inscrições são pela internet até 11 de junho. É preciso ter entre 14 e 22 anos, mas pessoas com deficiência não têm restrição de idade.

Por G1

Agência da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) localizada no Centro de Manaus  (Foto: Ariane Alcântara/G1 AM)
Agência da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) localizada no Centro de Manaus (Foto: Ariane Alcântara/G1 AM)

Os Correios prorrogaram as inscrições para 4.983 vagas, além de formação de cadastro de reserva, dentro do Programa Jovem Aprendiz.

Os que passarem na seleção receberão salário de R$ 448,46, vale-transporte e vale-refeição ou alimentação.

As inscrições são gratuitas e deverão ser feitas somente pelo site dos Correios até 11 de junho.

Para participar, o candidato deve ter entre 14 e 22 anos completos, estar matriculado na escola e cursando, no mínimo, o 9º ano do ensino fundamental.

Pessoas com deficiência não tem limitação de idade para concorrer.

É desejável ter noções básicas de editores de texto, planilhas, navegação e pesquisa na internet utilizando em computadores ou notebook.

A seleção será simplificada, realizada por meio da comprovação de requisitos referentes à renda familiar, aprovação escolar, série atual e participação em projetos sociais, a partir de pontuação detalhada no edital.

O jovem aprendiz terá jornada de 20 horas semanais, com 4 horas diárias, durante os 12 meses de contrato.

A carga horária concilia uma fase teórica no curso de aprendizagem de assistente administrativo no Senai e uma fase prática nos Correios.

Implantado em 2010, o programa Jovem Aprendiz tem como objetivo o desenvolvimento de jovens por meio da educação técnico-profissional, do estímulo à prática da cidadania e de valores éticos.

Fonte: g1.globo.com

Como avaliar se algo vai mal na relação entre idoso e cuidador

Se há algum tipo de conflito, as pistas vão aparecer. Reclamações fazem parte do relacionamento, mas há queixas que merecem investigação

Por Mariza Tavares, Rio de Janeiro

Resultado de imagem para Como avaliar se algo vai mal na relação entre idoso e cuidador
Na delicada relação entre idoso e cuidadores, parentes e amigos devem estar atentos para os sinais de que algo não vai bem

Famílias pequenas, nas quais marido e mulher trabalham e os filhos nem moram na mesma cidade, têm se tornado cada vez mais frequentes. Quando surge a necessidade de ter alguém para cuidar da pessoa que já não consegue viver sozinha, o cuidador surge como uma tábua de salvação. Como não se trata de atividade regulamentada, há um amplo espectro de profissionais exercendo esse papel, de empregadas domésticas sem qualquer treinamento a enfermeiras especializadas. Quem dispõe de recursos garante um ou mais acompanhantes 24 horas por dia, sete dias na semana, mas há também arranjos informais durante períodos mais curtos e a opção de uma instituição. Em comum, todas as situações apresentam a delicada relação entre idoso e cuidadores. Filhos, parentes próximos e amigos devem estar atentos para os sinais de que algo não funciona a contento.

Se há algum tipo de conflito, as pistas vão aparecer. Por exemplo, se você combina com o idoso que o cuidador deverá ajudá-lo em certas tarefas e descobre que isso não está acontecendo, a explicação pode ser desconforto ou falta de intimidade entre os dois – seu ente querido pode não ter sequer feito o pedido. Liste todas as atribuições e certifique-se de que estejam sendo cumpridas. Se seu pai ou mãe deixa de circular pela casa e refugia-se em seu quarto, é hora de uma conversa para entender os motivos por trás do comportamento. Reclamações fazem parte do relacionamento, principalmente porque o dono ou dona do território não reina mais sozinho (a), mas há queixas que merecem investigação, como, por exemplo, de que não há qualquer interação entre eles.

Há questões mais graves, e que nem precisam ser verbalizadas, como verificar que o idoso se machucou. Se o ambiente é seguro e não há razões clínicas para que isso ocorra, no mínimo o cuidador não está dedicando a devida atenção a seu serviço. Olhares intimidados ou um comportamento ansioso não passam despercebidos, mas as coisas se complicam quando a família mora longe. Nesse caso, quando o cuidador parece limitar o acesso – nunca é possível falar com a pessoa porque, invariavelmente, ela está dormindo – luz vermelha acesa!

Uma forma de checar esse relacionamento de perto é manter o costume de fazer visitas inesperadas, e não apenas logo após a contratação do empregado: trata-se de uma mensagem clara de que a prestação de serviço tem supervisão. Cheque se o idoso está bem ou apenas largado num canto sem ter nenhuma atividade programada. Em caso de viagem, alguém de confiança poderá tomar seu lugar temporariamente. Telefone todo dia, em horários diferentes, e sempre ouça o que a pessoa mais velha tem a dizer. No entanto, não descuide de quem cuida, porque essa é uma função extenuante, tanto que esse blog já publicou  dicas para cuidadores conseguirem se proporcionar pequenos momentos de relaxamento.

Fonte: g1.globo.com

Brasil faz primeiro treino na cidade de Malmo a três dias do Mundial

Foto: Tadeu Casqueira/CBDV
Brasil faz primeiro treino na cidade de Malmo a três dias do Mundial
Legenda: Leomon Moreno durante o treino.

Um dia após encarar aproximadamente 15 horas de viagem até Malmo, na Suécia, o Brasil fez o primeiro treino no local dos jogos do Campeonato Mundial IBSA de Goalball 2018. As seleções, masculina e feminina, realizaram as atividades simultaneamente, nas duas quadras da competição, no Baltiska Hallen.

“Foi ótimo o treino. Nós ajustamos as bolas quicadas, porque a quadra é emborrachada e faz com que a bola quique mais. Então já ajustamos e fizemos um grande treino hoje, com umas ações táticas já pensando nos Estados Unidos, primeira equipe que vamos enfrentar, e nas outras equipes também. Os atletas estão respondendo muito bem, isso que é o mais importante”, analisou o técnico Alessandro Tosim.

O Brasil terá mais um dia de treinamento nesta sexta-feira, 1, às 12h10, horário de Brasília, antes da estreia no próximo domingo, 3. A Seleção masculina faz o jogo de abertura da quadra B contra os EUA, às 4h, enquanto a feminina encara a China, às 9h20.

“A expectativa é muito grande, nós estamos preparada para essa competição e estamos muito unidas para chegarmos fortes”, disse Jéssica Vitorino.

Nesta sexta-feira, 1, Josemarcio Sousa (Parazinho), Ana Gabriely e Gleyse Henriques vão passar pela classificação oftalmológica.

Confira a tabela completa da competição:https://bit.ly/2GLZd4d


Fonte: cbdv.org.br

CBDV abre inscrições para Clínica de Arbitragem de Futebol de 5

Foto: Tadeu Casqueira/CBDV
CBDV abre inscrições para Clínica de Arbitragem de Futebol de 5
Legenda: Árbitro Germi Ribeiro durante partida do Regional Centro-Norte de futebol de 5.

A Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV) confirmou a primeira Clínica de Arbitragem de Futebol de 5 do ano, a ser ministrada pelo coordenador Lúcio Morgado, árbitro nos Jogos Paralímpicos de Pequim 2008, Londres 2012 e Rio 2016, de 30 de junho a 8 de julho.

O curso será realizado durante o Regional Sul-Sudeste de Futebol de 5, no Centro de Treinamento Paralímpico de São Paulo, que contará com a participação de equipes do Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro Rio Grande do Sul e São Paulo.

São 20 vagas abertas e as inscrições devem ser feitas através do envio da ficha de inscrição para o e-mail secretariageral@cbdv.org.br até o dia 15 de junho. Após o término do curso, a CBDV entregará os diplomas (digitais) e os aprovados poderão fazer parte do quadro de arbitragem da Confederação.

Formulário de inscrição: http://bit.ly/2GJpe0F

Os interessados devem estar dentro dos seguintes pré-requisitos:

- Idade de 18 a 35 anos;
- Ambos os sexos;
- Estar em boas condições físicas, médicas e mentais, comprovadas por atestado médico;
- Ser árbitro de futsal ou futebol de campo, comprovados por diploma/certificado);
- Possuir ensino médio completo.

Confira a programação

30/06 – 9h às 12h e 13h às 17h
Aulas Teóricas

1/7 – 9h às 12h
Aulas Teóricas e práticas

3 a 8/7
Aula prática durante a competição

Carga horária: 10 horas de aulas teóricas e 6 horas práticas durante a competição.

Obs.: A CBDV não arcará com gastos de transporte, hospedagem e alimentação dos alunos do curso.

Local: Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro
Endereço: Rodovia dos Imigrantes, Km11,5 – Vila Guarani, São Paulo/SP

Fonte: cbdv.org.br

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Emoção marca inauguração do Centro de Equoterapia “Amor em Movimento”

Equipamento atinge anseio de mães e pais de especiais e deve realizar cerca de 480 atendimentos por mês

Emoção marca inauguração do Centro de Equoterapia “Amor em Movimento” 

Por Prefeitura de Bertioga

Sorrisos de crianças e jovens especiais e de suas mães, e lágrimas nos olhos da maioria dos presentes. Ao fundo, os acordes dos hinos Nacional e de Bertioga saíam do violino e violoncelo de dois jovens da Fundação 10 de Agosto. O cheiro fresco do feno e o relinchar dos elegantes cavalos em suas baias denunciavam a inauguração do Centro de Equoterapia “Amor em Movimento”, na Vila do Bem, Bairro Chácaras, na manhã desta quinta-feira (17).

É a volta de um importante equipamento público esperado pela população há anos para o tratamento das crianças e jovens com necessidades específicas. O espaço de 894,33 m² realizará cerca de 480 atendimentos mês.

Para a mãe Francilene Avelino Sena, a inauguração é uma vitória. “É a realização de um grande sonho para todas nós. Só quem tem um filho especial sabe o benefício que a equoterapia traz para eles. Estou bastante feliz e emocionada. A alegria dele é a minha. Tenho certeza que a melhor coisa hoje, de tudo que vem acontecendo, é a equoterapia. De coração, estamos todos felizes”, disse, emocionada.

Bertioga retoma equoterapia para pessoas com necessidades específicas  (Foto: Diego Bachiega )
Bertioga retoma equoterapia para pessoas com necessidades específicas (Foto: Diego Bachiega )

O Centro de Equoterapia oferecerá tratamento nas áreas de fisioterapia, psicologia e equitação terapêutica. As crianças serão encaminhadas através do Núcleo de Apoio à Criança Especial (Nace), a partir de diagnóstico de neuropediatra e ortopedista.

A terapia com cavalos estimula o desenvolvimento da mente e do corpo. Ela auxilia no tratamento de pessoas com deficiência física ou intelectual, como Síndrome de Down, paralisia cerebral, deficiências múltiplas e autismo.

Segundo a coordenadora do Nace, Fabiana Bonifácio, a terapia era bastante esperada pelas mães, incluindo ela, que tem um filho especial. “Ela melhora a parte cognitiva da criança, o relacionamento, afetividade, equilíbrio e a condição neurológica. É a terapia mais completa que as crianças podem ter. Não tem mãe que não queira a equoterapia para seu filho”, disse.

O prefeito do Município, Caio Matheus, destacou que a inauguração é resultado de “jogo de equipe, time, família” e que foi empregado no equipamento amor e carinho. “Por isso, o nome é Centro de Equoterapia Amor em Movimento. Uma tradução de sonhos e vontades que começam a acontecer a partir de hoje. Isso não tem preço”.

Para o representante da Sobloco, Mario Najm Filho, é uma satisfação à empresa poder colaborar com a municipalidade. “Para nós, que estamos há muitos anos em Bertioga, foi uma alegria dar esse presente à comunidade”.

Fonte: g1.globo.com