sábado, 27 de abril de 2019

Conselho municipal dos direitos das pessoas com deficiência de Sumaré realiza a 2º AÇÃO PELA INCLUSÃO


COMDEF - Conselho municipal dos direitos das pessoas com deficiência

Ficamos muito felizes em compartilhar um pouco do 2º AÇÃO PELA INCLUSÃO, evento organizado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Sumaré – Evento alusivo ao Dia Mundial da Conscientização do Autismo, que será realizado no dia 28 de abril de 2019, das 9h às 12hs, na Praça das Bandeiras, no centro da cidade de Sumaré.

Teremos um público estimado em 800 pessoas, ressaltando ainda que os primeiros 500 participantes ganharão de forma totalmente gratuita, as camisetas do nosso evento.

O evento contará ainda com brinquedos infláveis, participação de heróis e princesas, além de outros personagens, pintura facial, contação de histórias, teatro de fantoches, bolhas de sabão gigantes, que garantirão a alegria da criançada e, principalmente proporcionarão a inclusão que é o nosso maior objetivo.

E não serão apenas as crianças que aproveitarão o evento, temos atividades para os adultos também!! Contaremos com um animado trio elétrico com música, alongamento e aulas de Zumba.

Se você pensa que parou por aí, está muito enganado! Ainda contaremos com uma grande variedade de comidas especialmente preparadas para quando bater aquela fome após tanta agitação!

E o melhor, as comidas serão vendidas pelas entidades que atendem as pessoas com deficiência em nosso município (APAE, NISFRAM, EQUOTERAPIA CARINHA DE ANJO e PESTALOZZI), ou seja, além de saborear essas delícias, você estará ajudando diretamente, tendo em vista, que todo o valor arrecadado será integralmente revertido em favor das entidades.

Teremos também uma equipe incrível de fotografia e filmagem que eternizará o nosso evento, e dará a oportunidade de todos os participantes terem suas fotos divulgadas em nossa página do Facebook.

Sua presença é imprescindível nesse dia tão especial. Marque na sua agenda e venha celebrar e se emocionar conosco.

SOLANGE FAZION COSTA DANIEL

Coordenadora do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência

Neymar doa camisa autografada para ajudar tratamento de garoto de São José com paralisia cerebral

Craque da seleção brasileira e do PSG ajuda Enzo a prosseguir tratamento; outros nomes do esporte, como Falcão, também participam de corrente em prol da criança

Por GloboEsporte.com — São José dos Campos, SP

                    Camisa autografada de Neymar é doada para ajudar no tratamento do pequeno Enzo, de São José dos Campos — Foto: Marcela Prado
Camisa autografada de Neymar é doada para ajudar no tratamento do pequeno Enzo, de São José dos Campos — Foto: Marcela Prado

O atacante Neymar doou uma camiseta da seleção brasileira autografada ao garoto Enzo Prado, de três anos. A doação visa ajudar do tratamento da criança, chamado de "TheraSuit", método internacional especializado na reabilitação pediátrica. Enzo, de São José dos Campos, tem paralisia cerebral e precisa se submeter a caros tratamentos para avançar suas funções motoras.

A camisa autografada por Neymar será leiloada. Na próxima segunda-feira, 29, a família de Enzo deve definir como será feito este leilão.

– Por meio do Léo Moraes (empresário de São José dos Campos), conhecemos a assessora do Neymar no Legends Game. Conversei com ela, e ela lembrou do Enzo. Disse que iria encaminhar meu e-mail para Paris, e nesse encaminhamento já voltou com a resposta e a camiseta – contou a mãe de Enzo, Marcela Prado.

– Essa camisa vai trazer mais força para outra terapia de TheraSuit. A que o Casemiro pagou, foi fenomenal. E ele precisa repetir em seis meses. A evolução foi bem respondida e precisava repetir para ele conseguir mais evolução. Esse tratamento é a cada seis meses ou um ano, mas na idade do Enzo, é interessante fazer de seis em seis meses – acrescentou Marcela.

                        Neymar doa camiseta a Enzo  — Foto: Marcela Prado
                     Neymar doa camiseta a Enzo — Foto: Marcela Prado

O dia a dia do tratamento da criança é contada em uma rede social. Outros atletas também já ajudaram Enzo na campanha, como Jaílson, Deyverson, Casemiro, Falcão, Marcelinho Carioca, dentre outros. O atacante do Palmeiras, Ricardo Goulart, colabora com a compra de remédios.

Falcão também doou uma camisa para ajudar Enzo — Foto: Arquivo pessoal
Falcão também doou uma camisa para ajudar Enzo — Foto: Arquivo pessoal

Serviços gratuitos de saúde são oferecidos para quem cuida de crianças com deficiência no Recife

Ação ocorre nesta sexta (26) na Policlínica Lessa de Andrade, na Madalena, na Zona Oeste da cidade, e conta com atendimento odontológico, teste rápido de HIV, sífilis e hepatite.

Por G1 PE

Policlínica Lessa de Andrade fica no bairro da Madalena, na Zona Oeste do Recife — Foto: Irandi Souza/Divulgação
Policlínica Lessa de Andrade fica no bairro da Madalena, na Zona Oeste do Recife — Foto: Irandi Souza/Divulgação

Serviços gratuitos de saúde para pessoas que cuidam de crianças com deficiência são oferecidos na manhã desta sexta-feira (26) no Recife. Os atendimentos são realizados das 9h às 12h na Policlínica Lessa de Andrade, no bairro da Madalena, na Zona Oeste da capital pernambucana.

No auditório da unidade de saúde, é possível receber atendimento odontológico, fazer testagem rápida de HIV, sífilis e hepatite; realizar exame preventivo ginecológico; aferir pressão arterial e fazer o teste de glicemia. Também é oferecida auriculoterapia, um tipo de acupuntura que busca promover benefícios físicos e psicológicos.

Promovida pela Secretaria de Saúde do Recife, a ação faz parte do Projeto Cuidando do Cuidador, que visa facilitar o acesso dos cuidadores a diversos serviços diferentes em um mesmo local, já que é comum deixarem os cuidados com a própria saúde em segundo plano.

“Para que os cuidadores possam ser atendidos sem preocupação, as crianças que são atendidas no Núcleo de Desenvolvimento Infantil da Lessa de Andrade ficam sob os cuidados dos profissionais da unidade”, afirma a Prefeitura do Recife por meio de nota.

Serviço

Ação de saúde para pessoas que cuidam de crianças com deficiência

Sexta-feira (26), das 9h às 12h

Auditório da Policlínica Lessa de Andrade - Estrada dos Remédios, 2416, Madalena – Recife

Entrada gratuita

Motoristas de vans escolares protestam contra mudanças em projeto de lei em São Carlos (Obrigatoriedade de vaga para pessoas com deficiência) - Veja o vídeo.

Obrigatoriedade de vaga para pessoas com deficiência nos veículo e tempo máximo de uso de oito anos para o transporte escolar dividem opiniões.

Por EPTV1

Resultado de imagem para Motoristas de vans escolares fazem protesto no Centro de São Carlos
Motoristas de vans escolares fazem protesto no Centro de São Carlos

Motoristas de vans escolares de São Carlos (SP) protestaram na manhã desta quinta-feira (25) contra a mudança no projeto de lei que regulamenta o serviço.

Clique AQUI para ver o vídeo.

Segundo a prefeitura, a Lei 13.439 (2004) necessitava de uma revisão geral e foi elaborada nova proposta, construída entre o município e os transportadores.

O projeto foi encaminhado à Câmara Municipal em novembro de 2018 e aprovada com seis emendas em 16 de abril.

Manifestação

 Motoristas de vans escolares fazem protesto em São Carlos — Foto: Tathiane Sousa/EPTV
Motoristas de vans escolares fazem protesto em São Carlos — Foto: Tathiane Sousa/EPTV

Cerca de 60 vans estacionaram em volta da Câmara e, em seguida, os manifestantes seguiram a pé até a prefeitura.

Os motoristas discordam das mudanças que exigem a obrigatoriedade de ter vaga para pessoas com deficiência em todas as vans e também do tempo máximo de uso de oito anos para o transporte escolar.

Os secretários de trânsito e de governo receberam o grupo e o assunto será analisado pelo jurídico da prefeitura.

‘Organismo’ retrata vida de tetraplégico após acidente - Veja o vídeo.

Resultado de imagem para ‘Organismo’ retrata vida de tetraplégico após acidente

O longa pernambucano ‘Organismo’ estreia nos cinemas nacionais nesta quinta-feira (25). O filme de Jeorge Pereira é baseado em experiências reais de um homem que vê sua vida mudar após sofrer um acidente e ficar tetraplégico.

No elenco, Rômulo Braga interpreta o personagem principal Diego, que após o acidente começa a conhecer medos como: rejeição, fragilidade, exposição. Além disso, ele entra em crise existencial depois da morte sua mãe.

No Recife, o filme será exibido nos cinemas Joaquim Nabuco, do Museu e São Luiz. Assista ao trailer:
Fontes: Leia já - serlesado.blog.br

“Um ‘cidadão de bem’ armado me deixou paraplégica e matou meu namorado por ciúmes”

Elisandra Carolina dos Santos, mulher parda de cabelo cacheado, sentada diante de uma mesa olhando para o lado. Á sua direita tem um bainner escrito "A vida das mulheres importa!".
Elisandra Carolina dos Santos durante palestra (Foto: CLARA CLOCK)

Por Gil Alessi, Do El País

Elisandra Carolina dos Santos carrega no corpo e na alma as cicatrizes provocadas por um “cidadão de bem”. Era domingo, 23 de abril de 2000, 8 horas da manhã. Ela, então com 17 anos, dormia com o namorado na casa da família em Viamão, periferia de Porto Alegre, quando foi acordada por alguém batendo na porta. Ao se aproximar para abrir, previu o pior: “Pela silhueta na porta de vidro eu já percebi quem era”, conta. O ex-namorado J. A.*, 15, queria reatar o relacionamento, terminado semanas antes. “Levei ele para o quintal para conversar e falei pra ele começar vida nova e ir embora. Foi aí que ele tirou uma arma da mochila”, diz Elisandra.

A jovem se desespera, mas consegue convencer seu ex a partir. Assim que ele dá as costas ela corre para dentro de casa e tranca a porta. “Lembrei que a janela do quarto dos meus pais, que estavam viajando, tinha ficado aberta também e fui fechar”, diz. Enquanto puxava a veneziana, J.A. aparece do lado de fora e coloca o revólver em sua cabeça.

Marcelo, então namorado da jovem, acordou e foi ver o que estava acontecendo no quarto ao lado. Ao vê-lo, J.A. afirma: “Eu vou entrar aí dentro e vou matar vocês dois”. Elisandra se vira e corre em direção ao namorado. No entanto, conseguiu dar apenas alguns passos antes de ser alvejada: o tiro entrou pelo lado direito das costas, na base da coluna cervical, estraçalhou a vértebra T-2, e saiu pelo lado esquerdo do pescoço. “Quando eu dei as costas e corri ele mirou na minha cabeça e atirou. Perdi o movimento na hora. Ainda vi o Marcelo a menos de um metro de mim, mas não consegui falar nada. Quando caí eu fechei os olhos e não escutei mais nada”, lembra.

Dois anos depois, estudante que ficou tetraplégico após mergulho em açude se casa no Acre: ‘momento único’

               
Casal disse sim em uma cerimônia organizada no sábado (20), em uma chácara de Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal

O estudante do curso de medicina veterinária Natan Pinheiro realizou mais um sonho no sábado (20): subir ao altar com a biomédica Gabriely Chaves. O jovem ficou tetraplégico em 2016 após um mergulho em açude de um balneário de Sena Madureira, interior do Acre.

Dois anos depois do acidente, Pinheiro recuperou os movimentos dos braços, tronco e a sensibilidade, com muita fisioterapia e outros tratamentos. O casal começou a namorar três meses após o acidente, e disse sim em uma cerimônia intimista, organizada em uma chácara de Rio Branco.

“Fizemos uma coisa mais casual, fui de bermuda mesmo e ela de branco. Foi um momento único, tudo perfeito. A melhor parte foi a organização que os amigos e familiares ajudaram”, contou o recém-casado.

Bolo do casamento

Entre os detalhes, uma coisa chamou mais atenção dos convidados na decoração. Em cima do bolo, um dos bonecos estava sentado em uma cadeira de rodas, para representar o noivo.

A personalização ficou por conta de amigos, que além de ajudar na decoração, prepararam cada detalhe para tornar tudo especial pro casal.

“Organizamos juntos, só que chamamos os amigos para ajudar e foi mais legal ainda a organização. Os bonecos estavam com a mesma roupa e tudo igual”, falou.

Bolo dos noivos teve boneco sentado em cadeiras de rodas — Foto: Arquivo pessoal

Acidente

Em constante luta para recuperar os movimentos, Pinheiro diz que ainda não lembra do dia do acidente e nem dos 15 dias depois. A família acredita que ele bateu em algo no fundo do açude ao mergulhar e desmaiou. O jovem teria ficado submerso por ao menos cinco minutos em uma profundidade de dois metros.

Ele revelou que nunca reclamou e nem questionou os motivos do que aconteceu, mas focou na recuperação e busca de melhorar a cada dia.

“Aconteceu, não vou ficar pensando nisso, tive que tomar uma decisão. Não parei de viver, de fazer fisioterapia, de buscar ajuda médica. Escolhi viver e tentar melhorar. Nunca reclamei, fiquei um pouco dependente, mas continuei fazendo as mesmas coisas”, relembrou.

Não só escolheu viver como encontrou o amor da vida. Natan e Gabriely só se conheciam de vista porque ele era aluno da mãe dela. Conversa vai, conversa vem, o casal marcou de se encontrar e nunca mais se desgrudou.

Casal começou a namorar três meses após Natan fica tetraplégico — Foto: Arquivo pessoal

“Só a conhecia de vista, conhecia a mãe e família, mas ela não tanto. No final de 2016 começamos a namorar”, comentou.

Um ano depois o casal estava noivo e planejando a vida a dois. Graciely lembra com exatidão a data que os dois se encontraram pela primeira vez.

“19 de novembro de 2016. Desde o dia que nos vimos, não foi como encontrar qualque pessoa na rua, como era antes. Naquele dia nos vimos com outros olhares e nunca mais nos largamos”, frisou Gabriely.

Adaptação

Formada em biomedicina, Gabriely explica que se adaptou à rotina do amado, passou a torcer pela recuperação dele e viu as pessoas ao redor se unirem também pela felicidade do casal.

“Pensava que ia ter represália no início, mas não foi assim. Muita gente admirou nossa forma de viver, e nos ajudou. Não só eu, mas outras pessoas se adaptaram e passaram a ver o mundo com os olhos dele. Muita gente se adaptou a ele”, afirmou.

Em lua de mel, o casal passou a morar junto apenas após o casamento. Ao falar do marido, Gabriely é só elogios e admiração.

“Pra mim ele é um exemplo de superação, nunca se queixou do acidente. A forma com ele vê o mundo, me fez mudar minha visão também. Às vezes, reclamamos de tudo, e ele não se queixa, sempre vê o melhor das coisas”, concluiu.

Fontes: G1 -serlesado.blog.br

Medicamento falso para autismo é retirado do mercado, diz Anvisa

Embora proibido, o MMS, um produto químico corrosivo, vinha sendo vendido pela internet como cura milagrosa para a condição; substância pode matar

Deborah Giannini, do R7

Pixabay
Substância corrosiva era vendida como "remédio milagroso" contra o autismo
Substância corrosiva era vendida como "remédio milagroso" contra o autismo

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nesta sexta-feira (26) que fiscalizou e retirou anúncios da internet do produto dióxido de cloro, também comercializado com a sigla MMS.

O uso do dióxido de cloro havia sendo divulgado como "cura milagrosa" para diversas doenças e o autismo. "O produto, na verdade, é uma substância utilizada na formulação de produtos de limpeza, como alvejantes e tratamento de água", afirmou a Anvisa por meio de nota.

O órgão ressalta que o dióxido de cloro não tem aprovação como medicamento em nenhum país do mundo. "A sua ingestão traz riscos imediatos e a longo prazo para pacientes, principalmente crianças", apontou a Anvisa.

Trata-se de um produto corrosivo, que também traz riscos pela inalação, cuja manipulação exige uso de equipamento de proteção.

A agência ainda afirmou que a substância química não tem propriedades terapêuticas nem qualquer comprovação de segurança para uso em humanos.

Vale ressaltar que desde junho de 2018, a Anvisa proíbe a fabricação, distribuição, comercialização e uso desse produto. Mesmo assim ele vinha sendo vendido pela internet. "Estava proibido desde o ano passado, mas sua comercialização voltou este ano. A Anvisa, então, voltou a agir e coibir essa comercialização, além de abrir um novo processo de investigação", afirma Renata Zago, gerente de Inspeção, Fiscalização de Alimentos, Cosméticos e Saneantes da Anvisa.

A agência informou que, nesta quinta-feira (25), já havia solicitado ao site Mercado Livre a retirada de dois anúncios do ar. Segundo o órgão, os anúncios traziam indicações de uso para tratamento para autismo e ofereciam protocolos de uso do produto para seus compradores.

"Estamos trabalhando em parceria com o Mercado Livre e outros sites. Foram derrubados mais de 70 anúncios no Mercado Livre dessa substância", explica.

A agência disse que está alertando as Vigilâncias Sanitárias de Estados e municípios para que fiscalizem o comércio irregular dessa substância com indicações terapêuticas.

A Anvisa orienta que, caso o anúncio desse produto seja encontrado, deve ser feita uma denúncia na agência pelo telefone 0800 642 9782.

Produtos proibidos pela Anvisa vão de remédios à comida com bactéria:

Foto: Christopher Furlong/Getty Images
A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)
suspendeu a comercialização e uso de uma substância chamada valsartana, usada
no tratamento da hipertensão arterial e insuficiência cardíaca. De acordo com a
EDQM (Direção Europeia da Qualidade dos Medicamentos e Cuidados de Saúde), foi
encontrada uma substância tóxica. A substância é a N-nitrosodimetilamina, um
composto químico cancerígeno, que, de acordo com a Anvisa, possui “elevado
risco sanitário para a saúde pública”
A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) suspendeu a comercialização e uso de uma substância chamada valsartana, usada no tratamento da hipertensão arterial e insuficiência cardíaca. De acordo com a EDQM (Direção Europeia da Qualidade dos Medicamentos e Cuidados de Saúde), foi encontrada uma substância tóxica. A substância é a N-nitrosodimetilamina, um composto químico cancerígeno, que, de acordo com a Anvisa, possui “elevado risco sanitário para a saúde pública”

Foto: Divulgação
O Gel Cura Tudo 250 mg também está proibido em todo o
território nacional. O produto é distribuído pela Natu Max. A Anvisa
informou que o gel não possui registro do órgão, além de ser fabricado por
empresa com endereço e CNPJ desconhecidos
O Gel Cura Tudo 250 mg também está proibido em todo o território nacional. O produto é distribuído pela Natu Max. A Anvisa informou que o gel não possui registro do órgão, além de ser fabricado por empresa com endereço e CNPJ desconhecidos

Foto: Reprodução
O cosmético Creme Blue Gold Salvatore, da empresa Salvatori,
teve sua comercialização e fabricação suspensas porque não obedecia às regras
da Anvisa. O creme é um alisante para cabelo. A empresa teve que recolher todo o
estoque do mercado
O cosmético Creme Blue Gold Salvatore, da empresa Salvatori, teve sua comercialização e fabricação suspensas porque não obedecia às regras da Anvisa. O creme é um alisante para cabelo. A empresa teve que recolher todo o estoque do mercado

Foto: Pixabay
Lotes de vegetais congelados tiveram a venda proibida devido
à contaminação pela bactéria Listeria monocytogenes, que pode até matar. Os produtos, entre
eles mix de legumes, ervilhas, vagem e milho, foram importados da Europa por diferentes
empresas. Entre os lotes proibidos estão as marcas Pinguin, Greenyard, Grano e
Pratigel
Lotes de vegetais congelados tiveram a venda proibida devido à contaminação pela bactéria Listeria monocytogenes, que pode até matar. Os produtos, entre eles mix de legumes, ervilhas, vagem e milho, foram importados da Europa por diferentes empresas. Entre os lotes proibidos estão as marcas Pinguin, Greenyard, Grano e Pratigel

Foto: Reprodução/TNH1
Lotes de duas versões do descongestionamente Salsep da Libbs Farmacêutica
tiveram a venda suspensa. Ao todo, 17 lotes tiveram que sair de circulação. A
medida foi adotada após comunicado de recolhimento voluntário encaminhado pela
empresa que alegou 'desvios de qualidade (pH e odor fora de
especificação)' em lotes do medicamento Salsep (cloreto de sódio 0,9%)
solução nasal em spray e Salsep 360 (cloreto de sódio 0,9%) solução nasal em spray
Lotes de duas versões do descongestionamente Salsep da Libbs Farmacêutica tiveram a venda suspensa. Ao todo, 17 lotes tiveram que sair de circulação. A medida foi adotada após comunicado de recolhimento voluntário encaminhado pela empresa que alegou "desvios de qualidade (pH e odor fora de especificação)" em lotes do medicamento Salsep (cloreto de sódio 0,9%) solução nasal em spray e Salsep 360 (cloreto de sódio 0,9%) solução nasal em spray

Foto: Reprodução/Mundo Conectado
Lotes do medicamento Melleril (cloridrato de tioridazina), para
esquizofrenia, foram suspensos. A empresa comunicou recolhimento voluntário do remédio
após constatar que drágeas de 100 mg do Melleril foram embaladas erroneamente
nos cartuchos de drágeas de 25 mg do mesmo produto
Lotes do medicamento Melleril (cloridrato de tioridazina), para esquizofrenia, foram suspensos. A empresa comunicou recolhimento voluntário do remédio após constatar que drágeas de 100 mg do Melleril foram embaladas erroneamente nos cartuchos de drágeas de 25 mg do mesmo produto


                      Foto: Reprodução
                         A Anvisa proibiu a venda de dois produtos apresentados
indevidamente como medicamento para impotência sexual e doenças cardíacas. Eles
estavam sendo vendidos sem registro pela internet. O primeiro é o Viagra
Master, da empresa Bio Bonté. O outro é o Lavita Caps, de fabricante
desconhecido
A Anvisa proibiu a venda de dois produtos apresentados indevidamente como medicamento para impotência sexual e doenças cardíacas. Eles estavam sendo vendidos sem registro pela internet. O primeiro é o Viagra Master, da empresa Bio Bonté. O outro é o Lavita Caps, de fabricante desconhecido

                           Foto: Reprodução
                               Um lote de pimenta-do-reino preta em pó da marca Kitano teve
a venda suspensa devido à presença de coliformes fecais. O produto é fabricado
pela empresa General Mills. O lote contaminado é de número D17BRMP08 5 e com
validade até 30 de setembro de 2018. Esse lote foi proibido em todo o
território nacional
Um lote de pimenta-do-reino preta em pó da marca Kitano teve a venda suspensa devido à presença de coliformes fecais. O produto é fabricado pela empresa General Mills. O lote contaminado é de número D17BRMP08 5 e com validade até 30 de setembro de 2018. Esse lote foi proibido em todo o território nacional

Foto: Nada Frágil - Moda e Beleza
A Anvisa proibiu a venda de lentes coloridas usadas em
Cosplay. O produto era comercializado pela Nipon Cosplay pela internet
sem cadastro nem registro. A empresa responsável é denominada como Karine
Soares Silva Cosplay. Lentes coloridas estão mais associadas a traumatismos na
córnea e o uso inadequado pode levar à cegueira

 

 
A Anvisa proibiu a venda de lentes coloridas usadas em Cosplay. O produto era comercializado pela Nipon Cosplay pela internet sem cadastro nem registro. A empresa responsável é denominada como Karine Soares Silva Cosplay. Lentes coloridas estão mais associadas a traumatismos na córnea e o uso inadequado pode levar à cegueira.












Doença silenciosa, hipertensão atinge mais de 30 milhões de brasileiros

Brasil chega ao Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial com mais de 100 mil mortes por doenças cardiovasculares.


Imagine que seu sistema vascular é um encanamento e o coração uma bomba que irriga todas as ramificações pelo corpo. A pressão para o funcionamento desse sistema sem problemas significativos deve ser, no máximo, 140/90 mmHG ou 14 por 9. Quando há uma variação para mais em relação a esse número, acontece o que chamamos de hipertensão arterial. Isso pode levar a complicações como infarto agudo do miocárdio, insuficiência renal e acidente vascular cerebral.

Considerada uma doença silenciosa, a conhecida pressão alta faz parte da vida de mais de 30 milhões de brasileiros, de acordo com estimativa do Ministério da Saúde, em 2018. No entanto, apenas 10% desses casos são diagnosticados. Ainda segundo dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), mais de 100 mil pessoas já morreram em decorrência de doenças cardiovasculares no país.

O cardiologista Everton Dombeck, do Hospital Cardiológico Costantini, explica que há variáveis que devem ser levadas em consideração para o diagnóstico da hipertensão. “A pressão varia, pois há muitos fatores que podem influenciá-la, como a alimentação, o emocional, níveis de colesterol e glicose, peso do paciente e, até mesmo, a temperatura ambiente. Em dias frios, é normal a pressão aumentar”, explica.

Classificada como doença muito comum no Brasil, a hipertensão requer o alerta de todas as faixas etárias, tendo em vista outros fatores que influenciam nos níveis elevados e sistêmicos da pressão arterial, como complementa o cardiologista. “Fazer o diagnóstico da hipertensão não é fácil. É preciso uma vigilância mais presente. Quem tem histórico familiar, obesidade e diabetes deve dar atenção ao caso. Na população dos diabéticos, por exemplo, 30% podem ter pressão alta”.

Ausência de sintomas

O título de doença silenciosa não é por acaso. Apesar de sinais como tontura, dor na nuca e no peito e a sensação de “cabeça flutuando” indicarem que a pressão está elevada, raramente a hipertensão apresenta sintomas significativos. “Geralmente, nesses casos, a pressão já está muito alta ou houve uma elevação abrupta”, comenta Fernanda Tavares, também cardiologista do Hospital Cardiológico Costantini.

Por este motivo, a especialista indica a avaliação periódica com um médico de acordo com o perfil do paciente. Por exemplo, pessoas já diagnosticadas com hipertensão arterial, crianças e idosos, grupos com fatores de risco e propensos a maiores alterações de peso e crescimento, no caso dos pequenos, precisam de um acompanhamento trimestral com um profissional.

Dombeck complementa e incentiva o hábito constante de aferição da pressão em casa, como sendo parte de uma rotina preventiva, mesmo se não houver um diagnóstico. “Assim como você tem uma balança para controlar o peso ou um termômetro, hoje, os medidores de pressão arterial são acessíveis e de fácil manuseio. A pressão elevada pode ser somente estresse do dia, no entanto, para um diagnóstico eficaz, é preciso que haja uma frequência nessa verificação”, avalia o cardiologista.

Sódio: o vilão invisível

Apesar de ser a principal fonte de sódio na alimentação dos brasileiros, o sal não é o único culpado pela elevação dos níveis de pressão arterial. Nessa batalha contra a hipertensão, alimentos como carnes processadas, temperos prontos, salgadinhos industrializados, alguns queijos e enlatados também devem ser evitados, de acordo com a cardiologista do Hospital Cardiológico Costantini, Fernanda Tavares.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o consumo diário de, no máximo, 2 gramas de sódio, o que equivale a 5 gramas de sal. “Além de controlar o sódio, lembrando que ele não está presente somente nos alimentos salgados, as pessoas também devem procurar combater a obesidade e os maus hábitos alimentares, mantendo uma dieta equilibrada e saudável”, comenta Fernanda.

Tratamento

A hipertensão não tem cura, mas pode ser controlada e garantir qualidade de vida e bem-estar ao paciente. A recomendação de bons hábitos alimentares já é regra e a prática de atividades físicas pode ser benéfica, se feita com acompanhamento profissional. O tratamento medicamentoso é individual e deve se adequar ao perfil do hipertenso, conforme explica Fernanda. “É preciso usar a medicação adequada e controlar as metas pressóricas, além dos fatores de risco, muitas vezes associados à presença de proteínas na urina, aumento do colesterol, diabetes e afins”.

Fontes: Literal Assessoria de Comunicação - artritereumatoide.blog.br

Extinção de Conselhos é ameaça à democracia

"Por conhecer a atuação dos Conselhos por todo o País, creio que a decisão do Governo, de extingui-los, foi precipitada e precisa ser revestida em tempo hábil"

Mandato coletivo

Rejane Dias

O presidente Jair Bolsonaro entra no quarto mês do seu governo desmontando uma estrutura de 35 conselhos e comitês, responsáveis historicamente pelo debate e pelo acompanhamento de políticas sociais.

A extinção da participação popular afronta à Constituição, que é bastante clara ao prever o engajamento da sociedade no planejamento, gestão e fiscalização de políticas públicas. É fundamental, desde 1988, assegurarmos a ampla interferência popular na condução dos assuntos de governo.

Sob o argumento de que é preciso desburocratizar e economizar, colegiados que discutem temas como direitos do idoso e pessoas com deficiência, em todo o Brasil, poderão ser extintos, sem que o governo apresente uma lógica de gastos, tampouco uma estimativa de economia.

É muito bom lembrar que os integrantes desses conselhos não são remunerados pelo trabalho que exercem. Quando recebem algo é apenas para custear o transporte e diária para as reuniões em Brasília, onde são implementadas em forma de Lei as lutas que travam no dia a dia. Conselhos que lutam por recortes da população que sempre estiveram à margem das políticas públicas, que sempre foram excluídas das ações de governo, a exemplo dos que tratam da questão indígena, das crianças em situação de rua e da população usuária de drogas.

É bom lembrar também que a atuação dos Conselhos é instrumento fundamental para o controle social, que estabelece uma linha de prioridades nas mais diversas áreas sociais e realiza o acompanhamento dos recursos e políticas públicas por parte da sociedade civil.

Na prática, de acordo com o Decreto n.º 9.759 estarão extintos a partir de junho todos os conselhos, comitês, comissões, grupos, juntas, equipes, mesas, fóruns, salas e “qualquer outra denominação dada ao colegiado”, exceto os previstos em estatutos de instituições federais de ensino e aqueles criados ou já modificados pelo próprio governo desde 1º de janeiro.

Não há razão para abrir mão do debate. É nele que se sustentam as metas e as decisões do futuro. Não se pode reduzir o diálogo do Estado com os segmentos mais vulneráveis da população, sob o pretexto de tornar as coisas mais flexíveis. Se ao menos o governo tratasse de forma individualizada a função e a importância de cada colegiado, entenderíamos que há uma preocupação em torná-los eficientes. Mas não!

Como defensora das pessoas com deficiência, sou testemunha da importância dos Conselhos por todo o Brasil. No Piauí, quando fui presidente do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade-PI), vi de perto o surgimento de políticas, projetos e programas diretamente ligados à causa, desde a conclusão e aprovação do Estatuto da Pessoa com Deficiência, a projetos que hoje são realidade, como os Centros Integrados de Reabilitação, o CEIR.

A criação do Estatuto, liderada pelo Conselho, foi amplamente discutida com a sociedade durante três anos. Todas as entidades representativas, Ministério Público e o Tribunal de Justiça estavam ali num só objetivo. Por conhecer a atuação dos Conselhos por todo o País, creio que a decisão do Governo foi precipitada e precisa ser revestida em tempo hábil.

Ficou claro para quem ouviu do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que a extinção dos conselhos por parte do Governo se dava por questões ideológicas: “Estes conselhos vinham de uma visão completamente distorcida do que é representação e participação da população. Tinham como gênese a visão ideológica dos governos anteriores de fragilizar a representação da própria sociedade”, disse.

Não sabe o Ministro, porém, que a história dos Conselhos é anterior a de governos petistas. Vem lá da década de 80 e 90 as primeiras ações colegiadas de defesa.

O Governo hoje não sabe onde estão, nem quantos são, os conselhos participativos do Brasil. Prometeram que até 28 de maio cada Ministério enviaria à Presidência suas listas de colegiados para a análise do governo para, depois disso, serem extintos, recriados, ou adequados “às novas regras”.

Que regras seriam essas? Quais influências o Estado quer exercer sobre as decisões coletivas? Ainda não há clareza sobre a extensão dessa mudança e seus respectivos efeitos. O Supremo Tribunal Federal (STF) já foi acionado por meio de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) com pedido de liminar para que o Decreto 9.759 seja declarado inconstitucional e suspenso. Tem o nosso apoio!

Ciente da importância histórica da participação popular sobre as decisões do Executivo, vamos nos manter vigilantes para que direitos fundamentais à dignidade humana sejam fortalecidos, e não dizimados.


Regional Centro-Norte de Futebol de 5 chega à fase semifinal

Equipes de Brasília garantiram vaga para a segunda divisão nacional

Urineu briga pela bola durante a vitória da AMC. Crédito: Tadeu Casqueira/CBDV

Por Comunicação CBDV - Trindade/GO

O Regional Centro-Norte de Futebol de 5 chega à fase final com quatro equipes na briga pelo título. A primeira etapa da competição terminou nesta sexta-feira, 26, e as semifinais foram formadas com AMC-MT x UNIACE-DF e ISMAC-MS x ABDV-DF. A vaga na decisão será disputada neste sábado, no Ginásio de Esportes Amando Grecco, em Trindade/GO.

Time de melhor campanha na primeira fase, o ISMAC-MS aplicou a maior goleada na competição ao vencer a ADVAM-AM por 5 a 0. A dupla Marquinhos e Toninho mais uma vez fizeram a diferança e marcaram três e dois gols, respectivamente. O segundo colocado do Grupo B foi a UNIACE-DF, que venceu duelo direto contra a ADVP-PA, pelo placar de 2 a 0. O paraguaio Ricardo Peralta fez os gols da equipe.

Pelo Grupo A, a AMC-MT entrou em quadra duas vezes neste segundo dia de competição. Primeiro empatou sem gols com a ASCEPA-PA, mas depois matou dois coelhos numa só cajadada. A vitória pelo placar simples sobre a ABDV-DF não só garantiu a equipe nas semifinais, mas como garantiu a liderança para os cuiabanos.

Os jogos que valem vaga na decisão do Regional Centro-Norte de Futebol de 5 acontecem neste sábado, 27. O primeiro jogo será às 14h, entre AMC-MT x UNIACE-DF, e depois, às 15h30, ISMAC-MS x ABDV-DF. Com os resultados da primeira fase, ABDV-DF e UNIACE-DF garantiram vaga para a Copa Loterias Caixa de Futebol de 5 – Série B 2019.

Acesse o boletim oficial da competição: www.dropbox.com

Atletas paralímpicos disputam Grande Prêmio Brasil de Atletismo neste domingo

Wagner Carmo/CPB/Exemplus
Imagem

Por CPB

Neste domingo, 28, será realizado o Grande Prêmio Brasil Caixa de Atletismo, em Bragança Paulista. Na competição organizada pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), responsável pela modalidade convencional, haverá duas baterias de 100m para atletas paralímpicos. Ao todo, participarão do evento 132 competidores de 21 países.

“É importante para os nossos atletas participarem de uma competição olímpica, ainda mais se tratando do GP que é muito conhecido e divulgado. Para eles, correr entre os melhores ITC’s entre eles pode melhorar sua performance e seus resultados. E para o Comitê Paralímpico Brasileiro é interessante a grande visibilidade, para que possamos mostrar o nosso trabalho para o Brasil e quem sabe para as pessoas de outros países”, destacou Amaury Wagner Veríssimo, técnico-chefe da Seleção Brasileira de atletismo do CPB.

Um dos representantes paralímpicos no Grande Prêmio Brasil será o rondoniense Kesley Josué, 26 anos, que nasceu com baixa visão. Na quinta-feira, 25, no Open Internacional Loterias Caixa de Atletismo, o atleta foi o segundo mais veloz nos 100m com o tempo de 10s84.

"Esse é um espaço que o esporte paralímpico vem ganhando e mostra que somos capazes de conquistar o mundo não só como paralímpico, mas como atletas. Nós temos disputas diferentes, eles lutam por um lugar nas olimpíadas e nós nas paralimpíadas, mas é uma disputa muito saudável e agradável. Todos temos o desejo de ganhar. Em uma competição olímpica, nos sentimos capazes por estar lá, mesmo com a deficiência, temos a capacidade de vencer. Para mim, é uma disputa de igualdade, isso resume tudo”, comentou Kesley Josué.

Ainda nesta temporada, os atletas paralímpicos e olímpicos terão mais uma oportunidade para se encontrarem. No domingo, 16 de junho, será realizado o 4º Desafio CPB/CBAt, evento organizado pela Confederação Brasileira de Atletismo, em parceria com o Comitê Paralímpico Brasileiro e sediado no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.

Pernambucana bate duas vezes recorde mundial no Open Loterias Caixa de Natação

Alê Cabral/CPB
Imagem

Por CPB

A nadadora pernambucana Carol Santiago, 33, quebrou duas vezes, nesta sexta-feira, 26, o recorde mundial dos 100m peito classe SB12, para atletas com baixa visão. É a segunda marca histórica quebrada no Open Internacional Loterias Caixa de Atletismo e Natação 2019, que ocorre ate sábado, 27, no CT Paralímpico, em São Paulo. Na quinta-feira, 25, Vinicius Rodrigues obteve o feito nos 100m T63, para amputados de perna, no atletismo. O evento reúne 602 atletas de 20 países.

Carol venceu sua eliminatória dos 100m peito SB12 com o tempo de 1min14s94, oito centésimos abaixo do tempo da alemã Elena Krawzow (1min15s02), estabelecido em Eindhoven, na Holanda, no início deste mês. Na parte da tarde, retornou ao centro aquático e venceu a final da prova com o tempo de 1min14s79. É o primeiro recorde mundial da natação feminina paralímpica brasileira desde 2004, quando Fabiana Sugimori faturou os 50m livre nos Jogos Paralímpicos de Atenas 2004.

Esta é a estreia de Carol Santiago em competições internacionais. A atleta praticava natação convencional até outubro passado, em Recife. Por ter nascido com Síndrome de Morning Glory (alteração congênita na retina que reduz seu campo de visão), chamou a atenção de seu treinador, que entrou em contato com Ana Paula Brandão, técnica do Grêmio Náutico União, de Porto Alegre, para analisar a possibilidade de uma transição ao esporte paralímpico. Obteve sua classificação funcional e rapidamente destacou-se no Campeonato Brasileiro de 2018.

"Estou muito feliz e emocionada por ter conseguido quebrar este recorde mundial. Fui apresentada ao esporte paralímpico recentemente e não poderia me sentir melhor. Ainda tenho pela frente a etapa nacional do Circuito Loterias Caixa, em maio, mas estou muito ansiosa para disputar as competições internacionais deste ano pelo Brasil", disse Carol Santiago.

A atleta passou o último mês no CT Paralímpico, onde fez um trabalho específico com Leonardo Tomasello, técnico-chefe da natação pelo Comitê Paralímpico Brasileiro. No Open, registrou ainda os novos recordes continentais dos 50m e 100m livre, classe S12. No sábado, encerrará sua participação nos 100m borboleta.

O Open Loterias Caixa de Atletismo e Natação é chave para a classificação aos respectivos Mundiais e aos Jogos Parapan-Americanos de Lima, que acontecerão no segundo semestre. Carol carimbou seu passaporte para ambos os eventos com a performance desta semana.

Outros recordes das Américas caíram nesta sexta. Gabriel Cristiano tornou-se o mais veloz dos 50m livre S8, com 26s63, e Cecília Araújo venceu a versão feminina da prova em 30s69 cravados. No atletismo, a argentina Antonella Ruiz venceu o lançamento de disco feminino F41 e tornou-se recordista continental, com 24,51m.

Vale ressaltar também que o Open ainda faz parte do Grand Prix de atletismo e da World Series de natação, que são circuitos organizados pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês). As Seleções Brasileiras também terão a concorrência de atletas de clubes nacionais, que atingiram os índices estabelecidos para obter a classificação ao Open.

Além do Brail, África do Sul, Argentina, Chile, China, Colômbia, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Honduras, Índia, México, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, República Dominicana, Uruguai e Venezuela estarão representados no Open Internacional Loterias Caixa 2019.

Resultados
Acompanhe os resultados do Open Internacional Loterias Caixa em tempo real, pelo aplicativo "Open Loterias Caixa", disponível para dispositivos iOS e Android.

Patrocínios
O paratletismo tem patrocínio das Loterias Caixa e da Braskem.
A natação tem patrocínio das Loterias Caixa.

Serviço
Open Internacional Loterias Caixa de Atletismo e Natação
Data: 25, 26 e 27 de abril
Local: Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo - Rodovia dos Imigrantes, km 11,5 (ao lado do São Paulo Expo)

Programação*
Atletismo
Sexta-feira (26/04) -8h às 11h30 e 14h30 às 18h
Sábado (27/04) - 8h às 11h30

Natação
Sexta-feira (26/04) - 9h às 12h e 17h às 19h
Sábado (27/04) - 9h às 12h e 17h às 19h
*Sujeita a alterações

Copa Brasil de Paraciclismo desembarca em Brasília para a disputa da 2ª etapa

Divulgação/CBBC
Imagem

Por CPB

O principal torneio por etapas do Paraciclismo brasileiro vai desembarcar na capital federal. Nos dias 27 e 28 de abril, será realizada a segunda etapa da competição, que abriu o seu calendário em Maringá (PR), em fevereiro, e terá a terceira e última etapa em setembro, na cidade de Leme (SP). A etapa brasiliense espera receber mais de 120 paratletas distribuídos em treze categorias oficiais. Os primeiros colocados, além de pontuarem no ranking brasileiro, também somam pontos no ranking mundial classificatório para os Jogos Paralípicos de Tóquio 2020.

Dentre as competições, haverá provas de Handbike (bicicletas impulsionadas pelos braços, utilizadas por atletas paraplégicos ou tetraplégicos), Triciclos (atletas com paralisia cerebral), Tandem (bicicletas com dois bancos e quatro pedais utilizadas por atletas com deficiência visual e seus guias), e de bicicletas convencionais (atletas amputados ou com outras deficiências físico-motoras).

Medalhista paralímpico na Rio 2016, Lauro Chaman é um dos nomes confirmados no evento. O atleta, de 32 anos, já conquistou títulos importantes, como os mundiais de Estrada e Pista, foi medalhista em várias etapas da copa do mundo, e hoje é considerado um dos principais nomes da modalidade no circuito internacional.

“Poder contribuir para o crescimento da nossa modalidade é uma grande satisfação. O nível das provas no circuito nacional vem crescendo a cada ano e isso é resultado do trabalho sério e planejado que vem sendo realizado pela Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) e o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). A etapa de Brasília promete grandes emoções. Espero poder fazer o meu melhor para brigar pelas primeiras colocações”, declarou Lauro.

As competições ocorrem no Setor de Autarquias Norte, Quadra 2, Asa Norte. A arena de concentração será montada na via paralela ao Setor Bancário Norte, próximo ao Shopping Liberty Mall. Tanto as provas de resistência, quanto o contrarrelógio individual, serão disputados em um grande circuito de 5,1km de distância por volta. No sábado, 27, serão realizadas as provas contrarrelógio, e no domingo, 28, as disputas de resistência.

A segunda etapa da Copa Brasil de Paraciclismo 2019 é uma organização e realização da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC), Federação Metropolitana de Ciclismo (FMC), com apoio do Comitê Paralímpico do Brasil (CPB) e Hospital Sírio Libanês.

*Com informações da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC)

Projeto piloto que ensina braile a crianças cegas é anunciado em São Paulo

   Imagem: crianças e adultos interagem com peças do Braille Bricks

Na tarde desta quarta-feira, 24 de abril, foi anunciado pela Fundação Dorina Nowill para Cegos o projeto piloto Braille Bricks, que visa ensinar braile a crianças cegas, por meio de blocos de montar.

A parceria entre a Fundação e a Lego Foundation produz blocos de montar com relevos que representam o alfabeto em braile, ação faz parte de projeto com a Universidade do Estado de São Paulo – Unesp, em escolas públicas do Estado.
A secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Celia Leão, esteve presente no anúncio e garantiu a futura parceria da secretaria no projeto.

“Esse é um equipamento muito importante para a inclusão. Ele é um dos vários equipamentos, formas e inteligências que encontramos hoje para nos auxiliar”, destacou a secretária.

   Imagem: Secretária Célia Leão durante discurso em evento de lançamento

Trata-se da criação de peças de Lego customizadas para o braile, sistema de leitura no qual letras e números são caracterizados por pontos em relevo. Ele é usado como forma de comunicação por pessoas cegas ou com baixa visão. A ideia é expandir e utilizar os blocos para atividades em escolas.


Faltam modelos de carro para adaptação no Brasil - Veja o vídeo

Faltam modelos de carro para adaptação no Brasil

por Ricardo Shimosakai

O Brasil possui inúmeras marcas de carros à disposição do consumidor, entre nacionais e importados. Cada uma das marcas possui vários modelos, que reunidas ultrapassam a casa das centenas.
A pessoa com deficiência pode comprar qualquer tipo de carro, não há restrições, deste que sejam adaptados caso necessário. Para quem quer comprar um carro com isenção de impostos, as opções já são mais restritas. O automóvel deverá ser de fabricação nacional (ou Mercosul), com valor de até R$70.000,00 (incluindo os tributos incidentes). Mas isso são regras, e não dizem respeito ao carro em si.

Dependendo da adaptação, ela pode ser instalada em qualquer carro. Os prolongadores de pedais, utilizados por anões e pessoas de baixa estatura, a alavanca de aceleração e freio manual, para pessoas que não possuem movimento e coordenação nas pernas e até a direção adaptada para os pés, para quem não possui os braços.
Algumas pessoas só podem dirigir carros automáticos, como eu (Ricardo Shimosakai) que possuo lesão medular e por isso não conseguiria controlar os três pedais do carro manual (acelerador, embreagem e freio) e trocar a marcha com as mãos. A obrigação para a escolha de carros automáticos, restringe ainda mais, porém ainda há várias opções.
Existe um tipo de adaptação eletrônica, instalada no câmbio do carro manual, onde você aperta um botão na própria marcha, e ele automaticamente aciona a embreagem para liberar a troca da marcha. Mas para o meu caso não é viável, pois como só tenho o controle nas mãos, e uma delas precisa estar no volante e a outra na alavanca de aceleração e freio, não poderia soltar um desses controles para trocar a marcha.


O maior problema está em adaptar um carro para que a pessoa com deficiência consiga entrar junto com sua cadeira de rodas. A adaptação para entrar no carro é feita através de plataformas elevatórias ou rampas, existem equipamentos adequados. O espaço interno precisa ser amplo, tanto em relação à largura como para a altura. Pouquíssimos carros à venda no Brasil possuem uma boa configuração para que não sejam necessárias grandes adaptações, o que acaba desconfigurando e desvalorizando o veículo na hora da venda.
Eu percebi esse problema quando estava na Rehacare na Alemanha, a maior feira de acessibilidade do mundo. Na seção dos automóveis, a maioria deles era adaptado para entrar com a cadeira de rodas. Prestando atenção, entendi que isso era possível principalmente por causa que no exterior existem modelos de carros mais amplos. Esses modelos maiores, semelhantes ao que conhecemos no Brasil como “peruas”, lá fora são chamados de “mini-vans”.
Atualmente, os únicos carros adaptáveis para isso são o Fiat Doblô e a Chevrolet Spin. Já existe até adaptações em que o cadeirante consegue entrar e dirigir o carro sem sair da cadeira de rodas. E não são fabricantes diferentes da que já existem no Brasil, veja a foto principal da matéria por exemplo, é um modelo da Toyota chamado Sienna. Porém não está disponível aqui, nem como importado, como muitas vezes acontece em lançamento de novos modelos. Trazer um carro do exterior é algo bastante burocrático e caro.
Então a crítica colocada nesta matéria, é para este último segmento de carros. Tenho certeza que poder optar por um modelo mais amplo facilitaria muitas pessoas, principalmente aquelas que possuem dificuldade para fazer transferências. Ajudaria também aqueles que, mesmo sem possuir uma deficiência, preferem ou precisam de carros mais amplos, para carregar materiais ou pessoas. Uma opção intermediária, não tão grande como uma van, porém mais espaçosa do que os tradicionais carros de passeio.