sábado, 21 de setembro de 2019

APNEN comemora 12 anos de fundação

Hoje, 21 de setembro a APNEN (Associação dos Portadores de Necessidades Especiais de Nova Odessa) completa 12 anos de fundação.









A APNEN foi fundada em 21 de setembro de 2007, foi reconhecida como de utilidade pública pela Lei nº 2.331 de 24 de Junho de 2009, Lei apresentada pelo Vereador Antônio Rezende.



Nesses 12 anos realizamos muitos atendimentos as Pessoas com Deficiência em nossa cidade, foram mais de 150 doações de Cadeiras de Rodas, Cadeiras de Banho, Cadeiras de Rodas Adaptadas, Cadeiras de Rodas Motorizadas, Peças e Manutenções de Cadeiras de Rodas, Colchões Hospitalares, Guincho de Transferência, Baterias para Cadeira de Rodas Motorizada, Remédios, Fraldas Descartáveis, Material Escolar e Esportivo, Equipamentos Eletrônicos, ( Net Book, Scanner Book, Suplemento Alimentar, Pneus e Camarás de Ar para Cadeira de Rodas, com um valor total de mais de R$ 120 mil reais em doações.




Graças a DEUS, nesses 12 anos, todos os pedidos que chegaram até nós, todos foram atendidos.

Esse valor, foi arrecadado em eventos que a APNEN realizou, como Festas em que participamos, Bingos, entre outros eventos beneficentes, sendo a arrecadação revertida para a conclusão dos nosso projetos sociais. No ano de 2015, começamos a receber verbas da Prefeitura Municipal de Nova Odessa, através de Lei de Subvenção, com esse repasse e possível uma melhor estruturação e mantermos em funcionamento a nossa sede social.

Foram muitas as dificuldades para chegarmos até aqui, e quero muito agradecer do fundo do meu coração, a todas os membros da nossa diretoria, a atual e as anteriores, que realizaram um ótimo trabalho doando um pouco do seu tempo em prol da APNEN.

Agradecemos também aos nossos voluntários, que sempre nos ajudaram e continuam a ajudar, aos nossos patrocinadores que sempre nos apoiaram e continuam a apoiar, agradeço também a minha família que sempre me apoiou, agradeço a confiança de todos e me sinto honrado em estar a frente dessa entidade por 12 anos.


1ª Diretoria 2007/2011

2ª Diretoria 2011/2015


3ª Diretoria 2015/2019

4ª Diretoria 2019/2023

Estamos hoje com novos projetos em construção, em breve iremos oferecer um melhor atendimento para as pessoas com deficiências e seus familiares.

Muito Obrigado.

Carlos Raugust

Fonte: Apnen Nova Odessa

21 De Setembro – Dia Nacional De Luta Das Pessoas Com Deficiência

O Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência é uma importante oportunidade para refletirmos sobre a importância da inclusão social.

Imagem Internet/Ilustrativa
Resultado de imagem para Dia Nacional De Luta Das Pessoas Com Deficiência

Vanessa Sardinha dos Santos

No dia 21 de setembro, é comemorado, no Brasil, o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência. Essa data foi oficializada em 2005 pela Lei Nº 11.133, entretanto, já era comemorada desde o ano de 1982. O 21 de setembro foi escolhido porque está próximo do início da primavera, estação conhecida pelo aparecimento das flores. Esse fenômeno representaria o nascimento e renovação da luta das pessoas com deficiência.

Segundo a Lei Nº 13.146/15, a pessoa com deficiência é aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas. Assim sendo, o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência surgiu como forma de garantir a integralização dessas pessoas na sociedade de maneira igualitária e sem preconceitos.

A deficiência atinge diferentes níveis e pode ser classificada em quatro tipos: a física, a auditiva, a visual e a mental.

♦ Deficiência física

O paciente apresenta problemas no seu corpo que comprometem o desenvolvimento de funções físicas. Esse tipo é encontrado, por exemplo, em paraplégicos ou em pessoas com paralisia, membros amputados ou deformidades congênitas.

♦ Deficiência auditiva

As pessoas com eficiência auditiva, por sua vez, são aquelas que possuem perda bilateral, parcial ou total do sentido da audição. Essa perda da capacidade de ouvir pode ser causada por problemas diversos, tais como doenças hereditárias, doenças maternas, problemas no parto, infecções virais, lesões, entre outras causas.

♦ Deficiência visual

As pessoas com deficiência visual são aquelas que apresentam problemas que dificultam a visualização de objetos. É considerado deficiente visual aquele que é cego ou apresenta uma baixa visão. Vale ressaltar que problemas como astigmatismo, miopia e hipermetropia não são considerados deficiências.

♦ Deficiência mental

Na deficiência mental, as pessoas apresentam funcionamento mental abaixo da média. Vale destacar que, para ser considerada uma deficiência, os sintomas devem surgir antes dos 18 anos de idade.

Percebe-se, portanto, que existem diferentes tipos de deficiência e cada uma é responsável por um tipo diferente de limitação. Muitas vezes, essas limitações podem comprometer a qualidade de vida do indivíduo; por isso, faz-se de extrema necessidade o desenvolvimento de medidas de inclusão.

Muitas conquistas já foram obtidas, mas muitas pessoas com deficiências ainda sofrem com a falta de acessibilidade e preconceitos. A falta de acessibilidade é uma grande barreira, uma vez que impede, muitas vezes, a locomoção, a comunicação e até mesmo o direto à informação. Já o preconceito faz com que a deficiência se torne um empecilho para arrumar um emprego ou continuar os estudos, por exemplo.

Assim sendo, a luta deve ser constante, e o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência é uma oportunidade para demonstrar força na busca pelos direitos dessas pessoas.

Curiosidade: A Lei 13.146 de Julho de 2015 representou um grande marco na luta das pessoas com deficiências e instituiu a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). De acordo com essa lei, passou a ser crime praticar, induzir ou incitar discriminação de pessoa em razão de sua deficiência, assim como abandonar pessoas com deficiência em hospitais, casas de saúde, entidades de abrigamento ou congêneres, apropriar-se de ou desviar bens, proventos, pensão, benefícios, remuneração ou qualquer outro rendimento de pessoa com deficiência e reter ou utilizar cartão magnético, qualquer meio eletrônico ou documento de pessoa com deficiência destinados ao recebimento de benefícios, proventos, pensões ou remuneração ou à realização de operações financeiras com o fim de obter vantagem indevida para si ou para outrem.

Entre os principais problemas enfrentados pelas pessoas com deficiência, está a falta de acessibilidade
Entre os principais problemas enfrentados pelas pessoas com deficiência, está a falta de acessibilidade

Botafogo-PB anuncia parceria e vai apresentar time de basquete para cadeirantes neste sábado

Associação Atlética das Pessoas com Deficiências da Paraíba (AAPD), que está na disputa da 2ª divisão do Brasileiro, vai estampar a marca do Belo nas competições pelo país

Por GloboEsporte.com — João Pessoa

Foto: Reprodução / TV Cabo Branco
Botafogo-PB anuncia parceria e vai apresentar time de basquete para cadeirantes neste sábado

Após fechar parcerias com equipes de futsal e vôlei, o Botafogo-PB anunciou um acordo para uma nova modalidade: o basquete para cadeirantes. É que o time da Associação Atlética das Pessoas com Deficiências da Paraíba (AAPD) vai estampar o escudo do Belo nas competições pelo país. A apresentação do time botafoguense vai ser realizada neste sábado, às 09h, na praia de Cabo Branco. A data é para lá de especial, já que marca o Dia Nacional da Pessoa com Deficiência.

Em meio ao anúncio para lá de importante para a história do esporte paralímpico paraibano, a equipe de basquete para cadeirantes está prestes a embarcar para São Paulo, onde vai disputar a 2ª divisão do Campeonato Brasileiro. A competição vai acontecer de 22 a 27 deste mês e, agora com a marca do Botafogo-PB, o time tem um incentivo a mais para buscar o acesso. Quem garante isso é Jean Kloud, vice-presidente da AAPD, que também coordena a equipe.

– Nossa expectativa é de conquistar o acesso. O time se preparou muito bem ao longo dos últimos meses e está bastante focado na disputa do campeonato. A confiança é grande – Jean

A festa de apresentação do time de basquete para cadeirantes vai acontecer na praia de Cabo Branco, em frente ao prédio do Corpo de Bombeiros. Na solenidade, além dos atletas da equipe da AAPD, vai estar o presidente do Botafogo-PB, Sérgio Meira, alguns membros da diretoria e também jogadores do time de futebol. A solenidade de apresentação está marcada para as 09h deste sábado.

Com paralisia cerebral e dificuldade motora, jovem aprende a digitar com auxílio de pincel e comemora faculdade de matemática no Paraná

Para fazer as provas, ele disse que nunca precisou fazer uso da calculadora, que consegue fazer as contas de cabeça.

Por Adriana Justi, G1 PR

Welligton tem 29 anos e se formou em matemática em um curso de ensino à distância  — Foto: Marcelo Zanello Milléo/Arquivo pessoal
Welligton tem 29 anos e se formou em matemática em um curso de ensino à distância — Foto: Marcelo Zanello Milléo/Arquivo pessoal

O paranaense Welligton Opinajara da Silva, de 30 anos, que mora em Piraí do Sul, na região dos Campos Gerais, conseguiu superar o diagnóstico de paralisia cerebral e uma dificuldade motora nas mãos, que o impedia de estudar e se comunicar, com a ajuda de um pincel.

A adaptação foi aos 16 anos, na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), e foi o que mudou a vida dele, segundo a mãe Sueli Ferreira da Silva.

A digitação proporcionou ao jovem a oportunidade de completar os estudos e à mãe dele a realização de um sonho, o de ser o primeiro a completar o ensino superior na família. O curso foi feito à distância na Faculdade Estácio de Curitiba.

A escolha da profissão, segundo Welligton, foi porque futuramente pretende trabalhar com pesquisas científicas. Para fazer as provas, ele disse que nunca precisou fazer uso da calculadora, que consegue fazer as contas de cabeça.

Jovem disse que a adaptação com o pincel pra poder digitar foi o que mudou a vida dele  — Foto: Marcelo Zanello Milléo/Arquivo pessoal
Jovem disse que a adaptação com o pincel pra poder digitar foi o que mudou a vida dele — Foto: Marcelo Zanello Milléo/Arquivo pessoal

Welligton foi diagnosticado com paralisia cerebral quando era bebê e também tem dificuldades para se comunicar através da fala. O pincel, segundo a mãe, também o ajuda para usar o celular e se comunicar no dia a dia.

"Como eu não saio sozinho de casa, às vezes a minha mãe e a minha avó me levam para passear. O único detalhe é que eu não posso fazer caminhadas longas porque sinto dores nas costas e nas minhas pernas, mas eu me sinto realizado quando posso sair", contou.

A nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi essencial para que o jovem conseguisse iniciar o curso. Como não conseguiu emprego no período em que estava estudando, Welligton disse que precisou contar com a ajuda da família para conseguir pagar integralmente o valor do curso.

"Eu ganhei uma bolsa de 20% pra fazer o curso. Mas aqui em casa todos sempre deram um jeitinho de me ajudar e sempre conseguimos pagar a diferença do valor da bolsa, mesmo com algumas dificuldades", contou Welligton.

Força de vontade e a evolução

Welligton tem 30 anos e conseguiu concluir os estudos graças ao pincel que o ajuda a digitar  — Foto: Marcelo Zanello Milléo/Arquivo pessoal
Welligton tem 30 anos e conseguiu concluir os estudos graças ao pincel que o ajuda a digitar — Foto: Marcelo Zanello Milléo/Arquivo pessoal

"Eu tenho muito orgulho da força de vontade e da inteligência dele. Eu, que sempre acompanhei a evolução dele, posso dizer, mais do que ninguém, que o Welligton não andava, não sentava, só se arrastava, e agora ele venceu", disse a mãe.

Sueli destacou ainda que além de esforçado e inteligente, o jovem é super amoroso com a família no dia a dia.

"Não tem tristeza pra ele. Quantas vezes chegou cansado da faculdade, porque às vezes, ele precisava viajar pra fazer as provas presenciais, e nunca reclamou, chegava alegre e sorrindo", detalhou a mãe.

"Eu pretendo dar continuidade nos meus estudos o meu maior sonho é me tornar um cientista e trabalhar com pesquisas, principalmente as que envolvem a saúde humana", ressaltou o jovem.

A formatura está marcada para o dia 30 de setembro deste ano. "Será uma grande honra e glória esse momento tão esperado depois de 24 anos de muita luta e adaptações. Estou feliz porque provei pra mim mesmo que sou capaz de superar todos os obstáculos e barreiras que a vida me propõe", comemorou Welligton.

Fonte: g1.globo.com

Menino com autismo faz alerta para afastar o preconceito e vídeo viraliza no ES - Vejam os vídeos.

Gravação foi feita depois que Luis Fernando, de 9 anos, escutou um colega dizendo que autistas eram deficientes. Menino diz que vai informar população sobre transtorno.

Por Gabriela Ribeti, TV Gazeta

Resultado de imagem para Menino com autismo faz alerta para afastar o preconceito e vídeo viraliza no ES
Menino com autismo faz alerta para afastar o preconceito e vídeo viraliza no ES

Um vídeo do menino Luis Fernando, de nove anos, viralizou nas redes sociais na última semana. Em um desabafo divulgado na web, o estudante explica que autismo não é deficiência, após ficar incomodado com o comentário de um colega na escola. O relato foi gravado pela mãe dele.

Clique AQUI para ver os vídeos.

No vídeo, a criança relatou que os alunos estavam fazendo uma atividade na escola sobre autismo e não gostou da resposta de um colega sobre uma questão que abordava o símbolo da acessibilidade relacionado ao autismo. Por isso, decidiu fazer a gravação para explicar como se sentiu e para mostrar que não considera o transtorno uma deficiência.

“Na hora que aconteceu, eu senti uma dor por dentro, porque não me senti representado como eu devia. Eu cheguei triste e pensei: eu consigo me expressar, mas tem autista que sofre e não consegue. Eu tinha em mente alertar os responsáveis e professores para não deixar que esse preconceito se multiplique”, declarou Luiz.

No vídeo, o menino conta que muitas pessoas tem preconceito com autistas por serem diferentes. 

Resultado de imagem para Menino autista grava vídeo para explicar transtorno para colegas e professores, no ES
Menino autista grava vídeo para explicar transtorno para colegas e professores, no ES

A mãe, Ingrid Nascimento, contou que quando foi buscar Luis Fernando na escola percebeu que ele estava triste e então a criança explicou o que tinha acontecido.

“Ele veio triste, chorando, falando que a professora tinha abordado uma propaganda que estava no material didático e que nessa apostila tinha uma propaganda que falava sobre o símbolo da acessibilidade, que é um símbolo padrão que é o do cadeirante”, explicou a mãe.

Criança grava vídeo para alertar sobre autismo, no ES  — Foto: Wagner Martins/ TV Gazeta
Criança grava vídeo para alertar sobre autismo, no ES — Foto: Wagner Martins/ TV Gazeta

Apesar de ser a forma como a legislação se refere a pessoas com espectro autista, a mãe acredita ser uma palavra muito forte para definir o transtorno.

“Eu sei que está na legislação, reconheço isso, mas é um rótulo muito forte. Porque se você pegar um dicionário, deficiente é o que não é eficiente. O que seria isso? É muito complicado. Muitas vezes a criança é rotulada, não se expressa, fica guardando pra ela e pode ocasionar episódios de depressão e até suicídio”, revela a mãe.

Viralizou

O vídeo fez sucesso na internet e a escola aproveitou a oportunidade para discutir o tema focando na inclusão e na importância de não ter preconceito com as diferenças.

Mãe postou o relato do filho autista na internet, no ES  — Foto: Reprodução/ Facebook
Mãe postou o relato do filho autista na internet, no ES — Foto: Reprodução/ Facebook

Luis acredita que tem uma missão em mostrar que o transtorno não é uma doença e que ele não é deficiente.

“Na minha cabeça, o autismo não é uma coisa. O autismo é um nome dado a esse tipo de personalidade que as pessoas têm. Minha missão é mostrar que eu não tenho nenhuma doença e não sou deficiente”, declarou o menino.

Criança autista diz que tem missão de explicar o que é o transtorno, no ES  — Foto: Wagner Martins/ TV Gazeta
Criança autista diz que tem missão de explicar o que é o transtorno, no ES — Foto: Wagner Martins/ TV Gazeta

Transtorno

O neurologista infantil Thiago Gusmão alerta que o número de autistas é crescente. Uma pesquisa releva que, atualmente, uma a cada 59 crianças que nascem têm o transtorno.

Segundo o neurologista, o autismo não é uma doença, mas um conjunto de sintomas que formam o transtorno.

“A maior parte das crianças autistas, estou falando de um percentual de 50% a 60%, existe limitação cognitiva. Deficiência intelectual de alta proporção. Essa deficiência, eu traduzo como limitação. E limitação todos temos”, enfatiza. “O mundo evoluído é mais inclusivo. Se o mundo for cada vez mais inclusivo, a sociedade será muito mais justa, sem preconceitos”, completa o médico.

Neuropediatra do ES explica o que é o autismo — Foto: Wagner Martins/ TV Gazeta
Neuropediatra do ES explica o que é o autismo — Foto: Wagner Martins/ TV Gazeta

Gusmão ainda explica que cada autista manifesta as características do transtorno em níveis diferentes. Luis Fernando tem autismo de nível leve e por isso ele consegue falar sobre o que sente.

A fonoaudióloga Associação dos Amigos dos Autistas do Espírito Santo (Amaes), Camila Dias, com o crescimento do número de pessoas autistas na sociedade é necessário aprender lidar com o transtorno.

“Temos que abraçar essas crianças, porque hoje elas são crianças, amanhã vão ser adolescentes, adultos, e na nossa sociedade está crescendo cada vez mais o número de autistas. Então nós precisamos aprender a lidar com essas pessoas nas escolas, ambiente de trabalho e precisamos aprender a lidar sim”, afirmou.

Fonte: g1.globo.com

MP executa acordo que garante acessibilidade para deficientes na Avenida Jerônimo de Albuquerque

Acordo assinado com o Hospital São Domingos garante a execução de obras de mobilidade para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida em trecho da avenida.

Por G1 MA — São Luís, MA

Representantes do Ministério Público do Maranhão (MPMA), da Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh) e do Hospital São Domingos assinam acordo em São Luís (MA) — Foto: Divulgação/Ministério Público do Maranhão
Representantes do Ministério Público do Maranhão (MPMA), da Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh) e do Hospital São Domingos assinam acordo em São Luís (MA) — Foto: Divulgação/Ministério Público do Maranhão

O Ministério Público do Maranhão (MPMA), a Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh) e o Hospital São Domingos assinaram nessa semana, um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que busca garantir acessibilidade a pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida nas proximidades do hospital.

De acordo com a ação, as obras serão realizadas e financiadas pelo hospital como medida de compensação pelos impactos que o empreendimento causa ao trânsito na Avenida Jerônimo de Albuquerque, por conta da ampliação da unidade. O projeto geométrico e de sinalização será elaborado pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT).

As obras serão inciadas em 5 de outubro e devem ser concluídas até o fim de dezembro de 2020. A SMTT, Semurh e Blitz Urbana serão responsáveis por fiscalizar os serviços e a cada etapa concluída, o hospital deverá informar por escrito ao Ministério Público sobre o andamento do serviço.

Segundo o MPMA, durante o período de vigência do TAC o órgão se comprometeu a não adotar medidas judiciais coletivas contra o hospital em relação aos impactos causados no trânsito. Novas infrações cometidas pela unidade hospitalar também estarão suspensos de serem emitidos pela Semurh e Blitz Urbana durante o mesmo período.

Caso a medida seja descumprida, o TAC será executado judicialmente e os autos de infração suspensos serão emitidos. O hospital também pode pagar uma multa diária de R$ 500, limitada a R$ 50 mil, além outras medidas judiciais cabíveis.

Fonte: g1.globo.com


Conheça a brasileira que concorre ao Prêmio da Fifa para torcedores - Veja o vídeo.

Silvia Grecco foi indicada por narrar os jogos do Palmeiras para o filho, Nickollas, de 12 anos, que é deficiente visual.

Por Estúdio I

Silvia Grecco e Nickollas — Foto: Reprodução/Fifa
Silvia Grecco e Nickollas — Foto: Reprodução/Fifa

A paixão de uma mãe por seu filho e deste filho pelo futebol pode ser premiada no próximo Prêmio Fifa para torcedores, que acontece na segunda-feira (23), em Milão, na Itália. A iniciativa reconhece gestos extraordinários de fãs do futebol no mundo todo.

Clique AQUI para ver o vídeo

Silvia Grecco, que é palmeirense, chamou atenção ao narrar os jogos do time para o filho Nickollas, de 12 anos, que é deficiente visual. A mãe queria transmitir toda a emoção das partidas para o filho, passou a narrar tudo em detalhes para o menino e a dupla ficou famosa entre os torcedores do Palmeiras.

"O que dá a Nickollas o maior prazer na vida é o futebol e estar no estádio. Entro em detalhes sobre a atmosfera, as características de cada jogador, e narrar objetivos é sem dúvida a parte mais emocional", disse Silvia ao site da Fifa. A história foi mostrada no Estúdio i desta sexta-feira (20).

Além dela, concorrem ao prêmio o argentino Justo Sanchez, que era torcedor do Cerro, mas passou a torcer pelo Rampla também por causa do filho, e os torcedores da Holanda por sua animação durante a Copa do Mundo Feminina na França, em 2019.

A votação será encerrada na segunda-feira (23), o vencedor é escolhido pelo público e o eleito será conhecido no mesmo dia. Para votar,  clique aqui!

Resultado de imagem para Brasileira concorre ao Prêmio Fifa para Torcedores
Brasileira concorre ao Prêmio Fifa para Torcedores

Fonte: g1.globo.com

SP tem programação especial neste sábado para o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência

Atividades serão na sede da secretaria estadual que fica no Memorial da América Latina.

Por G1 SP

Memorial da América Latina — Foto: Raul Zito/G1
Memorial da América Latina — Foto: Raul Zito/G1

A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo promove neste sábado (21), das 10h às 17h, uma programação com shows e artes para celebrar o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência. Entre as atividades estão exposição interativa do programa Moda Inclusiva, apresentação folclórica, bateria de escola de samba inclusivas. A sede da secretaria fica no Memorial da América Latina, na Barra Funda.

Programação:
  • 10h às 16h Exposição Moda Inclusiva

  • 10h às 12h Atividades Físicas Smart Truck (HIIT / AfroBeats)

  • 11h às 12h Batucada do NASCE

  • 12h às 12:30h Beat Box / Sanfona e Viola

  • 13h30 às 14h Apresentação Grupo Folclórico Casa Ilha da Madeira

  • 14h às 17h Festival Cultura Acessível

  • 14h às 15h30h Atividades Físicas Smart Truck (FitDance / AfroBeats)

  • 15h Presença dos Atletas Paralímpicos – Time São Paulo

  • 16h às 16h30 Casas André Luiz (Bolero / Rock Anos 60)

Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência
  • Data: 21 de setembro

  • Horário: das 10h às 17h

  • Local: Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência

  • Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 564 – Portão 10

Fonte: g1.globo.com

Após reunião com MP, abrigo de pessoas com deficiência voltará a receber verba do governo em Belém - veja o vídeo.

Enquanto as negociações ocorrem com o município, o governo do estado disse que vai disponibilizar a estrutura do abrigo por mais seis meses de repasses de recursos.

Por G1 PA — Belém

Resultado de imagem para Governo se compromete em manter abrigo de crianças com deficiência em Belém
Governo se compromete em manter abrigo de crianças com deficiência em Belém

Clique AQUI para ver o vídeo.

O governo do estado se comprometeu a manter o abrigo especial Calabriano que seria fechado neste sábado (21) com o encerramento do convênio. O espaço atende mais de 300 pessoas com deficiência, entre elas, crianças e adolescentes. Na última terça-feira (17), parentes e amigos das pessoas atendidas chegaram a fazer um protesto e interditar a avenida Senador Lemos pedindo pela manutenção do abrigo.

Em reunião com o Ministério Público, representantes do governo do estado informaram que a legislação determina a municipalização do espaço e que a prefeitura de Belém deveria assumir o abrigo. Enquanto as negociações ocorrem com o município, o governo do estado disse que vai disponibilizar a estrutura do abrigo por mais seis meses de repasses de recursos.

Até o momento, a prefeitura de Belém não se pronunciou sobre o assunto.

Fonte: g1.globo.com

Campanha de conscientização pelos direitos e luta das pessoas com deficiência é feita no Centro de Uberlândia - Veja o vídeo.

Ação ocorre na Praça Tubal Vilela com blitz educativa e ação de conscientização sobre vagas de estacionamento.

Por G1 Triângulo e Alto Paranaíba e MG1

Cadeiras de rodas com placas escrito 'É repidinho' e outras frases foram colocadas em trecho de estacionamento na região central de Uberlândia — Foto: Fábio Melo/G1
Cadeiras de rodas com placas escrito 'É repidinho' e outras frases foram colocadas em trecho de estacionamento na região central de Uberlândia — Foto: Fábio Melo/G1

Uma campanha de conscientização dos direitos e luta das pessoas com deficiência é realizada nesta sexta-feira (20) na Praça Tubal Vilela, em Uberlândia.

Clique AQUI para ver o vídeo.

Uma blitz educativa com o tema “Eu respeito as vagas, e você?”, é feita na região central. Ainda, ao longo de um quarteirão, cadeiras de rodas foram colocadas no lugar do estacionamento de veículos como forma de chamar a atenção dos motoristas sobre o respeito às vagas destinadas às pessoas com necessidades especiais.

Dentro da Campanha será lançado o Programa Multa Moral é Legal, Projeto de Lei que já tramita na Câmara Municipal para fazer parte do calendário de atividades oficiais do Município.

Segundo os organizadores, o objetivo da ação é promover a informação e a difusão dos direitos já adquiridos, conscientizar as famílias, a sociedade e o Município sobre a inclusão social das pessoas com deficiência e estimular para boas práticas na rotina das pessoas.

A mobilização social abre as atividades previstas pela Lei Municipal 13.186/2019, pelo dia de Luta das Pessoas com Deficiência.

A realização da campanha é do Movimento Acesso Consciente, com apoio de entidades como Associação à Criança Deficiente (AACD), Conselho Municipal de Pessoas com Deficiência (COMPOD), Associação dos Paraplegicos de Uberlândia (Aparu), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Associação Brasileira de Síndrome de Williams (ABSW) entre outras.

Resultado de imagem para Ação no Centro de Uberlândia conscientiza sobre os direitos das pessoas com deficiência
Ação no Centro de Uberlândia conscientiza sobre os direitos das pessoas com deficiência

Fonte: g1.globo.com



Filipinas declaram novo surto de pólio depois de 19 anos de erradicação

O vírus da poliomielite pode causar paralisia dos membros em crianças. Vacina é maneira mais eficaz de prevenção.

Por Associated Press

Um agente de saúde aplica a vacina contra poliomielite em uma criança em Lahore, no Paquistão — Foto: KM Chaudary/AP
Um agente de saúde aplica a vacina contra poliomielite em uma criança em Lahore, no Paquistão — Foto: KM Chaudary/AP

O departamento de saúde das Filipinas declarou nesta quinta-feira (19) que o país vive um novo surto da doença, após quase duas décadas de erradicação. As Filipinas chegaram a receber o certificado de erradicação da Organização Mundial da Saúde (OMS). A doença é altamente contagiosa, causa a chamada "paralisia infantil" e pode até matar.

O vírus causador da pólio pode provocar perdas no sistema nervoso e em massa muscular nas crianças, impedindo que elas consigam se movimentar. A melhor prevenção é a vacina.

O secretário de saúde do país, Francisco Duque III, disse à imprensa que as autoridades nacionais confirmaram pelo menos um caso de pólio em uma criança de três anos, na província de Lanao del Sur, no Sul do país.

A presença do vírus também foi identificada na capital, Manila, e em vias navegáveis da região de Davao, também no Sul.

Segundo o secretário de saúde, essas descobertas foram suficientes para que as Filipinas declarassem um surto, embora o país fosse antes considerado "livre" da poliomielite.

A OMS e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) manifestaram uma profunda preocupação com essa re-emergência da pólio nas Filipinas.

Fonte: g1.globo.com

Vacina que protege bebês contra cinco doenças está em falta nos postos de saúde

Marcela não encontrou a vacina pentavalente para Catarina, de 2 meses, no CMS Dom Hélder Câmara, em Botafogo
Marcela não encontrou a vacina pentavalente para Catarina, de 2 meses, no CMS Dom Hélder Câmara, em Botafogo Foto: Flávia Junqueira

Flávia Junqueira

Uma vacina que protege as crianças contra cinco doenças — difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e infecções causadas por haemophilus influenzae tipo B — está em falta em toda a rede de saúde dos municípios do Rio e de Niterói. O problema que levou ao desabastecimento da pentavalente nas unidades, no entanto, é nacional e atinge vários estados do país. A dose, que deve ser aplicada aos 2, 4 e 6 meses, começou a faltar em alguns postos no início de janeiro e preocupa os pais. A dose da vacina chega a custar R$ 415 nas clínicas privadas.

Nesta quarta-feira, a negativa na sala de imunização do Centro Municipal de Saúde (CMS) Heitor Beltrão, na Tijuca, na Zona Norte do Rio, surpreendeu Rafaela Torres, de 37 anos. Era a segunda vez que ela tentava vacinar Nicolas, de 4 meses, com a pentavalente.

— Eu e minha filha de 9 anos sempre tomamos nossas vacinas neste posto. É a primeira vez que vejo faltar vacina. Fiquei muito espantada — disse Rafaela, que decidiu esperar por mais uma semana. — Não deram previsão, mas se não chegar até o dia 26, vou procurar uma clínica privada.

Rafaela Torres e o marido levaram Nicolas, de 4 meses, para vacinar mas não encontram a pentavalente no CMS Heitor Beltrão, na Tijuca
Rafaela Torres e o marido levaram Nicolas, de 4 meses, para vacinar mas não encontram a pentavalente no CMS Heitor Beltrão, na Tijuca Foto: Flávia Junqueira

No CMS Manoel José Ferreira, no Catete, na Zona Sul do Rio, a funcionária que aplica vacinas já avisa a quem pergunta pela pentavalente:

— Continua em falta e sem previsão para chegar.

No Jacarezinho, na Clínica da Família Anthidio Dias da Silveira, e em Botafogo, no CMS Dom Helder Câmara, a informação é a mesma para quem chegava, nesta quarta-feira, procurando a vacina. No rosto dos pais, a preocupação por saberem que seus filhos estão desprotegidos.

— A orientação que me deram é ficar vindo aqui para perguntar se chegou. Fico muito preocupada, porque são doenças importantes, e a Catarina fica desprotegida. Não sei o que fazer — disse a veterinária Marcela Chagas, de 32 anos, ao deixar o posto de Botafogo com a filha de 2 meses no colo.

                     O cartaz na sala de vacinas da Policlínica Regional Dr. Sérgio Arouca, no Vital Brazil, em Niterói, avisa sobre a falta da pentavalente
O cartaz na sala de vacinas da Policlínica Regional Dr. Sérgio Arouca, no Vital Brazil, em Niterói, avisa sobre a falta da pentavalente Foto: Reprodução

Problemas na liberação das doses importadas

O Ministério da Saúde, que importa e envia a vacina pentavalente para os estados, afirmou que houve um problema na liberação do produto ao chegar ao Brasil, mas informou que já foi autorizado o envio de 1,2 milhão de doses para todo o país, sendo 90 mil para o Rio de Janeiro.

A Secretaria estadual de Saúde, por sua vez, afirmou que, no último dia 15, recebeu uma nova remessa da vacina e disponibilizou a retirada para a Secretaria municipal de Saúde do Rio na última sexta-feira, e para os demais municípios, na última segunda.

Já a Secretaria de Saúde do município do Rio respondeu que “aguarda o envio do insumo pelo ministério e, tão logo seja entregue, todas as pessoas que procuraram a vacina e não encontraram serão chamadas pelas unidades para a aplicação”. O município afirmou que a previsão é que a vacina chegue até o fim do mês.

A Secretaria de Saúde de Niterói informou que não recebeu doses da pentavalente nem previsão de entrega por parte do Ministério da Saúde.

O que o caso da Lojas Americanas ensina sobre inclusão de PCDs

As práticas mostram as consequências da falta de uma política adequada de inclusão e de diversidade, segundo especialista

Por Karin Salomão

Lojas Americanas no Shopping Iguatemi, em São Paulo - 15/06/2012
Loja da rede Americanas: a bagunça de sempre, mas agora com tecnologia (Alexandre Battibugli/EXAME)

Assédio moral, humilhações constantes e tarefas inadequadas para as condições dos trabalhadores. A varejista Lojas Americanas foi multada em 11,3 milhões de reais em danos coletivos por discriminação contra pessoas com deficiência (PCDs). As práticas foram relatadas ao Ministério Público do Trabalho de Barueri, que multou a companhia. As práticas mostram as consequências da falta de uma política adequada de inclusão e de diversidade, segundo especialista ouvida por EXAME.

Na ação, testemunhas contam que colegas e superiores hierárquicos os obrigavam a realizar tarefas não condizentes com sua situação e os assediavam moralmente. Uma das testemunhas afirmou que ele e outras PCDs não conseguiam realizar certas tarefas que eram impostas pelos superiores, por limitações físicas. Ao invés de serem mudados de função, eram chamados de “preguiçosos” por chefes e alguns viam as cobranças aumentarem ainda mais.

Outro trabalhador, que tinha surdez, contou que era comum que supervisores e colegas de trabalho gritassem com sarcasmo: “você é surdo? Não ouve não?”. Segundo a testemunha, esse tipo de assédio moral ocorreu com mais dois colegas com outras deficiências, constantemente.

A empresa também teve casos de trabalhadores que foram colocados em funções diferentes daquelas para as quais haviam sido contratados, como forma de discriminação. Um deles, sem treinamento para a função e com deficiência nas pernas, tinha que descer plataformas de descarga sem a ajuda de escadas, o que acabou causando o agravamento de suas dores.

Os relatos foram recebidos pelo MPT de 2016 a 2018. Para a procuradora do Trabalho Damaris Salvioni, representante do MPT na ação, o assédio moral era organizacional, e não um fato isolado, e o objetivo seria fazer com que os trabalhadores pedissem demissão.

Diante dos diversos testemunhos, em 2018 o MPT ofereceu às Lojas Americanas um acordo (Termo de Ajustamento de Conduta – TAC) por meio do qual ela se comprometeria a evitar e refrear o assédio moral na organização. Entretanto, a empresa se recusou a assinar o documento.

Procurada por EXAME, a empresa afirmou que “ainda não foi notificada sobre a ação judicial em questão”. “A companhia afirma que o respeito entre seus associados está na base de sua cultura, e que repudia e pune com rigor qualquer prática de assédio moral, conforme disposto também em seu código de ética”, escreveu em nota.

Guias para deficientes em supermercados. Projeto de lei propõe assistência ao consumidor.

Guias para deficientes em supermercados. Projeto de lei propõe assistência ao consumidor.

por Ricardo Shimosakai

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) aprovou nesta quinta-feira (12) o projeto de lei que obriga estabelecimentos de grande porte — supermercados, hipermercados e atacadistas — a oferecer assistência de guia aos consumidores com deficiência.
Originalmente, a proposta (PL 3.474/2019) do senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ) previa que os guias, entre outras funções, guiassem os consumidores deficientes visuais pelas gôndolas, auxiliando-os a encontrar produtos e entender as informações nos rótulos.
O relator, Flávio Arns (Rede-PR), sugeriu retirar do texto a palavra “visual”, estendendo o apoio do guia a todas as pessoas com deficiência que tiverem necessidade de auxílio.
— Dessa forma evitaremos que uma iniciativa tão promissora seja injustamente tachada de discriminatória, por se referir tão somente às pessoas com deficiência visual — justificou.

Para Flávio Arns, as vantagens da oferta dos serviços de guias serão inúmeras: de um lado, elevam o nível de autonomia das pessoas com deficiência; de outro, alavancam as vendas dos supermercados e estabelecimentos semelhantes, pois tornam menos frustrante e mais produtiva a ida do consumidor com deficiência às compras.

O senador destacou que não vai ser necessário contratar mais pessoal, apenas capacitar quem já trabalha na empresa. O senador citou como exemplo um supermercado no Paraná em que todos os empacotadores têm algum tipo de necessidade especial.

— Essa é a acessibilidade que não custa dinheiro. São funcionários que já trabalham no estabelecimento e que podem ser treinados para acompanhar os clientes.

Vantagens

No debate, Arns falou como funcionará na prática a ideia de colocar um funcionário para assistir quem precisa: essa pessoa vai conduzir o consumidor pelas dependências do estabelecimento, auxiliar a encontrar e movimentar produtos e também ler as informações sobre produtos e serviços que o consumidor solicitar.

A senadora Zenaide Maia (Pros-RN) assinalou as vantagens do projeto para os estabelecimentos:

— O projeto estimula a população com deficiência visual e auditiva a ir ao comércio. É preciso expandir as tecnologias assistivas, como o braile. Muitas vezes os empresários acham que vai ter custo. Pelo contrário. Vão ter um nicho de consumidores fiéis.

A decisão final sobre o assunto deve ser dada pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). Se for aprovada, a proposta seguirá para a Câmara dos Deputados.